Recebo muitas perguntas do tipo: “é certo dividir passeios meio a meio com meu namorado?” ou “é antiquado que ele pague o restaurante sozinho?” O post de hoje é sobre divisão das contas, confira!

Vou começar este post com o relato de uma pessoa no Facebook, respondendo a uma postagem que perguntava: “O que as mulheres querem de presente no Dia das Mães?” 

18222465_1924089371145294_362063348457361953_n

É um relato muito triste, concorda? E aí você se pergunta: “Puxa, como um casamento chegou a esse ponto?” E a minha resposta (quer a sociedade goste ou não goste) é a seguinte:

Na maioria dos casos, esse tipo de atitude nasce já no namoro. Como? Com comportamentos como estes:

• Quando o namorado se oferece para pagar o restaurante – afinal, ele quer “impressionar” a namorada –, mas ela fez questão de dividir a conta para mostrar o quanto é independente;

• Quando combinam de sair e ela se oferece para buscá-lo em casa, para que ele veja o quanto ela sabe se virar sozinha;

• Quando ela passa a frente e resolve todos os problemas que aparecem na vida dele – inclusive emprestando dinheiro, cheque, cartão e até seu nome – para que ele veja como ela é moderna e arrojada;

 • Quando ela vê que o sujeito não é chegado no batente, vive sendo demitido e torra dinheiro como se não houvesse amanhã, mas acha normal, afinal, ele não tem responsabilidades enquanto solteiro;

• Quando ele não respeita os pais, não ajuda em casa com nada, não paga uma conta sequer e ainda acha que mamãe e papai têm a obrigação de sustentá-lo, enquanto a namorada nutre o pensamento de que “ele é homem, e homem é assim mesmo” e ainda pensa que “mais adiante ele vai mudar”. Vai mudar sim: em vez de se encostar nos pais, vai passar a se encostar nela!

Crop

Não estou dizendo que, quando há um casamento desequilibrado, a culpa é 100% da mulher. Mas estou dizendo que também não é só do homem. Ele tem culpa de não enxergar o seu papel na relação, porém, na maior parte das vezes, ela – sem perceber – alimentou esse comportamento. E mais: raramente esses sinais aparecem apenas e tão somente depois do casamento. Esses sinais geralmente acontecem desde o namoro, mas são solenemente ignorados em nome de um suposto sentimento de amor.

Dinheiro é a segunda maior causa de divórcios no mundo, só perde para a traição. Por isso, ignorar sinais de que o namorado ou a namorada não é responsável com dinheiro, é uma péssima atitude. Por mais que haja amor, quando falta dinheiro, sobra desigualdade e o fardo recai apenas sobre os ombros de um deles, o relacionamento não aguenta e a separação vem.

Se você está em um relacionamento em que seu namorado se colocou em uma situação muito confortável, onde você banca tudo ou divide tudo, pense duas vezes. Será que se a mamata acabasse o amor iria permanecer?

Para mais dicas sobre relacionamento X dinheiro, leia também:

Para receber mais dicas, cadastre-se aqui no blog

[newsletter]

Nos vemos!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Patrícia, achei interessante o que disse “Quando o namorado se oferece para pagar o restaurante – afinal, ele quer “impressionar” a namorada –, mas ela fez questão de dividir a conta para mostrar o quanto é independente”. Poderia falar um pouco mais sobre isso? Tenho dúvidas porque, como também trabalho, devo deixar o homem pagar a conta? Em que situações devo dividir? Sério, já passei por uma situação assim, da qual me envergonho hoje. Na verdade, fiquei com medo de ele achar que eu estava sendo folgada ou interesseira por deixá-lo pagar a conta e insisti pra pelo menos dividir, outra vez paguei inteira, e no fim relacionamento não deu certo mesmo. Acho que tem a ver com isso também. Como lidar com isso, sabendo que nós também trabalhamos e temos nosso dinheiro. Sinceramente, me ajuda.

    • Vou escrever a respeito sim, pois isso é mesmo bem confuso na cabeça de muitas mulheres! Bjs

  • Patrícia,

    Comecei a trabalhar com 15 anos ( por livre e espontânea vontade) hoje tenho 30 anos e desde a adolescência nunca fiquei sem trabalhar, ou seja, amadureci rápido e tenho total liberdade com o meu salário. Se quero uma coisa, vou lá e compro e essa independência é maravilhosa!! Nunca depender de ninguém!! Acontece que quando comecei a namorar aos 17, passei justamente por isso que você descreveu: Eu sempre quis dividir a conta, por achar justo. Hoje, já sou casada, não tenho filhos, e meu marido e eu dividimos as contas, por termos salários compatíveis e não temos problemas com relação a dinheiro. O que eu queria que você explicasse é essa cultura de que o homem tem sempre que pagar. Eu sempre quis dividir ( ele sempre paga sozinho, pois acha errado dividir ou a mulher pagar a conta), sei que existe essa questão cultural e do cavalheirismo, mas juro pra você que não consigo entender. Se a mulher hoje em dia (muitas vezes) ganha mais que o marido, está em profissões “masculinas”, o que há de tão errado em uma vez ou outra dividir ou até mesmo pagar a conta? Porque eles não entendem isso? Bjs e muito obrigada pela atenção.

  • Pati sou testemunha do quanto o dinheiro pode causar grandes problemas no casamento a ponto de chegar a um divórcio. Sempre fui uma pessoa completamente descontrolada em relação a dinheiro, foi como você disse: gasto dinheiro como se não houvesse amanhã ( estou melhorando) é isso acarretou sérios problemas no meu casamento. Tenho um esposo que é completamente o oposto de mim. Ele é super controlado e sabe administrar dinheiro muito bem. O divórcio bateu na porta do meu casamento por conta desse descontrole meu. Mas graças a Deus recebi uma segunda chance e hoje meu esposo tem me ajudado muito nessa questão.

  • olá Patrícia, sou sustentada pelos meus pais pois faço facudlade em outra cidade, moro sozinha e sempre que meu namorado vem me visitar eu quem compro as comidas e faço sempre, sempre que digo para sairmos diz que não tem dinheiro sendo que ele trabalha e eu não. Acho isso estranho pois meu ex sempre pagava a conta pois sabia que eu não trabalhava. Será que estou deixando ele mal acostumado? E quando casarmos ele continuará achando que eu tenho que “sustenta-lo”? Me tire essa dúvida

    • Olá, Priscila! Acho que vc já sabe a resposta… ele não precisa fazer nada, pois vc faz tudo. Se na época da conquista (namoro) ele já não se esforça, por que ele mudaria depois de casado? Bjs

  • Eu não tenho um emprego com carteira assinada, um salário de se dizer “To tranquila”, mas sou bem organizada e consigo fazer minhas coisas, tenho 19anos e namoro há 4 anos. Meu namorado sempre pagou passeios, almoço, lanches, cinema e coisas assim, e le sempre foi de ajudar em casa e tudo mais e quando a grana tava curta até deixava eu pagar algo, porém nos últimos meses ele tá desempregado e sempre que eu tenho uma grana sobrando eu chamo ele pra sair, ele fica meio assim mas acaba aceitando e minha mãe me falou que eu vou acostumar ele assim, será que vou mesmo? Pq não quero ficar trancada o tempo todo em casa esperando ele arrumar um trabalho pra poder sair, Minha vida tá corrida, vivo estressada e com medo de cair em depressão novamente. Devo ouvir minha mãe e parar de sair com ele e sair sozinha pra não acostumar ele?

    • Oi, querida! Estar junto com alguém é viver de acordo com as condições do momento. O namoro é um “ensaio” de um casamento, na minha opinião, com isso, se vcs estivessem casados, vc teria de viver segundo a condição, que é a de não sair enquanto não se tem dinheiro para isso.
      Não acho que ele tenha que pagar tudo o tempo todo, mas sair e gastar ignorando o fato de ele estar desempregado é tapar o sol com a peneira.
      Depressão é uma condição que precisa ser tratada seriamente. Vc precisa entender porque fica depressiva e tratar a raiz do problema. Sair não vai afastar a depressão da sua vida e eu creio que vc já sabe disso. Busque a causa e lute contra ela. Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *