O que o banco dá X o que o banco cobra

Cuidado, pois você vai levar um susto com essa informação. Mas é imprescindível que você conheça como o banco funciona. Afinal, eu creio que você é cliente de algum deles!

O que o banco dá:

Deposite R$ 100 na poupança e deixe lá por 1 ano inteirinho, sem sacar 1 centavo sequer. O que vai acontecer é que, ao final desse período, o banco que dará um rendimento de cerca de 6,17. Isso equivale a 0,5%. Isso mesmo, meio porcento. Deixando lá os seus R$ 100 você terá R$ 106,17. Talvez você compre uns 3 pães e um pote de margarina, dependendo de onde você mora e de como andam os preços na sua região.
O que o banco cobra:

Agora fique devendo os mesmos R$ 100 no cheque especial durante o mesmo período: 1 ano. Ao final dos 12 meses a sua dívida será de cerca de R$ 252. Inacreditáveis 150% de juros. Além de ter perdido os R$ 100, você perdeu mais uma vez e meia o mesmo valor!

Como os bancos estão mais ricos do que nunca:

Comprando a 0,5% e vendendo a 150%. Negócio lucrativo como esse não tem e quem paga a conta é o desavisado que acha que R$ 150,00 não é nada. Ora, nada mesmo são os R$ 6,17 que eles dão… Fique atenta!

Post baseado no trecho do livro Bolsa Blindada da pág. 156. Se você ainda não tem o seu, pesquise e compre aqui. Curta também nossa página no Facebook. Já somo mais de 105 mil blindetes! 🙂

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Roberta Miranda diz:

    Boa Tarde Paty é um absurdo mesmo. Tenho pena de quem se mete em divida bancária sem saber as taxas abusivas que são cobradas.

  • Suze diz:

    Acho que o segredo é pensar beeem antes de contrair um empréstimo. Ás vezes a pessoa quer por que quer o dinheiro, com uma ansiedade louca, e acaba que não presta atenção nesses detalhes.

  • Thais diz:

    Boa noite Patrícia! Sempre acompanho o seu blog e gosto muito, mas faz algum tempo que estou com uma dúvida que está me consumindo. A empresa que eu trabalho tem o costume de registrar os funcionários com um valor menor que realmente é o salário, sendo que o valor registrado é depositado no banco e o restante acertado “por fora”. Acho esta prática completamente errada e jamais faria isto na minha empresa, uma vez que o intuito é pagar menos impostos para o governo. Pesquisei na internet para saber se o funcionário, aos olhos da justiça, também está errado ao aceitar esta condição. O que achei foi bem vago, mas praticamente todos diziam que apenas a empresa é que está errada. Porém, eu não suporto a ideia de fazer algo que seja errado aos olhos de Deus, por isso tomei toda a coragem que tinha e fui falar com o meu chefe para ele mudar o meu registro com o meu verdadeiro salário. Claro que ele não entendeu nada, me questionou um monte, disse que eu sairia perdendo por que teria mais descontos e meu salário consequentemente seria menor. Como não mudei minha posição, ele disse que me daria um tempo para pensar. Sei que será muito difícil ele aceitar, pois ninguém na empresa tem o registro correto, o mais fácil para ele será me demitir. Enfim, neste tempo que passou, coisas aconteceram na minha família e as minhas contas aumentaram muito. A minha dúvida é que se é realmente errado aos olhos de Deus eu aceitar esta condição? Se for errado, eu irei falar com ele novamente já amanhã, pois não quero fazer coisa errada. Desculpe pelo texto longo, eu precisava desabafar com alguém.
    Muito obrigada Patrícia =D

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Thais. Até onde sei, para as coisas que não têm uma lei clara, fica válido o que foi acordado entre as partes. Por isso, não vejo nenhum erro da sua parte em vc aceitar ser registrada com um valor menor. O erro, como vc mesma pesquisou, é por parte da empresa. Tanto que, se vc for demitida, é seu direito receber a indenização pelo valor total (de registro + por fora). O que vc deve considerar é que, infelizmente, há inúmeras empresas que fazem isso por simplesmente não aguentarem a carga tributária que um funcionário incide. O problema das nossas leis trabalhistas é que elas são as mesmas para empresas enormes e para as micro. Há coisas que não são nada para uma multi-nacional, mas que para um pequeno empresário são impagáveis. É injusto para todo mundo, mas é por isso que algumas empresas acabam tomando essas decisões e não fechar as portas. O seu patrão está errado sim, mas ele, uma hora ou outra, vai pagar o que é devido, pois a lei o obrigará a isso. Quanto à você, não vejo porque se demitir do emprego por isso. Bjs

  • Nédia diz:

    Ola Dona Patricia.
    Gosto de ler suas postaguens, afinal tornar-se virtuosa requer cuidados em todos aspectos de nossa vida de modo que haja um Equlibrio. E esse equilibrio é que faz o nosso Deus ser mais glorificado afinal Ele é Equlibrado.
    Não gosto de creditos e nem emprestimos, (ja sofri com iss por pouco tempo) e adotei sozinha o estilo tradicional. Junto pra comprar o que desejo, logo o que tenho comigo é “totalmente” meu. Por isso dou total razão ao que foi cidado a respeito dos bancos.
    Li e tenho praticado com gosto sobre o tema de separar os ganhos a 10-20-70 se nao me equivoco. Como sou uma pessoa ainda sozinha e estudante tem epocas do ano em que consigo fazer 10-50-40, e alem disso busco comprar mais as ofertas que valham a pena.
    Bom o que quero colocar lhe pode parecer meio ignorante , mas gostava de saber o seguinte, ja nesse caso o que me sugere (eu digo sugerir pois estou de ouvidos para o que responder)? Que não deva de abrir uma poupança, ficar mais atenta as comissòes de juros oferecidos ja que eu por norma não uso creditos?
    Obrigado e bjs na fé.

  • Louise diz:

    Oi Paty!!

    Vim aqui hoje registrar uma notícia simples, mas que me deixou muito feliz!!
    Eu havia emprestado seu livro para uma amiga minha e hoje ela me devolveu aqui no serviço… Eu esqueci no setor dela, e outra funcionária me ligou minutos depois dizendo que se interessou pelo livro e me pediu para emprestar pra ela!
    É claaaro que eu já passei pra frente né 😀
    Tenho certeza que vai ajudá-la assim como tem ajudado tantas pessoas, e com certeza a sementinha será plantada 🙂 😀 🙂
    ——-
    Mas em relação a este post, realmente, essa informação serve pra abrir os nossos olhos, eu sempre me enrolei muuuuito mesmo com os produtos dos bancos, parece um labirinto sem fim! Você entra com a maior facilidade do mundo, mas se não tiver controle e o livro bolsa blindada pra aprender a ser uma blindete (rsrs)…. é muito difícil sair.

    Beijinhos, que Deus continue te abençoando, e cada dia mais!! ♥

  • Joselene Lima diz:

    A mais pura verdade, juros absurdos se você ficar devendo, pouco rendimento se você depositar numa poupança. O que eu faço que acho interessante e lucrativo: ao invés de depositar o dinheiro numa poupança, invisto em algo e revendo, multiplicando assim os meus lucros.

  • Camila Ogassavara diz:

    Patricia, estou lendo o seu livro e a primeira coisa que fiz foi diminuir o cheque especial (ja que o banco não me deu a opção de cancelar).
    Assim eu não conto mais com aquele dinheiro que parece mais não é meu.
    Seu livro tem sido muito edificante. Quero o 2 logo rsrs
    Abraços

  • Carla diz:

    Olá, dona Patrícia.

    Gostaria de saber uma forma eficiente de investir meu dinheiro, acompanhei seu livro ( ainda falta adquirir o volume 2) e graças ao conteúdo e muito esforço (e cortes principalmente), CONSEGUI PAGAR MINHAS DÍVIDAS! Agora, preciso de alguma forma para poupar minha renda. Obrigada e parabéns!!

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Carla. Parabéns por ter pago suas dívidas!! Uhuuuu! 🙂 Iremos começar a dar dicas de investimento em breve, fique ligada!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: