Um educador sabe que está no caminho certo quando vê que suas alunas dão aula para os demais. E hoje quero destacar uma delas, confira!

Alunos em sala de aula levantando a mão

Quando as alunas dão uma aula!

Primeiramente é preciso dizer que educadores neste país não são bem remunerados, infelizmente.

Por isso, como empreendedora, tive de transformar a educação em renda para não depender de um salário.

Tenho professoras na família e sei o quanto é preciso se desdobrar para pagar as contas.

Sem falar que professor SEMPRE leva trabalho para casa.

Quer seja corrigindo provas, preparando as aulas e orientando trabalhos, quer seja fazendo inúmeros cursos de capacitação pagos do seu próprio bolso.

Então por que continuar se é tão difícil e pouco reconhecido?

Porque todo bom educador sabe que seu melhor salário é ver um aluno ensinando outros.

Um educador não tem a intenção de formar alunos para si, mas sim, discípulos que se tornarão agentes multiplicadores.

E, para minha alegria, tenho muitas “blindetes” que hoje dão verdadeiras aulas para as pessoas de seu convívio.

Mulheres que antes eram endividadas, viviam “penduradas” no cheque especial e que ninguém botava fé de que se “endireitariam”, hoje estão difundindo educação financeira por onde passam.

Uma delas é a Pati Infante.

A xará está no blog há relativamente pouco tempo, mas já ganhou o título de “blindete”! 🙂

Ela mandou um comentário muito interessante sobre o post de ontem “Vivendo em um mundo de cabeça para baixo” (para ler, clique aqui).

Segue abaixo:

 

Aí vão algumas perguntas que talvez possam calar esses tipos de comentários que vc citou:

O que toma mais o nosso tempo/dinheiro/saúde (que são preciosos)?:

  • Arrumar uma casa toda bagunçada ou manter ela organizada?
  • Limpar uma casa imunda ou manter ela limpa?
  • Não saber que roupa usar porque não consegue enxergar o que tem no guarda-roupa por causa da bagunça?
  • Não saber o que tem em casa (exatamente por ser desorganizada) e comprar o que não precisa?
  • Ficar nervoso estressado porque gastou demais e agora não tem dinheiro para pagar o necessário?
  • Tem um ditado árabe que diz: “Quem compra o que não precisa, vende o que precisa”.

É ou não é?

 

Entendendo os conceitos

Para mim é muito bacana ver que vocês têm o entendimento do conceito que tentamos passar.

Muitas vezes as pessoas se apegam aos exemplos e não entendem o raciocínio por traz dele.

Quando falo que devemos cortar desperdícios, como: evitar de jogar comida fora, pagar TV a cabo que não usamos ou diminuir despesas que não fazem mais sentido, como pagar uma mensalidade de academia que não é frequentada nunca, é comum ouvir:

  • Mas e eu que não tenho TV a cabo?
  • E eu que não vou à academia?
  • E eu que não como em casa e não jogo comida fora?

Muitos não conseguem separar o conceito do exemplo e, por isso, dependem que publiquemos exatamente o exemplo que tem a ver com a vida dela.

O pulo do gato no aprendizado é justamente fazer analogias e empregar o conceito para cada caso.

E o salto-triplo-mortal-carpado do gato (hahaha) é quando você consegue ler as entrelinhas.

Ou seja, pegar as dicas no ar e entender até aquilo que não foi abertamente dito.

Neste post eu dei uma baita dica, quem se arrisca a comentar seu palpite?

estou aguardando seus comentários. 😀

Nos vemos no próximo post!

Jornalista, especialista em finanças, autora de 5 best-selleres, colaboradora dos programas Mulheres (TV Gazeta) e Escola do Amor (Record TV). Colunista do portal R7 e youtuber.

  • Bom dia!

    Patrícia, o nome do aplicativo é Dropbox?
    Te adoro, você tem me ajudado muito,a me organizar e economizar. Obrigada sua linda…
    Abraços♥️

  • Me veio a mente seu vídeo do YouTube sobre como lidar com os comentários desaforados! É complicado, mas é aquela coisa… seus posts são para todos, mas nem todos são para os seus posts. Ontem mesmo minha filha de 14 anos disse que te ama e você é muito fofa, mas às vezes fica chato seus vídeos porque ela não entende nada, como no dia que vc falava sobre algo chamado Imposto de Renda… kkkkkkk… Achei engraçado. Creio que você traga sua experiência para somar na vida das pessoas, e cabe a quem segue ponderar com discernimento. Eu assisto tudo!! Mesmo sabendo que eu não seria uma investidora por ora, pois como dona de casa, não possuo uma renda própria. Acho que a chave é continuar fazendo o que faz da forma que faz, pois os interessados, aos poucos, vão começando a se familiarizar com o assunto. Lembre-se, é normal sermos apáticos com o que é novo.. tudo uma questão de tempo.

  • Minha querida xará!! Fiquei verdadeiramente feliz com o título recebido de Blindete!! Bateu até um orgulho dentro do peito!

    Pati, muito obrigada pelo seu empenho! Toda vez que tenho que tomar decisões financeiras, percebo que trago à mente palavras suas. Vc já comentou sobre como é importante ter uma reserva de emergência. Mas, olha só o cuidado que temos que ter antes de tudo: o que é verdadeiramente uma emergência? Se dá para esperar, então não é. Mas, será que o “não dá para esperar” não envolve a ansiedade? Parece algo tolo, mas não é. Se não buscarmos o autoconhecimento (que vc tb ensina), vamos enfiar os pés pelas mãos.

    Te desejo muitos anos de vida, com muita saúde, para que possa continuar esse trabalho abençoado! A melhor remuneração virá de Deus!

    Bjos!!

    • Título de blindete concedido! rs…rs… Saber o que é realmente uma emergência e o que é ansiedade é algo que todas precisamos praticar! Beijos 🙂

  • Patrícia eu não vou à academia,mas tô pagando a natação da minha filha à pedido médico,pago a psicóloga da minha outra filha, e para equilibrar os gastos,pago o valor mínimo da internet ,economizo na energia,na compra do mês .etc..😘

  • Olá Pati 🙂
    Tenho aprendido muito nos últimos dias com você. Minha visão mudou muito desde que voltei a viver os ensinamentos aqui do blog (Acabei me afastando daqui, deixando de lado o que você ensinou e só quebrei a cara!)
    Hoje eu vejo os erros que cometi na minha vida financeira e porquê os cometi. E um deles era a dependência de compras. Era um escape para a ansiedade.
    Creio que o que você quer que suas blindetes entendam é justamente isso: Não sermos dependentes. Não esperar tudo mastigado. Buscar o que vai além. Muitos exemplos que você dá, não condizem comigo. Mas busco usar o conceito e analisar a minha realidade.
    Creio que a dica seja não ser dependente 🙂
    Que Deus te abençoe
    Beijos ^^

  • Sempre gostei de arrumação e casa limpa, sempre ensinei e coloquei meus filhos ajudando na limpeza.Hoje tenho dois rapazes que se casaram a pouco tempo e que ajudam as esposas na organização e limpeza da casa , sinto muito orgulho por isso.Beijos.
    Acho que plantei uma semente.

  • Quando a cabeça não pensa o corpo padece, já diz o ditado…no seu blog se aprende a pensar, se a pessoa já faz os exemplos, olha em volta, veja o que se pode melhorar; sempre tem, eu sempre acho e aplico dicas e super vale a pena…a vida é um aprendizado;)
    E as vezes podemos passar por momentos difíceis, (quem nunca!?) mas se você já abriu a mente consegue “atravessar os desertos com água no cantil!”

  • Meu palpite rsrs, pense com sua própria cabeça! Raciocine! É libertador!

    Gosto de ler os comentários antes de fazer o meu, para ter conhecimento de outros pontos de vista, por exemplo. Quando vi esse do post, pensei…parece que foi a própria Patricia que escreveu rsrs, e olha ele aqui agora rsrs

    Bjs

  • Olha, Patrícia….Essa realidade de professor(a) eu entendo e sinto na minha pele! Essa semana mesmo, indo ao centro da cidade fazer um orçamento e compras para ajudar meus alunos no” Projeto Pedagógico”, pensei: “Meu Deus, o que me fez entrar em uma profissão que financeira e energicamente perco mais que ganho? Quem vai pagar essa manhã que estou ‘perdendo’? Quem vai pagar minha passagem de ida e volta? Quem vai me devolver esse tempo e dinheiro que não sou obrigada a gastar, mas faço porque gosto de fazer o melhor e percebo que sozinhos eles não irão a lugar algum? Devo ter muita fé na humanidade, ainda!
    Me desanimo muitas e muitas vezes….Não sou de gastar muito, mas tudo tem que ser anotado na ponta do lápis se eu quiser conquistar algo. Tudo o que você citou e mais um pouco é verdade:

    O excesso de trabalhos extras;
    Salas super lotadas;
    O cansaço psíquico, físico e emocional;
    A falta de respeito de alunos, pais e até mesmo diretores de escolas que se dizem educadores;
    Poucos recursos financeiros;

    E sobre esse último, para ter uma ideia, até para comprar um dos seus livros, que não é nada caro, foi planejado e anotado no papel! E preciso planejar mais se eu quiser adquirir os outros, pode acreditar! Já fui para comprá-los várias vezes e tive que deixá-los para trás! Escrevo isso com lágrimas nos olhos, não para me vitimizar,causar comoção, chorar miséria ou algo do tipo….Mas porque o desafio é pesado mesmo!! Sinceramente, não sei por quanto tempo permanecerei nesse cargo apesar de me divertir também com meus alunos. Quando eu olho detalhadamente para eles, sinto amor e talvez seja isso ainda o que me sustenta! Penso que apesar de tudo, essa é a única chance que tenho de contribuir verdadeiramente com algo útil para a construção de uma sociedade melhor.

    Obrigada por tanto!!
    Você é demais e desculpa o desabafo!!

    • No final do post mencionei que havia dado uma baita dica e pedi que as pessoas arriscassem um palpite sobre o que seria. Ninguém acertou, nem mesmo passou perto. Mas no post de segunda-feira vou contar o que é. Fique ligada!

  • Boa tarde!
    Acredito que você quis dizer que não devemos fazer ” somente os exemplos que você nos dá”. Além deles, devemos entender o conceito para usá-los em nossa vida.
    Por exemplo: Uma pessoa não tem TV a cabo, ela prefere ler um bom livro…o problema é que ele sai comprando todos os livros que chamam a sua atenção, sendo que ela só vai ler um por vez!
    Nesse caso, comprar um livro somente após acabar o outro será o que ela deverá fazer! Fará ela evitar gastos desnecessários.
    É ler o post e ver como ele se adequa melhor á nossa vida. Os exemplos são apenas para se ter um norte do caminho a seguir.
    Pelo menos foi o que entendi.
    Obrigado pelos ótimos posts, Patrícia!
    Nem sempre comento, mas estou por aqui, aprendendo!^^

  • Olá Patricia eu entendo sobre o POST e q vc diz que organização e economia,andam juntos faz bem pra saúde ,não vamos viver estressados e preocupadas se tivermos uma vida equilibrada.

  • Muito legal! Nem sempre ou quase nunca consigo passar o que aprendo aqui para alguém pessoalmente, mas o que está ao meu alcance eu faço, como por exemplo compartilhar os posts do blog! 😉

  • Chegando agora no blog. ….Dicas maravilhosa.Quero aprender e me libertar definitivamente dos embaraços financeiro.

  • Olá, Patrícia!
    Devoro seus vídeos e agora comecei a ler o blog. Tenho aprendido muito e quero mais!
    Você tem razão ao afirmar a importância de entender o conceito. Isso é fundamental para um bom resultado. Tinha muita dificuldade para entender as questões que me exigiam mais atenção (aprendi no vídeo a não dizer problema ou preocupação) porque os exemplos não bate adequação aquilo que vivia e terminava por achar que aquele conteúdo não se aplicava a mim. Mas, no entanto, a situação continuava a mesma e precisava de uma solução urgente! Seus vídeos me ajudaram muito e hoje consigo enfrentar com coragem a mim mesma e as questões a solucionar. Bjos!

  • Não ficar apenas em uma função e sim aumentar a renda de outras maneiras. É isso? Rsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *