Vou repetir: você foi programada para ser pobre. E não só você, mas seus pais, vizinhos, amigos e eu também. Nossa cultura “vende”a pobreza como algo do qual não se pode livrar, mas você não deve pensar assim!

Você foi programada para ser pobre!

Hoje o desafio será diferente, pois vou convidar você a ler minha coluna de ontem no R7.

Para quem não sabe, tenho uma coluna na seção “Meu Estilo”, no Portal R7.

Faço uma análise todas as quartas e domingos sobre diversos assuntos, mas sempre trazendo um contraponto.

Aliás, você que está nos acompanhando aqui no desafio já sabe que é preciso contrapor muita gente e muitos velhos hábitos para não torrar o seu dinheiro, não é mesmo?

Tenho recebido inúmeros relatos interessantes de leitoras aqui no blog sobre suas experiências com o 30DSC.

Por isso, estou até pensando em fazer um apanhado de algumas histórias e publicar aqui.

Afinal, nem todas leem todos os comentários. O que você acha? 🙂

 

Então, leia atentamente a análise sobre a nossa programação para sermos pobres.

Para ir para o R7, clique aqui!

 

 

VEJA OS DESAFIOS ANTERIORES!

DIA 01 – Desafio 30 dias sem compras – Começa aqui!

Dia 02 – Vença os obstáculos invisíveis

Dia 03 – Vença as lutas visíveis

Dia 04 – Vença as vergonhas financeiras

Dia 05 – Não é uma resposta completa

Dia 06 – Defina um objetivo e as lutas virão!

Dia 07 – Critérios para compras durante o Desafio

Dia 08 – A onda do empoderamento desempoderado

Dia 09 – Cuidado com as compras via internet

 

VEJA O PRÓXIMO DESAFIO!

Dia 11 – Não te entendo, te ofendo

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Nos vemos amanhã!

Jornalista, especialista em finanças, autora de 5 best-selleres, colaboradora dos programas Mulheres (TV Gazeta) e Escola do Amor (Record TV). Colunista do portal R7 e youtuber.

  • Fiz uma compra!Minha única rasteira arrebentou.Chirei desconto e comprei no site de usados!! Paguei no dinheiro.

  • Excelente o conteúdo da coluna, só li verdades!!
    Tenho aprendido muito com seu blog e vídeos.

  • Ual, que texto foi aquele… Parabéns Patrícia !! Concordo plenamente que devemos nos reeducar para que as coisas fiquem melhores, obrigada pelo incentivo e pelas dicas.

  • Esse e meu caso patricia acabo gastando mas do que ganhou sabe por que ,por causa do cartão pois acabo não tendo paciência de esperar si quero tudo de uma vez e assim nunca consigo sair das dúvidas ,mas agora estou aprendendo a cuidar melhor ou seja vendo suas dicas estou começando a ter disciplina obrigada 😘 haa esse mês já tenho consciência apenas vou pagar as contas e nada de compra coisas desnecessário

  • Bem verdade o que foi explanado no post. Este blog está a cada dia melhor. Parabéns pela coluna no R7. Se me permite acrescentar, tenho vivenciado situações em meu trabalho (sou advogada) na qual percebi que há uma “cultura de pobreza” mais fortemente direcionada às mulheres e às crianças… Explico. Há muito tempo, desde as primeiras civilizações patriarcais, a mulher (e as crianças) eram vistas como objetos, mercadorias, ou fardos. Mulheres viúvas ou solteiras não tinham direito à herança e tinham de servir aos maridos ou aos irmãos, que ficavam senhores de toda a fortuna eventualmente deixada pelos pais… Ainda hoje se percebe uma cultura de imposição de “pobreza à mulher”. Até mesmo no meio jurídico vigora essa “cultura” de que a mulher ou a criança deve renunciar a direitos patrimoniais, para evitar exposição ou para evitar conflitos com irmãos homens ou maridos (que são sempre mais fortes). Mentalidades que pensam que a mulher ou a criança tem obrigação de renunciar a direitos e aceitar exploração patrimonial são usurpadoras, mesquinhas e maldosas… Mulher tem de se sustentar sozinha atualmente (e não raro sustentam os seus filhos sozinhas). Portanto, mulher tem direito ao respeito patrimonial e à obtenção de bens que, por direito, lhes pertence…

    • Como não sou advogada, não tinha visto a questão sob esse aspecto que vc cita. Porém, lembrando de algumas partilhas de bens que acompanhei de famílias conhecidas, aconteceu isso que vc menciona, de que a mulher “não precisa” tanto quanto o homem e, por isso, deveria abrir mão em “benefício” da família. Alguns até colocaram a questão de que “homens sabem administrar melhor” e que estariam “ajudando” as mulheres ficando com o patrimônio “da família”. Graças a Deus, legalmente, todos os herdeiros têm o mesmo direito, porém, a cultura que ainda tenta se impor é a de que os homens têm maior peso. É, no mínimo, curioso que isso aconteça em pleno 2019! Obrigada por trazer seu ponto de vista!

  • Ótima ideia, realmente não dá tempo de ler todos comentários. Cresci ouvindo meu pai dizer isso: nascemos pobres, vamos morrer pobres e precisamos nos conformar. Nunca concordei com isso e nunca me conformei.

  • A cultura do brasileiro é pensar que ser pobre é algo sem solução.
    Na verdade, o conhecimento é libertação em qualquer esfera da vida.

  • Como falamos aqui no Sul
    Bah Paty! Muito importante o assunto abordado no post do R7
    Quando aprendemos a tratar bem nosso dinheiro tudo muda
    Sou prova disso e hoje colho os resultados
    E continuo a plantar!
    Obrigaaaa

  • Concordo. Realmente fomos programados para ser pobres. Mas com conhecimento podemos mudar essa situação. Ótima coluna 😉

  • Estou amando acompanhar este desafio…
    Atualmente, cuido da minha mãe que está acamada e tem muitas necessidades, fica tudo muito caro e acabo por pensar que não tem jeito, enquanto essa situação perdurar… mas deve ter jeito, deve ter um jeito de manter a organização das finanças, ainda mais quando o quadro é estável… será que seria possível, algum dia, você abordar esse assunto?
    Muito obrigada!

  • Boa noite!
    muito verdade.
    Minha mãe é empregada doméstica e eu muito cedo fui ser empregada doméstica também, quando fui fazer faculdade Me falaram pra que isso agora depois de velha quer estudar mas assim mesmo fui em frente

  • ” Quebre o ciclo! Eduque-se, viva de acordo com as suas condições e lute para crescer sem depender de crédito a juros exorbitantes. Você pode, resta saber se crê e está disposto.”
    Dica valiosa. Obrigada.
    Estou disposta sim.
    Bjs

  • Hoje pela manhã ouvi um comentarista, muito conceituado em SC, fazer seu comentário diário em um rádio regional. Ele falou em como as pessoas tomam medidas de segurança básicas no dia a dia, como, simplesmente, colocar o cinto quando entra no carro, mas como não aplicam essa mesma regra para a vida financeira. Não pensam na segurança do futuro financeiro. Não guardam dinheiro, sempre com uma desculpa ou outra e culpando a má gestão de nossos governantes pela seu infortúnio financeiro. E quando li seu texto hoje na coluna, achei que ele foi a cereja do bolo! Nunca é tarde para aprender como administrar melhor nosso dinheiro e você tem nos ajudado muito nisso. Bjs

  • AMEI TUDO QUE DISSE NA COLUNA…ALAIS REVI MINHA VIDA NOS PONTOS COLOCADOS. DEUS ABENÇÕE.

  • Oi Patrícia! Meu problema é com as compras de roupa pela internet. Já fiquei quase 2 meses sem comprar, pois tinha aderido a um desafio de 6 meses sem compra, mas surgiu uma necessidade real e eu acabei extrapolando (pensei exatamente como você relatou em um texto anterior, “Já que tive que abrir uma execessão, vou chutar o balde!”). Enfim, eu não tenho dívidas, mas essas compras são desnecessárias e me impedem de economizar mais e adiam objetivos maiores que tenho. Aderi ao seu desafio de 30 dias sem compra, mas depois que aderi, surgiu uma oportunidade de comprar um vestido de uma marca que eu gosto muito (e que são carinhos, por sinal) com um desconto de quase R$ 100,00. Resisti alguns dias, até que descobri que era a última unidade e que tinha outra pessoa interessada no vestido. Na hora nem pensei muito, usei o computador do trabalho, sem proteção nenhuma para compras na internet, corri lá e fiz a compra na última quarta-feira. Depois, me deu uma tristeza, pois o vestido é realmente lindo, estava com um preço abaixo do normal e que eu podia pagar e sei que iria ficar ótimo em mim, mas eu não PRECISO DELE, EU NÃO TENHO MAIS ESPAÇO PARA GUARDÁ-LO, e PRINCIPALMENTE fiquei frustada com minha falta de Domínio Próprio. Fiquei 2 dias assim, arrasada, mas continuei lendo os textos do desafio e tomei coragem para solicitar cancelamento da compra. Enfim, expliquei à vendedora que por motivos pessoais não posso ficar com ele agora e solicitei o cancelamento. Estou recomeçando o desafio e quero te agradecer pelos seus textos, pois eles dão força a pessoas assim como eu a continuarem nessa mudança de mentalidade. A minha luta maior tem sido contra mim mesma, e você tem me ajudado nisso. Obrigada, e que Deus te abençoe e continue te usando para abençoar mais vidas.

    • Que legal, Munick! Vc percebeu que o desafio não é meramente deixar de comprar, mas sim, exercer domínio sobre nós mesmas e agir racionalmente em todos os sentidos. Acredito que ter cancelado a compra foi muito mais do que economizar dinheiro e que vc esteja se sentindo muito feliz consigo mesma. E, no fim das contas, é isso que importa! Bjs

  • Amei! Tenho muita vontade de fazer um projeto de extensão na faculdade sobre educação financeira nas escolas. Se quiser me orientar, me mande um e-mail, pois não sei por onde começar 😉

  • Maravilhosa o sua coluna no R7…amei a frase e anotei pra levar pra vida toda…”Quebre o ciclo! Eduque-se, viva de acordo com suas condições e lute para crescer sem depender de crédito e juros exorbitantes.”
    Obrigada por suas dicas valiosas!

  • Saudações novamente Patrícia, seus textos e reflexões são inspiradoras e carregadas de verdades. Amei o texto da sua coluna no R7 que você citou, só li verdades. É incrível como a cultura brasileira ainda é voltada para pontos negativos que são perpetuados de geração a geração, o medo, a falta de conhecimento, aliado ao imediativismo, ao consumismo desesnfreado e tantos outros fatores levam milhares de pessoas a estagnação e a uma vida recheada de vitimismo.

  • Se fui programada para ser pobre já estou dando boot e reprogramando! Que que é isso?! Kkkk Deus nos deu habilidades empreendedoras, basta olhar a mulher de provérbios 31! Patrícia obrigada por compartilhar seus conhecimentos, atendendo demais!

  • Se fui programada para ser pobre já estou dando boot e reprogramando! Que que é isso?! Kkkk Deus nos deu habilidades empreendedoras, basta olhar a mulher de provérbios 31! Patrícia obrigada por compartilhar seus conhecimentos, aprendendo demais!

  • olá Paty
    menina ! que maravilha de assunto amei amei
    eu também acho que deveria ter educação financeira na escola
    comprei todos os seus livros e dei para os meus filhos lerem.

    grata por tudo

  • A mais pura verdade… Eu pensava que precisava muito do meu emprego para poder me manter e ter o que eu quero mas do que adianta ter um emprego onde enriquece os outros e nem é desejado por você… Estou descobrindo o meu potencial e como planejar financeiramente melhor.

  • Um artigo que realmente reflete a maioria da nossa população. Acho importante existir projetos de leis como a citada que infelizmente não foi aprovada. Depois de algumas palestras despertei para a importância da educação financeira. Porém acredito que a família está terceirizando suas funções básicas que é a formação do indivíduo para a escola. Eu acredito que educação financeira tem que ser ensinada em casa pela família, assim como o respeito, assim como a cidadania e diversas outras coisas que as famílias não se preocupam mais em passar para seus filhos. Na minha concepção pessoal, escola seria somente para disciplinas acadêmicas para a formação profissional. Para a formação do indivíduo cidadão a responsabilidade deve ser exclusiva da família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *