O brasileiro já foi um povo educado, cordial e simpático. Mas o que aconteceu com a nossa educação? Precisamos falar sobre isso!

Educação é a base de tudo

Mesmo com todas as diferenças de classe social que temos no Brasil, há uma coisa que pode ser encontrada em todas as esferas da nossa sociedade: a falta de educação.

Se você passa maus bocados em um transporte público, como ônibus, trem, metrô, e acha que encara a falta de educação porque ali estão pessoas de menor poder aquisitivo, enganou-se.

Estava tentando calcular a média de vôos que faço por ano, mas me perdi nas contas…

Porém, considerando apenas os últimos quatro meses, foram vinte.

Infelizmente, posso afirmar que a falta de educação esteve presente em praticamente todas as viagens.

O “show” que as pessoas estão dispostas a dar – sem a menor vergonha – já começa no checkin.

Elas chegam em cima da hora e se veem no direito de passar na frente das pessoas que estão na fila.

Como eu já não tenho mais estômago para isso, baixei os aplicativos das companhias aéreas no celular e só faço checkin via app.

Depois, não querem despachar bagagens que ultrapassam o peso e as dimensões permitidas para levar a bordo.

Ofendem funcionários, falam alto, ameaçam. Sim, ameaçam.

E, claro, dão carteirada: “você sabe com quem está falando?”

Na hora do embarque, dão uma de que entraram na fila preferencial “por engano”, mas já que estão ali… não vão voltar atrás, né?

Tudo isso só para entrar primeiro (como se isso fizesse alguma diferença).

Uma vez a bordo, colocam suas bagagens nas fileiras 1 ou 2 – perto da saída – ainda que sentem no fundo, para não ter que carregar pelo corredor todo.

Com isso, usam o espaço de bagagem que não é delas e os donos dos assentos da frente (que custam mais caro, inclusive) não têm lugar para guardar nada. Lindo!

Trago verdades (e imagens!)

 

Você encontra chiclete grudado no banco do ônibus e acha que isso é “coisa de pobre”? Pois no assento do avião também tem, baby! E nem precisa procurar muito…

 

Sem falar do “chiqueiro” que alguns deixam para trás quando desembarcam…

 

Mas não é só isso, a lista da má educação é enorme:

  • Falam alto demais
  • Pintam as unhas (deixando aquele cheiro forte de esmalte impregnado no ar)
  • Deixam os banheiros em um estado lamentável (nem vou colocar foto, me dá vergonha alheia)
  • Desobedecem os comissários e riem da cara deles quando fazem a demonstração de segurança
  • Sentam em lugares diferentes do que compraram e depois não querem sair
  • Recusam-se a ceder seu assento mais espaçoso para um cadeirante. A justificativa é a pior: “eu paguei mais por esse assento, vocês vão devolver meu dinheiro?”

E reclamam. De tudo e de nada, o tempo todo.

Haja paciência!

Onde perdemos nossa educação?

Me pergunto isso sempre. O que aconteceu para que um povo alegre, simpático e amistoso se tornasse reclamão, briguento e insuportavelmente chato?

Não consigo chegar a uma conclusão do que causou essa má educação crônica, mas me recuso a fazer parte disso.

É claro que há casos em que é necessário fazer uma reclamação, mas você sabe que, na maioria das situações é puro mimimi.

Nós não podemos mudar a atitude das pessoas, mas podemos mudar a nossa.

Se você vive reclamando, decida parar. Simples assim: decida.

Todas as vezes que vier uma reclamação à sua cabeça, diga algo bacana.

Está chovendo e você não quer molhar os sapatos? Mas que ótimo que você tem sapatos!

Parece ridículo? Pois eu acho mais ridículo ainda reclamar da chuva, afinal, você não vai fazê-la parar, pois o mundo não gira em torno do nosso umbigo!

E é aí que eu quero chegar para finalizar esse post com chave de ouro:

Não seja individualista

Viver em sociedade é pensar no coletivo. Se você fizer isso, vai estar colaborando imensamente para um mundo melhor: o seu e o dos outros!

Quando você pensa em si mesmo, joga papel na rua porque “alguém vai recolher” e, além disso, não é a sua rua mesmo…

Mas quando você pensa no coletivo, mantém os locais por onde passa limpos, pois virão outros depois de você.

E isso serve para tudo na vida. TUDO!

Inclusive para quando você está com vontade de descontar todas as suas frustrações em alguém. Você pensa nesse alguém e respira fundo para não explodir.

E a sociedade civilizada que tanto queremos acontece!

Vamos fazer a nossa parte?

Nos vemos na semana que vem para mais novidades aqui no blog.

Inscreva-se para não perder nada:

[newsletter]

 

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Olá, falou tudo.
    Eu também fico indignada com tanta falta de educação das pessoas.
    Não tem diferença de classes.
    Um ótimo dia para você!!!!!

  • Infelizmente Patrícia, estamos vivendo uma falta de educação endêmica nesse país. Num lugar que não se respeita pai e mãe esse ser humano vai respeitar alguém “de fora”?
    Me permita apenas discordar de vc no item “Recusam-se a ceder seu assento mais espaçoso para um cadeirante. A justificativa é a pior: “eu paguei mais por esse assento, vocês vão devolver meu dinheiro?””. A responsabilidade (ou falta dela) é da companhia aérea q vende esses assentos caríssimos quando nem deveria vender já que idosos e cadeirantes tem que ter prioridade…. kd a ANAC pra acabar com essa farra?
    Enfim, como diz um post q recebi outro dia no zap: “O Brasil é um monte de gente tentando se dar bem sozinha e se ferrando juntas”!

    • Sim, eu sei que é um problema das cias. aéreas, mas não é penalizando o cadeirante que vamos resolver. Eu costumo comprar os assentos da frente, pois quando vc faz 6 voos em 1 semana, quer um pouquinho mais de conforto. Mas quando isso acontece, não é com o cadeirante ou com o idoso que eu tenho que reclamar e nem dar show no avião. E eu vejo a satisfação estampada no rosto das pessoas que não cedem e essa é a parte mais triste.

  • Perfeito!!!Amei este post como todos os outros.Parabéns através de seus ensinamentos tenho crescido e aprendido.
    Deus te abençoe.

  • Oi Patrícia! Sinto a mesma coisa, e a minha indignação às vezes quase me sufoca, tenho sofrido muito com tudo o que vejo.
    Estamos vivendo uma era de comportamentos extremos, de falta total de educação, civilidade e cidadania, e o que mais me irrita é ver que as pessoas estão achando isso “normal”… Não podemos ser assim!!!! Precisamos acabar com esse pacto da mediocridade, com esse círculo vicioso do “se o outro faz eu também faço” e nos apropriar da mudança, ainda que só dentro da nossa casa.
    Uma andorinha só não pode fazer verão, mas pelo menos faço a minha parte!!!

  • Olá Patrícia! Excelente texto. Acrescento também a intolerância no trânsito das grandes cidades. O brasileiro quer leis e direitos, mas cada um quer seguir à sua maneira. Bjs .

  • Bom dia, Paty. Tudo bem? Fiquei feliz de vc ter tocado nesse assunto. Pq eu achava que isso era, sim, coisa de pobre, já que estou pobre no momento (apesar de ter um income dentro dos 20% do Brasil…) e morar em um bairro pobre… E justamente nesta terça feira, quando cheguei em casa, eu coloquei pra fora toda a minha raiva e ódio do que tinha acabado de vivenciar (um exemplo absurdo de individualismo). Eu não fui feliz na forma como fiz isso, pq só prejudiquei mais a mim mesma. E, conversando com minha melhor amiga, que mora no Canadá, ela falou exatamente isso. Que o povo brasileiro está muito individualista. Eu não me conformei e não me conformo com isso. Tudo o que faço, procuro fazer pensando no coletivo. Dá um desânimo…. Eu vou compartilhar este teu post, na esperança de que chegue a esses infelizes, para ver se eles se enxergam e conseguem mudar sua postura.

  • Infelizmente é bem essa a realidade. Lembro de fazer a minha parte e se vejo alguém que tenho intimidade fazendo algo assim, tendo fazer essa pessoa refletir sobre o mal que está causando para ela e para os demais.

  • Post Perfeito

    Me pergunto todo dia o que esta havendo com as pessoas. Um egoísmo extremo está impregnado nas pessoas. Triste!

  • Eu acho que deixamos de ser mais educados com a “era da internet/informação”, aonde as pessoas passaram a se sentirem no direito de expor as suas opiniões. Despejam a podridão que está dentro delas sem se preocupar com os outros.

  • Já reparou em como as pessoas esbarram em você nas ruas, nos supermercados e nem pedem desculpas? Acham isso tão normal… Mas eu fico tão indignada! Principalmente quando volto de alguma cultura diferente da nossa. É um choque de realidade.

  • Bem assim mesmo só porque tá pagando acha que os outros tem que fazer tudo ando indiguinada com a falta de educação mas se cada um fizer a sua parte teremos um mundo melhor Parabéns pelo conteúdo

  • Infelizmente já “vomitei” minha raiva em situações que me senti “enrolada”. Não foi, obviamente, a melhor atitude. Me arrependi, mas o estrago já estava feito. O que faz falta? A educação esperada que nasce do seio familiar formada por pais (homem e mulher), que não adulterar, que são tenentes a Deus, que entregam seus filhos para professores sérios (onde foram parar mesmo a Educação, Moral e Cívica, junto com a Organização Social, Política e Brasileira ?). É inerente ao ser humano fazer justiça própria até que ele decida entender seus limites… o pior, vergonhoso, é ouvir (ou ler) as bobagens com erros crassos da nossa língua mãe…. causa tristeza.

  • Individualismo isso. Que melhor exemplo que o resultado da Greve dos Caminhoneiros? As pessoas que pagavam muito caro pela gasolina e outras mercadorias nos demais estabelecimentos o fizeram pensando em manter a si mesmos, não pensaram coletivamente, no propósito de beneficiar a todos, inclusive elas mesmas! Eu me sinto decepcionada com a atual situação do nosso país hoje, difícil manter esperanças. Vamos continuar nossa parte porque precisamos, alguém precisa fazer o certo. Obrigada, Paty, pelo seu post, bem escrito e franco como sempre.

  • Oi Paty,

    Tem tanta gente mal educada em todos os lugares que acredito não haver ninguém que não tenha presenciado cenas deprimentes por aí. Triste ver que pessoas pensam assim: “vou jogar aqui pro gari limpar, afinal é por isso que ele tem serviço”. (acredite: eu já ouvi isso e quase desmaiei). Engraçado que trabalho pro coveiro ninguém quer dar né?
    Ps: Seu blog novo tá lindo! Parabéns… Deus continue abençoando. Na fé!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *