Muitos leitores têm dúvida sobre guardar dinheiro. Será que estariam atraindo coisas negativas ou seria falta de fé em suas crenças? Confira o post de hoje!

Guardar dinheiro é sinal de falta de fé?

(Post 17 de 30 do Desafio 30 dias para crescer)

Embora o dinheiro faça parte do dia a dia de todas as pessoas, ainda há muitos tabus quando ele se mistura a crenças.

Mas a verdade é que, se você tem algum bloqueio quanto ao dinheiro no que diz respeito à sua fé, é preciso vencê-lo para poder crescer.

Resolvi trazer este assunto ao blog, pois sempre recebo comentários do tipo:

  • Guardar dinheiro para emergências atrai coisas ruins, melhor gastar com coisas boas;
  • Se eu guardar dinheiro, sinto que não estou confiando em Deus, mas sim nas minhas economias;
  • Sinto culpa quando guardo dinheiro e não ajudo os outros.

Eu creio que tudo se resume à intenção, embora pareça que estamos simplificando demais as coisas.

Mas pense comigo:

Se você professa uma fé é sinal de que deseja manter uma conduta correta e justa, certo?

Com base nisso, tenho duas perguntas para você:

  • O que diriam da sua fé se você precisasse de dinheiro para algo urgente, mas não tivesse de onde tirar?
  • Gastar tudo o que recebe é um indicativo de pessoa responsável ou irresponsável?

E é aí que entra a questão da intenção.

Se você guarda um valor mensalmente para dar bom testemunho da sua fé, seria isso uma demonstração de falta de fé?

Acho que você já tem a resposta, não é mesmo?

Contudo, se em algum momento você tiver o desejo de se desfazer de algo para o exercício da sua fé, perfeito!

Mas isso é diferente de viver sem nenhum tostão, devendo a fatura do cartão e contratando um empréstimo atrás do outro sempre que surge uma despesa extra.

Ser responsável e bom administrador do seu dinheiro faz parte da sua boa conduta de fé!

 

Para ler os desafios anteriores, clique nos títulos abaixo:

 

1 – Regras: uma relação de amor e ódio

2 – Por que não consigo mudar?

3 – Vivo sem dinheiro, o que faço?

4 – 10 segredos dos campeões quenianos

5 – Boa comunicação faz diferença

6 – O desafio de tomar água

7 – Sextou! Como aproveitar bem o fim de semana

8 – Boa convivência na internet

9 – Seu mês de janeiro teve 100 dias?

10 – Viver de crédito é a escravidão moderna

11 – Hábitos de fracasso levam ao fracasso

12 – Como fugir das fake news

13 – Comodismo só leva ao fracasso!

14 – O mito da zona de conforto

15 – Você vive para trabalhar e ter dinheiro?

16 – Você é parte do problema ou da solução?

 

Nos vemos!

Jornalista, especialista em finanças, autora de 5 best-selleres, colaboradora dos programas Mulheres (TV Gazeta) e Escola do Amor (Record TV). Colunista do portal R7 e youtuber.

  • Muito obrigada, pois eu também tinha algumas dessas dúvidas. parece que se você guarda dinheiro, pensa no futuro é como se não estivéssemos a confiar em Deus. Obrigada Patrícia pelo post de hoje. me ajudou.

  • Bom dia Patrícia!
    Muito claro, simples e esclarecedor o post de hoje.
    Obrigada.

  • Obrigada por esse desafio.
    Veio só confirmar a direção que tenho pedido a Deus. E o que me prova que é o que é certo é porque estou sendo abençoada.
    Projetos de 2019 que não consegui concretizar em 1 ano… fiz acontecer em 1 mês e meio…porque aprendi que certas coisas são Minha RESPONSABILIDADE…

  • Oii Patrícia
    Sem dúvida foi um dos post que mais me ajudou a esclarecer essa questão. Sempre tive dúvidas a esse respeito e ficava aquele ponto de interrogação na minha cabeça. Mas sua explicação foi perfeita para sanar todas as dúvidas.
    Obrigada

  • Tema mega delicado Patricia. Se vc guarda é sovina, se nao guarda é perdulario, se o seu irmao pede e vc tem, deve emprestar, pois é caridade. Creio em um meio termo. Ja passei por todas as situaciones, hj vivo tentando o equilibrio. Guardo, gasto, empresto, doo e dou. O segredo pra mim é pensar: como Jesús faria? Tem dado certo. Cabe sempre uma reflexao, pois cada día passamos por uma situacao diferente em nossas vidas. Beijos a todos.

    • Nossas respostas se resumem à sigla: OQJF (o que Jesus faria?)! 😀

  • Isso faz muito sentido pra mim… Obrigada por compartilhar.

  • Infelizmente muitos não tem esse discernimento , pois o próprio descontrole com as finanças já demonstra que tipo de fé têm praticado.

  • Querida Amiga, bom dia,
    Baseada em fatos reais da vida (da minha, hahahaha), afirmo:

    1) Se você guarda um valor mensalmente para dar bom testemunho da sua fé, seria isso uma demonstração de falta de fé?
    R) Provérbios 31:10 explica direitinho a respeito da mulher sábia, que é uma excelente empreendedora, diga-se de passagem!!

    2)Contudo, se em algum momento você tiver o desejo de se desfazer de algo para o exercício da sua fé, perfeito!
    R) Sim, estar sensível à voz do Espírito Santo em especial quando se pede respostas, é fundamental! Lembro quando pedi ao Senhor sabedoria para “passar meu carro usado, adiante!”… Meninas, eu ouvi a voz do Espírito Santo e obedeci! Até hoje desfruto da bênção…. e já tem quase 10 anos do ocorrido!

    3) Mas isso é diferente de viver sem nenhum tostão, devendo a fatura do cartão e contratando um empréstimo atrás do outro sempre que surge uma despesa extra.
    R) Ah, isso sim é pecado por não cuidar da provisão enviada pelo Senhor, através dos nossos negócios!!

    Sigo em frente, prosperando!!
    Beijos

  • Guardar dinheiro para emergências atrai coisas ruins – não atrai nada de ruim, o que se faz é prudência e provisão para o inesperado.

    Se eu guardar dinheiro, sinto que não estou confiando em Deus – guardar dinheiro não tem relação com confiança, são paralelos. Pq as pessoas associam? Porque tem crenças limitantes, e com isso não prosperam em parte nenhuma na vida.

    Sinto culpa quando guardo dinheiro e não ajudo os outros – a pessoa pode guardar dinheiro, ou investir e também ajudar os outros. A primeira não exclui a segunda.

    • Exatamente, Fernanda! Mas olha como os tabus conseguem confundir o pensamento…

  • Muito bom esse post muito obrpgada por compartilhar.
    Abraços

  • PAT!
    ESTOU TRABALHANDO PARA TER UMA RESERVA DE EMERGÊNCIA! APOSENTO E VOU DEIXAR O EMPREGO.

  • Olá Patrícia! Gostei de seus comentários. Podemos ver, também, como um bom exemplo a Parábola dos talentos! Podemos usar os talentos tanto para nossos talentos pessoais, quanto ao financeiro! Isso não é falta de fé, Deus deu os talentos, mas temos o livre arbítrio, e quando mal usados, falimos! Super abraço.

  • Boa noite,
    Quando eu passei a frequentar a igreja, aconteceu isso comigo, que eu não poderia guardar dinheiro senão seria falta de fé em Deus, e com isso veio outras coisas bobas que me afetou muito, deixe de faculdade por acreditar que não precisaria, pois Jesus Cristo está voltando seria perda de tempo. Como eu era tímida demais, e boba acreditava em tudo q falavam. Hoje vejo o quanto isso atrapalhou a minha vida financeira.
    Abraço.

    • Como tudo na vida, a nossa fé precisa de tempo para amadurecer. Quando somos “crianças na fé” a tendência é agirmos como crianças. Mas o bom é que a gente cresce e Deus vê a nossa intenção ! Bjs

  • Como diz o ditado, prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”

  • Olá Patrícia
    Li e reli este post algumas vezes, refleti bastante e me lembrei da fábula “a cigarra e a formiga”, que trata de ter prudência com os recursos, não só financeiro, mas também os recursos do planeta.
    Qual o problema de pouparmos nosso dinheiro para sermos menos dependentes dos filhos ou netos na velhice? Qual o problema de economizarmos água, árvores, oxigênio etc para o futuro de nossas famílias neste planeta?
    Se formos imprudentes como a cigarra da fábula aí é que estaremos atraindo coisas ruins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *