Estamos na era da comunicação e, para nós, brasileiros, o meio é a língua portuguesa. Portanto, é preciso dominá-la antes de qualquer coisa.

Língua portuguesa é seu meio de comunicação

O brasileiro tem a falsa ideia de que é preciso dominar o inglês para se dar bem profissionalmente.

Porém, se você não conhece o seu próprio idioma – aquele que ouve desde que nasceu – não é o inglês que vai garantir o seu sucesso.

Quando você não consegue se comunicar bem na sua própria língua, muita coisa acaba ficando comprometida.

No Brasil, o analfabetismo funcional é uma triste realidade, pois estatísticas assustadoras mostram que as pessoas até sabem ler, mas não são capazes de entender o que leem.

 

 

É sempre necessário que um terceiro “traduza” o sentido do texto para que haja entendimento e isso chega a ser desconcertante.

Para piorar, percebo que as pessoas ultimamente precisam até de explicações sobre o que os outros dizem, e não apenas sobre o que leem.

A interpretação da comunicação em si está ficando a cada dia pior e isso tem trazido muitos prejuízos.

Por outro lado, as próprias pessoas que possuem essa dificuldade parecem não ver muito problema e se apegam a desculpas, como:

  • A língua portuguesa é muito difícil
  • Meus professores foram ruins
  • Detesto ler, me dá sono…
  • Todo mundo fala errado

 

Desconstruir as desculpas para construir conhecimento

A língua portuguesa não é tão difícil assim como dizem, mas ela exige empenho.

A comunicação no dia a dia não impõe que sejam empregadas todas as suas regras, mas sim, que haja clareza naquilo que se quer transmitir.

E, hoje em dia, a clareza está se tornando uma realidade cada vez mais distante.

De todo o público que me acompanha, o menor número de pessoas está aqui no blog.

São mais de 100 mil no Instagram, quase 600 mil no YouTube, mas menos de 12 mil assinantes no blog.

E onde eu publico mais conteúdo? Aqui! E por quê?

Porque aqui tenho o que considero meu público mais qualificado: pessoas que leem.

Mais do que isso: pessoas que leem, que participam com seus comentários, que trocam ideias, que crescem e fazem crescer.

Nesse desafio, cujo assunto central é a disciplina, não poderia faltar um post como este, pois é preciso despertar as pessoas para o fato de que estamos perdendo parte da nossa civilidade.

Afinal de contas, qual civilização sobrevive quando as pessoas simplesmente não se entendem?

Portanto, esteja sempre pronta a aprender uma regrinha a mais, um sinônimo, um novo adjetivo. Uma coisa nova por dia bastará para que tenhamos uma melhora enorme em apenas um ano.

Para ajudar, compartilhe esse post com sua rede de amigos ou, se preferir, passe adiante o vídeo abaixo.

O link para acessá-lo diretamente no YouTube é este aqui: https://youtu.be/2KFY6jpak88

 

Nos vemos! (O correto seria vemo-nos, mas o português aceita algumas adaptações!)

 

Confira o post anterior clicando aqui.

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Bom dia Patricia!

    sou favorável a suas colocações sobre nosso povo brasileiro não tem hábitos a leitura. Poucos te seguem no blog exatamente pelo fato de ter que ler.
    Eu tenho paixão por livro/papel, faço leitura priorizando o livro/papel.

  • Saber se expressar é algo muito valioso no mercado de trabalho. Frequentemente lemos textos mal redigidos que causam confusão. Pode-se, inclusive, perder-se uma oportunidade de trabalho ou fechar um negócio lucrativo devido à insegurança que gera uma comunicação mal elaborada. Não é raro as pessoas escreverem algo e não lêem o que escreveram passando a imagem errada de si mesmas nas redes sociais.

  • POR FAVOR! Se tem uma coisa que ne deixa DOIDA é erro de português em postagens na internet! Uma coisa é um erro de digitação, uma distração ou até abreviações em mensagens de WhatsApp e afins mas erros como confundir “mas” e “mais” em postagens que supostamente seriam de algo “profissional” é de doer! 😭

  • Quase não comento aqui, mas sempre acompanho seus posts e gosto muito! Hoje resolvi comentar porque é um assunto que sempre penso, a cada dia fica pior tentar se comunicar e, se for em texto, é ainda pior!
    Mesmo que ainda de forma pequena, estou começando a produzir conteúdos sobre leitura e escrita, justamente por saber da importância desta comunicação e por perceber quão necessitadas estão a maioria das pessoas.
    Espero poder contribuir e ajudar mesmo que seja uma única pessoa nesta rede.

    Obrigada por suas reflexões e ensinamentos, Pati!

  • Eu gosto de ler e escrever. Preciso melhorar muito ainda, mas até nisso você me ajuda, acredite!

    Eu observo a forma como você escreve e as palavras que você usa e por ventura eu desconheça, busco o significado. Dessa forma já deixar de errar muitas coisas. Observo muito a pontuação!

    Tenho uma página no Instagram em que escrevo alguns pensamentos. Pouquíssimas pessoas leemos. Evito textos extensos justamente para que não desistam da leitura logo na primeira linha. Kkk

    Obrigada pelo carinho conosco, suas leitoras!

    É recíproco!

    Bjs

  • Bom dia Patrícia! Na verdade a falta de leitura que estamos vivenciando hoje em dia se relaciona a falta de disciplina. Pois é muito mais fácil, assistir um vídeo ou escrever em redes sociais, através da correção ortográfica do celular, do que ler um texto no blog ( que exercita a mente ) escrever no computador (envio de e-mails), que precisa ser digitado todas as letras ou livros impressos. A nova geração precisa de mais disciplina em querer escrever e falar corretamente o nosso português… Beijos e até mais 😉

  • Patrícia ti acompanho sempre pelo you tube,porque muitas vezes se estou sem tempo não ti assisto mas ti ouço faço dos vídeos uma forma de podcast mas amo ler seus posts por aqui e este tema me atraí,embora não ter todo o conhecimento do bom português ao pé da letra,sou uma pessoa que curte escrever por isso se tenho dúvidas com relação a uma palavra dentro de um contexto tenho que pesquisar sobre o assunto.Infelismente na era da informatização o que vemos são as pessoas, principalmente os jovens e adolescentes,economizando escrita e as vezes dificultando o entendimento.Ė 7ma pena.

  • Bom dia Paty, sempre acompanhando seus conteúdos,eu tinha preguiça de ler e estava sempre de “desinformada”, porém hoje eu aprendi a importância da leitura.

  • Boa tarde querida! Escrever o português corretamente ñ é para todos e sim uma pequena parte da pirâmide, até porque ñ há tanto interesse assim, para melhorar bastante a escrita, o hábito da leitura é uma ferramenta excelente, as vezes levamos o vício de linguagem ou até mesmo o dialeto (linguagem própria de certas comunidades) para a escrita, e muitas vezes quem ler ñ entende, por isso no texto escrito deve-se usar palavras dicionarizadas e aplicando-se a gramática. 😍😍🤗

  • Eu ando bem preocupada com isso mas nunca comento com ninguém. As pessoas não tem mais aquela força interior de arregaçar as mangas e ir atrás do que a escola não ensinou direito. A tal educação continuada. Muitas desculpas, querem ganhar bem, trabalhando pouco e perto de casa. Estudo é esforço constante até o final da vida.

  • Boa tarde!

    Maravilhosa leitura e grandes ensinamentos,obrigada por compartilhar seus aprendizados!

  • Boa tarde!!
    Nossa Patrícia esse tema, é muito pra mim 🤣
    Estou tentando melhorar o português e também aprender o inglês depois de uns”tapas” que levei aqui kķkk
    Pra vc saber eu moro no interior de Sergipe trabalho catando acerola pra sobreviver e depois que conheci esse blog, já tive umas ideias e estou montando aos poucos meu negócio na linha da confeitaria, obg

  • Pois é Pati e isso tende a piorar, neste ultimo domingo presenteei um primo meu de 9 anos com um Jornalzinho cristão para crianças, e ele vem com uns pirulitos para ser mais atrativo, porém ele tirou os pirulitos, e disse que os pirulitos ele aceitava mas o jornalzinho não pois parecia coisa de criança, e eu disse que ele era uma criança rs, mas enfim, foi muito dificil convencê-lo a levar o jornal, ele disse que gostava mesmo era de videogame e vídeos no celular, depois conversando com a mãe dele(minha tia) ela disse que ele não gostava de ler, mas lá no jornal também tinha desenho para pintar, caça palavras, jogo dos 7 erros e ele disse que nào gosta de nada disso! A maioria das crianças estão perdendo a vontade de fazer esse tipo de coisa, é muito triste isso! Fico pensando aonde vamos chegar!

  • Boa tarde, a língua portuguesa não nada fácil, mas necessário. Tenho que treinar mais meu português, comento muitos erros tanto na fala como no inscrito.

  • Olá Patrícia,
    Eu acredito que quando temos o hábito da leitura temos mais facilidade em comunicarmos bem.
    A minha perceção de comunicar bem, mais do que saber escrever sem erros ortográficos ou gramaticais, é conseguir transmitir uma ideia de forma clara para que a outra pessoa consiga compreender a mensagem com facilidade. E também saber ouvir e procurar entender o que a outra pessoa quer falar, sem conclusões precipitadas.

  • Sinto isso na pele!!! Trabalho em uma Universidade e é muito triste ver alunos que não sabem, ao menos, escrever perguntando sobre dúvidas corriqueiras. Temos dificuldade para interpretar o que eles realmente estão perguntando! Não usam vírgula nem ponto, trocam ? por ! Acentuação? Não precisa…
    Fora erros grotescos de gramática.
    Se não sabem escrever, não sabem interpretar… assim fica fácil ser passado pra trás!

  • Amo seu blog, sempre por aqui, lendo, relendo, aprendendo a cada dia, mas também estou no Instagram, Clube da leitura.
    Confesso que não gosto muito de comentar, pois sempre leio alguns comentários e concordo com algumas colocações, aí penso que será mais do mesmo eu comentar igual e desisto.
    Hoje resolvi te escrever, para testar meu português escrito e minha comunicação.
    Bjs.

  • Olá Patrícia! Ainda me lembro da minha querida Professora Nilza, quando estava cursando a 4ª série, na época era a última série do Primário e no ano seguinte já chegávamos ao futuro: primeiro ano do Ginásio, era o máximo!!! A expectativa da minha turma era que passaríamos a aprender o idioma inglês e a professora nos alertava que, aprender uma língua estrangeira era muito importante, entretanto, a língua portuguesa, sendo o nosso idioma nativo, tínhamos a obrigação de saber tudo direitinho na “ponta da língua” (rs…rs…). Aquela professora tinha a fama de ser muito severa e exigente. Por fim, agradeço até os dias atuais, a bela dedicação daquela professora do primário, que deixou saudades e como “legado”, a importância da língua portuguesa. Amei esse post de hoje. Obrigada!

  • Olá Patricia.
    Ao longo da vida pessoal e profissional, tenho ajudado amigos, clientes, familiares a resolverem problemas, e o curioso é que, muitos desses problemas não haviam sido resolvidos até então, pela dificuldade de entenderem a leitura de um documento, ou o pedido/ conversa da empresa, ou da entidade envolvida. E depois, um telefonema, uma carta, uma conversa clara e objetiva, permite resolver ou dar início à resolução. De facto, hoje mais do que nunca vemos pessoas falarem a mesma língua, mas não se entenderem. E infelizmente, vemos isso começar dentro do lar.
    Obrigada Patrícia por esse blog, e pela sua dedicação constante em partilhar connosco as suas experiências e conhecimentos.

  • Lamentável !!!

    Meu sobrinho de 12 anos me respondeu a um tempo atrás abreviando tudo, confesso que fiquei perdida, muitas frases com abreviações que ao meu entender não tinha como decifrar =0, perguntava e respondia com risos e no final vinha, eeee Tiiiaa!

    Sem falar que o SIM era apenas um S e o NÃO o N, achei tão cansativo tudo aquilo, que enviei como resposta a letra T.

    Obrigada.

  • Oi Patrícia. Isso é uma verdade, a maioria das pessoas não tem interesse em buscar o conhecimento, e depois coloca a culpa em terceiros. hoje sei a importância de buscar conhecimento e confesso que depois que comecei a ter o hábito da leitura melhorei e muito em todas as áreas. Hoje em dia falo melhor, me expresso melhor e mais, me sinto mais confiante comigo mesma, pois vejo que tenho me destacado em meio a muita gente. Não me vejo mais sem ler um livro, sem ler suas publicações e sem ler artigos que vejo que é importante. Obrigada por dividir seus conhecimentos conosco.

  • Boa noite!
    Excelente abordagem e triste realidade. Muitos não tem paciência para ler e buscar compreender. Leem por cima rapidamente e depois dizem: não entendi, não está claro, etc, etc.
    Porém, nem tudo está perdido, ainda há os remanescentes que gostam de ler e escrever com disposição.
    Busquemos incentivar e influenciar outros. Se semearmos, nem todas as sementes brotarão, mas as que brotarem irão pela vida semeando também!

  • Nossa hoje vc falou tudo eu sou uma pessoa que gosto muito de ler ás vezes não tenho tempo, mas arrumo. O nosso pais a cada dia as pessoas estão muito desentendida vc fala duas três vezes e ele não entendem uma dificuldade enorme de interpretar algo simples. Eu com toda dificuldade de ter disciplina, mas tenho facilidade em entender a linguagem das pessoas, mas amo ler escrever. E não concordo com essa situação do nosso pais.

  • Boa noite Patrícia!
    Não vai ter jeito, hoje vai ter textão.
    Vamos lá…
    Vou começar por quanto é prazeroso ler todos os comentários, principalmente os que são recheados de erros de português. Incluo-me.
    Obrigada por brindar-nos com um baita elogio: somos 12.000, pena que poucos se arriscam escrevendo o que pensa, fazendo com que o blog não pare, pois percebi que através dele surgem algumas ideias para as suas futuras postagens.
    Temos leitores que só escrevem uma linha, alguns uma palavra, outros em ingles (que nos forçam a ir buscar a tradução), outros que nem tinham coragem de escrever e foram utilizadas como tema de postagem, etc…
    Aprendi a amar a leitura com um professor de literatura, já citei isso aqui no blog e foi com o livro do Ignácio de Loyola Brandão, apesar de gostar muito de ler, desde pequena, começando pela caminho suave e depois com os gibis.
    Lembro que meu pai trabalhava na Volkswagen e teve um final de ano que ganhei um livro chamado Santorini, meu primeiro livro sério, devia ter uns 7 anos.
    Meus filhos foram picados por esse bichinho e hoje fazem leitura em português, italiano, inglês, espanhol e o mais velho ainda arrisca nos mangás.
    Meu marido fez Direito no Brasil, dispensa comentário.
    Uma vez observei e fiquei muito feliz. Estávamos os quatro, dentro do carro, esperando não lembro o que, mas para a minha surpresa, quando olhei em volta estávamos cada um com um livro. Amei. Nunca mais esqueci esta cena.
    “Quem mexeu no meu queijo”: todos lemos e depois ficamos debatendo quem se identificava com qual rato.
    Desde o domingo no clube da leitura estou seguindo a Cíntia Chagas, ela é doidinha, só de assistir os stories gravei diversas dicas da língua portuguesa. Obrigada, por nos apresenta-la.
    Hoje temos e-book, audiolivro, podcast. Gosto de tudo.
    Deus abençoe por este espaço.
    Beijos querida!

  • Isso é complicado mesmo. As pessoas não se preocupam em falar corretamente, escrever de forma coerente com a norma padrão. Pessoas com formação superior escrevem de forma errada e isso fica mais visível na era de Whatsapp e internet. Fica o questionamento: se a pessoa não sabe português, como estudou, como ela sabe o que está fazendo?
    Excelente texto.

  • Realmente, a língua portuguesa é muito complicada. Não sabemos o que é próclise, mesóclise ou ênclise. Aliás, quando ouvimos a mesóclise, sentimos uma erudição repelente e um cheiro ardido de naftalina. “A última flor do Lácio” continua rude, indomada e exige estudo constante. Com uma linda rápida nos comentários, percebermos problemas com a pontuação, acentuação ou com a utilização de uma preposição que não se adequa ao verbo, mesmo sabendo que as pessoas que fazem comentários aqui são letradas e tentam dominar a língua. Como, então, melhorar nossa comunicação? Além da dificuldade, existe um preconceito cultuado por quem se sente excluído da língua. Na padaria, por exemplo, pão no plural é motivo de chacota. Alguém se lembra do tradicional “dois pastel e um chopps”?
    Assim, acho que a comunicação e a melhor utilização do idioma devem ser encarados diuturnamente, sem descanso. Eu cometo erros crassos, principalmente com ortografia. Mas, não me perdoo quando erro a impessoalidade do verbo haver. Aí eu me rendo à insignificância.

  • Paty gosto muito de ler, mas não sou muito de escrever, aqui no blog por exemplo, escrevo e antes de postar tenho que ler umas 20 vezes; mas hoje não poderia deixar de comentar e agradecer o elogio de me qualificar entre os menos de 12 mil. Ler enriquece a mente, foi isso que aprendi.
    Aprendi da gostar de ler na escola, era uma aluna de escola publica assídua na biblioteca, hoje vejo que muitos alunos nem sabem ou nunca entraram em um; os tempos mudaram, mas não vou deixar o bom hábito.
    Beijos e obrigada por compartilhar aprendizado.

  • Boa tarde, Patrícia!
    Me sinto lisonjeada com as suas palavras! Ler os seus artigos, além do aprendizado diário, também é divertido, já que a sua escrita é de fácil compreensão.
    Beijo!

  • Olá! Texto incrível. Infelizmente é nossa realidade. Fiz questão de compartilhá-lo con meus alunos de língua portuguesa para estrangeiros. Só não soube explicar o motivo pelo qual, no período ” Portanto, esteja sempre pronta a aprender uma regrinha a mais, um sinônimo, um novo adjetivo.”, não optou pelo gênero neutro ” pronto” direcionando a todos os seus leitores. ,😥
    Obrigado..
    Luiz Pires – fã.

    • Oi, Luiz!
      Na verdade o blog era praticamente 100% feminino e eu estava acostumada a falar com “elas”. Hoje em dia temos muitos leitores também, mas às vezes eu esqueço e dou uma derrapada! rs…

  • Olá Patrícia!
    E salve as ferramentas de correção das palavras, a língua portuguesa tem muitas normas, dificultando bastante o aprendizado, devemos estar sempre nos atualizando e aprimorando nossa escrita e fala, muitas pessoas confundem vicio de linguagem com palavra errada, e a turma vai inserindo no vocabulário achando tudo normal.
    Gostei da dica do exercício do livro cubo, palavra + imagem + texto, vou praticar para melhorar meu português.

    Grande abraço.

  • Boa noite!
    Eu aqui novamente.
    Espero que este post não intimide mais ainda quem não tem coragem de escrever, mesmo errando.
    Afinal de contas, independente de formar a frase correta, colocar as palavras ortograficamente corretas e blá. blá blá, o intuito é expor a nossa interpretação, a nossa vivência, os nossos acertos e erros na vida.
    Aprendendo a ser disciplinada “que é o assunto do momento”, e através do post de hoje: em português.
    Amo todos os comentários e muitas vezes nem repasso o que escrevi.
    Neste, eu estava atrasada nos desafios, li 3 de uma só vez.
    Não comentei nenhum dos outros porque achei melhor escrever um montão “errado mesmo”, sem corrigir, sem me preocupar com o certo ou errado, afinal de contas eram 6 da manhã e eu estava acordada desde as 12h30 do dia anterior.
    Se eu ficar tentando escrever correto, nunca estarei aqui com vocês, pois apesar de ser formada em Gestão de RH e Técnica em Secretariado, sempre fui média 6 e em português uma das piores.
    Obrigada pelo espaço.
    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *