Nas redes sociais vemos: “vamos nos unir!”, “é hora de cuidar da família”, “essa quarentena vai nos fazer pessoas melhores”. Mas o que há de verdade nisso?

Quarentena na real – Só a verdade!

As redes sociais podem ser usada de muitas formas, mas o que mais se vê são pessoas mostrando o que gostariam de ser, mas não são.

Com a onda do politicamente correto então…

As pessoas sabem o que devem dizer, porém, em muitos casos, o que dizem é totalmente diferente do que pensam e fazem.

E quem afirma isso não sou eu, mas os números.

Os índices de violência doméstica subiram assustadoramente.

Pessoas que queriam tanto ter tempo para ficar em casa não estão aguentando conviver com a própria família.

Muitos pais estão em desespero, pois perceberam que mal conhecem seus filhos.

Em resumo: não sabem brincar com a criança, não sabem seus gostos e nem como entretê-las.

A realidade está simplesmente em contraste com o que se vê nas redes.

Lá, tanto casais como pais estão sorrindo nas fotos e as legendas são sempre super positivas.

Mas a vida é real tem sido diametralmente oposta.

Afinal de contas, o que está acontecendo?

Não era tempo o que mais as pessoas reclamavam não ter?

Como pode ser que agora, com todo o tempo que a quarentena trouxe, essas mesmas pessoas não saibam o que fazer?

A vida real mostra, em números, que cada vez mais casais estão infelizes a ponto de chegarem à violência.

Muitas famílias não conseguem viver debaixo do mesmo teto sem brigar.

Não me refiro a discussões e briguinhas normais, mas sim, a um ambiente intolerável.

Além de pais que amam seus filhos desde que não precisem passar muito tempo com eles.

Se realmente queremos sair melhores dessa quarentena, muita coisa tem que mudar.

Muita mesmo!

Palavras não vão adiantar quando só o que resolve são atitudes.

Cuide da sua família, seja tolerante com o seu cônjuge, eduque seus filhos de verdade.

Não basta falar, é preciso fazer!

 

Informações sobre o curso Gerenciando a Si Mesmo

Agora você pode adquirir módulos separados a um custo bem reduzido. Confira clicando em SAIBA MAIS.

 

Leia os posts anteriores:

#1 – Quando a guerra estoura

#2 – Fuja da hipocrisia

#3 – Fake news, em que acreditar?

#4 – Não há empatia, apenas discurso

#5 – Afaste-se do que lhe faz mal

#6 – Vamos fazer a diferença

 

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Eu concordo em partes.
    As pessoas precisam aproveitar melhor o tempo que tem juntas, sim.
    Porém, estamos diante de uma situação estressante. Muitas pessoas estão preocupadas em como ficará sua vida financeira, pois podem falir ou perder o emprego; outras já enfrentam essas dificuldades, enquanto outras têm dinheiro mas não conseguem comprar. Além disso, o fator medo muito presente como se essa doença fosse matar a todos.
    ,

    • A família é justamente para que um fortaleça o outro nas horas difíceis e é isso que não se vê. Estar todo mundo de bem quando tudo está bem é muito fácil. O difícil é conviver harmoniosamente estando em dificuldade, como agora. Se as pessoas não conseguem isso dentro da própria casa, onde fica o conceito de família? É sobre isso que proponho a reflexão.

  • Parabéns falou muitas verdades, as pessoas só falam o que querem viver mas não se esforçam para fazer acontecer. Cada um no seu mundo individual esperando que o outro seja melhor, enquanto não saem do lugar. Que possamos virar pessoas melhores capaz de olhar os outros de forma mais carinhosa.

  • Patrícia!Seu texto bem direcionado a questão da convivência familiar nesse período tão desafiador para todas as classes sociais, não é fácil as vezes pra mim,que tenho certa idade sinto desânimo, devido tantas informações,busco na Bíblia força para cada dia!

  • Ei,
    Nossa muito bem sua colocação; como sempre com o post certeiro. Na segunda feira até desinstalei o instagram do meu celular; Fico feliz em ver o lado feliz do meu próximo, mas é tanta foto que me sinto meio que obrigada a postar o meu lado ‘bom’ também coisa louca, pois na verdade é meio que um escape da realidade (kkk)… resolvi me dedicar a leitura de livros que nunca lia pq não tinha ‘tempo’, faxinar os armários e organizar meu PC fazer uma faxina geral; Nunca mais serei a mesma depois dessa quarentena 🙂

    Bjsss e muito obrigada Paty 🙂

  • Hello, Patricia!
    Eu concordo plenamente com vc. Eu conheço pessoas que se encaixam nas suas palavras e até eu tenho que mudar muitas coisas.
    Deus te ilumine!

  • é verdade, ouvi uma vez no trem uma “mãe” falando que não tinha paciência de fazer papinha saudável para seu filho pois não tinha tempo(porque tinha outros filhos também), que quando ele entrasse na creche ele ia ter! Um absurdo!

  • Começando por mim: estou aproveitando para organizar minha casa, meu computador e monitorar meu tempo online.
    Sobre o que vejo por aí: uma hora a conta chega e coloca ordem nas coisas. Primeiro, precisamos ser do “portão para dentro de casa”, para depois sermos do “portão para fora”. É assim que mudamos um país. Quem casou e constituiu família pra brincar de casinha ou foi no embalo da prima que casou e teve filho, foi lá e teve também, hoje, tem que dar conta dessa vida.
    Eu estou muito tranquila nesta quarentena fruto de tudo o que plantei nos anos anteriores, sim, anos. Me olho no espelho e sei quem sou e a vida que construí pra mim e não construí uma vida para mostrar pros outros. Isso me dá ainda mais firmeza e autoestima.

  • Excelente artigo! Já te acompanho a algum tempo e tem sido inspiração pra mim em meu site. Parabéns pelo post e por sua historia de superação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *