Na “fila do pão” todo mundo busca o mesmo. Quem tem paciência de permanecer leva o pão, quem não tem, sai sem nada. Será que a sua fé é perseverante?

Qual é a sua fé na fila do pão?

O post de hoje foi inspirado pelo comentário de uma leitora bastante atuante aqui no blog, a Adriana Gomes.

Nós, cristãos, estamos mostrando a cada dia que estamos com medo, duvidando e trabalhando pouco. A pandemia foi boa pra mostrar os “esquenta-banco”.

Ela deixou sua contribuição no post de terça-feira passada que você confere clicando aqui.

Certamente a Adriana se refere ao momento que estamos passando, quando, por conta da pandemia, muita gente não apenas deixou de ir à igreja, mas também, deixou de lado a própria fé.

Eram pessoas que, conforme ela bem classifica, estavam lá só “esquentando banco” e não vivendo de fato, o verdadeiro cristianismo.

Inegavelmente, estamos vivendo uma época que que muitos que se diziam cristãos estão mostrando quem realmente são.

Além de eles mesmos não terem uma fé perseverante, ainda tratam de apagar a fé dos outros.

Esses “ex-cristãos” acham que estão apenas abandonando uma Igreja, mas, na verdade, estão abandonando Jesus.

E quando se dispõem a ir para as redes sociais “desabafar” o “horror” que supostamente viviam na igreja, não percebem estão apenas cumprindo as profecias.

Veja o que diz a passagem de 2 Timóteo 4:3,4:

Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos.
Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos.

São pessoas que querem ouvir apenas aquilo que as agrada e que, no fundo, só estavam na igreja para se beneficiarem dela.

Elas estavam na “fila do pão” como todos nós estamos, mas não tiveram perseverança nem humildade.

Quiseram passar na frente de todos para pegar o “melhor pão” primeiro, mas quando perceberam que não é assim que as coisas funcionam, se magoaram e saíram.

 

“Eu estou no controle”

Já percebeu como todos os que abandona a fé têm a falsa impressão de que estão no controle?

Eles repetem que “não voltarão a ser quem eram”, “que finalmente conseguiram enxergar a ‘verdade'”, “que estão melhores do que nunca”.

Porém, é só olhar mais de perto para ver que estão completamente enganados.

Que as pessoas abandonem a fé AOS MONTES e que passem a ser CRÍTICAS DA FÉ que elas mesmas seguiam e se beneficiaram, é nada mais do que o cumprimento de profecias.

Ou seja, é mais uma forma de nos alertar para o fato de que estamos vivendo os últimos dias.

Mas, quanto a isso, segue a instrução de 2 Timóteo 4:5-7:

Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério.

Quem quer ouvir uma palavra que diz “suporte os sofrimentos” e “cumpra plenamente” o seu trabalho?

Só quem possui a verdadeira fé é capaz disso, o restante, não está a fim de suportar nem mesmo uma crítica.

Erram, não se arrependem e, quando são penalizados por seu próprios erros, são capazes de abandonar o próprio Deus, achando que têm condições de assumir o controle da vida.

Não seja mais um pseudo-cristão que, diante dos sofrimentos, das críticas, das zombarias e das palavras que não agradam, abandona a fé.

Afinal de contas, Deus sem nós continua sendo Deus, mas e nós sem Ele?

Nos vemos amanhã!

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Muito interessante esse texto! Venho pensando de forma parecida há algum tempo. Em minha igreja local, muitos irmãos “aproveitaram” a pandemia para se afastar definitivamente, sem dar explicações… Os cultos estão cada vez mais vazios. Isso é tão triste. Graças a Deus, alguns perseveraram firmes, crendo que o nosso socorro vem do céu. Que Deus nos guarde e nos oriente dia após dia para tudo que ainda temos que enfrentar.

  • Bom dia, Patricia!
    Oportuno o seu texto! Estar na igreja é o meu refúgio. Sou criticada e muito por me manter firme na congregação, mas é assim, a vida é minha e eu já decidi o que fazer e não vou arredar o pé daquilo que me foi deixado para cumprir.
    Quanto aos outros, não tenho como dar pitaco em decisão já tomada. Cada um é dono de si e por isso mesmo agem conforme o livre arbítrio que lhes foi deixado.

  • Pati não sei se você assistiu, mas no Instagram do Godllywoodportugal a Núbia Siqueira fez um live com jovens que querem fazer a obra, o título é: Que decepção, não esperava isso dentro da igreja!
    Sugiro a todas leitoras se quiserem, investir o seu tempo para ouvir, tem muito haver com esse post de hoje!
    Tenho a certeza que vai abençoar todas vocês assim como eu fui.

    Abraço Pati, Deus te abençoe grandemente.

  • E também há aqueles que estão saindo da fila achando que vai dar tempo de voltar para a fila e ainda ter pão para comprar. Estão querendo “aproveitar” o mundo um “pouquinho”. Só que as pessoas esquecem que pode não dar tempo de voltar e encontrar pão. A fornada acabar. Você sempre fala nos vídeos sobre oportunidade. E tem um vídeo que você alerta sobre “o tarde demais” existir sim! As oportunidades passam sim! E o reino de Deus é a maior oportunidade. É a oportunidade com alto valor pois o prêmio é eterno. E quem sai da fila pode não ter tempo de voltar.

  • Bom dia querida! Aqui na Igreja onde eu e meu marido frequentamos as pessoas estão voltando, desde que foi designado para voltar, cadeiras afastadas, tds de máscaras, lógico que mts ainda ñ voltaram, até porque são grupo de risco. Mas muitos esfriarão sua fé, tá escrito. Um grande abraço! 😍

  • Opa, to aqui desde que tudo era mato kkk.

    E ainda tem os que entram na fila do pão e querem encontrar outra coisa. Carne, fruta… rs

  • Boa tarde, essa pandemia em vez de as pessoas se aproximarem mais de de Deus, não, elas estão se afastando ainda mais. Teve um conhecido meu que infelizmente não teu tempo para volta pra “fila do pão”, estava firme na igreja, mas em pouco tempo da pandemia ele se afastou, foi a uma festa mesmo a irmã dele falando pra não, ele foi assim mesmo, infelizmente acabou morto com 7 tiros. E tantos outros casos que eu nem consigo acreditar, pessoas que vi na fé, era pau para toda obra, mas que agora só fala mau da igreja. Muito triste tudo isso.

  • Olá pessoal! Estava viajando e voltei uma semana antes da pandemia, não conseguir mais voltar para o lugar onde estava, então fiquei na casa da mãe, durante esse tempo fiquei visitando uma igreja a qual minha irmã faz parte, uma igreja cheia de membros e nesse tempo os únicos membros foi só eu e minha irmã.

    Quando tudo voltou, continuou eu e minha irmã, todos abandonaram, o que aconteceu? Pois é, como nossa amiga falou muitos eram esquenta banco, e outros não estavam gostando do pastor.

    Por isso é importante na hora de escolher a igreja que você irá ter comunhão, veja uma que tenha o seu propósito com Deus.

    Grande abraço a todos!

  • O interessante a meu ver é que tem muitas pessoas que não estão indo na igeja, porém não ficam sem sai de casa. Será que só a igreja é local de risco?

  • Oi Patrícia bom dia, sim isso é uma verdade. O afastamento de muitos cristãos é muito nítido durante esse período de pandemia. Um momento em que muitos usaram e usam desculpas para não irem cultuar a Deus, alegam que são grupo de risco e que não podem ir para a igreja, porém resolvem seus compromissos indo em mercados, bancos, feiras, farmácias, entres outros lugares, mas alegam que não podem irem a igreja. Isso mostra realmente o quanto que somos medrosos e não cremos realmente que Deus pode nos livrar de tudo e qualquer peste. Vivemos em uma época em que os Cristão querem ouvir o que agrada ao seu ego, aquilo que satisfaz suas vontades, e quando isso não acontece simplesmente eles caiem fora, alegando que foram feridos, que a igreja não os ama. Estamos vivendo uma era de muito mimimi, uma época de pessoas que realmente existem pessoas que não estão vivendo um evangelho de cruz… Até mais querida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *