Você sabia que o poder da influência é algo que pode ser usado tanto para o bem quanto para o mal? Como você tem usado o seu?

O poder da influência

Você acorda em um dia normal, eventualmente se olha no espelho e percebe que nem está com aquela cara inchada de quem acabou de levantar.

Depois da higiene habitual, você se veste e inesperadamente nota que aquela roupa lhe caiu muito bem.

Ao arrumar o cabelo, sente-se feliz, pois ele está lhe “obedecendo”.

Enfim, uma manhã tranquila em que você está bem consigo mesma!

Mas eis que você pega o elevador e sua vizinha – que já estava lá dentro – lhe diz:

“Nessa quarentena ‘a gente’ engordou, né? Olha aí no espelho como ‘a gente’ tá redonda!”

Você, que até então estava bem, sai do elevador deixando lá dentro toda a sua autoconfiança. Por quê?

Porque a sua vizinha teve o poder de influenciar e mudar o seu pensamento, mesmo quando o seu dia estava indo bem até aquele momento.

Talvez o espelho do elevador fosse daqueles que distorcem a imagem, mas você nem sequer considerou essa possibilidade.

De repente, você (que estava bem) passou a se sentir “redonda” por conta de uma palavra de alguém que provavelmente não estava feliz consigo mesma.

Veja como o poder da influência pode mudar o dia de alguém, seja para melhor ou para pior!

A potencialização desse poder

Hoje em dia, com o advento das redes sociais, o poder da influência foi potencializado a um nível que ninguém poderia imaginar.

Quem diria que teríamos “influenciadores profissionais”?

E o que são eles senão pessoas pagas para ditar o que os outros devem comer/comprar/usar?

É preciso lembrar que todos nós somos influenciáveis, ainda que sempre vai haver quem diga que não é. Todos somos e isso é fato.

Portanto, cabe a nós – uma vez sabendo que somos influenciáveis, sim – nos cercar de pessoas que nos influenciem para o bem.

Se você se cercar de pessoas tóxicas, cedo ou tarde vai acabar se contaminando por elas.

Seja seletiva quanto às amizades e preste muita atenção à influência de seus familiares, afinal família não se escolhe.

Muitas vezes, as pessoas que lhe fazem mais mal estão dentro da sua casa e você não terá como evitar. Mas você pode se resguardar.

E quanto à você, busque influenciar positivamente e, para isso, há uma regrinha bem simples:

Tem algo bom para falar? Fale?

Não tem nada de bom para falar? Cale!

 

Nos vemos amanhã!

 

Confira o post anterior clicando aqui.

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

 

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Boa tarde Patrícia!
    E a cada post lhes somos gratos por compartilhar conosco conteúdos que nos edificam.
    E ser seletivos é o que aprendemos com a vida e ao longo dos anos. Quando jovens todos são nossos amigos, somos totlmente influenciáveis, com os anos começamos a enxergar coisas que jovens nunca paramos para pensar.
    E ao sermos seletivos, acabamos sendo taxados por anti-sociais, nariz em pé.
    Mas sabe que com o tempo até deixei de me encomodar com isso.
    Assim hoje tenho ao meu lado um núelmeros muito reduzido que na juventude, porém são as melhores amizades que poderia ter conquistado, pois realmente eles nos motivam a sermos seres mais humanos. E sou muito grata a Deus por isso.
    Que Deus a abençoe e continue a guiá-la a levar positividade em cada mensagem que nos envia!❤❤❤

  • Pati, esse post me fez lembrar exatamente de um trechinho do livro “A mulher V”, da linda Cristiane Cardoso que diz assim:

    “A mulher tem a capacidade de fazer essas duas coisas:

    ACRESCENTAR OU DIMINUIR.

    É simplesmente impossível manter as coisas do mesmo jeito quando se está entre pessoas.

    Ou você as influencia para MELHOR ou para PIOR”.

    Grande abraço!

  • Boa tarde querida! Que maravilha, eu parei 100 por cento de tomar refrigerante quando estava no início da gravidez do meu primeiro filho, que hj está com 33anos e de lá p cá já influenciei muitas pessoas a fazerem o mesmo, meus próprios filhos ñ tomam refrigerante, quando dava aula no Estado (ensino médio) influenciei vários colegas a fazerem o Mestrado, hj na Estética influêncio minhas clientes a fazerem coisas básicas do dia a dia que a deixem melhor, com auto-estima elevada, e isso me faz muito bem. Eu sou do tipo que influêncio, e só deixo ser influênciada se for para o meu bem. Um grande abraço! 😍

  • “”Tem algo bom para falar?!! Fale.
    Não tem nada de bom para falar?!! Cale.”
    Tenho feito isso.

  • Essa história me lembrou a questão da balança. Você toma um bom café da manhã, tá feliz, vai lá e toma um banho, passa perfume, seu dia começou ótimo e você… sobe na balança. Pronto! Dificilmente, a gente acha que a notícia é boa pois se emagreceu, emagreceu menos que gostaria. Se engordou, fica p da vida. Se o peso é o mesmo, acha que não se esforçou.

  • Uau!!!
    É bem isso, Patrícia!
    Papo furado de elevador, rebato: “sério, você está assim? Eu não estou ahahahah!”
    Dias de azedume…. sim, vira e mexe azedo o ambiente, confesso!
    E se não tenho nada melhor para falar, ca-la-da, Vânia Maria!
    Beijos

  • Olá Patrícia!
    Adorei! Essa regrinha vale ouro!
    E evita tanta coisa desagradável, né!
    Seus posts são sensacionais para refletir!!
    Obrigada

  • Tenho aprendido a ser mais seletivo a todas as fontes que tenho contato. Temos que saber bem de que água estamos bebendo principalmente nesta era de fake news.

  • Estava conversando com a minha irmã sobre influência negativa, pois a filha dela vai se submeter a uma cirurgia “que não precisa”, em seguida leio este post. No meu caso já percebemos que ela está com a decisão tomada, a cunhada vai fazer e foi a influenciadora. então: calo-me. Mandei o post pra minha irmã, mas os filhos crescem e na maior parte das vezes perdemos o poder de influenciar positivamente. Minha irmã tbem já se calou, pois tudo que tentar à partir de agora será inútil. Livre arbítrio que fala? Beijos a todos.

  • Olá Patrícia! Xiii… não quero “encontrar a vizinha no elevador”…rs…rs…

  • Em cada post, vou descobrindo algo sobre mim mesma. Isso é muito bom e fico feliz em poder me avaliar e poder mudar.
    Saber que somos influenciáveis, mesmo tendo uma opinião forte. Quer dizer que para formarmos opinião, por mais forte que seja, fomos influenciados anteriormente por experiências passadas, por pessoas à nossa volta, familiares e também a mídia. Ser seletivo, é optar por pensar. Quem pensa, analisa, pondera, é prudente para poder tomar a melhor decisão.

    “A sabedoria do prudente é entender o seu caminho, mas a estultícia dos insensatos é engano.”
    Provérbios 14:8

    “Os simples herdarão a estultícia, mas os prudentes serão coroados de conhecimento.”
    Provérbios 14:18
    Bjs, Patrícia!
    Que Deus te use ainda mais!

  • texto perfeito…. me lembro de um proverbio que aprendi ainda criança que diz:

    O SABIO FALA QUANDO TEM ALGO A DIZER, O TOLO FALA PORQUE SEMPRE QUER DIZER ALGUMA COISA

    sejamos influenciadores do bem

    parabéns Patrícia, você é …. um excelente influenciadora!!!

  • Essa colocação foi perfeita, o poder que temos de influenciar alguém é surpreendente. A um ano tive essa experiência ao influenciar uma amiga a voltar a estudar, e foi tão gratificante ver a felicidade dela em ter conseguido concluir seu Ensino Fundamental e avançar para o Ensino médio, ela tinha ouvido antes que estudar não era mais para ela, que estava “velha” para isso, sendo que ela só tem 43 anos, me propus a ajuda-la nas inscrições e orientações de como estudar. Uma satisfação maravilhosa, essa de ter a influenciado a retomar algo que já estava esquecido.

  • ” Tem algo bom para falar? Fale?
    Não tem nada de bom para falar? Cale!”

    Simples assim! Hahaha

    Amei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *