Sabemos que os “haters” existem, mas assim como não devemos agir como eles, também não devemos dar importância ao ódio que espalham. Veja como fazer isso!

A boa convivência na internet é possível

(Post 8 de 30 do Desafio 30 dias para crescer)

Ontem, sexta-feira (31), postei uma foto no meu Instagram (me segue lá clicando aqui) e estou me divertindo até agora!

Essa foi a imagem.

 

Além das milhares de curtidas, recebi centenas de comentários bem-humorados e respondi vários deles igualmente com bom humor.

Apenas um, entre as centenas de comentários dizia que isso não é ser organizado, mas sim, ter TOC.

TOC é uma doença, todos sabemos disso, e é bem diferente de organização.

Apesar de ter sido um comentário ofensivo (afinal, elogioso é que não é), não permitimos que nos tirasse a diversão!

Mesmo sendo um post engraçado, sempre haverá quem veja o lado negativo, mas, por outro lado, nós temos o poder da escolha.

Podemos escolher se vamos dar ouvidos e nos chatear, ou se vamos escolher não dar atenção.

E esse é o desafio que temos não só hoje, mas sempre: não darmos atenção aos haters!

Eles sempre existirão e a intenção deles é nos chatear.

Porém, cabe a mim e à você nos deixarmos chatear ou simplesmente ignorarmos.

Eu fico com a segunda opção.

É possível termos uma boa convivência na internet, mesmo sabendo que os haters sempre estarão à espreita.

Sim, essa é a palavra: espreita! Afinal, eles vivem checando o que estamos fazendo.

Quando um hater vê a sua alegria, tudo o que ele quer é tira-la de você.

Quando um hater percebe que você está se divertindo, tudo o que ele quer é tirar a diversão de você.

Os haters têm a missão de espalhar a frustração e o ódio que têm de sobra.

Mas cabe a nós rejeitarmos o que vem deles e dar a eles o que temos.

Muitas vezes eles não merecem nem sequer resposta, então, dê o seu silêncio.

Faço uso sempre e recomendo!

 

Para ler os desafios anteriores, clique nos títulos abaixo:

 

1 – Regras: uma relação de amor e ódio

2 – Por que não consigo mudar?

3 – Vivo sem dinheiro, o que faço?

4 – 10 segredos dos campeões quenianos

5 – Boa comunicação faz diferença

6 – O desafio de tomar água

7 – Sextou! Como aproveitar bem o fim de semana

 

Para ler o próximo post, clique no título abaixo:

9 – Seu mês de janeiro teve 100 dias?

 

Nos vemos!

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Boa tarde!

    Exato! Ignorar e caminhar. Não vale a pena responder e mais importante, não se deixar contaminar e fazer o mesmo jogo.

    Excelente e oportuno post! Existe muita gente que ainda não aprendeu lidar com isso.

    “Examinar tudo, reter o que é BOM!

    Bjo.

  • kkkk eu li essa que falou que é Toc! aliás ja percebi que algumas pessoas que não gostam de organização elas acham que quem é organizado é doente e como você bem colocou: organização é vida! concordo. As vezes também passo por isso, mas não dou importância eu continuo com a minha organização.

  • Patrícia, eu também escolho silenciar…. evita rugas!!

  • Como não faço postagens nas redes sociais, não sou vítima disso

  • Bem lembrado esta tema do 8° desafio! Realmente, sempre rola um hater em nossas comunicações digitais! Em grupo de Whatsapp isso é super frequente! Eu ignoro, mas sofro! Preciso elaborar melhor esse meu sentimento!

  • Melhor resposta é o silêncio a quem está sempre pronto para dar as alfinetadas.

  • As vezes é muito melhor ficar no silencio, pena que a pessoa que fez o comentário não pensou nisso antes kkk

  • É o melhor sempre a se fazer Ignorar, excluir,desprezar, rejeitar, postergar , preterir e todos os sinônimos mais que os definam hahahahah Até porque eu não duvido que já correram aqui para o Blog pra espreitar novamente as nossas risadas kkkkkkk

  • Arrasou paty, muita sábia! as pessoas amarguradas procuram sempre ver um lado negativo.

  • “eles vivem checando o que estamos fazendo”
    Eu excluí minhas redes sociais mas quando voltar a elas, vou usar sem dó essas opções de ocultar postagens, de não deixar a pessoa ver minhas publicações e coisas do tipo.
    Parente e amigo hater é de doer, tenha dó! E ainda vem falar pessoalmente com você sobre algo que você postou. Na época, eu não soube lidar e excluí tudo. Mas, na volta, nem vou pensar duas vezes em ocultar essa turma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *