Na sociedade hipócrita que vivemos se prega o empoderamento ao mesmo tempo que se cultua o vitimismo. Esse é o tema de hoje.

Será que você está sendo vítima do vitimismo?

A foto de hoje ilustra bem como é a sociedade em que vivemos…

Ao mesmo tempo que levantam-se bandeiras de empoderamento, o vitimismo é cultuado todo santo dia.

Mas o problema do vitimismo é que ele geralmente vem travestido de aplicação da justiça.

Exemplo disso é o fato de a sociedade (que é hipócrita, não se esqueça) fingir que apoia o negro mudando seu vocabulário e pregando seu empoderamento.

Porém, por outro lado, coloca o negro como alguém inferior, que se não for ajudado não vai chegar a lugar algum.

Que bipolaridade é essa? E por que essa pregação insistente em nos dividir por cor, religião, opção sexual, preferências políticas e por aí vai?

A pior coisa que já ouvi de um “ativista” que se dizia defensor dos negros (como se precisassem ser defendidos) foi: “Coitado, eles são muito injustiçados…”

Coitados? Pelo amor de Deus! É assim que se empodera alguém, chamando de “coitado”?

Um coitado é uma vítima por sua fraqueza, quem precisa de defesa é a vítima que não sabe fazer isso sozinha, quem é incapaz é vítima de sua própria falta de capacidade.

Logo, nota-se o quanto é ridículo dizer que a maioria dos brasileiros (formada por pretos e pardos, segundo o IBGE) precisa que alguém lute por eles.

E isso vale para tudo:

O evangélico que diz: “ninguém me contrata por causa do preconceito contra a minha fé”

A mulher que diz: “se eu fosse homem não falariam assim comigo” ou “eu teria um salário maior”.

Ora, todos nós sofremos injustiças de alguma forma, em maior ou menor grau e isso é e sempre será inevitável.

Porém, cabe a nós permitirmos que esse espírito de vitimismo se apodere de nós ou não.

Se você se deixar dominar pela ideia de que é uma vítima, viverá à sombra do que poderia ser.

Mas se você recusar o rótulo de coitado, aí ninguém vai lhe segurar!

A escolha é sua.

Nos vemos amanhã!

 

Confira o post anterior clicando aqui.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Bom dia querida! É isso mesmo, temos que escolher palavras para ñ magoar alguém, é muito mi mi mi… meu pai já dizia: ” minha filha a humanidade está idiotizada”. Somos tds iguais e ñ precisamos ser coitados para chegarmos onde queremos. Um grande abraço! 😍

  • Na Bíblia fala sobre racismo? Fala se naquela época havia racismo de cor ?

    Vejo que é um assunto delicado e quase sempre ninguém sabe falar corretamente a respeito.
    Amo todos os posts.😘

    • O que a Bíblia diz é que uma nação dividida não permanece, mas se destrói. Toda divisão preconceituosa não vem de Deus.

  • Olá Patrícia! Nesse contexto, surgiu em meio aos meus pensamentos, o que está em Gálatas 6,9: E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos. No entanto, sob o meu ponto de vista, considero importante também o que está em Provérbios 12, 22: O Senhor odeia os lábios mentirosos, mas se deleita com os que falam a verdade. Acrescento ainda o que está em 2Tessalonicenses 3,8: nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. E, reforço minha linha de raciocínio, com o que está em Provérbios 12,2: O homem bom obtém o favor do Senhor, mas o que planeja maldades o Senhor condena. Então, que prevaleça, em todas as situações, o que é realmente importante e verdadeiro. Abraços

  • Boa tarde Patrícia
    Há tempos atrás eu me fazia de vítima, até chorava para chamar atenção de algumas pessoas principalmente da família, porém , atualmente me policiei em relação a esse assunto.
    Hoje me sinto forte graças a Deus!!!!!
    A Bíblia nós adverte: Diga ao fraco que sou forte!!!!

  • Isso é fato todos os dias sofremos preconceitos, mas não podemos deixar que ninguém faça isso
    então não temos que ter medo do que vem pela frente.

    Um abraço!

  • Olá!
    Não aceito rótulo de coitada porque não sou e não me importo com a opinião de quem nem me conhece.
    Machismo? Racismo? Não…. pessoas com problemas internos querendo despejar lixo em mim…. e eu não aceito.
    Não é a cor da pele que definirá a vida de alguém.

  • “A pior coisa que já ouvi de um “ativista” que se dizia defensor dos negros (como se precisassem ser defendidos) foi: “Coitado, eles são muito injustiçados…”
    E como são muito injustiçados precisam de MIM para ajudá-los.
    E dá-lhe coachs, influencers, salvadores da pátria, justiceiros, super heróis de todos os tipos e para todos os gostos. Precisamos de alguém que nos salve.
    Ninguém quer um Jesus montado num burrinho. Não dá status. Como que esse coitado em cima de um burro vai me salvar? kkk
    Um porre isso.

    • Acabou se tornando um negócio lucrativo essa de “salvar” vítimas.

  • Usar de vitimismo é infelizmente uma arma de beneficio proprio nessa sociedade injusta e cruel… Isso evolui pra doença… Que Deus nos ajude

  • Atentando às propagandas de período eleitoral podemos ver bem as pessoas utilizando da inocência das pessoas com estes vitimismo. Vote para representar você mulher…,você negro…,você pobre…, você… Poucas propostas e ideias. Eu preciso dizer que a anos atrás que eu não tinha noção política alguma. Votar era um peso. Um domingo perdido. Eu já votei sem ter a mínima noção de candidato. Votei só pela candidata ser mulher. Votei só pelo candidato ser de classe humilde ou trabalhadora. Votei pelo candidato ter um grau de instrução alto pois defenderia quem não teve oportunidade de ter instrução… Nunca havia antes analisado caráter e nem propostas. Era só eu ouvir um discurso com vitimismo e eu me identificar ou simpatizar já votava. E as consequências eram sempre ruins. E nestes últimos 5 anos que eu comecei a checar o caráter, as propostas, a vida política, …E agora voto consciente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *