Como está a sua vida em relação a estes três aspectos? Nossa reflexão de hoje é sobre cada um deles. Confira, analise e reflita!

Caráter, intenção e conduta

Primeiramente, vamos à definição de caráter.

No dicionário Houaiss da Língua Portuguesa é bem extenso, mas vamos nos focar nisto:

 

Qualidadeíndole, firmeza moralcoerência nos atos, honestidade;

Conjunto de traços comportamentais e afetivos persistentes o bastante para determinar o seu destino.

Quando pensamos em nós mesmo, dificilmente alguém se considera uma pessoal de mau caráter.

Mas quando refletimos sobre o que a palavra caráter significa, vemos a amplitude de sua abrangência.

Você pode ser uma pessoa de boa índole, honesta e firme moralmente.

Porém, será que os seus atos têm sido coerentes com o que você pensa?

Ou será que, para não desagradar um amigo, parente ou colega de trabalho você age de forma incoerente ao que você crê?

É como aquela secretária cujo chefe manda dizer que não está e ela repassa a mentira ao cliente, achando que não tem saída.

Apesar de ter boa índole e não mentir normalmente em seu dia a dia, ela age de forma incoerente ao obedecer o chefe e mentir.

Mas, você pode estar pensando:

“Nossa, que absurdo! Que radicalismo! Ela iria perder o emprego só por causa disso? E outra, não foi ela quem mentiu, foi o chefe!”

Aí está a razão pela qual ser uma pessoa de caráter firme não é para todos!

Há quem possa alegar que isso é um exagero e que ela só obedeceu para manter o emprego.

Porém, há quem minta para manter o emprego, há quem roube para manter o emprego, há quem engane os outros para manter o emprego.

Nenhuma corrupção começa grande, mas vai crescendo à medida que a pessoa vai achando o erro “normal”

 

Nesse ponto já entramos no segundo aspecto que é a intenção.

Novamente vamos consultar o dicionário para entendermos o significado da palavra:

Propósitoplanoideia; o fim que determina um ato.

Conforme as definições, entendemos que se trata basicamente do por que você faz o que você faz.

Embora muitas vezes nós agimos sem refletir muito nos porquês, as nossas intenções, cedo ou tarde, vão surgir.

Já ouviu aquele ditado que diz que de boa intenção o inferno está cheio?

Quer dizer, não importa se a pessoa teve boa intenção, se ela agiu mal, vai sofrer as consequências do mesmo jeito.

Ou seja, mentir com a “boa intenção” de agradar o chefe e ter um salário no fim do mês para ajudar a família não justifica.

Mentira é mentira e trata-se de um desvio de caráter mesmo que tenha sido com “boas intenções”.

E, mais uma vez, aí está outra razão pela qual ser uma pessoa de caráter firme não é para todos!

Para terminar, temos a conduta que, por definição é:

modo de agirde se portarde viverprocedimento

Se o seu modo de agir não condiz com o seu caráter, enquanto as suas intenções, apesar de boas, também culminam em atos ruins, qual será a conclusão de tudo isso?

Essa é a razão pela qual temos que reservar tempo para refletir sobre vários aspectos da vida.

Podemos agir automaticamente em vários momentos, mas não em todos.

E, certamente, não naqueles em que nosso caráter pode ser colocado em jogo.

 

Para ler as reflexões anteriores, clique abaixo.

Dia 1 – Tempo para pensar

Dia 2 – Andar a segunda milha

Dia 3 – Cuide da sua vida

Dia 4 – O que as dúvidas causam

Dia 5 – Não se perca pelo caminho

Dia 6 – O que o mimimi faz por você?

Dia 7 – Eu sei o que fazer, mas como faço?

 

Nos vemos amanhã!

Jornalista, especialista em finanças, autora de 5 best-selleres, colaboradora dos programas Mulheres (TV Gazeta) e Escola do Amor (Record TV). Colunista do portal R7 e youtuber.

  • Amei a reflexão! Muito boa mesmo! Lembro que no meu antigo emprego haviam metas que para serem alcançadas o funcionário precisava mentir e enganar o cliente. E quem não aceitasse isso, acabava não atingindo a meta e participando de uma reunião mensal no qual era humilhado por não ter atingido. É triste ver que uma empresa se baseia em mentiras para crescer…mas, um dia a conta chega e tudo de errado que a empresa plantou, irá colhêr.

  • Bom dia linda Patricia!

    quero partilhar com você uma experiência que tive há um tempo atrás, foram 2 situações iguais onde os vendedores me ofereceram cartões de crédito, me explicaram as vantagens etc…. o mesmo modo de agir foi assim: preencheram uma ficha com meus dados, fazem várias perguntas e no fim de tudo o vendedor me perguntou se a casa que eu morava era alugada ou própria e eu lhe respondi: alugada! e então ele me orienta a dizer o seguinte: quando a empresa ligar para você, diga-lhe que a casa é própria esta bem? sabe o que fiz? respondi: muito obrigada, não vou mentir para obter um cartão de crédito.

    a outra o mesmo procedimento no fim de preencher a ficha perguntou ha quanto tempo eu estava na empresa: respondi: desde Junho! ela me orienta desta forma: quando a empresa ligar diga que esta la desde Janeiro, pode assinar aqui por favor!!!

    imediatamente eu disse a vendedora: não vou assinar nada e nao quero o cartão! nao vou mentir.

    a vendedora ficou muito furiosa comigo….

    essas 2 empresas pra mim não tem credibilidade nenhuma.

    e faço isso em qualquer situação, pode ser a pessoa que tenha muita autoridade sobre mim ou não, não minto pra obter qualquer vantagem sobre o que for, prefiro perder e ter a minha consciência limpa. grande abraço

    • A mentira é tão comum quanto errada e as pessoas já não têm mais vergonha de usá-la a torto e a direito. Muitas vezes nem é a empresa que os manda mentir, mas eles mesmos adotam essa conduta para receberem seu bônus por terem feito mais um cartão. Se todo mundo fizesse o que vc fez, eles teriam de mudar o discurso! Bjs

  • Olá Patrícia, sobre o que você disse me lembrei de um texto bíblico muito citado nos nossos dias: “e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Se não formos íntegros no que falamos, fazemos ou pensamos como exigir de outros vida correta?. Que a verdade seja um lema em nossas vidas.
    Obrigada pela reflexão.

  • Paty, passei por uma situação chata em uma loja porque um atendente de caixa me enrolou bem enrolada! Consegui resolver, mas precisei chamar um responsável. E agora estou desempregada justamente por não aceitar o que estava acontecendo na empresa. Acabaria sendo prejudicada se continuasse lá. Estou confiando em Deus e na minha determinação de vencer, já que não tenho ninguém para me manter. Estou em paz com minha consciência, mas, querendo ou não, preocupada com o que o futuro me reserva. Confio na inspiração divina, mas preciso não ficar surda ou cega para ela! Bjos!

    • Nesses casos, a perda sempre será ganho. Já aconteceu comigo e não me arrependo de ter mantido o meu caráter. Beijos!

  • “Nenhuma corrupção começa grande, mas vai crescendo à medida que a pessoa vai achando o erro “normal'”.
    Que frase!
    Já me chamaram de radical por pensar assim, inclusive mudei de carreira por considerar que o dia a dia da minha profissão ia contra os meus princípios, e ainda disseram que nunca vou poder trabalhar em lugar nenhum porque nenhum lugar é “perfeito”. O emprego que tive logo depois de desistir da minha área de formação também tinha muitas atividades baseadas “no jeitinho brasileiro”, mas analisando friamente, não eram necessárias! Por que as pessoas optam pela mentira ou pelas pequenas corrupções no dia a dia? Agir da forma correta é tão melhor. Pelo menos com esse texto senti que não estou sozinha…

    • Agir corretamente deveria ser automático, mas não é… vc não está sozinha, não! 😁

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *