Acreditando ou não, as palavras têm poder, por isso, é importante saber como usá-las e também a ser uma pessoa de palavra. Bora para o tema de hoje!

Você reconhece o poder da palavra?

Pode ser que a sua primeira resposta seja “sim, eu sei que a palavra tem poder”, mas será que você realmente crê nisso?

Há coisas que simplesmente a gente sabe, porém, nem por isso, vivemos o que cremos.

Por exemplo: você sabe que a palavra tem poder, mas isso não a impede de viver reclamando da vida.

Você diz que tudo é difícil, esquecendo que quanto mais afirma isso, mais difícil a coisa fica.

Você não perde nenhuma oportunidade de falar que seu filho é desobediente, teimoso e que um dia ainda vai se dar muito mal por ser assim.

Na prática, você não reconhece que aquelas palavras são sementes, uma vez que não vê problema em plantá-las.

Porém, sementes vão germinar e dar os frutos que você mesma sentenciou, quer você queira, quer não.

E não apenas isso, palavras têm o poder de trazer à existência aquilo que não existe.

Agora você pode estar pensando: “peraí, Patricia! também não é assim!” Nesse caso, preciso alertá-la de que, em muitos casos, é isso mesmo que acontece.

Por exemplo: conheço casos de pessoas que eram “normais”, vamos dizer assim, mas de tanto os outros dizerem que eram tímidas, acabaram desenvolvendo a timidez.

Elas ouviam desde criança coisas do tipo: “essa menina parece um bicho-do-mato” ou”ah, ela não cumprimenta ninguém porque morre de vergonha”.

É mais fácil dizer coisas assim do que se responsabilizar e dizer que não ensinou a criança a se expressar ou a ter bons modos…

Nisso, muita gente acaba assumindo ser o que, na verdade, nem era.

A crítica e os rótulos, quando penetram na mente da pessoa, são capazes de trazer à existência coisas que não existiam.

Mas é preciso entender que cabe a você permitir ou não que as palavras lhe façam mal.

Seja de palavra, não de “mimimi”

Hoje em dia a comunicação se tornou mais complicada porque, em vez de as pessoas assumirem suas responsabilidades diante das palavras, elas querem mudar as palavras!

Tudo pode se transformar em ofensa e, em uma tentativa descabida de tentar poupar as pessoas do efeito das palavras, querem calar quem fala, em vez de filtrar o que ouvem.

Isso você já sabe, porém, o que você pode não ter percebido, é que esse mimimi de poupar as pessoas de tudo, pode fazê-las não terem mais compromisso com a própria palavra.

Por exemplo: antes, as pessoas entendiam que estar muito acima do peso é prejudicial à saúde. Elas iam ao médico e ele podia falar abertamente que era necessário emagrecer.

De acordo com a palavra do médico, o paciente se comprometia, ou seja, empenhava a sua própria palavra, para alcançar aquela meta e ter sua saúde restaurada.

Mas, hoje em dia, o médico já não pode mais chamar o obeso de obeso e precisa fazer uma “ginástica linguística” tremenda para não “ofender” o paciente que precisa perder peso.

O paciente fica feliz por não se sentir constrangido – embora saiba que a obesidade é prejudicial – e nem se preocupa mais em emagrecer. Ele ouviu a patrulha do politicamente correto dizer que ser obeso é lindo e quem diz o contrário é “gordofóbico”, então, ele esquece a palavra que deu e volta à estaca zero.

Atualmente, estão relativizando as palavras e escolhendo quais serão muito pesadas – a ponto de nem poderem mais ser ditas – e por quais precisam ser trocadas, para que todo mundo possa se sentir bem e fazer ou ser o que quiser.

Querer se enganar proibindo os outros de dizerem a verdade não muda nada, só piora.

Afinal de contas, as palavras que importam para você são as que você realmente acredita.

Logo no começo da minha carreira de escritora, uma pessoa veio até mim dizer que eu não tinha porte de escritora, que a minha estatura baixa não me dava “presença” e que eu nem deveria chegar perto das pessoas para que elas não percebessem o quanto sou pequena.

Você acha que isso me impediu de alguma coisa? Claro que não!

Eu não acredito que exista uma altura certa para ser escritora, simples assim… Se na cabeça dos outros existe um “tamanho padrão”, para mim essa ideia não faz o menor sentido.

Aquilo que a pessoa me disse só me fortaleceu e me mostrou que estar exposta ao público é estar exposta a todo tipo de crítica e julgamento.

Mas se eu deixasse aquilo entrar na minha cabeça, talvez não fizesse mais palestras e só aparecesse publicamente com saltos enormes.

Eu tenho que honrar a palavra com a qual estou comprometida: fazer o melhor, ainda que não seja o melhor do mundo.

O que quero dizer com o desafio de hoje é que:

Você precisa policiar o que você diz e não o que os outros dizem.

E quanto aos que os outros dizem, cabe a você apenas filtrar.

As palavras têm poder e não é à toa que querem nos impedir de falar a verdade.

A agenda globalista quer nos enganar em relação a esse poder fazendo parecer que estão mudando as palavras para estabelecer a tolerância. Mas o que tentam fazer é apenas travestir as verdades com mentiras confortáveis.

Então, lembre-se: a palavra verdadeira tem poder, o resto, não vale nada.

Nos vemos amanhã!

Cadastre-se para não perder nada!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Confira os desafios anteriores:

Prepare-se para 2021

Você é como Ester ou como Vasti?

Quando qualidades viram defeitos

 

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Patrícia, como minha mente mudou ao lhe escutar!! Deus abençoe você e o seu trabalho maravilhosa! Você pode ser o que você quiser e se empenhar por isso. Um grande abraço.

  • Bom dia querida! Maravilha! Verdade pura! Um ótimo Sábado p vc! Um grande abraço! 🤩

  • É verdade Patrícia, isso já aconteceu comigo.

    Quando eu tinha 12 anos, na escola começaram a me chamar de Laura Pausini ( aquela cantora italiana) lembra?
    Pois é, tudo por causa do meu nariz, falaram que o meu nariz era grande igual ao dela, e eu não soube como lidar com isso, as palavras entraram e realmente germinaram e deu frutos podres na minha vida.

    Passei a odiar o meu nariz, passei a odiar minhas pernas, achava elas tortas, achava os dedos dos pés tortos, começei a encontrar defeitos em mim da cabeça à planta dos pés.

    Mas não ficou por aí, começei a nutrir dentro de mim que eu precisava fazer plásticas, colocar silicone, arrumar o nariz e começei a trabalhar igual uma louca pra ajuntar dinheiro pra fazer a tal plástica.

    Mas olha, graças a Deus não precisei submeter à essa loucura, porque o problema estava dentro de mim, venci o maldito complexo.

    Deus me ensinou a me amar do jeito que eu sou.

    Já passei por várias situações em que falaram mal do meu pé, do nariz, mas sabe aquilo não me afetou e nem me afeta mais kkkk.

    Mas é isso, temos que ter muito cuidado com o que falamos para nós e para os outros, todos os dias estamos semeando ou coisas boas ou coisas más!

    Excelente fim de semana pra você, sua mamãe Maura e irmã Sandra.

    • Que bom que vc acordou a tempo, pois vc até poderia ter feito as cirurgias, mas acredito que o complexo só “mudaria de lugar”. Questões internas não se resolvem externamente.
      Obrigada por comentar e ótimo fim de semana!

  • Sim……. há poder em nossas palavras.Elas são sementes e darão frutos…positivamente…ou negativamente.

  • Quanta sensatez nesse artigo! Obrigada ppr compartilhar! 😊 Firme e forte no desafio!

  • Verdade Patrícia!
    Mesmo sabendo do poder das palavras, falamos ainda assim, bom é ter você para ativar nossa mente com assuntos importantes e essências na vida, que possamos nos policiar nas palavras ditas e ouvidas.

    Adorando as leituras, obrigada!

  • Ótimas ponderações. As palavras têm poder sim!!!!

  • Boa tarde Patrícia
    Realmente as palavras tem poder.
    Sim muitas vezes falamos até sem pensar,porém temos que policiar as palavras pq uma palavra mal pronunciada não volta jamais.Atualmente tenho semeado sementes que produza bons frutos e isso devo a vc com seus conselhos maravilhosos através de seus posts , livros e vídeos.

    Que Deus te abençoe sempre
    beijos 💋

  • Boa tarde, Patrícia!
    A força das minhas palavras apressam a chegada de todas as notícias e fatos!
    Bjs

  • Boa tarde, Patricia…
    Voce tem sido.uma mentora pra mim atraves de seus livros e videos. Agora tambem atraves desse desafio. Porem, o que mais me marcou sobre voce foi uma resposta que me deu quando te escrevi. Estou realizando meu sonho de infancia de ser escritora e tive muitos contratempos, resolvi escrever pra vc e sua resposta foi pra mim como o remedio mais poderoso pra uma dor. Me emocionei com sua resposta e a forma humilde e sincera que voce teve pra tratar com respeito o meu sonho de escritora. Confesso que sua atitude valeu mais do que tudo que li nos seus livros e td que ja assisti nos seus videos. Parabens… Vc escreve e vive o que acredita!!!

  • Paty, eu até entendo o seu lado de jornalista nesta questão. De precisar abordar assuntos espinhosos tendo o compromisso da verdade.

    Mas, de uns anos pra cá, chutei o balde. Eu acho que as pessoas só vão mudar quando o problema delas a afetarem de alguma forma. Peso, dinheiro, casamento, carreira.

    Como no caso do peso que você falou. Não adianta falar nada pra pessoa se os exames de sangue estão com resultados normais, por exemplo. A pessoa só vai olhar pro problema quando isso a afetar de alguma forma e, acredite, cedo ou tarde esse dia vai chegar.

    Ainda sobre peso… você conhece o trabalho da dra. Sophie Deram? Olha, eu acho que ela está certa, hein. Estamos há 70 anos tratando obesidade do jeito errado e com estudos e nutricionistas patrocinados pela indústria alimentícia.

    • Oi, Adri! Não conheço essa médica, mas se ela está falando que estamos tratando errado deve ter razão, afinal, cada vez as pessoas estão maiores….

  • Obrigada, me ajudou a entender da onde vem a timidez que eu tenho. Infelizmente eu pensava que tinha nascido assim, que era minha personalidade e tal, me atrapalha bastante. Agora que identifiquei de onde veio vou jogar fora.
    Muito obrigada!

  • Oi Patrícia, esse post me fez entender que as piores palavras são as que eu digo para mim mesma e não as que os outros dizem. Se eu tenho a verdade libertadora dentro de mim, o que os outros dizem, o que a mídia impõe não vai fazer efeito.
    As palavras e pensamentos ruins sempre estão à porta, por isso a importância de nos policiarmos, e nos alimentarmos de coisas que fortaleçam nossa fé, espírito e mente, como esse desafio 100 dias – sem crise.
    Obrigada.

  • Olá Patrícia! Realmente a palavra tem poder. Eu mesma tinha um “mau hábito”, que fazia em todas as vezes que precisava pegar o ônibus para ir para algum lugar, dizia “puxa, o ônibus sempre passa antes de eu chegar na estação de embarque” e ficava muito aborrecida com isso. Quando percebi, passei a dizer “sempre chego na estação de embarque antes do ônibus passar”, foi uma mudança que fez toda a diferença, inclusive no meu humor! Abraços

  • Devemos nos policiar qto ao falar e pensar.
    Segue o treino diário no.

  • Patrícia lembrei de minha irmã Caçula , quando ainda era criança as amigas dela iam em nossa casa , e só chamavam ela de Silvia doida e não é que minha irmã começou mudando o comportamento, e começou a se comportar como louca , dando risadas fora de hora , não falando coisa com coisa , quando eu percebi a mudança da minha irmã chamei atenção das amigas quw falaram que era brincadeira e pararam de chamar ela de doida, minha irmã é linda , hoje casada e mãe de dois filhos , mas serviu de exemplo pra mim , de que realmente a palavra tem poder e a pessoa acaba vestindo a carapuça daquilo que a chamam

  • Bela postagem Patrícia! Muito difícil abordar e tratar as pessoas hoje em dia! Parabéns por dar nomes aos bois com tanta precisão e racionalidade. Gosto muito de seus posts e livros. Parabéns!

  • É bem isso mesmo, as palavras só nos ferem se permitirmos, não no sentido de proibimos os outros de falarem.
    Quando mudamos a forma de reagirmos diante daqueles que falam algo de nós, até quem falava algo vai perceber que não te atinge mais, não tem efeito aquelas palavras.
    O difícil é manter uma reação saudável, você ficar bem ao ouvir palavras que mexem com suas emoções, por isso devemos cuidar de como nos sentimos e reagimos.
    Mas é bom sim também tomarmos cuidado com o que falamos pra não atraímos coisas negativas pra nossas vidas, além de evitarmos muita confusão, discussões desnecessárias e termos mais segurança em nosso coração. De quem realmente somos, com nossos valores bem definidos, não viveremos achando o tempo todo preconceito em toda e qualquer palavra.
    Ótimo tema Patrícia! Amei o post, obrigada por nós ajudar a nós manter “fora da caixa”, firmes na caminhada de vivermos neste mundo muito maluco, cheio de altos e baixos. De nos manter alertas e mais seletivas ao que ouvimos por aí.

  • Realmente as palavras tem poder e o tal do politicamente correto tem impedido o avanço positivo de muita gente, quando tinha 28 anos passei por uma situação que ao fazer um teste online constatei que estava no grau 1 obesidade então tomei atitude para cuidar da minha saúde e então consegui emagrecer, mas se precisasse de alguém pra me dizer a minha situação real talvez estivesse ainda mais obesa hoje e cheia de doenças relacionadas ao excesso de peso, não digo isso por achismo, mas porque estava começando a ter sinais de enfermidades… Isso é só um exemplo do quanto esse mínimo faz, parece que todos preferem ouvir o que soa bonito ou o silêncio absoluto mesmo porque se, por exemplo, essa moça do vestido horrível disser que discorda da “sinceridade” agressiva no falar da outra ainda vai passar por ruim, como se não fosse humilde… Sabe lá esse mundo vai parar

  • Verdade. Ano passado passei por um processo de escolha do Conselho Tutelar e algumas pessoas vieram falar que eu nao tinha perfil para pedir votos. rsrs
    Interessante como as pessoas nos definem nao é?

  • Como as pessoas nos julgam por nossa aparência! Eu procuro sempre me policiar porque sei que por aí, consciente ou inconscientemente eu faço a mesma coisa. Lembro-me que na entrevista do meu emprego atual, uma das pessoas que estava me avaliando demonstrou um certo receio em me contratar, acredito eu, por causa do meu físico, aparência, etc…rs

    Já estou muito perto dos 30, mas minha aparência não demonstra que tenho essa idade. As pessoas se assustam quando a revelo…rs. Pensam que sou beeem mais nova! Logo, se pareço ser bem mais nova, julgaram que eu não teria competência para o cargo. Mas eu provei ( sem querer provar nada, apenas fazer meu trabalho) que eu sou uma boa profissional e estou na empresa há 3 anos. Parece pouco, mas eu entrei sem nenhuma experiência e eles sempre renovam meu contrato.

    Agora, confesso a vocês, que eu preciso aprender a filtrar melhor as coisas que me dizem. Ainda tenho dificuldades de lidar com críticas. Fico triste e às vezes insegura com algumas posturas e palavras alheias.

    Obrigada!

    Bjs

  • “Logo no começo da minha carreira de escritora, uma pessoa veio até mim dizer que eu não tinha porte de escritora”. MEU DEUS!!!! Não consigo acreditar ainda, como a pessoa falou isso! Estou em choque, eu adoro seus textos, como assim ?! Que bom que não parou!!!!!

    • E pior: ela falou isso em um evento cheio de pessoas e muita gente ouvi! hahahaha

  • Oi Patricia, amo suas mensagens, só cresço a cada dia. Você é uma benção, quando vc falou em estatura confesso que me deu um ânimo srrrsr, pois sou pequena, e estou em cargo na empresa que eu trabalho que muita gente pensava que não era pra mim, devido meu amanho e também e minha magreza. Parabéns, amo seus conteúdos de verdade.

  • Que bom que você não ouviu esta pessoa que queria impedir sua carreira de escritora! Você tem ajudado muitas pessoas! Graças a Deus você não desanimou!!! Esta semana eu lembrei de você quando eu estava passando no comércio popular da Uruguaiana!!! rs. Pensei: Nada de “brusinha”, Cris! Olho no orçamento! rs.

  • É VERDADE PATRICIA,A PALAVRA TEM PODER,POIS JÁ TENHO EXPERIÊNCIA DISSO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *