Como lidar com as críticas (sem pirar!)

Ser criticada em algum momento da vida é inevitável, ainda mais quando você está crescendo em algum aspecto. A pergunta é: qual a melhor forma de lidar com isso? Confira no post de hoje!

 

Female Student Being Bullied By Classmates

Quando você se torna uma pessoa pública fatalmente está colocando um alvo nas sua testa sobre o qual serão lançados muitos dardos envenenados pelas críticas. Entenda tornar-se uma pessoa pública o fato de simplesmente ter um perfil no Facebook. Isso mesmo!

Se você tem um perfil em uma rede social e publica qualquer coisa que seja, você já está se expondo a um público, seja ele pequeno ou grande. Por isso, nunca foi tão necessário aprender a lidar com as críticas como nos dias de hoje.

Você que me acompanha há algum tempo sabe que minha presença na internet tem se ampliado e que também estou semanalmente no rádio e na TV. Isso fez com que não só a minha visibilidade crescesse, mas também o número de críticas. Por isso, creio que tenho alguma experiência para lhe dar algumas dicas…

 

CríticaSaiba diferenciar conselhos de críticas

Para mim, o que diferencia claramente um conselho de uma crítica é o impacto que causado. Você pode não gostar de algo que lhe digam, mas se isso produz algo positivo em você, considere como um conselho e use a seu favor. Mas se trata-se de algo que só coloca você para baixo sem deixar nada de bom, desconsidere. Crítica vazia não merece sua atenção.

Analise o tom

Um conselho nunca virá em tom de desdém nem de ataque, mas sim com interesse em ajudá-la. Recebi muitos toques positivos que me ajudaram não só na minha carreira, mas em tudo na vida. Quem quer ajudar não precisa atacar, concorda?

Não entre no jogo

A pessoa que lhe critica, principalmente quando entra em uma das suas redes para falar mal de você, está buscando apenas uma coisa: ter certeza de que pisou no seu calo. Percebo isso claramente quando vejo que uma pessoa posta uma crítica sobre mim no meu Instagram e depois repete no meu Facebook, no meu canal do YouTube e, às vezes, reforça mandando uma mensagem pelo blog… Ela quer ser ouvida, quer ter certeza de que me incomodou e, com um pouco de sorte, que eu responda ao ataque para colocar lenha na fogueira dela.

Apesar que de vez em quando dá muita vontade de falar poucas e boas, o melhor que eu faço é ignorar solenemente (e aconselho que você faça o mesmo).

Não valorize o que não tem valor

Essa talvez seja a dica mais difícil de ser colocada em prática, pois às vezes, a crítica é tão baixa que acaba nos deixando tristes e chateadas. Já houve críticas que me estragaram o dia de tão sem pé nem cabeça que eram, mas no final das contas, quem perdeu fui eu… A pessoa que me ofendeu ficou felicíssima com o resultado e eu permiti que ela me atingisse. Portanto, a melhor coisa é não dar valor a críticas vazias, a ataques baixos e a disse-me-disse. Faça o esforço que tiver que fazer, mas ignore e não se deixe atingir.

Quando você vê a imagem abaixo, o que lhe vem à cabeça?

B6FCPE

Se eu estivesse ali, a primeira coisa que faria seria tirar a menininha do meio das que a estão atacando. Eu diria para ela não dar ouvidos ao que lhe disseram e que buscasse amigas de verdade. Diria para que ela não chorasse e que nunca mais deixasse ninguém chateá-la daquela forma! Bem, é isso que estou tentando fazer com você por meio deste post…

Saia de perto de pessoas críticas, não se rebaixe ao nível delas e não se chateie por causa delas! 

Tem uma amiga precisando ouvir isso? Que tal compartilhar este post com ela? e para não perder nada aqui do blog…

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Vanessa Aparecida do Santos Souza diz:

    Bom dia Patrícia, tudo bem? O que eu posso fazer? Meu problema é ao contrário… Não ligo para as críticas que eu sei que são destrutivas…faço como você, ignoro… Agora quando a crítica é construtiva e vem de alguém que eu amo, fico chateada. Essa semana meu esposo me fez uma crítica construtiva, na vez de analisar o que ele falou…fiquei chateada…O que fazer???

    • Patrícia Lages diz:

      Se vc mesma sabe que a crítica é construtiva e feita por alguém que quer o seu bem, em vez de se chatear vc previsa mudar. É uma questão de decisão!

      • Vanessa Aparecida do Santos Souza diz:

        Sim, Patrícia, tem razão…Está me faltando decisão…Obrigada. Bjos. Vou mudar isso.

  • Ana Carla Saud diz:

    Bom dia, Patrícia. Críticas excessivas, repetitivas e com o evidente objetivo de enfraquecer o outro podem ser consideradas bullying moral, como exemplificou a psicóloga Maria Tereza Maldonado em uma palestra dada na Comissão da Câmara dos Deputados, quando os esclarecia sobre os efeitos do cyberbullying. Nessa palestra ela falou sobre os prováveis motivos que levam as pessoas a fazerem esse tipo de Bullying (como a inveja, a vontade de ferir, de magoar e também, a vontade de boicotar, calar, frear ou conduzir a pessoa vítima do bullying). A psicóloga explanou sobre os resultados dessa espécie de prática e defendeu sua criminalização.
    Patrícia. Nenhum trabalho é perfeito, mas creio que você tem dado sugestões e ensinado boas coisas à pessoas. Temos visto muitas pessoas destrutivas, grosseiras, desonestas e mal intencionadas, que desejam desestabilizar seus “eleitos” e o que procuram fazer de bom. Isso é inadmissível. As pessoas que andam de acordo com as leis, são honestas e íntegras, “procuram fazer o seu melhor, com os recursos que dispõem”, podem sempre melhorar, mas não deveriam ceder às pressões destrutivas dos mal intencionados. Sua dica: “não entre no jogo” é a mais preciosa, ao meu ver, porque tudo o que um “bully moral” precisa é que a vítima se descontrole e “alimente a discussão”.
    Como sempre, muito proveitosas suas ideias.

    • Patrícia Lages diz:

      Quando não alimentamos a discussão ela morre de fome, Ana Carla! 😀

  • Diana diz:

    Showwww Patrícia…
    Muita obrigada, arrebentou. Abençoou meu início de dia.

    Que o Deus de Abraão continue ti iluminando com essas direções.
    Mil kisses

  • Anônimo diz:

    Oi Patrícia, tudo bem? Então, ano passado eu fiquei amiga de duas meninas. Eu me distanciei do meu antigo grupo e passei a andar com elas. Uma delas, odiava a outra, e eu sempre ficava no meio disso, porém ignorava a situação. Nesse ano, chegaram alunos novos na minha escola, e como tenho facilidade em fazer amigos, já me tornei amiga deles, uma em especial, pois eu conversava mais com ela do que com o resto. Um tempo passou, e essa menina nova me contou o motivo pelo qual ela saiu da antiga escola. Não posso mencionar aqui, mas foi muito triste o que aconteceu… Enfim, eu apresentei a escola pra ela e a enturmei, como sempre faço com as pessoas novas… Essas duas amigas minhas do ano passado, principalmente uma delas, começou a me tratar muito mal. Mas muito mal mesmo. Ela não entendia que eu queria ser apenas amigável com a menina nova e do nada ela começava a me xingar, começava a ser muito grossa comigo. Então, eu me afastei. Parei de andar com a menina nova também e voltei prara o meu antigo grupo. Eles me consolaram. Mais tarde, as duas começavam a me xingar no meio da classe, de tudo o que passar pela sua cabeça… A maioria vinha até mim para perguntar o que havia acontecido, e eu simplesmente falei que tava sendo amigável com a menina nova. Enfiim, elas ficavam me xingabdo, e batiam nas pessoas que falavam comigo… Em junho, antes das férias, eu fui na coordenação falar sobre elas. E nós nos desculpamos. Porém, elas ainda não pararam de me xingar. Esses dias um amigo meu chegou me xingando, mas eu não entendia nada do que tava acontecendo. Mais tarde ele pediu desculpas, pois ele ficou sabendo da história inteira. As duas distorciam a história, sempre me prejudicando. O que eu faço pra elas pararem? Não quero ficar brigando…

    • Patrícia Lages diz:

      Você não pode fazer nada para que elas parem, não há como obrigá-las. Mas você pode mudar sua atitude, pois se elas virem que te xingar não te afeta em nada, elas irão parar por elas mesmas. Quando as ofensas perdem a graça, os ofensores vão buscar outro alvo, pois eles sempre querem ter público. Outra coisa que vc pode fazer é escolher melhor seus amigos, pois se um “amigo” chega me xingando (como vc relatou), ele vai imediatamente deixar de ser meu amigo. Valorize-se!

  • rosemarie diz:

    Eu sofri com um comentário da minha nora, remoí e ainda estou tentando saber o que faço com o que ouvi.
    Moramos no mesmo quintal, e me esforço mt pra não me envolver com nada na vida dela e do meu filho. Não opino e não digo que devem fazer as coisas assim ou assado, e não é pq estou dizendo aqui, é assim mesmo que faço.
    Cuido deles qd estão doentes,mas sei até onde posso ir.
    Dia desses comentei com minha nora que adicionei a mãe dela no wats, e ela me respondeu o seguinte- AH sim, bem que minha mãe falou, estou falando com tu OGRA!!Ogra?? É assim que elas se referem a mim?? Somos Ogros aqui em casa? Gosto mt do filme do Schrek,por isso nem acho ofensa me chamar de Ogra,o que me machucou, foi saber que falam de mim em tons que não me agradam! Não sei o que pensar e como devo agir, por hora não fiz mta questão de ser compreensiva. Obrigada!

    • Patrícia Lages diz:

      Vou ser muito honesta contigo, Rosemarie: imaginar que ninguém coloca apelidos em nós é ser muito ingênua. É assim com você, comigo e com todo mundo. Inclusive vc mesma já deve ter dado algum apelido a alguém simplesmente para se divertir e não exatamente para ofender o outro. Depois do filme que vc citou ficou meio comum tirar o S de sogra e virar em ogra, mas se fosse com o sentido de te ofender, creio que sua nora não comentaria contigo. Não liga, não! Leva na esportiva que vc vai ser mais feliz! 😀

  • joselene lima diz:

    Patricia dê umas dicas desse post para a Cristiane Cardoso pois ela não sabe lidar com criticas e de vez em quando se deixa abater. Não é difícil ler posts dela reagindo, de forma que transparece a sua insegurança.

    • Patrícia Lages diz:

      Eu vejo que hoje em dia ela lida bem com isso. Estar no lugar dela não é fácil, pois é uma pessoa que foi criticada a vida inteira e isso só mesmo os fortes aguentam! Mas como tudo na vida, vamos aprendendo à medida que que o tempo passa 🙂

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: