Sabe quando você tem um problema que nunca é solucionado e vira e mexe volta a lhe assombrar? Como lidar com esse tipo de situação?

Problemas crônicos, o que fazer?

O comentário de uma seguidora me incentivou a escrever sobre o tema, pois imagino que não sejam poucas as pessoas que carregam um problema que parece não ter solução.

Trabalhando com finanças pessoais, acho que você pode imaginar o número de problemas que as pessoas me encaminham em busca de soluções.

Pois é, são muitos!

Mas o que tenho notado – em mais de uma década acompanhando casos de endividamento, conflitos profissionais e até entre casais, afinal, problemas financeiros são a segunda maior causa de divórcio no mundo – é algo bem interessante.

 

Na maioria das vezes (talvez em 80% dos casos), as pessoas sabem o que fazer, mas simplesmente não fazem.

Portanto, não é o problema que é crônico, mas sim, a falta de atitude.

Percebo que quando um problema se torna crônico é porque a própria pessoa faz pouco (ou nada) para resolvê-lo.

E ainda que ela não faça nada, não sei exatamente por qual motivo, ela acha que faz.

Obviamente, quando você acha que está fazendo algo que não está, você não vai fazer o que não está fazendo, mas deveria fazer!

Volte à linha anterior e leia de novo, pois eu sei que é confuso!

Entendeu agora?

 

Sem ação, sem solução

O que a seguidora que comentei no início me relatou como um problemão, na verdade, não era.

Ela trabalha se revezando em turnos com outras duas profissionais e as três estão sendo cobradas por tarefas que competem a uma quarta pessoa.

Essa outra pessoa se aproveita do fato de que nenhuma das três se nega a assumir o que não é de responsabilidade delas e continua delegando suas tarefas enquanto descansa solenemente.

A seguidora, encorajada por um vídeo no meu canal do YouTube onde dou dicas para lidar com pessoas difíceis, me escreveu mais ou menos o seguinte:

Temos esse problema com essa pessoa difícil e não sabemos como resolver. Ainda não nos juntamos para conversar com ela, então ela continua fazendo tudo isso, apesar de ser uma pessoa muito boa!

Notou que elas sabem exatamente o que fazer?

Percebeu também que não se trata de uma pessoa difícil? Talvez folgada, mas não difícil!

Por isso, se você está carregando algum problema durante o ano todo ou, quem sabe, há vários anos, pense:

Será que você fez ou está fazendo o que já sabe que deve fazer?

Ou será que você diz que já fez de tudo, mas no fundo, não fez?

Reflita sobre isso, pois ainda há tempo de deixar que isso fique em 2020 e não vire o ano com você.

 

Nos vemos!

 

Confira o post anterior clicando aqui.

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Boa tarde querida! Sei bem o que é gente folgada! Tenho algumas clientes folgadas até demais rsrsr…😍😍

  • Boa Noite Pat
    Pessoas folgadas muitas vezes terão que ser deixadas um pouco de lado , para ver se aprendem a se virar.
    Devemos aprender a andar com nossas próprias pernas; e esse tipo de pessoa gosta mesmo é de encostar em outras pessoas e por isso é que são folgadas .
    😂😂

  • Nossa, tenho trabalhado nisso.
    Me deu um estalo de que há problemas ou decisões que eu mesma estou atrasando e chegou num ponto que não tenho mais como justificar.

  • Olá Patrícia! Essa situação me fez lembrar de uma pequena “história”, reconheço não saber a autoria mas achei num pedaço de papel entre os meus arquivos e, eis a “história das quatro pessoas”, que diz “era uma vez quatro pessoas: todo mundo, alguém, qualquer um e ninguém. Havia importante trabalho a ser feito e todo mundo tinha certeza que alguém o faria. Qualquer um poderia tê-lo feito, mas ninguém o fez. Alguém negou-se a fazer o trabalho, porque era um trabalho de todo mundo. Todo mundo pensou que qualquer um poderia fazê-lo mas ninguém imaginou que todo mundo deixasse de fazê-lo. No final, todo mundo culpou alguém quando ninguém fez o que qualquer um poderia ter feito.” Abraços!

  • Trabalhando nisso. Apesar da pandemia, esse ano para mim foi de muitos aprendizados, mudanças e posicionamentos.

  • Verdade Patrícia! nenhum problema é resolvido sem ação, se sabe o que deve fazer mas espera a boa vontade da outra pessoa, enquanto não é ela que estar sendo prejudicada. Estresse, magoa, sofrimento, cansaço são fatores que poderiam ser evitados se fizesse o que deveria fazer.

    Grande abraço.

  • Este post de hoje veio em direção ao meu problema de hoje. Eu não resolvi a anos atrás confiei na instituição e o tempo piorou o problema. E só de pensar em me aborrecer mais tentando resolver o problema, já pensei em deixar para lá. Até ler o seu post e lembrar de Abrão e meditar como ele era resolvido, objetivo em resolver. Até mesmo no episódio da contenda entre seus pastores e de Ló. Surgiu o problema e Abrão já veio para resolver e com a solução objetiva e justa sem sentimentalismo.

    E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os perizeus habitavam então na terra.
    E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos.
    Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; e se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a esquerda.

    Gênesis 13:7-9

  • Bom Dia!!!! “Sem ação, sem solução” tem que se achar a raiz do problema

  • Patrícia, boa tarde!
    Dica preciosa. Lembrei da história da sua ex-funcionaria.
    Existem situações que me deixam de cabelo em pé, mas mesmo sendo complicado relevar na hora que está acontecendo, ainda é melhor deixar para lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *