A frase é de uma seguidora que se descreveu como: “feia e não sei fazer nada”, querendo saber como uma “pessoa assim” iria ganhar dinheiro.

“Sou feia, não sei fazer nada, estou velha… e agora?”

Às vezes recebo umas mensagens que me fazem pensar que a pessoa está de brincadeira… só pode!

E esta, certamente foi uma delas:

Patricia, e no meu caso que sou feia, não sei fazer nada e estou velha? Como uma pessoa assim pode ganhar dinheiro? Eu já tenho 43 anos e trabalhei a vida toda como faxineira, arrumadeira e vários anos como cuidadora. Eu não sei mesmo fazer nada… e agora?

Veja como, inesperadamente, as pessoas são suas maiores inimigas!

 

 

Desde quando feiúra impede alguém de trabalhar? E outra: quem define o que é bonito ou feio?

É claro que se você quiser ser modelo de passarela vai ter de estar de acordo com um padrão, mas fora isso, por favor, né?

O que observo é que, com toda a certeza, as pessoas se focam 100% no que não têm e justificam seus fracassos baseados em coisas que nem sequer existem.

Afinal de contas, você acha mesmo que uma pessoa que sabe fazer faxina, arrumação e tem anos de experiência como cuidadora não sabe fazer nada?

Quantas famílias – principalmente agora na pandemia – não estão buscando uma cuidadora que tenha exatamente esse currículo e essa faixa etária?

Mas em vez de focar no que tem, ela está deixando de buscar uma colocação porque se acha feia, velha e sem talento.

 

Vitimização é atraso de vida

Não podemos entrar nessa cultura de vitimização, pois isso só atrasa a nossa vida.

Todo mundo tem talento. Todo mundo. Ponto. E isso inclui você!

Portanto, pare de valorizar o que não tem e desprezar o que tem.

Não seja ingrato com o que recebeu, afinal, muita gente gostaria de estar no seu lugar.

A “lição” de hoje é focar no que tem e esquecer o que não tem.

Aliás, esse será o assunto do Clube da Leitura do próximo domingo.

Para quem não sabe, o Clube da Leitura acontece todos os domingos, ao vivo, no meu canal do YouTube.

Para participar é só entrar no meu canal às 16h em ponto (ou uns minutos antes para participar de um bate-papo entre as #leituretes!).

 

Nos vemos!

 

Confira o post anterior clicando aqui.

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Obrigada pela atenção de ler nossos comentários e nos ajudar ao invés de criticar bjs

  • Patricia, e no meu caso que sou feia, não sei fazer nada e estou velha? Como uma pessoa assim pode ganhar dinheiro? Eu já tenho 43 anos e trabalhei a vida toda como faxineira, arrumadeira e vários anos como cuidadora. Eu não sei mesmo fazer nada… e agora?

  • Hahaha, eu vou fazer 46 anos e ainda tenho muita lenha pra queimar. Estou só na metade do caminho.

  • Bom dia Patrícia! Gostei do texto. Você têm discernimento para lidar com as pessoas rsrs ainda bem ‘né’… é cada coisa kkk
    Realmente a vitimização é uma desculpa muito usada para não tomar a devida atitude.

  • Olá, Patrícia!!
    Gentemmmm…… um currículo assim, como desssa moça… não sei fazer metade do que ela tem competência!!!
    Só prá dar uma levantada de ânimo…. fiquei mais de dois anos sem trabalho e com várias enfermidades no currículo… e o mercado dizia que eu era velha para o mercado.
    Pois acredite, depois que entregamos minha situação para o senhor (eu e meu grupo de oração), nem mencionamos que eu estava velha, ex-doente, blá, blá, blá, pedimos o trabalho que fosse adequado para mim!
    E ainda mais: numa manhã eu caminhava pela rua e disse a Deus: “eu não tenho roupa para trabalhar, seria bom se meu novo empregador oferecesse uniforme!”
    Desde nov/2016 estou trabalhando num local cujo pré requisito era uma pessoa na minha faixa etária, com a experiência que eu tinha no currículo e…. uso uniforme!
    Vânia

  • Bom dia Patrícia ! que triste saber que ainda existem mulheres que pensam dessa forma. O que tem haver uma coisa com a outra? Quem falou que p ganhar dinheiro tem que ser jovem e bonita? É uma pena. 🤗🤗

  • Que triste a pessoa se ver assim, digo isso pois antes eu era assim, não via qualidade alguma, até que foi lavado meus olhos e consegui me ver,como Deus me vê 😍. Aí sim tudo mudou 😍🤗. Muitas pessoas falam de baixa alta estima, mas não entendem o que isto significa. A alta estima vem do Alto, é Ele que nos enche de amor, mansidão, alegria e tudo o que é bom. Ele me ama como sou,aliás Ele já me conhecia antes de eu nascer😍 e tenho a certeza de que Ele não se enganou quando me formou no ventre de minha mãe. Ele me ama e. Final
    Agora temos que procurar agrada-lo e Ele dará a direção.

  • Boa tarde Pati
    Realmente o vitimismo não nós leva a lugar nenhum.
    Ninguém é totalmente feio e nem totalmente bonito e acho que isso não é justificativa para as pessoas não poder realizar seus sonhos de alcançar seus projetos de vida.
    Eu mesma quando quero alcançar alguma coisa eu luto e não desisto com facilidade; às vezes na vida nem tudo da certo , mesmoassim não devemos desistir e sim caminharmos até o fim.
    💋❣️💕

  • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Desculpe, não pude deixar de rir, principalmente com essa imagem.
    É verdade, a vitimização é terrível e paralisante.
    Precisamos valorizar o que somos, o que temos e caminhar.

  • Olá Patrícia! Caso eu tivesse lido a abordagem desse post de hoje em alguma rede social, certamente ficaria pensando se tratar de mais um “atrativo” para vender alguma “terapia” (rs…rs…). A minha percepção é de baixa estima, negatividade e ausência de perspectiva, tudo ao mesmo tempo. Acrescento o que está em Eclesiástico, 14,2.5-6.22 “2.Feliz aquele cuja alma não está triste e que não está privado de esperança! 5.Para quem será bom aquele que é mau para si mesmo? Não terá nenhuma satisfação em seus bens. 6.Nada é pior do que aquele que é avaro consigo mesmo: eis aí o verdadeiro salário de sua maldade. 22.Feliz o homem que persevera na sabedoria, que se exercita na prática da justiça, e que, em seu coração, pensa no olhar de Deus que tudo vê;*”. Abraços!

  • Boa noite Patrícia!
    Fiquei até mais tarde hoje por conta de um trabalho extra. Por pouco esqueço de ler o desafio de hoje.
    Espero ansiosa pelo clube da leitura domingo. Tenho certeza que se a nossa leitora estiver por lá vai receber muitas dicas de como mudar a visão dela no mundo. Não apenas ela, todos nós.
    Com 43 anos eu estava no segundo ano do meu curso de Gestão em RH. Depois disso fiz um técnico em Secretariado. Trabalhei anos e mais anos no Administrativo. Quando cheguei aqui na Espanha, meu trabalho: faxineira, babá e empregada doméstica.
    Tenho certeza que se tivesse experiência não teria sido tão explorada. Em todo o caso, foi ótimo, pois aprendi.
    Depois de 5 anos trabalhando sem faltas, sem atrasos e algumas vezes sem registro em carteira, pedi a Deus que me ajudasse a executar um trabalho administrativo em home office.
    Fiz mais um curso e aqui estou eu há dois anos em casa, trabalhando, defendendo ainda pouco dinheiro, mas estou feliz, pois fiz a minha parte e Deus me recompensa dia a dia.
    Empreender não é fácil, mas graças a Deus tenho um companheiro que é super incentivador, mas se não tivesse estaria trabalhando do mesmo jeito. Tem outro jeito de ser bem sucedido sem trabalhar?
    Quando eu era muito jovem tive alguns problemas com minha auto estima. Minhas irmãs loiras de olhos claros e corpo violão.
    Eu, o patinho feio.
    Só que depois de crescida percebia que quando eu abria a boca todos ficavam em volta de mim. Gostavam de conversar comigo. Quando menos esperava todos estavam conversando com a feia. rsrs.
    Beijos querida!

  • Olá Patrícia! Nós, seres humanos, focamos mais nas coisas negativas do que nas positivas, infelizmente. Aos 25 anos tive “crise de idade”, cobrava-me por, ainda, não ter concluído a faculdade e não ter comprado uma casa. Fazia muitas comparações , etc. Com 30 já tinha conquistado essas duas coisas e , mesmo assim, sempre exigia mais. Lá se vão 20 anos e nunca mais tive a tal ” crise”. Aprendi, ao longo dos anos, agradecer mais e, valorizar cada “tijolo” erguido na minha trajetória. Hoje, vivo em Portugal ,por opção , e me deparo com muitas pessoas com essa linha de pensamento . Outro dia, uma colega de 43 anos ( já teve inúmeras e inúmeras oportunidades ) dizendo que não queria chegar aos 45 anos sem “nada” pois, na mente dela ( um casamento e uma empresa que não deram certo e não ter uma ” profissão” ) o seu futuro estará condenado. Detalhe, essa mesma pessoa passa o tempo inteiro aconselhando os outros e a mesma não sabe conduzir a sua própria vida. Ora quer fazer um curso de enfermagem, ora de farmácia, ora viver nos Estados Unidos, Luxemburgo e por aí vai ( sem dizer que já trabalhou e bem ,em diversas áreas). Aqui em Portugal, eu trabalhei ,por anos em uma fábrica de bolo ( só tinha feito bolo de cenoura , no Brasil). Não me senti melhor , nem pior, do que ninguém ( apesar dos chefes e patrões elogiarem o meu desempenho de tal forma como se eu fosse PhD ) apenas trabalhava de maneira eficiente mesmo não sendo escritório.Sai, recentemente, dessa empresa e, apesar de não ter interesse em fazer mais bolos ( ou trabalhar no escritório dessa mesma empresa, pois fui convidada a trabalhar no escritório), olho como aprendizado e não como tempo perdido. Hoje, aos 45 anos, vou estudar História da Arte ( por pura paixão) .Espero que essa leitora, a partir desse, e dos demais comentários, possa mudar a sua forma de pensar. Abraços 😘

  • Sempre desde da minha infância ouvi e feia e preguiçosa e pra ajudar tinha dificuldade na escola e a professora dizia e avuada e não aprende o que será do futuro dessa menina.Mas sempre tive muita fé que Deus estava comigo e comecei a trabalhar cedo em uma fábrica de tênis como ajudante e lá meu chefe descobriu minhas habilidades pra aprender o que me ensinavam com paciência e logo me ensinou a costurar tênis e assim fui aprendendo e depois sai fui trabalhar no laboratório farmacêutico e sempre alguém Bia em mim potencial para aprender e força de vontade e tive uma psicóloga do Rh que me incentivou a estudar e voltei a estudar no supletivo e me surpreendia com minha vontade de sempre aprender mais e fiz faculdade prestei concurso público e estou eu aqui hoje sempre buscando convencimento e nunca me deixei me levar pela situação que as pessoas sempre me tentavam me colocar pra baixo dizendo pra velho estudar vai trabalhar ….as pedras que encontrei fiz de escada .

  • lendo o texto penso na vitimização feminina X a opressão da mídia terrorista sobre os “padrões ideias para uma mulher brasileira”….

    dá vontade de chorar… colocam em cima das pessoas um fardo quase impossível de carregar…

  • Olá Patrícia!
    O belo, o que é o belo? As pessoas estão se sentido feias graças as mídias que a todo tempo mostra o que é a beleza, através de filtros, maquiagem, cirurgia plástica e, com tanta tecnologia é impossível alguém ser feio. Elas acham que beleza é tudo isso, esquecendo que o belo é um lindo sorriso, é charme e uma série de elementos naturais e espiritual que não se compra. Esse é um dos motivos que infundiram a cultura da vitimização, as pessoas não olham o que tem, o que sabe, porque vivem olhando o que o outro tem e o que o outro sabe, com isso, chega a conclusão do tema. Quando pequena, escutava muito as pessoas perguntem a mãe e minhas irmãs: esta é sua filha? Esta é sua irmã? Eu ouvia os comentários das pessoas dizendo que eu era “diferente”, nossa! Isso me matava, e cresci com um complexo de feiura terrível, até entender que isso tudo era um preconceito de cor, minhas irmãs eram brancas e eu morena, foram duros anos de tratamento para tirar de dentro de mim o que as pessoas colocaram, isso acontece com muitas pessoas que passam a vida guardando coisas ruins e não se tratam. Hoje com mais de 40 anos, ainda vou casar e ter minha filha, não vejo nenhum problema nisso, ao contrário estou achando massa viver agora este momento, maturidade e conhecimento irão me ajudar a saber enfrentar todas as dificuldades no casamento e na educação da minha filha(o). Ato de coragem!

    Grande abraço.

  • Olá Patrícia!
    Sou nova por aqui,meu irmão que me falou do desafio e confesso estou amando.
    Os temas são super atuais e tenho aprendido muito…
    Sobre o tema sou feia e não sei fazer isso é para rir mesmo.
    Primeiro não existe pessoa feia, existe pessoas mal tratada.
    E ter 43 anos não é ser velha.
    Eu tenho 46 anos me casei com 20 anos tenho dois filhos ,um já é casado e me deu um netinha linda nossa princesinha Beatriz nosso milagre.
    E quando meu marido ficou desempregado eu não sabia o que fazer para ajudar pois não tenho nenhuma formação,mas sabia fazer unha,fazia a minha a da minha mãe e uma amiga falou começa fazer unha para fora faz a minha,então com comecei fazer unha e até trabalhei em dois salões e uma cliente minha minha estava precisando de uma game irá fui trabalhar para ela tbm.
    Mas eu queria mais um diploma e agora que minha vida financeira melhorou,meu marido se aposentou e meu filho mais novo está trabalhando, voltei a estudar fiz a prova do encoraja estudei muito e passei graças a Deus.
    Hoje estou fazendo minha faculdade de pedagogia e estou multiuso.
    Desculpe o textão, mas só quero encorajar vcs mulheres e dizer nunca é tarde para voltar estudar.
    Um grande beijo!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *