É muito difícil fazer qualquer coisa que seja quando estamos desanimados, porém, o mundo não para e nem espera. É preciso recobrar o ânimo.

Recobrar o ânimo

Na semana passada me senti muito desanimada por causa de uma simples saída de casa.

Foi péssimo ver o quanto as pessoas estão emburrecidas pelo medo e o quanto se tornaram mais indiferentes do que antes.

Tive de ir em três lugares diferentes e em todos havia aglomeração de pessoas justamente em nome de “evitar aglomerações”.

Fui a três lojas enormes onde o único lugar que havia concentração de pessoas era em uma fila totalmente irracional do lado de fora.

Chegava a ser absurdo ver uma loja imensa praticamente vazia “para não aglomerar pessoas”, mas com dezenas de pessoas do lado de fora aglomeradas em espaços muito menores.

Em cada um dos estabelecimentos foram criadas mais regras restritivas do que as que já existem para nos controlar.

Auto-falantes o tempo todo nos lembravam de coisas estúpidas como “não tocar nas mercadorias”, a menos que tivéssemos “certeza” de que iríamos comprar, “não tirar a máscara nem por um instante” e, portanto, não se podia nem beber água sem alguém olhando feio.

Verificação da temperatura na porta, totem com álcool em gel, funcionários nos monitorando o tempo todo para ver se tocávamos nas coisas ou se chegávamos perto demais de alguém.

Sair para fazer uma simples compra se tornou uma paranoia. Que desânimo…

Mas aí você pode pensar: “Patricia, nós estamos em uma pandemia, precisamos seguir os protocolos de ‘segurança’, é para o nosso bem!”

OK, se para você viver assim é “normal” ou é o “novo normal”, para mim não é.

E sabe por quê? Porque nada disso visa a nossa saúde.

Sinto muito em lhe dizer, mas é exatamente isso: nada desse grande teatro é para a sua saúde.

Se fosse, seria a regeneração da política nesse país, não é mesmo?

Seria ver os nossos políticos, pela primeira vez na história, trabalhando em prol do povo.

Porém, a verdade é que continuam nos roubando, aliás, mais do que nunca.

E mais: roubando dinheiro com compras superfaturadas de leitos hospitalares.

Desmontando hospitais de campanha que custaram milhões, mas nunca atenderam um paciente sequer porque não chegaram nem mesmo a serem abertos.

Comprando milhões de máscaras fajutas que foram parar no lixo, porque precisavam justificar gastos altíssimos e sem licitação para poderem embolsar boa parte do gasto.

Você sabe disso, mas até mesmo a mídia fez vista grossa para esses absurdos. Isso sim é atentar contra a vida das pessoas. E isso não se resolve com álcool em gel…

 

Como não se deixar intoxicar

Primeiramente você não deve ser ingênuo em pensar que tudo o que é mostrado na mídia é verdade.

O único local onde não havia regulação e podíamos publicar o que quiséssemos era a internet, mas travestida de “lei das fake news”, nem isso vamos poder mais.

Temos juízes que já julgaram que o brasileiro é ignorante demais para discernir por si mesmo o que é verdadeiro do que é falso e que decidiram que eles determinarão o que é verdade e o que é mentira.

Estamos entrando em um tempo de ditadura disfarçada, que usa de um discursos enganoso para nos fazer acreditar de que tudo isso é para o nosso bem.

Esteja atento e não se deixe levar pelo efeito manada. Use a sua inteligência e recobre o ânimo, apesar das dificuldades.

Assim como eu, você vai precisar de todo empenho para manter sua mente sã em meio a um mundo cada dia mais louco.

Confira os desafios anteriores

14 – Como ficar longe do estresse

 

Confira o próximo desafio

16 – Tempo para si mesmo

 

Cadastre seu e-mail e não perca nada!

Você receberá uma notificação a cada nova publicação.

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Semana passada me revoltei e até fiz uma reclamação para um supermercado.

    Chego no mercado esta um fila enorme la fora, pessoas debaixo do sol quente do 12h00, e eu queria apenas ir no caixa eletrônico levantar dinheiro, e em todos supermercado tem o caixa eletrônico no hall de entrada.

    Quando olho pra fila, vou até o segurança e pergunto: eu só preciso ir ao caixa eletrônico, ele me responde tem que entrar na fila!
    Isso me indignou tanto, fui embora e fui em outro lugar, pra que ficar tanto tempo a espera se eu não iria fazer compra.

    Mandei um e-mail para empresa reclamando, e sugeri que eles mudassem essa estratégia.

    Eles poderiam colocar 2 filas por exemplo.

    Quem vai ao mercado fica numa fila, quem vai levantar dinheiro fica em outra fila.

    Não tem cabimento mandar todo mundo ficar junto, se nem todos vão para o mesmo lugar.

    É verdade Patricia, tanta paranóia pra nada, diz que é pra evitar aglomeração dentro, mas e fora pode?

    Isso não tem lógica!

    Grande abraço pra você!

  • Bom dia! Verdade! Estamos vivendo no caos, muita palhaçada, filas gigantes com aglomeração e lojas vazias, isso tmb está acontecendo nos bancos, é muito triste, mas ñ podemos desanimar e nem emburrecer, fiquemos atentos. Um grande abraço! 😍

  • Os governantes não se preocupam com o povo, se preocupam com eles mesmos e com suas mordomias, lamentável.

  • “Temos juízes que já julgaram que o brasileiro é ignorante demais para discernir por si mesmo o que é verdadeiro do que é falso e que decidiram que eles determinarão o que é verdade e o que é mentira.”
    ….. Li isso estudando “A história da igreja”….
    Semana passada conversando com uma amiga, fiquei desesperada porque ela já tem em mente que “não precisa mesmo sair de casa para mais nada.” Creio já poder sair distribuindo “santinho” porque minha amiga morreu…. mas será enterrada futuramente! Mentalidade medíocre, em vão aconselhar!

  • É bom ver que ainda tem gente que sabe que esse circo todo armado é só para atender os próprios interesses e que nada é em prol da vida. Realmente, está difícil sair de casa com essa realidade anormal (detesto esse termo “novo normal “, soa patético), onde tudo é só feito pra “inglês ver”. E de uma maneira estranha, diga-se de passagem.
    Obrigada por essa dica de recobrar o ânimo. Por aqui ando fazendo só o necessário para não ter de me aborrecer com essa palhaçada que os políticos empurram goela abaixo na população e que muitos aceitam sem qualquer questionamento nem ter de ficar sendo vigiado por pessoas que passam maior parte de suas vidas sem se preocupar em seguir leis ou regras que realmente importam (como as leis de trânsito, que matam muito mais ou jogar papel na rua, que polui a natureza que de graça nos dá tantos recursos).

  • Olá Patrícia! Leio com bastante frequência os seus artigos, concordo com uns e discordo de outros.Afinal, tenho discernimento e meu próprio bom senso. Desta vez concordo em partes, por exemplo, também acho puro teatro os espetáculos montados nas entradas de shoppings e lojas para inglês ver, um verdadeiro faz de conta, aglomerações é o que não faltam. Em relação, aos “juízes” deu a entender que o controle disfarçado de ditadura está sendo imposto pelo judiciário e não é isso, na verdade o controle é generalizado e foi fomentado pelo executivo federal, agora está se espalhando pelos outros poderes como forma de equalizar ou minimizar os efeitos danosos desse período tenebroso que estamos vivendo. Não podemos nos deixar contaminar com nenhum tipo de vírus, seja ele na saúde, na política, nas mídias sociais ou na vida. Recobrar o ânimo exige uma autocrítica imparcial de todos os acontecimentos, em todos os níveis e em todos os poderes.

  • Boa tarde, realmente está uma loucura. Tem pessoas que para alguns lugares fica uma dia inteiro numa fila sem problema e para outros lugares ficam estressada por de que aguarda uns minutos. Sem falar que para ir a igreja e de risco, mas para fica numa fila de banco ou supermercados não tem risco nenhum. Vai entender. 😑
    Abraço.

  • Concordo plenamente…. esses dias fui fazer um exame de sangue que precisava colher sangue 3x a cada 1 hora e eu grávida de 7 meses, meu marido tinha que esperar no carro e eu dentro da clínica… sem sentido algum… poderia ser contaminada muito mais do que ficando fora com meu marido. Eu não aceito esse novo normal.. jamais!!!!

  • E os bares? já viu? Todos sem mascara! Um absurdo. E lá não tem fiscalização não rs

  • Patrícia, estou lendo esse post no momento certo! Hoje, particularmente, me sinto com a mente cansada e um desânimo para fazer até o que é necessário. Passo muito tempo usando eletrônicos por causa do trabalho,mais que o normal nessa pandemia. Sou professora! É solicitação de coordenação, pais de alunos e dos próprios alunos que têm acesso ao contato ( whatsApp) dos professores 24 horas por dia, praticamente!

    Sei que não está sendo fácil para eles também se adaptarem a nova metodologia forçada. Está muito exaustivo! Buscando estratégias para não enlouquecer diante disso que acabo de expressar em palavras e do que você escreveu. Realmente, sair de casa está sendo insuportável. Aqui na Bahia, algumas pessoas já estão até mesmo se agredindo porque não mantêm o distanciamento em alguns espaços públicos. Ainda ontem precisei pegar o ônibus e estava daquele jeito: LOTADO!!

    O prefeito diminuiu a frota com o objetivo de “evitar aglomerações” já que o comércio está aberto. Mas o efeito foi colateral. Enfim…Muitos desafios para manter o equilíbrio emocional e psicológico!

    Um grande abraço!

  • Verdade Patrícia! Obrigada por você compartilhar sua sabedoria. Tenho aprendido muito com seus posts e vídeos. Que Deus continue te abençoando e te usando para ajudar as pessoas. Fica com Deus. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *