Se você acha que controle financeiro eficiente só é possível para quem tem tempo de fazer um monte de planilhas, se enganou! Em 6 passos simples você prepara o seu, confira!

Seu sucesso financeiro em apenas 6 passos!

O controle financeiro é a base de uma vida economicamente saudável.

Sem ele não tem como saber se você está seguindo no caminho certo.

É como se você quisesse ir a uma cidade distante sem mapa, sem GPS, sem Waze e sem a orientação de ninguém!

As chance de você chegar lá são bem pequenas, além disso, você certamente levaria muito mais tempo.

Para encurtar o caminho e seguir na direção correta, anote e pratique já os 6 passos a seguir.

Se você prefere ler, estão todos descritos a seguir.

Se prefere assistir, ao final do post temos o mesmo conteúdo em vídeo. 🙂

 

 

#1 – Reúna todas as contas a pagar e a receber

 

Junte todas as contas a pagar para ter a noção exata de todas as suas despesas mensais.

Não esqueça de olhar a fatura do cartão de crédito e verificar quais são as compras parceladas que você tem a pagar nos próximos meses.

Faça o mesmo com todo tipo de parcelamento que tiver, caso contrário, você vai esquecer e acabar fazendo outras dívidas.

Verifique também no seu contra-cheque (ou hollerith/holerite, como falamos aqui em São Paulo) qual é o seu salário líquido.

Não adianta contabilizar o valor bruto porque não é isso que você efetivamente recebe.

Se você é autônomo, veja qual é a média do seu rendimento dos últimos 4 ou 6 meses.

Para ser mais conservador, contabilize como renda o valor mínimo que você recebe mensalmente.

Com esses dados em mãos, vá para o passo 2!

 

 

#2 – Lance seus recebimentos e gastos

 

Esses lançamentos podem ser feitos em uma planilha de computador, em um caderno, aplicativo, enfim, onde fique mais fácil para você.

Não importa a ferramenta que você vai usar, pois o conceito é sempre o mesmo, OK?

De um lado você vai colocar tudo o que tem para receber e, do outro, tudo o que tem a pagar.

Mais simples do que brincadeira de criança!

Feito isso, já vamos para o passo 3.

 

 

#3 – Faça um diagnóstico das suas finanças

 

 

Esse diagnóstico é bem simples:

Você vai somar todas as suas contas a pagar e ver se elas são superiores ou inferiores aos seus recebimentos.

Por incrível que pareça, a maioria das pessoas percebe que deveria sobrar dinheiro no orçamento porque é isso que as contas apontam.

Nesse momento elas pensam:

“Para onde está indo esse dinheiro que deveria sobrar, segundo o meu diagnóstico?”

E é aí que entra o passo 4!

 

 

#4 – Anote os gastos arbitrários

 

 

Os gastos arbitrários são aqueles que não entram no seu orçamento, mas que você acaba fazendo quase todo dia.

É o café da manhã fora de casa, um presentinho para o filho, a “brusinha” baratinha que você compra sem precisar de “brusinha” nenhuma… rs…rs…!

São pequenos gastos do dia a dia que, ao longo do mês podem representar um montante alto e é nisso que o dinheiro que deveria sobrar está indo.

A dica é que você anote todos esses gastos, sem deixar passar nenhum.

Nós temos uma ferramenta fofa para isso que é o Diário de Consumo que você vê na foto acima.

Esse é um produto exclusivo aqui do nosso blog e você pode pedir 2 unidades por R$ 10 clicando aqui neste link.

Mas, é óbvio que você não precisa necessariamente do diário, afinal de contas, pode anotar onde quiser!

A ideia é que, dessa forma, você saia do automático e analise melhor cada compra.

As que forem desnecessárias, você corta ou diminui e, então, vai começar a ver o dinheiro sobrar.

Mas tem mais dica para o seu dinheiro aparecer!

 

 

#5 – Dê uma geral nas suas contas

 

 

Verifique todas as contas que você anotou no seu orçamento e veja quais delas estão muito altas.

Analise as que dá para baixar e até mesmo as que podem ser cortadas.

Coloque metas para baixar um pouquinho de cada conta.

Veja esse exemplo simples:

Se você cortar apenas esses valores abaixo, olha quanta economia dá para fazer!

  • Energia elétrica – R$ 15
  • Água – R$ 5
  • Telefone – R$ 20
  • Gás – R$ 10
  • Total economizado no mês R$ 50
  • Total economizado no ano R$ 600

Ou seja, em apenas 4 contas (om um objetivo de redução bem realista) você já pode deixar de gastar 600 reais em um ano.

Vale a pena ficar de olho nas contas.

E, para fechar, vamos à última dica!

 

 

#6 – Torne-se um investidor

 

 

Aí você pode estar pensando:

“Como assim investidor? O dinheiro não sobra, nunca consegui juntar dinheiro!”

Bom, a questão é que se você for esperar sobrar, nunca vai investir mesmo.

O segredo é separar um valor por mês antes de pagar qualquer conta.

Uma vez que você vai ficar de olho nos gastos, já vai começar a aparecer dinheiro.

Então, se você economizar 100 reais que sejam em um mês, já coloque como meta que no mês seguinte, antes de sair pagando as contas, você vai se pagar primeiro.

Pegue esses 100 reais e comece a investir.

Pode parecer pouco, mas ainda que você guardasse debaixo do colchão – coisa que você não vai fazer! – você já teria 1.200 ao final de um ano.

Então, comece já a se enxergar como um investidor e, daqui algum tempo, você vai agradecer a si mesmo por ter começado.

 

Se você tem a possibilidade de investir um valor acima de mil reais, indico o Banco Ourinvest como seu parceiro.

Lá, você vai ter um assessor para dar todas as informações necessárias e apresentar as melhores opções.

Para entrar em contato, você pode visitar o site www.ourinvest.com.br ou pelo 0800-771-4342 (horário bancário).

 

Para quem prefere assistir!

 

Se você gostou dessa dica, compartilhe esse post com os seus amigos.

Mande o link pelo WhtasApp nos seus grupos e ajude a gente a levar educação financeira para mais pessoas!

Siga-me no Instagram, onde sempre coloco dicas e frases legais (clique aqui).

Nos vemos!

 

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *