A onda da linguagem neutra é mais uma das coisas que vêm com cara de inclusão, mas não passam de pura estupidez com o objetivo de impor mais controle.

Linguagem neutra: estupidez travestida de inclusão

Primeiramente, quem acredita que linguagem neutra é sinônimo de inclusão, aqui vai um aviso:

Comunicar-se em um idioma inexistente exclui, antes de mais nada, quem tem bom senso.

Um colégio no Rio de Janeiro divulgou que adotará a linguagem neutra em seu vocabulário e o fez por meio de um comunicado chamando os estudantes de:

“Querides alunes”.

Diante disso, eu só tenho uma palavra a dizer: ESTUPIDEZ.

Assim mesmo, em caixa alta, gritando!

Mas, pensando bem, eu tenho mais do que uma palavra a dizer e a segunda é: HIPÓCRITAS!

Isso porque em maio, nesse mesmo colégio – Liceu Franco-Brasileiro – uma aluna de 15 anos foi vítima de racismo e a direção não tomou nenhuma providência.

Tanto que a família da aluna – que ficou 40 dias sem assistir aulas, aguardando um posicionamento – decidiu mudá-la de colégio.

Resta saber se o tal Franco-Brasileiro vai adotar essa estupidez em seu próprio nome mudando para France-Brasileire…

 

Por que tanto barulho em torno disso?

A questão aqui, queridos leitores, não é e nem jamais foi incluir pessoas com opções sexuais diversas.

O que esses movimentos sem o menor senso do ridículo querem é impor uma única coisa: CONTROLE!

Sim, de novo em caixa alta e gritando para que aqueles que ainda estão dormindo, acordem!

Quem controla a fala, controle a forma de pensar e, portanto, de se comportar.

Essa agenda esquerdista vai impondo coisas absurdas enquanto a mídia aplaude e as pessoas aceitam.

Pense: alguém só pode controlar outra pessoa quando esta ACEITA ser controlada.

E é isso que está acontecendo de várias maneiras diferentes para que as pessoas simplesmente aceitem.

Já ouvi coisas do tipo:

“O que é que tem de mais na ‘nova linguagem’? Quem quer falar, fala, quem não quer, não fala”.

Sabe de nada, inocente!

A esquerda não propõe, ela simplesmente impõe.

Não existe isso de quem quer ou quem não quer, pois quem se recusar será fortemente atacado.

Misógino, racista, homofóbico, reacionário e por aí vai.

Eu não aceito essa baboseira e aqui não vai ter nada disso.

Não troco artigos femininos por “e”, nem por “x” e nem por “@”, sabe por quê?

Porque a ciência diz que só há dois gêneros, o restante é opção sexual.

Ou a ciência só vale para impor quarentena forçada e máscara de pano?

Vamos raciocinar enquanto é tempo.

Nos vemos amanhã!

 

Confira o post anterior clicando aqui.

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Bom dia, concordo com senhora, disse tudo!! Temos que ser sábios. Como está escrito: “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente…”
    Tiago 1:5.
    Tenha um dia abençoado!😊

  • Nossa, Patrícia… Concordo com tudo que você escreveu. É cada coisa ridícula que inventam.
    Adoro seus posts, são muito realistas.
    Um abraço.

  • Bom dia, Patrícia!
    Eu me levanto e a aplaudo com honras!
    Estou cansada dessa estupidez de gêneros. Ontem fui a uma loja e, pasme, no provador feminino quem controlava a entrada das peças era um homem, travestido de mulher, incluindo unhas pintadas e maquiagem! Senti pena do rapaz, confesso….. estava 100% equivocado, com o aval de um grande empresário que obviamente pouco se importa com a confusão do pobre funcionário. Essa tal modernidade líquida, responsável inclusive pelo grande número de casos de depressão. Como se vê, como em “todo pano de fundo”, o que se encontra é miséria e horror.

  • Oi Patricia! Parabéns pela coragem. Você me representa! Que bom que ainda existem pessoas como você, que pensam e podem falar por pessoas iguais a mim, anônimas e se sentindo cada vez mais excluídas e sofrendo por ver tantas aberracoes acontecendo no mundo e, especialmente no nosso país. Não se pode mais ter opinião, a não ser que seja igual a “minoria” que forçam a barra pra ser maioria. Muito triste a realidade do mimimi. E as pessoas não entendem que “ dividindo” só enfraquece o povo.

  • Bom dia querida! Eita mulher forte! Adoro! Fala mesmo, ou melhor “escreve mesmo”! Bando de HIPÓCRITAS! é tanto absurdo que nem dá p acreditar, quando vc acha que já viu de tudo, vem uma dessa. Mas, unidas seremos mais forte. Um grande abraço! 😍

  • Olá Patrícia, concordo completamente com seu artigo, além de impor controle até mesmo de como se fala, com essa falsa fala de “inclusão de gênero”, ferem a língua portuguesa, patrimônio nosso, gênero sempre existiu e mudar isso somente empobrece ainda mais o uso dela.

  • Faço suas as minhas palavras, de uma estupidez sem fim isso. Tá de parabéns como sempre!
    e uma coisa importante, nós cristãos temos de ficar atentos a essas mudanças que parecem que não muda em nada, mas que por trás tem toda uma intenção, como você mesma bem pontuou a questão do controle, às vezes parece que os cristãos tão achando que vão colocar uma arma na cabeça deles e mandarem negar Jesus, esquecem que o diabo trabalha com estratégias e sutilmentente vem tentando nos fazer negar Jesus aos poucos, tentando fazer o errado parecer certo e o certo errado.
    Sejamos vigilantes!

  • O problema é se eles quererem cobrar esse tipo de coisa em provas de concursos e vestibulares
    Num ensinam nem o português direito e quer que a gente aceita essa porcaria d gênero neutro.
    Gênero neutro e coisa de quem não tem o que fazer.

  • Mussum, um visionário! Grande, Mussum!
    Estamos todes tomando no forévis.
    Estamos todes ferrades.

    • Hahahahahaha… Mussum sempre foi um sujeito a frente de seu tempo!

  • “Mas ai das que estiverem grávidas, e das que amamentarem naqueles dias!”
    Eu sou mãe de criança em idade escolar e a cada notícia como esta me dói profundamente. Por trazer um inocente ao mundo e expor ele a isso. Principalmente neste tempo que eles estão colocando força para moldar e controlar a nova geração, Domingo está chegando e é uma oportunidade de tentar proteger as nossas crianças. Temos que pensar nas ideologias partidárias. A influência partidária em nossa cidade, estado e país. E uma coisa que eu aprendi a dois anos é pesquisar a origem do partido e ver o que partidos de mesma ideologia fazem pelo mundo. O candidato pode até ter boas propostas mas se ele se ligou a um determinado partido significa que ele compartilha das mesmas ideias. E são com estas ideias erradas que ele vai governa. Pois a ideia que dá origem as ações.

    • Os candidatos falam o que as pessoas querem ouvir apenas até subirem ao poder. Aqui em SP, Boulos até em igrejas foi, sendo que ele simplesmente odeia os cristãos como um todo…

  • Está absurdo mesmo essa questão de controle, no centro do meu bairro, onde passa muita gente tem uma faixa que diz que é proibido comer na rua e na calçada acredita nisso? Nem comer na rua podemos mais? Só pode ser brincadeira!

    • Qual é o problema, Deise?? Na rua pode beber, fumar, usar drogas, roubar, matar… Tem muitas opções! #sqn… Absurdo!

  • Nossa. Dá até medo de pensar o que será o futuro do nosso país. Com muita dificuldade procuro não deixar meus filhos verem certos programas com essas ideologias. Respeito toda e qualquer opinião, mas jamais aceitarei que confundam a cabecinha deles. É dessa forma que querem dominar o mundo.

  • Olá pessoal!
    Pontuando o que nossa amiga Andressa disse “O errado parece certo e o certo parece o errado”, essa frase me fez lembrar sobre aquela mulher que tinha o espírito de adivinhação e dava lucro aos seus senhores, seguindo a Paulo e Silas dizia: Estes são servos do Deus altíssimo e Paulo voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo te mando que saia dela (Atos 16. 17-18).

    Isso acontece em todos esses movimentos pessoas sendo controladas para fins de seus próprios interesses.

    Grande abraço a todos!

  • A única matéria que está alterando a ciência é você Patricia, dois corpos ocupando o mesmo espaço somados de profissionalismo, inteligência, beleza. Parabéns por mais uma matéria agregadora, perfeito!

  • Não sou de esquerda, mas apoio a comunidade LGBTQ+ e eu não vim aqui para te xingar, te crucificar nem nada como você diz que aliados da comunidade fazem. (Note que não estou usando linguagem neutra) Somente explicar que o uso dessa linguagem é uma escolha sua, ninguém está impondo coisa alguma além de respeito com pessoas trans/não binaries etc. A sua verdade é acreditar que a biologia só apresenta dois gêneros e ok, é o que você acredita. E não, você não é obrigada a usar linguagem neutra, o que a galera pede é que tenham empatia e respeito com quem NÃO se identifica com nenhum dos dois gêneros. Aqui estou falando de pessoas sem especificar gênero pois aprendi um pouco sobre e isso é uma verdade pra mim pois prezo pelo respeito de todos. Não gosta da linguagem neutra, não use. Mas se alguém pedir para que você trate elu em um pronome diferente, faça ou lide com o rótulo de ser transfóbica no seu canto. Sabe, não custa nada ter empatia porque isso não muda nem um pouco em nossas vidas. Abraços e tenha um bom dia.

    • Oi, Ellen. O que me preocupa é exatamente o que vc cita. Ao mesmo tempo que vc fala que a linguagem neutra “usa quem quer”, você tb afirma: “…faça ou lide com o rótulo de ser transfóbica no seu canto.” Percebe como é sutil o “ou usa ou será execrada e vai ficar no seu canto?” Quem fica em canto se não o excluído? Essa linguagem não inclui, ela impõe a exclusão de quem não quer mudar a língua portuguesa na marra e quer vencer no grito e na ofensa. Eu nunca fui e não sou transfóbica, mas serei chamada assim se não obedecer o que o outro me impõe. Vc mesma escreveu isso, mas com muito respeito, claro!

  • Se tem uma coisa que a CIÊNCIA tem nos comprovado é que a linguagem é viva, é dinâmica, em constante evolução.

    E essa evolução sempre foi e sempre será espontânea, natural.

    Todas as tentativas de mudança forçada fracassaram. E sempre vai ser assim.

    Não se pode determinar o rumo de uma língua falada/escrita. Ela vai para onde A MAIORIA for. E não adianta lutar contra.

    Aqui vemos o quanto essa “turminha” não gosta de DEMOCRACIA. Porque eu acredito que não exista manifestação mais autêntica, melhor modelo, até, para exemplificar, representar, o quê é Democracia, do que a linguagem de um povo.

  • Parabéns Patrícia!!
    Quem apoia firmemente toda essa palhaçada de “linguagem neutra” com certeza não tem filhos, tudo isso vai puxando uma coisa e mais outra… tem a história do banheiro sem gênero que é uma grande violação da nossa privacidade tanto mulheres quanto homens… Por um lado “vagão para mulheres no metrô” e por outro todo mundo junto no banheiro… Tá cada vez mais absurdo esse mundo, o nosso país….Incoerência…

    • Carla, você acaba de me sugerir o próximo tema para a minha coluna no R7. Tenho as melhores leitoras, sem dúvida!!! Obrigada, querida 🙂

  • FICO HORRORIZADO COM A FALTA DE TER O QUE FAZER QUE ESTÁ INUNDANDO A VIDA DAS PESSOAS DE ESQUERDA.

    A CIENCIA JA COMPROVOU…..DOIS GENEROS…..MACHO OU FEMEA…..E NADA MAIS.

    AGORA VEM A TURMA DA LINGUAGEM NEUTRA??? QUAL A INTENÇÃO??? DESCARACTERIZAR SEU GENERO? PORQUE E PARA QUE? A RESPOSTA É SIMPLES…….QUEREM IMPOR MAIS UMA REGRA ANORMAL AOS SERES HUMANOS ???

    FAÇA SUA OPÇÃO SEXUAL QUANDO ADULTO E SEJA FELIZ…..MAS JAMAIS DEIXARÁ DE SER HOMEM OU MULHER !!!

  • Celso. A intenção sempre foi instaurar a desordem, a ruptura com as tradições, e a depreciação dos valores mais sagrados da humanidade.

  • Patrícia! Força minha linda! Suas letras são palavras vivas e elas ultrapassam. Eu grito junto com você! 🙌🏼🔊🔊🔊

  • Patricia, adorei o seu texto!

    Todo mundo deveria ler sobre “marxismo cultural”, pra entender de que forma a esquerda nos manipula e abrir os olhos antes que seja tarde demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *