Cada vez mais aumenta o número de mulheres que se desdobram sendo mães, esposas, estudantes, profissionais etc. Como dar conta de tudo? Esse é o tema de hoje!

Mulher, mãe, esposa, profissional…

Infelizmente muitas mulheres estão caindo na conversa de que podem dar conta de tudo e serem as novas Mulheres Maravilhas.

Com isso, se enchem de tarefas e, depois, sentem-se sobrecarregadas, frustradas e até deprimidas.

Nós, mulheres, temos sim, a capacidade de sermos multitarefas, mas tudo de forma equilibrada.

Porém, a mídia e a sociedade moderna não promovem o equilíbrio, ao contrário, promovem os excessos.

Com isso, muitas mulheres acham que podem ser TUDO e, claro, tudo de uma vez!

Elas se casam achando que não precisam fazer mais nada para manter o casamento, pois “o amor basta”.

Elas têm filhos, mesmo sabendo que não têm espaço em casa para uma criança, que não têm estrutura familiar nem financeira e que não poderão cuidar como gostariam porque é impossível diminuir a carga horária de trabalho.

Elas assumem mais tarefas do que é humanamente impossível para “provar” que são mais eficientes que os outros.

Trabalham o dia todo e, à noite, ainda vão para a faculdade para “crescerem na carreira”.

É certo que devemos fazer sacrifícios para crescer na carreira, sempre falamos isso aqui.

Mas é preciso saber priorizar o que é mais importante e, nem sempre a carreira e as finanças devem estar no topo da lista.

 

O falso romance da mulher-faz-tudo

Dizer que é mulher, mãe, aluna, profissional e que dá conta de tudo é apenas uma tentativa de romancear as coisas.

Mas a verdade é que a vida de quem tem de desempenhar todos esses papéis ao mesmo tempo não é nada romântica…

Tentar ser o que a mídia e a sociedade impõem à mulher é a fórmula para uma vida de frustração e, muitas vezes, até de depressão.

Isso porque está além da capacidade de qualquer mulher ser ao mesmo tempo:

  • A melhor profissional
  • A melhor mãe
  • A melhor esposa
  • Ser linda desde que acorda até a hora que vai deitar
  • Ter uma casa impecável
  • Ter uma conta bancária recheada
  • Viajar nas férias etc. etc. etc.

Aqui no blog você já leu muitas vezes que é preciso sacrificar para termos o que queremos.

Com isso, pode parecer contraditório dizer que é impossível ser tudo, mas se você analisar friamente, vai ver que há coerência na nossa fala.

 

Como definir esse “sacrificar”?

Sacrificar para ter o que quer, muitas vezes, é dizer não para outras coisas que você também quer.

A fórmula para uma vida de equilíbrio é saber priorizar o que é mais importante, como a própria definição da palavra indica.

Se você quer ser mãe e ter o prazer de cuidar do seu filho, de vê-lo crescer e compartilhar sua vida, vai ter de sacrificar outras coisas.

Talvez precise adiar a faculdade ou trabalhar menos.

Ser mãe de uma criança pequena, trabalhar e estudar (tudo ao mesmo tempo) obviamente vai lhe deixar frustrada, pois alguma(s) dessas coisas não vai(ão) sair bem feita(s).

Afinal de contas, você reuniu três coisas que requerem tempo, mas seu dia continua tendo as mesmas 24 horas.

A vida da mulher que tenta fazer o que a sociedade diz que é possível não é uma vida feliz, acredite!

Atendo muitas mulheres que passam uma imagem de Mulher Maravilha, felizes, empoderadas e dignas de serem invejadas.

Só que, ao pé do ouvido, confessam que vivem cheias de culpa, tentando lidar com a frustração, e ainda preocupadíssimas em não descerem do salto!

 

Como viver em equilíbrio

Antes de mais nada é preciso priorizar.

O que é mais importante tem que vir primeiro e, depois, acomode o que é possível e sacrifique o restante.

Sei bem como é ter de fazer sacrifícios todos os dias, pois, assim como você, tenho que fazer escolhas que nem sempre são fáceis.

Como não tenho salário, preciso me policiar muito para não aceitar todo trabalho que me oferecem.

A tentação de ver a conta bancária crescer é grande, mas sei que se eu assumir tudo o que me propõem (ou que eu mesma quero fazer), vou prejudicar outros setores da minha vida.

Tenho marido, casa e um corpo para cuidar, além de todo o resto!

Portanto, se vejo que me arrisco a adoecer assumindo muitos compromissos, abro mão de alguns, ainda que a conta bancária fique menor.

Quando estou em turnê de lançamento, meu marido sacrifica e assume as coisas que não vou poder fazer.

Mas sei que depois terei de dar um tempo no trabalho para poder estar mais com ele.

Manter esse equilíbrio requer sacrifícios, por isso, é preciso saber fazer as melhores escolhas.

Dicas que poderão ajudar na priorização

  • Não assuma mais tarefas do que as que poderá fazer bem feitas;
  • Saiba que sacrificar algumas coisas sempre será necessário, ninguém pode ter tudo, muito menos tudo de uma vez;
  • Se tiver que ganhar menos por um tempo, gaste menos e adapte-se à nova realidade. Dinheiro não é tudo na vida e você está ouvindo isso de uma educadora financeira!
  • Não acredite na vida maravilhosa das redes sociais (já falamos isso nos desafios anteriores!);
  • Não compare a sua vida real com a vida virtual dos outros (essa frase vai para o pensamento do dia no meu Instagram!);
  • Tenha momentos para pensar e poder pesar suas escolhas. Sem isso, você vai agir por impulso ou na emoção e nenhuma dessas atitudes traz bons resultados;
  • Faça as suas escolhas e não entregue o controle da sua vida para terceiros (também já falamos isso nos desafios anteriores!);
  • Se é casada, divida suas ideias com seu marido e, aí sim, peça a opinião dele. Se vocês não têm essa sintonia, invista para que isso se torne realidade. Viver sozinha estando casada não é o ideal.
  • Se namora ou é noiva, veja bem se seu parceiro está alinhado com você e você com ele. Viver com alguém que não lhe apóia ou que não recebe apoio não faz sentido.

 

É fácil? Claro que não…

Por isso o nome é desafio!

E desafios são para as fortes 🙂

 

Para acompanhar os desafios anteriores, basta clicar nos títulos:

Desafio Crescer 1 – Aprenda a aprender

Desafio Crescer 2 – Assuma o controle do seu tempo

Desafio Crescer 3 – Seja luz

Desafio Crescer 4 – Se não é o melhor, não faça

Desafio Crescer 5 – Infuência das redes sociais

Desafio Crescer 6 – Pequenas decisões, pequenos resultados

Desafio Crescer 7 – Pare com as desculpas

Desafio Crescer 8 – Você está terceirizando a sua vida?

 

Para não perder nenhuma postagem do Desafio Crescer, cadastre-se!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Nos vemos!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Nossa Patrícia é realmente o que estou passando…trabalho por conta e tenho uma filha de 4 anos que inicia a escola esse ano alem de fazer tratamento com fonoaudióloga e psicóloga…e agi pela emoção entrei em um curso de gestão..e agora estou me sentindo sobrecarregada..
    E não sei como sair dessa situação.

    • Vc vai precisar sacrificar o que é menos importante. O que é menos importante do que todas as coisas que vc assumiu? 🙂

  • Hum… Muito legal Paty…
    Hoje mesmo estava pensando sobre esse equilíbrio.

    Excelente semana pra nós!

  • Eu já fiz a minha escolha há tempos e isso se reflete ainda hoje, porém mão me arrependo mas algumas pessoas ainda me cobram que eu poderia “trabalhar mais”. Eu engravidei quando ainda fazia faculdade e já trabalhava (fazia três meses que tinha entrado para o serviço público). Parei a faculdade e continuei trabalhando, porém quando meu filho tinha dois anos, voltei a fazer faculdade (à distância, achando que seria mais tranquilho, sqn) e me divorciei. Quando ia pra faculdade, de 15 em 15 dias tinha final de semana que o pai do meu filho tinha o direito de ficar com ele ( o que nem sempre acontecia) e num desses finais de semana meu filho estava febril, foi para casa do pai e eu para a faculdade (algumas aulas de laboratório eram obrigatórias), quando no meio do caminho e eu já na aula e ele me liga querendo “devolver” meu filho, pois estava doente e ele não iria ficar… Enfim, fui embora no meio da aula e desse dia em diante decidi que apenas trabalharia e cuidaria do meu filho (ainda nesse tempo era diarista, hoje sou plantonista e as pessoas ainda me cobram porque não trabalho mais). Sim, trabalho apenas às sextas-feiras e de 15 em 15 dias às terças também. Tenho minha vida financeira organizada (graças a Deus e a você), consigo pagar minhas contas e investir e ainda por cima, cuidar do meu filho com tempo de qualidade, podendo estar atenta ao que ele está fazendo: quando está na internet, levo e busco na escola (com exceção dos dias que estou trabalhando, onde ele fica com minha mãe e vai para a escola de transporte escolar), quando está brincando com os colegas no condomínio. Tive que sacrificar meu conhecimento, mas não me arrependo nem um pouco de poder investir tempo de qualidade na criação do meu filho.
    Mais uma vez obrigada Patrícia, por nos ajudar a fazer boas escolhas e a priorizar o que importa, e não o que sociedade impõe.

  • Nossa é bem complicado mesmo ,eu vivi isso nos últimos anos.Quando finalmente me senti feliz e realizada em um trabalho engravidei e na época não queria de forma alguma largar o trabalho para me dedicar ao meu filho bom até ele nascer e eu perceber o quanto ele precisava de mim e de fato mãe é mãe,depois tentei trabalhar mais um tempo,trabalhei por sete meses em um lugar que eu sonhei e por mais que meu filho ficasse com minha mãe só por meio período, pois logo o pai buscava ele ainda sim me sentia extremamente sobrecarregada,porque ainda tinha minha casa pra cuidar e meu casamento,e também meu marido estava cada vez mais cansado e sobrecarregado,estávamos crescendo financeiramente mais a que preço.
    Foi aí que decidi priorizar e na época fui muito criticada porque na minha demissão disse que eu estava saindo porque queria cuidar do meu marido e do meu filho,mais nem olhei para traz e sinceramente no começo dói mais vejo todos os dias o quanto vale a pena priorizar aquilo que tenho de mais valioso,e meu marido trabalha mais focado e pra ser bem sincera o dinheiro que eu recebia nem faz falta.
    Mais um desafio maravilhoso🏃‍♀️🏃‍♀️Rumo ao crescimento.

  • Oi Paty! Há 13 anos atrás, eu priorizei meu filho. Meu financeiro caiu tanto, que levou à separação, exatamente pq não tinha apoio. Depois de separada, ficou bem complicado levar tudo (trabalho, casa, filho). Sempre lutei no financeiro, ainda mais pq continuei priorizando o meu filho. Sofri muito! Chorei muito! Hoje, ele está com quase 15 anos e me ajuda no que pode no serviço doméstico. Já mais bem orientado por mim, vai fazer colégio técnico. E, se Deus quiser, vai correr atrás do que for bom para ele em termos de vida. Em parte de mim já vibra aquele sentimento de “missão cumprida”. Deus permita que ele continue bem na sua jornada e esse sentimento de missão cumprida seja completo! Bjs!

  • Obrigada pela postagem, Patrícia! Principalmente por nós lembrar que dinheiro não é tudo na vida ( mesmo sendo educadora financeira). Sua sinceridade e simplicidade me encanta. Parabéns por se honesta conosco. Bjos 💙

  • Nossa impactante!!! Eu sempre tive o pensamento de que quando fosse mãe não trabalharia para acompanhar todas as fases e desenvolvimento do meu filho. Sei que seria bom trabalhar para ter o meu dinheiro no final do mês , mas graças a Deus ele me deu condições de ter um esposo bom e que supre as necessidades da casa para que eu possa fazer meu papel de mãe…e agora tenho 2 filhos e em fase escolar que mesmo assim precisam muito de mim ,mas enquanto eles estão na escola é o tempo que tiro para cuidar de mim , das coisinhas da casa e da família, e mesmo assim sei que já é muita coisa para mim .. não daria conta de trabalhar fora e ainda dar conta disso tudo. Sei que chegará o tempo em que eles irão crescer e aí sim eu poderei ver meu lado profissional .

  • Ufa…Realmente tento, mas não consigo fazer tudo da maneira que deveria ser. Fazer a escolha do que deve ser sacrificado é muito difícil, principalmente quando se é casada com alguém que tem prioridades diferentes das nossas. Essa escolha torna-se praticamente impossível de ser feita mantendo a paz e o equilíbrio.
    Muito forte esse desafio!!! Obrigada Patricia! Bjs.

  • Ótimo post, minha realidade. Não sou casada, nem tenho filhos, trabalho e tenho outras responsabilidades, que me custam tempo, o pouco que tenho. Sou feliz em poder ajudar nessas coisas porém tenho estado muito decepcionada comigo mesma por que o que eu mais quero, não tem se realizado, por minha culpa mesmo. Eu quero muito passar em um concurso público e atuar na minha área, mas não tenho conseguido estudar, parece que as horas não tem sido suficientes para tudo que quero e preciso fazer. Eu trabalho o dia todo e a noite, chego em casa depois das nove, sei que tem muitas pessoas que conseguem dar conta de estudar de madrugada e tudo mais, mas eu, nesse momento, não tenho conseguido, mas sei que tenho que me “mexer” e não deixar que tudo isso me sirva de desculpas. Tenho que priorizar de fato, o que quero, mas abrir mão das outras coisas, me custarão muito, isso tem sido o maior problema mas sei que tenho que fazer. Obrigada Patricia!!

  • Hoje estou no momento de ganhar menos e priorizar o tempo ao lado de meus filhos. Se adaptando a tudo.

  • Caramba!! Como estou aprendendo com essas informações!! Estou maravilhada com seu blog, PARABÉNS

  • Nossa, e eu acabei de terminar de ler um livro que fala justamente sobre isso, o livro é mais voltado para a vida matrimonial mas cita sobre quase todos os problemas de ser uma super mulher.
    O nome do livro é: Livre-se da síndrome da super esposa da autora Carin Rubenstein.
    Super indico.

    Abraços.

  • Um post muito necessário, principalmente para nós mulheres. Temos muitas possibilidades hoje em dia, mas como foi dito “…ninguém pode ter tudo, muito menos tudo de uma vez”.

  • É o post que precisava ler. Quantas foram as vezes que me peguei querendo fazer tudo o que não fiz, de uma só vez. E confesso que, por várias vezes, me senti muito frustrada em algumas coisas, isso que só tenho 28 anos. Não podemos nos deixar influênciar por um mundo que dita regras de uma vida PERFEITA que não existe. Encontrar o equilibrio e saber quais são as prioridades de cada fase da vida, é o que nos faz conquistar e manter algo em nossas vidas.

    Aprendi muito sobre isso lendo Eclesiastes, que além de nos ensinar que tudo tem o seu tempo, nós ensina também sobre não sermos demasiados em nada.

    Beijos Paty, ótimo post de hoje 🙂

  • Priorizar para mim é um grande desafio, tenho que me policiar muito, tenho a plena certeza de que não consigo fazer tudo, mas para mim priorizar e saber administrar bem o meu tempo é algo que é muito difícil, sei que não é fácil, estou nesta luta diariamente, e não vou desistir.

  • Obrigada! Li até um pouco depois da postagem, mas foi o que precisava hoje. A partir daqui já me organizei para o que realmente precisava e saiu aquela ansiedade tão ruim.

  • Olá, Patrícia!

    Esse desafio de hoje me trouxe certo alívio, porque eu estava vivendo exatamente o que você disse no início, achando que daria conta de tudo. Tinha o hábito de abraçar o mundo, e como consequência só vivia estressada. De uns tempos para cá, tenho aprendido muito a me policiar para cair no erro novamente. Estou aprendendo a priorizar o que é mais importante para mim, e como resultado disso, tenho vivido dias mais leves. Claro que há momentos de desânimo, mas logo me lembro do meu propósito e volto a focar no que realmente me interessa e que me fará crescer.
    Sou grata a Deus por ter colocado uma pessoa como você para ensinar e compartilhar coisas tão boas para minha vida!

    Beijos!

  • Boa noite ,Patricia é verdade achamos que somos super mulher, que vamos da conta de tudo que o dia tem que ter mais 24 horas .temos que nos planejar e organizar pra não ficar tao ata
    refadas

  • Penso sobre isso diariamente! Trabalho 8h30 por dia e com almoço e deslocamento, 10h30 do meu dia, são para o trabalho. Para dormir umas 7h por dia, me sobram em torno de 5h em casa, para os afazeres domésticos, tempo com marido e atividade física. Só consigo pensar que já sou formada e não tenho filho, e já me sinto muito sobrecarregada e frustrada, às vezes! Como as pessoas mais ocupadas dão conta de tudo?!
    Bom, não à toa, li esse desafio só hoje…não tirei o tempo para ele antes…esse é um dos meus grandes desafios para 2019 e para a vida! Priorizar e sacrificar. Mais uma vez, muito obrigada por essa série de desafios 🙂

    • As pessoas que se abarrotam de coisas não dão conta de tudo, não se iluda! 😀

  • Obrigada Patrícia por compartilhar conosco, seu conhecimento aliado a suas experiências. Sem dúvida tem feito a diferença em muitas vidas.
    Obrigada por ser sincera, e não ditar fórmulas ou regras, que ao invés de ajudarem, só nos deixam deprimidas e com sentimento de impotência.
    Sua sensibilidade é encantadora. Que Deus continue lhe concedendo muita sabedoria, para ser exemplo e abençoar a vida de muitas pessoas
    Abraço.<3

  • realmente eu concordo plenamente .eu sempre comento com minhas amigas que nós mulheres não ganhamos liberdade e sim escravidão .pois se não fizermos boas escolhas vivemos a vida toda tentando fazer tudo angustiadas por ter que fazer tudo e deixando algo mais importante de lado com a família, igreja ,passeios, deixar de recepcionar os amigos e parentes , pois sempre andamos sem tempo. dura realidade!!!!!!

  • Em uma sociedade que nos cobra tanto, temos que ter em mente que a nossa vida depende das nossas escolhas, e não ao oqie os outros pensam a nosso respeito…

  • Essa história de igualdade é melhor para os homens do que para as mulheres.
    Muitas responsabilidades que antes eram aderidas aos homens, as mulheres tomaram para si, somando mais as que sempre tiveram. E no final das contas, continuamos na mesma sociedade machista de sempre, porque isso é super difícil de mudar.

  • Que bom! Ter esse blog e todas as suas dicas tem sido muito importante para mim….

    Obrigada por toda ajuda… Sou esposa, mãe de adolescente (amo💜), sou pedagoga (trabalho o dia todo), sou estudante (faço pós) e não tenho doméstica… Mas tenho vc para me manter equilibrada… Beijos no coração 💚e Que Deus lhe dê em dobro 🧡😘😘👋👋

  • Boa tarde Patrícia,
    Estava quase entrando em uma fria sem ter tempo, Deus te usou pra abrir meus olhos. Deis te abençoe!

  • Olá Paty.
    Te admiro muito!
    Acompanho seu trabalho desde o primeiro livro,sei que é muito organizada e vejo você fazendo inúmeros trabalhos,me pergunto como ela consegue dar conta,tenho um comércio fico de manhã até a noite lá,e parece que não consigo cuidar das outras áreas da minha vida, é stressante pra mim,vou procurar seguir essas dicas.

    • Tem que se organizar mesmo e saber dizer não para um monte de outras coisas muitas vezes! 😀

  • Eu fico perdida em meio a tanta responsabilidade que eu tenho. Sou mãe de uma menina de 5 anos, tenho 23 anos, solteira, trabalho de 10 as 17 (fora deslocamento) faço faculdade de 19:00 as 22:30 . Saio de casa com minha filha dormindo e volto com ela dormindo, ou seja, parece que ela nem me conhece e me sinto completamente frustrada com isso! Aos finais de semana eu tinha varias responsabilidades na igreja oq me fez afastar do verdadeiro Deus e comecei a priorizar o fazer. Aconteceu que fiquei espiritualmente fraca, frustrada, deprimida, com sentimento de incapacidade etc. Resolvi recomeçar minha vida priorizando o Espírito de Deus e reorganizando minha vida. O problema é que não sei como ainda, gostaria de ficar com minha filha durante todo o dia(levar pra escola, buscar, cuidar) mas se eu não sair pra trabalhar, quem vai suprir a necessidade financeira?! Não posso deixar a faculdade também porque como ainda sou estagiária preciso da matrícula ativa. Me sinto num beco sem saída.

    • Se vc buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, como está escrito, Ele acrescentará todas as demais coisas. Busque nEle a orientação que vc precisa! Bjs

  • Olá Patricia !!! Que post maravilhoso é esse ????
    obrigada por compartilhar essas pérolas com a gente ..bjinhossssss

  • Oi Patrícia, tudo bom?

    Parabéns pelos seus desafios!
    Gostaria de fazer uma pergunta relacionada a quem é “somente” dona de casa: na sua opinião, donas de casa devem recolher previdência facultativa, previdência privada ou as duas? Ou o melhor seria aplicar o dinheiro em algum investimento?

    Esse seria um bom tema para um vídeo em seu canal no YouTube, hein? Rsrs
    Pois tb te acompanho por lá e gosto muito!
    Tanto é que fiz meu Bullet Journal baseado em suas dicas do canal e estou adorando!
    Tb já li dois livros seus: O Bolsa blindada 1 e Lugar de mulher é onde ela quiser e logo pretendo ler outros.

    Aguardo sua resposta
    Um beijo

    • Oi, Lilian! Seria bom vc fazer uma previdência privada sim. Todos precisamos de uma renda futura, então quanto antes começar, melhor! Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *