Desafio Detox 15 – Corrigir alguém vale a pena?

Você vê claramente alguém cometendo um erro e, no intuito de ajudar, pensa se vale a pena corrigir, afinal, você pode ser mal interpretada. Até onde vale a pena tentar ajudar os outros?

bronca

Nem sei quantas vezes esse tipo de situação aconteceu comigo… Pela minha personalidade (e também pelo meu tipo de trabalho), sou bastante observadora, com isso, reparo muito na forma como as pessoas falam e agem. É quase que involuntário, mas é assim que eu sou… Me julguem…:(

Sempre que eu via algo de errado com algum amigo ou amiga, procurava dar um toque, mas nem sempre dava certo… Muitas vezes fui alertar a pessoa com a melhor das intenções, mas como pagamento recebi xingamentos e inimizades. Isso quando a coisa não ia longe e, não satisfeita em me insultar, a pessoa ainda espalhava para todo mundo que eu era enxerida!

Mas algumas vezes a pessoa ouvia, percebia que realmente se tratava de um erro e que, se não fosse esse toque, provavelmente continuaria errando. Nesses casos, a amizade se fortalecia e o objetivo era alcançado: melhorar.

Todas as vezes que alguém me corrige, vejo isso como algo positivo, afinal, a pessoa tirou tempo para me ajudar e me dar um conselho. Sendo assim, é claro que ela quer o meu melhor. Ainda que na hora eu não concorde ou nem veja como uma ajuda, depois acabo me dando conta e ficando muito grata à pessoa que me corrigiu.

Porém, fui percebendo que nem todo mundo pensa assim, então comecei a questionar por que algumas vezes esse “toque” tão valioso é visto como algo negativo, e a resposta está no…

Provérbio do dia

“Quem corrige o zombador* traz sobre si o insulto; quem repreende o ímpio mancha o próprio nome. Não repreenda o zombador, caso contrário ele o odiará; repreende o sábio e ele o amará. Instrua o homem sábio, e ele será ainda mais sábio; ensine o homem justo, e ele aumentará o seu saber.” – Provérbios 9:7 a 9

* ou “o tolo”, ou “aquele que debocha”

Essa é a resposta: nem sempre podemos corrigir as pessoas, pois não devemos dar motivos para que elas nos odeiem. Ainda que a sua intenção seja boa, nem todo mundo vê na correção uma oportunidade de melhorar. O tolo vai levar isso como uma ofensa, portanto, vai lhe ofender de volta.

Essa de “não importa se Fulano vai me odiar” não é legal, pois você estará plantando um mau sentimento na pessoa. O melhor é deixar a coisa como está e  esperar que um dia o tolo deixe de ser tolo.

Desafio da atitude

Corrija aqueles que dão valor, que saberão compreender o real sentido da correção e que, amanhã, poderão corrigi-la também, afinal, quem não precisa estar o tempo todo em processo de melhoria?

Desafio da saúde 

Você já deve ter ouvido falar ou até mesmo lido mil vezes no Facebook (e até em parachoque de caminhão) que “ter mágoa de alguém é como tomar veneno e esperar que o outro morra”. E é bem isso mesmo, pois quando você guarda um mal sentimento quem vai sofrer é você, inclusive sofrimentos físicos, como você já deve saber.

Por isso, o desafio de hoje é o maior de todos até agora: perdoe! Mesmo aquela pessoa que lhe fez muito, mas muito mal, procure se livrar de manter a mágoa ou o ressentimento dentro de você. Há pessoas que têm mágoa até de quem já morreu e isso age como um câncer dentro de si, portanto, esqueça. Perdoar é esquecer (e não dizer que perdoa e depois, na primeira oportunidade, joga tudo na cara do outro). Esqueça o que passou para o seu próprio bem.

Eu sei que isso é MUITO difícil, mas também sei que não é impossível. Experimente. Você vai ficar mais leve e sentir-se muito bem. Sua saúde também vai agradecer.

E você? Já conseguiu perdoar alguém que lhe fez muito mal? Como conseguiu se livrar? Deixe sua experiência aqui, pois ela certamente ajudará outras pessoas!

E para não perder nada aqui do blog…

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Desafio
  • Naiufa Maia da Costa diz:

    Boa tarde dn Patrícia, eu tinha muita mágoa de uma das minhas cunhadas, soube que ela falava mal de mim, do meu esposo e filhos, mas quando entrei no Rush 2015, tive uma oferta pra fazer e abracei essa oportunidade, pois eu não me sentia bem na presença dela, quando ela chegava logo eu saía, e numa quarta-feira, eu lembro bem a dia, fui lá e pedi pra falar com ela, entramos no quarto so nós duas e pedi perdão se fiz ou falei algo que magoou ela, disse pra ela que Deus havia me tocado, e queria obedece-lo, pois ela tbem é evangélica mas de outra denominação, abracei ela e ela começou a lagrimar e me pediu desculpas tbem se ela fez algo errado, eu disse que tudo bem, quando sai de lá, sai leve e com o coração livre, hoje ja aprendi a combater a mágoa e os ressentimentos e tenho vencido dia após dia, não foi fácil, mas realmente sei que não é impossível. E sim libertador!

  • Gezane Santos de Almeida diz:

    Boa tarde Paty!! Paty já passei por muitas situações, e a última me arrasou de tal forma que fui a lona!! Mas entendo que quando Deus é na nossa vida, tudo fica mais fácil. Uma amiga recentemente estava fazendo algo que eu odeio mesmo, pois causa estrago na vida de muitos, então eu falei se ela concluísse o ato eu perderia o respeito por ela. Pense em um ser que se transformou num monstro.Tudo que construir por anos foi destruído, mas sei que Deus é poderoso pra cuidar de nós e nos fazer vencer!! Bjs

    • Patrícia Lages diz:

      Se ela era sua amiga creio que vc tinha liberdade de alertá-la e fez sua parte. Só resta agora esperar que ela reconheça seu erro a tempo.

  • Magali Clemente da Silva diz:

    Boa tarde Querida Patricia.

    A cada novo desafio aprendo e tenho a oprtunidade de melhorar para o meu prórpio bem.

    Eu fui uma pré-adolescente bastante problemática, e por crescer em um lar sem referência paterna eu odiava minha mãe. Sempre a culpava por todas as minhas questões interiores.

    Quando tentávamos conversar, brigávamos, vivíamos como duas estranhas em casa.

    Eu aprendi a perdoá-la quando conheci e recebi um amor muito maior do que o amor de pai ou de mãe. Eu pude provar do Amor do Meu Senhor Jesus.

    Eu entendi que não estava mais sozinha, tinha Alguém muito Superior cuidando de mim, então pedi perdão e passei a amar minha mãezinha e hoje faço questão de pedir sua benção sempre quando a visito.

    Realmente o perdão nos faz tornar pessoas mais leves, cheias de esperança e, mesmo que em meio a problemas não desabamos.

    Abraço Carinhoso.

  • KATHARINE diz:

    Olá Pati! 🙂
    Ha mais de 3 anos atras eu passei por uma fase muito difícil. Era angustiada, depressiva e tinha desejos de suicídio. Eu estava com 21 anos! Me lembro dessa fase como se fosse ontem… Na época eu tinha um namorado. Fazia tudo para agradá-lo; ele era “meu sol”. Em um sábado eu liguei pra minha mãe e disse que iria me matar, que não aguentava mais aquela vida. Ela claro, ficou desesperada – que mãe não ficaria? Me pediu para ir para casa e assim eu fui. Desistir da ideia. Ela conversou comigo e usada por Deus, percebi que aquela situação toda foi porque tinha me afastado dEle…. Começou a minha luta… E o que foi uma certa facada nas costas é que o meu namorado, na época disse que aquela situação toda era coisa da minha cabeça. Que eu estava fazendo tudo aquilo para chamar atenção. Pensa?!
    Abrir mão do perdão não foi fácil mas, eu queria mais ser curada e livre do que ter raiva. Foi nas palestras da terapia que fui me curando e pude perdoá-lo por tudo. Conversamos e colocamos um fim em tudo. Sem brigas, ressentimentos ou mágoas. Foi muito bacana nossa conversa pois houve calma e sabedoria da minha parte, rsrs Tudo isso conquistado na Terapia 🙂
    E o mais difícil foi pedir perdão pra minha mãe. Porque mesmo ela sendo a única a ter ficado do meu lado quando mais precisei, eu não a via como mãe…
    Hoje somos amigas 🙂
    Nada melhor que o perdão pra nos libertar. E outra, ficar remoendo a história da muito trabalho!
    É melhor perdoar e ser livre e feliz!
    Beijinhos 🙂

    • Patrícia Lages diz:

      A Terapia que vc diz é a Terapia do Amor da Universal?

      • Katharine diz:

        Sim, sim! 🙂
        A única Terapia do amor que realmente transforma a vida de uma pessoa, rsrs

        • Patrícia Lages diz:

  • Aline diz:

    Oi Patrícia tudo bem? Já passei por uma situação onde o mal tentou e fez de tudo pra eu ficar com mágoa. Mas eu tomei uma iniciativa e fui pedir perdão pra pessoa independente se eu estava certa ou não nas minhas razões. É como já ouvi o perdão não é pra outra pessoa mas pra gente mesmo ser livre e feliz.
    beijinhos 😉

  • Patricia diz:

    A melhor forma de perdoar uma pessoa é orando por ela. Quando eu fico chateada com alguém, e percebo que aquilo quer virar uma magoa e me prejudicar eu oro por ela. Não é fácil pedir pra Deus abençoar quem nos machucou, mas depois que acaba a oração você não só sente que perdoou a pessoa,mas que Deus te perdoou tambem

  • Lisiane Gravataí/Rs diz:

    Olá, Boa noite! No meu caso eu perdoei uma pessoa que não me conhecia e não gostava de mim. Na época de escola eu namorei um rapaz e a ex-dele me odiava (eu não tive nada a ver com o término do relacionamento deles, o conheci bem depois) e suas amigas na carona também não gostavam de mim, um dia uma delas precisava de um trabalho para concluir o ano, e eu tinha o mesmo em minha casa, foi bem difícil para mim,pois estender a mão para quem não gostava de mim e ainda falava mal da minha pessoa. Mas eu fui até ela e lhe ofereci o meu trabalho para ela pesquisar, eu ainda paguei a passagem de ônibus dela e a levei em minha casa para ela pegar o material, eu vi que ela ficou bem admirada com minha atitude, mas depois disse ela começou a falar comigo e nos tornamos amigas.

  • Fran diz:

    Realmente você é muito usada por Deus. Me identifiquei com o post de hoje: também já me decepcionei ao tentar ajudar pessoas. É como se você visse a pessoa indo por um caminho mal (pelo qual você já passou, sabe das consequências, mas graças a Deus conseguiu sair), e tentasse alertá-la. Mas ela não aceita e ainda te acha atrevida.. A Palavra de Deus realmente tem TODAS as direções que precisamos. Agora sei o que tenho que fazer! Muito obrigada pela orientação, e vamos ao desafio!

  • Mônica Cristina Resuto diz:

    Dna Patrícia, até parece que a senhora esteve comigo hoje rsss, sabe pq? Estou vivendo isso, eu alertei várias pessoas de uns dias para cá, dando um “toque” no que elas estavam fazendo de errado, muitas não me deram ouvidos, pelo contrário estão com raiva de mim até hoje, e eu só quis ajudar, infelizmente, elas não deram ouvidos, e em relação ao perdão, já perdoe muitas pessoas que me fizeram mal, pedi perdão, perdoei e foi a melhor coisa que e fiz..
    Amo as dicas da senhora.
    Deus a abençoe e obrigada por se deichar ser um instrumento nas mãos de Deus que ajuda muitas mulheres e eu sou uma delas. Beijinhos.

  • Paula diz:

    Olá Paty!
    Realmente perdoar não é fácil, tenho uma experiência ótima, namorei por três anos e meu ex me traiu, e ficou com a outra com isso fiquei com mágoa só que estava fazendo mal a mim e não a eles, então um dia fui pedir perdão pra ela(olha que eu não fiz nada) tive que se humilde e pedir perdão e perdoar ela, isso me limpou e me fez quem sou hoje.
    Eu aprendi não guardar mais nada que me deixa mal .

    • Patrícia Lages diz:

      Caramba, essa foi “federal”!!!

  • Sara diz:

    Já passei por muitas situações de pessoas que me decepcionaram, eu confesso que me afasto delas de forma a me proteger de gente assim, eu chego a evitar mesmo Paty porque não consigo confiar na pessoa novamente, porém, jamais consigo tratá-las mal! Já ocorreu vários casos de eu encontrar com alguém que eu sei que fala mal de mim ou tentou me prejudicar e até mesmo tem raiva de mim, mais na hora eu mesmo tendo todos os motivos para “virar a cara pra pessoa” eu simplesmente ajo ao contrário, converso com a pessoa e trato super bem! Trato elas da mesma forma que eu gostaria de ser tratada! Vejo sempre como a pessoa fica constrangida e surpresa com a minha atitude, porque ela está esperando o pior de mim e recebe o meu melhor! Mais confesso Paty que por mais que eu seja educada e trate bem, eu não consigo confiar novamente na pessoa, eu sempre fico com o pé atrás..

    • Patrícia Lages diz:

      Eu creio que devemos ser prudentes. Vc pode não nutrir nenhum mal sentimento pela pessoa que lhe fez mal, mas confiar nela novamente é outra coisa. O perdão vem de você, mas conquistar novamente a confiança vem da pessoa.

  • Lili diz:

    Ola Patricia, gosto muito do seu blog!!
    Nao e nada facil perdoar quem nos faz mal, mas NAO E IMPOSSIVEL!! Meu pai teve problemas de alcool e drogas durante anos, mas mesmo assim o que mais me marcou foi os maus tratos, que assisti contra a minha mae! Felizmente com pouco tempo na Universal meu pai largou os vicios e tudo mudou, passou a existir Paz no meu lar mas infelizmente, os traumas do passado ficaram e alimentaram durante dez anos uma magoa contra o meu pai! Eu dizia que sim ja o tinha perdoado, mas sempre que algo de negativo me acontecia logo vinha um sentimento de revolta e o meu pensamento era, se nao fosse o meu pai ter me feito passado pelo que passei, seria uma pessoa muito melhor!! Mas so quando decidi deixar de culpar o meu pai por tudo o que de mal me acontecia e sim foi uma DECISAO DIFICIL de tomar, so nessa altura parei de alimentar aquele sentimento de magoa dentro de mim e me senti verdadeiramente livre, para o perdoar! Ja se passaram outros dez anos desde entao e tenho hoje uma relacao, de respeito e amizade com o meu pai que nunca sonhei sequer puder vir a ter!! Que Deus continue a iluminando mais e mais**

  • Luciene Cunha diz:

    Nossa , nem me fala como sofri por ter mágoa de minha mãe. Ela me batia e apertava o meu pescoço quando eu era adolescente, nós nos agreadiamos com palavras, mas graças a Deus eu nunca bati nela. Foi muito difícil, para eu perdoá-la, mas eu a perdoei antes dela morrer, eu fuí a única que cuidou dela quando ela não andava mais, dava banho nela, limpava ela na cama (trocando fralda) eu nunca a maltratei, acho que ali foi o começo do meu perdão! Eu passava talco nela, nunca teve uma ferida enquanto ficou na cama, por que eu cuiddava dela! Por causa da mágoa tive depressão, síndrome do pânico, venci sem tomar um remédio sequer, só fazendo correntes de 6a. Feira na IURD, foi uma luta! Ai me libertei de vez da mágoa, quando o Bispo Macedo ensinou que: O coração não quer perdoar a pessoa, mas que devemos mandar a mente perdoar. Aí comecei a exigir que o mal saísse e conseguir perdoar. Assim, faço até hoje: oro pela pessoa e envio pensamentos bons e me sinto leve! Paty, obrigada por você existir, você é uma bênção, para nós!!! Tive muito erro de português?rsrsrs

    • Patrícia Lages diz:

      Vc escreve bem Parabéns pela atitude com sua mãe, ambas ganharam muito!

  • Lilian Olivato diz:

    Bom dia Patricia, vou contar minha ultima experiência relacionada a prática do perdão,eu estava ressentida e não percebia, foi com um dos meus chefes, eu trabalhava em um grupo que a cada quatro anos se realocava,sempre fui uma funcionária muito dedicada e disposta a ajudar a equipe, me atualizava constantemente, buscava inovações,tinha novas idéias e gostava de ensinar o que eu aprendia, por isso o grupo contava bastante com a minha ajuda, mas em uma ocasião quando era necessária a transferência dos funcionários para setores diferentes, dois dos gestores passaram a debater em qual deles eu ficaria, nenhum dos dois abriam mão de que eu fizesse parte de sua equipe, isso se prolongou por meses, como o vinculo era finalizado e depois passava a ser feito um novo vinculo trabalhista fiquei desempregada e sabendo do que estava acontecendo, eu sendo prejudicada pela vaidade de duas pessoas que estavam interessadas em ganhar a disputa. O resultado final foi que eu acabei sendo realocada com o gestor que não tinha nem sequer uma definição da função exata que eu iria ocupar. Para mim isso foi uma frustação e passei a não ter motivação para trabalhar como antes. Mas o fato era que eu além de ser prejudicada me sentia indignada. Depois de algum tempo mesmo antes do tempo de realocação fui transferida para o setor que realmente existia uma função adequada para o que eu poderia colaborar no grupo, durante esse período como existia uma rivalidade entre os setores, apesar de ser necessario a intereção entre eles, diversas vezes tive a possibilidade de agir honestamente contrariando até mesmo alguns dos membros da equipe, quando me sugeriam dificultar o setor deles eu escolhia colaborar com o que era possível e manter a harmonia, assim eu venci pagando o mal com o bem, depois de algum tempo eu decidi sair do grupo. Em um jejum de Daniel O Espírito Santo falou comigo e entendi que eu deveria reconhecer o quanto fiquei ofendida com o gestor que ganhou a disputa no primeiro momento. Então já estava morando em outro estado, enviei a ele um e-mail relatando a minha necessidade de perdoá-lo e tive uma experiência inovadora com a resposta dele. Expressou que tinha a intenção de me ajudar, reconheceu que errou em sua conduta, me pedindo sinceramente perdão. Ali eu aprendi que sempre que alguém se sentir ofendido por alguma atitude minha, ainda que a minha intenção não tenha sido fazer mal a ela, que eu não consiga entender o porque dela ter se magoado comigo, eu tenho o dever de perdir perdão, isso é ser justa é respeitar a individualidade de cada pessoa, pensamos diferente, sentimos diferente porque somos diferentes é preciso considerar isso para de fato exercer o amor que o Senhor Jesus demonstrou por nós.

    • Patrícia Lages diz:

      Muito bacana! 😀

  • Thaiz Rocha diz:

    Boa dia Paty. Sim, já perdoei alguém que me fez muito mal.
    Na infância dos 7 aos 11 anos fui molestada sexualmente por um conhecido da minha família, com isso me tornei uma adolescente agressiva, depressiva, com ódio do abusador, com muita vontade de morrer e o pior eu tinha raiva de Deus (não conseguia entender como Ele sendo tão poderoso não me protegeu do abusador).

    Fui algumas vezes a IURD, mas só ficava sentada, não fechava os olhos, e detestava reunião de quarta feira e domingo (eu não conseguia dizer que amava a Deus, que precisava Dele, pois Ele não me protegeu quando eu precisei, então agora eu não preciso mais), não demorou muito e eu me afastei da Igreja.

    Vivi assim dos 7 aos 21 anos. Consegui me livrar de todo este peso quando finalmente me abri com Deus, coloquei para fora tudo que eu guardava dentro de mim, toda raiva, ódio e mágoa. Perguntei onde Ele estava que não me protegeu, e pude ouvir pela primeira vez a voz Dele ” Eu sempre estive do seu lado, Eu só precisava que você me aceitasse, porque Eu só posso entrar na sua vida se você permitir”,e cenas da minha vida foram passando na minha mente, momentos onde quase tirei minha vida, em que eu chorava sozinha calada no quarto, e em todos os momentos Deus estava lá! Neste dia tive um encontro com Deus, em uma reunião na Igreja Universal.

    Desde aquele dia eu entendi que eu nunca poderia mudar oque aconteceu comigo no passado, mas continuar vivendo com tanto ódio e mágoa dependia exclusivamente de mim! Comecei um relacionamento com Deus, consequentemente perdoei aquele rapaz, tempos depois o reencontrei e o evangelizei (além de ser uma alma ele tinha um casal de filhos, e eu não queria que ele fizesse com os filhos oque fez comigo). E, finalmente consegui seguir em frente.

    Terminei minha faculdade de Direito e fui eleita duas vezes Conselheira Tutelar, fiz da minha dor um alicerce para ajudar crianças e adolescentes que passaram pelo que passei.

    Porém, mesmo perdoando, e seguindo em frente eu era uma pessoa que não podia ver uma injustiça que já queria resolver (tanto que meus amigos me apelidaram de justiceira rsrs), uma pessoa muito justa e com isso as vezes me tornava injusta, era o exemplo perfeito desta passagem bíblica:

    “Não sejas demasiadamente justo, nem exageradamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo?” Eclesiastes 7.16

    Somente descobri que era assim depois que conheci o Grupo Godllywood. Na minha cabeça tudo já estava resolvido, afinal eu perdoei o abusador, não tinha mais vontade de morrer, e tinha o Espirito Santo, mas não estava…Eu tinha uma raiz, que precisava ser arrancada!

    Aprendi que quando eu agia de forma demasiadamente justa estava tentando corrigir oque aconteceu comigo no passado, inconscientemente era como se na minha cabeça eu pudesse mudar algo. Tal descoberta foi um choque pra mim!

    Desde então, tenho observado e trabalhado em minhas atitudes,confesso que não foi fácil, mas foi libertador.

    Antes eu não queria me casar, pois eu precisava focar na minha carreira, e mais, eu gostava da ideia de ser solteira e pensava “estou na mesma fé do apostolo Paulo, solteira eu posso me dedicar mais a obra de Deus”. Fui a Terapia do Amor (na verdade minhas amigas me levaram, se preocupavam mais com minha vida sentimental do que eu) e para variar eu detestei a reunião.Por que hein? Mais uma raiz que descobri no Godllywood.

    Lutei contra mim mesma e comecei a frequentar Terapia do Amor, só que dessa vez fui aberta a aprender, e aprendi!! E hoje estou casada 🙂 Me casei ano passado, como 30 anos e virgem, meu marido foi meu primeiro namorado e eu a primeira namorada dele (ele também tinha 30 anos e era virgem).

    Hoje eu posso dizer que de fato eu consegui me livrar de tudo que me prendia aquela mágoa.

    Para finalizar, deixo uma frase da D Cris Cardoso que levo comigo gravada no meu coração “Quanto mais difícil tiver sido seu passado, mais forte você será no futuro”.

    Bjss Paty

    • Patrícia Lages diz:

      Puxa, Thaiz! Vc foi muito corajosa em contar sua história e muito mais em enfrentar esse passado tão negro e dar a volta por cima. Tenho certeza de que não foi fácil, mas em compensação, vc tem condições de ajudar muitas mulheres que hoje ainda sofrem com os problemas que vc já venceu. Parabéns! 😀

  • Patricia Alvarenga de Albuquerque diz:

    Bom dia, não sei se isso vem do nome [rsrsrs] mas sou igual a voce, tambem talves devido ao trabalho, sou encarregada numa firma,observo muito as atitudes , quero ajudar, vou te dizer no começo achava que Deus me colocou lá , para isso ajudar os outros a encontra-lo. Mas confesso que depois de 5 anos, me decepcionei tanto que ví que a intenção de Deus era me moldar.Saber que não vou mudar o mundo, e que a maioria das vezes ate se afastaram de mim. Eu que tinha que amadurecer! Mas havia esta duvida, paro ou continuo. Hoje veio a resposta, obrigada.
    Quanto a magoa, consegui me livrar , graças a uma reunião do bispo Macedo, que ensinou a orar pela pessoa, e dizer o nome dela sempre nas orações, pedir a Deus para abençoar a pessoa, foi a melhor coisa que fiz.Hoje a gente se fala muito bem, e até me abraça com carinho, e eu bem forte a ele, hoje nem me vem a memoria o quanto eu não o perdoava. Realmente mudou.

  • Andressa diz:

    Nossa.. este post caiu como uma luva para mim, estou sofrendo sérias conseqüências em ter tentado ajudar uma pessoa que eu acreditava ser minha amiga.
    Patrícia e neste mesmo caso eu não consigo perdoar, na verdade eu não sei como o fazer, já faz mais de 1 ano e esta mágoa continua no meu peito. O que eu faço????

  • Francisca diz:

    Já passei pelas duas situações acima com a mesma pessoa. Fui corrigí-la e a mesma se voltou contra mim, mesmo tendo sido amiga dela por anos, fazendo somente o bem a ela, e mesmo eu indo pedir perdão( embora a errada não era eu) ela me odeia até hoje, nem o meu nome pronuncia, mas eu vivo em paz, pois sempre fiz o meu melhor para ela e ainda pedi perdão por algo que não fiz. E sabe o que eu faço por ela? Oro todos os dias.

  • Jéssica diz:

    Nossa, Paty! Muito útil esse post!
    Procuro sempre ser honesta e ensinar meus pacientes a cuidarem de sua própria saúde e assumirem sua responsabilidade por ela, em vez de simplesmente jogarem a culpa no governo ou no trabalho que julgam ser pesado demais!
    Contudo, com a prática, a gente vai percebendo que nem sempre vale a pena gastar tempo com isso. Quanto desperdício de tempo e dores-de-cabeça poderia ter evitado se já soubesse disso antes!
    Se a pessoa não quer parar de fumar, não adianta falar que a culpa de sua rinite crônica não é do ar condicionado do trabalho.
    Se não quer se esforçar pra emagrecer, será um desperdício tentar ensiná-la que suas dores nos joelhos não é fruto exclusivo dos esforços de abaixar e levantar no serviço.
    Se não gosta de fazer alongamentos, não tente explicar que suas dores nos punhos não é culpa do uso do teclado na empresa que trabalha.
    Se detesta beber água, não perca tempo explicando que suas infecções de urina de repetição não tem nada a ver com o fato de ficar sentado em seu posto.
    São inúmeras as situações similares, mas a suma é que devemos investir não em quem precisa, mas sobretudo em quem quer. E assim, no futuro, quem sabe, os outros não sejam contaminados pelo bom exemplo de quem realmente quis ajuda!

    • Patrícia Lages diz:

      Às vezes as pessoas reclamam apenas para ter assunto, mas no fundo, elas sabem o que precisa ser feito!

  • roberta diz:

    Olá Patrícia,amo de paixão os seus textos,pois falam direto no meu coração.
    Eu tenho uma cunhada que é mais que uma irmã pra mim,ou pelo menos era.e que a três anos sua filha fugiu de casa pra morar com uma tia em Sp,mas a menina era tratada como uma princesa em casa,tinha do bom e do melhor,então depois que ela fugiu minha cunha que já tinha problemas de saúde ficou muito pior,eu e meu marido que é Irmão dela, compramos a briga ficando “de mau”com a menina e a tia que ela passou a chamar de mãe.eu não podia ver aquilo e ficar quieta então acabei falando poucas e boas para elas que a meu ver era a “filha desnaturada e a irmã traira”.passado três anos elas começaram a se falar novamente e tudo a voltar como “antes”.mas minha cunhada que era como minha irmã,minha melhor amiga,escondeu isso de mim,planejou uma viagem pra visitar elas,sendo que moramos em Toledo pr e elas em sp.mas mentindo,inventando historia,enfim quando descobri fiquei esperando ela me contar pois sempre apoiei ela e agora que ela estava perdoando a filha mais ainda.mas ela ficou se escondendo como um bandido e pior inventando mentiras.eu fiquei muito magoada,então esperei ela voltar e fui falar com ela porque não gosto de ficar remoendo magoa ainda mais porque ela fingia que nada estava acontecendo.eu disse que estava triste com ela porque ela não me disse que esta se falando com elas novamente.ja que eu tinha comprado uma briga falado um monte de coisas a menina e nem tinha o porque.e que se ela tivesse me falado eu teria apoiado,pois Sempre orei pra ela parar de sofrer com isso e perdoar a filha,mas não,ela me disse que não me devia satisfação e que se tiver que pedir autorização para cada vizinho ela estava perdida,só que não somos vizinhas eramos melhores amigas,irmãs,cunhadas,em tudo estávamos juntas,no ruim e no bom da vida,mas agora eu não sirvo mais…eu pedi perdão,oro pra que Deus abençoe a vida dela,entrei no face da irmã dela e pedi perdão por me intrometer numa história que não era minha,mas “comprei”por amizade. e pra minha sobrinha por mensagem porque não tinha mais nenhum contato delas,não tive resposta,mas meu coração está bem comigo mesma.hoje ela não fala mais comigo,diz que me intrometi demais na sua vida e que não sou bem vinda na sua casa.por mim tudo bem,eu tenho enorme consideração e admiração por ela,mas sei que Deus sempre sabe o que faz,e tudo coopera para o bem.
    Patrícia desculpe o longo desabafo mas quando li seu texto me vi nele.Obrigada e que Deus te abençoe cada dia mais.bjs!

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Roberta. Entendo a sua postura, mas realmente quando a gente se mete com família o caso é sério, ainda mais entre mãe e filha. A sua cunhada deve ter escondido a história por vergonha de perdoar (na nossa cultura só quem é “bobo” perdoa…). Mas vc fez sua parte e, com o passar do tempo, elas verão que vc não se intromete mais e a amizade vai voltar! 😀

  • Poliana Marcia diz:

    Bom dia Paty. Eu estou tendo um sério problema com isso, Minha mae ela fala muito e repete as coisas, ninguém aguenta, fala alto
    Só conta problemas. E eu a ajudo mais ela entende que quero mandar nela já até falou que eu sou a mãe e ela filha. Eu a amo quero ajudá-la pois as pessoas muitos nem aguentam ficar muito com ela. Caso tenha uma dica aceito. Obrigada gosto muito do seu blog♡

    • Patrícia Lages diz:

      Olá, Poliana! Entendo sua posição, mas só podemos ajudar quem quer ajuda. Afaste-se um pouco e dê chance dela enxergar por si mesma aquilo que vc já viu. Às vezes as pessoas precisam de espaço. Bjs

  • Vilma diz:

    D.Patricia…
    Aos meus 17anos fui molestada por uma pessoa próxima da minha família,isso foi o suficiente para eu me encher de ódio, ressentimento ruins,revolta e achar que não tinha sorte na vida.
    Com o tempo conheci uma pessoa e me abri com ela, essa pessoa se tornou meu namorado,mas,não foi suficiente pra aliviar minha alma,tudo que iríamos fazer juntos sentia medo,insegurança,chegamos namorar 2 anos e casamos. E com isso Comecei ir na IURD e foi daí que Deus me fez entender que tem pessoas que são possuída por um espírito maligno e comecei a ver a pessoa que Me molestava diferente…depois de alguns anos me reencontrei com a pessoa e vi que eu havia perdoado porque não sentia mais nada de Sentimento ruins e trabalho junto com essa Pessoa…feliz e lembro apenas desse fato na minha vida pra trocar experiência.

    Perdoar foi um Dom que Deus injetou literalmente dentro de mim…e sou grata por isso! E felizzzzzz….

    • Patrícia Lages diz:

      Parabéns, Vilma. Creio que vc venceu uma das batalhas mais difíceis que podem existir!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: