Quem te representa?

“Bela, recatada e do lar”“Primeira dama do turismo”. Por que tudo hoje em dia gera tanta polêmica? Deixe a sua opinião.

marcela-temer-2015-1-original

Depois da matéria publicada pela revista Veja com o título “Bela, recatada e do lar” levantou-se mais uma super polêmica nas redes sociais.

A matéria traça o perfil de Marcela Temer, esposa do vice-presidente Michel Temer, definindo-a com as qualificações do título: bela, recatada e do lar. Três palavras foram o suficiente para causar um frisson no mundo virtual e imagens como estas abaixo começaram a ser divulgadas em “protesto” ao que muitas mulheres chamaram de machismo, sempre devidamente acompanhadas de hashtags como #beladesvairadaedobar.

tumblr1

002-692x360

Vou me ater apenas a estas duas fotos porque não vou colocar meu blog a serviço da degradação da imagem mulher…

Para começar, creio que muita gente nem sequer sabe o que a palavra recato significa. Era só ter lido o dicionário, não custaria nada e evitaria esse tumulto todo. Recato = discrição. E o que há de errado em ser discreta? E quanto a ser bela então? Não é incrivelmente hipócrita que o segundo país do mundo em número de cirurgias plásticas critique a beleza?

E mais: o que há de errado com as mulheres que podem optar em cuidar da casa e criar seus filhos? Obrigatoriamente a mulher tem que trabalhar para ser alguém na vida? É só um emprego ou uma carreira que realizam uma mulher? Será que perdemos o direito de fazer o que quisermos com nossa própria vida?

Mas a “resposta” veio tão rápido que pegou muita gente desprevenida… Afinal, o que dizer da auto-intitulada “primeira dama do turismo”?

Screen Shot 2016-04-26 at 12.10.13

A “Miss Bumbum” nos Estados Unidos que faz ensaio fotográfico de gosto duvidoso – e sem nenhum recato – no gabinete do marido é que está com tudo?

Screen Shot 2016-04-26 at 12.51.21

Desculpem as “moderninhas” e as “prafrentex”, mas isso é roupa para frequentar um gabinete de ministro de Estado? Eu trabalhei em Brasília muitas vezes e já frequentei gabinetes de deputados, senador e até ministro, mas jamais – JAMAIS – usaria uma roupa que desmerecesse a mim mesma como mulher ou que desrespeitasse locais públicos tão importantes.

A pessoa abaixo representa você como “primeira dama” de qualquer coisa? Aliás, “dama”? É como a imagem abaixo que as mulheres devem agarrar, digo, cumprimentar os homens? É se orgulhando de ostentar uma faixa com o título “Miss Bumbum” que se mostra ser uma “mulher de verdade”?

Screen Shot 2016-04-26 at 12.11.08

A sua vida é o resultado das suas escolhas. Faça dela o que quiser, mostre seu corpo como quiser, coloque-o numa vitrine como se estivesse em liquidação, divulgue caras e bocas, faça de locais onde deveria haver o mínimo de recato (sim re-ca-to) virar uma bandalheira. Mas depois, não reclame…

  • Essa “primeira dama” não me representa.
  • Uma mulher que tem orgulho de encher a cara até cair não me representa.
  • Uma mulher que se expõe ridiculamente não me representa.
  • Uma mulher que é enaltecida por suas características físicas, sejam naturais ou esculpidas na ponta do bisturi, não me representa.
  • Esse falso feminismo não me representa.
  • As “do bar” não me representam.
  • As pessoas que entram em polêmicas sem o menor conhecimento de causa não me representam.

E você? Qual imagem tem lhe representado?

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Ética
  • luana Rocha diz:

    Patrícia, você me representa!
    E eu quero representar muitas mulheres também.
    Firmes no propósito.

  • Luciana diz:

    Pois é Patty, as pessoas se incomodam tanto com a bela, recatada e do lar mas não se importam de publicarem fotos degradantes e chocantes de si mesmas, com a “justificativa” que podem fazer o que quiserem de suas vidas. Na verdade, vejo que elas querem provar a qualquer custo como são felizes. Mas para ser feliz não precisa de auto-degradação, certo? E para finalizar, Jesus me representa!! Sempre! Beijo

    • Patrícia Lages diz:

      É isso, Lu! Bjs pra vc e a mãe ?

  • Juliana diz:

    Dpois desse texto a única coisa q tenho a responder é ” sem mais” me acho bonita, sou discreta , trabalho fora, cuido dos meu filhos e tb sou do lar, tenho 33 anos e no meu guarda roupa desde minha adolescência nunca teve roupas q mostrasse o q eu julgo desnecessário, parabéns Paty p mostrar p outros q ainda existem mulheres q são recatadas (discretas) bjs Ju

  • Diana Santos diz:

    Simplesmente perfeito.
    Esse texto magnifico me representou.
    Que Deus continue abençoando sempre.

  • Cristiane diz:

    Bom dia Patrícia!
    Na minha opinião, não podemos chamar de mulher algumas pessoas. Existe uma diferença entre ser do sexo feminino e ser mulher. Ser do sexo feminino qualquer pessoa que nasça com as características femininas será, mas mulher… Ahhh… ser mulher é uma escolha!
    Mulher se valoriza! Mulher sabe falar e sabe se comportar! Mulher sabe amar e ser amada! Mulher se respeita e respeita os outros! Mulher tem virtudes! Mulher é sábia! Mulher escolhe sempre o melhor!!!
    Mulheres, infelizmente, são poucas!!! Agora, pessoas do sexo feminino, ahhh, essas tem aos montes!

    • Patrícia Lages diz:

      Arrasou!

  • SIMONE MEDEIROS diz:

    Patricia, como sempre, nos fazendo pensar. Quando leio seus textos vejo como as pessoas andam em manadas. Você é especial. Obrigada por compartilhar conosco tanta sabedoria.

    Você é nota 1.000

  • LuFrabetti diz:

    Muito obrigada.
    Assino em baixo.

  • Mônica Lima diz:

    Oi Patrícia. Amei sua colocação. Estava eu tentando explicar pro meu filho de 13 anos toda a polêmica sobre o caso da Veja. E ele me disse assim: mãe, o que tem a mulher ser discreta, dona de casa? Se ela esta feliz assim… e por que as outras tem q ficar tão preocupadas com o que a faz feliz? Provavelmente porque elas nunca serão felizes da forma que vivem e querem culpar quem consegue. Tudo bem q se eu tivesse o padrão de vida dela também seria feliz em ser simplesmente “do lar”, mas não acho que porque eu corro atrás de um futuro e qualidade de vida melhor para mim e para os meus, preciso me incomodar tanto com alguém que tem uma vida diferente mais estável. Bjos.

  • Charlene diz:

    Bom dia Paty.
    A primeira coisa que fiz ao terminar de ler este post foi publica-lo no meu face… queria que todas as mulheres lessem isso. Muito bacana ter em mente quem realmente deve nos representar. Bjs

  • Rinalva Santana diz:

    FORTEEEEEEEEEEEEEE PATRÍCIAAAAAA! MUITO BEM! A MULHER VEM A CADA DIA SE DEGRADANDO DE FORMA ASSUSTADORA E O PIOR QUE NEM SE DÁ CONTA DISSO. O QUE DIZER DAS “MÚSICAS” CUJAS LETRAS “ELEVAM” A MULHER A NADA? COM DANÇAS TÃO RIDÍCULAS E DEGRADANTES, INFLUENCIANDO ATÉ CRIANÇAS? NESTE TEMPO DE UMA TÃO TERRÍVEL INVERSÃO DE VALORES, É URGENTE FALAS DE MULHERES QUE POSSAM APONTAR OS EQUÍVOCOS QUE A MAIORIA ACHA QUE SIGNIFICA SER MODERNA, INDEPENDENTE, “PODEROSA”.

  • Kamila Walter diz:

    Patrícia, o protesto não foi contra as belas, recatadas e do lar, mas sim contra a conotação que a reportagem deu, de que só elas merecem valor. Quem não abdicou da profissão pela família, ou quem não quis ter família, ou quem gosta de ir no bar ficou como se fosse o modelo errado de mulher, quando na verdade o lugar de mulher é onde ela achar que deve estar. 🙂

    • Patrícia Lages diz:

      Não creio que tenha sido isso, Kamila. A matéria não diz que só essa mulher tem valor, ela simplesmente traçou o perfil de alguém que é assim. A Marcela está sendo chamada de retrógrada, antiquada, Amélia e isso não é expor uma opinião com respeito a quem pensa diferente. Isso é dizer que ela está “errada”. É assim que eu vejo.

      • Gabi Lummertz diz:

        Patricia, meu entendimento foi o mesmo da Karla, que a Veja quis dizer que só mulheres assim tem valor. E ao protestarmos, o que queremos é que a mulher não tenha rótulo que cada uma possa ter suas características, sonhos e sim buscar por direitos iguais e uma sociedade menos machista. Eu acredito que merecemos um sociedade que respeite mais as mulheres, independente de comportamentos e roupas, isto incluiu as próprias mulheres que infelizmente na sua maioria também são machistas.

      • Kamila Walter diz:

        Pode ser isso também que você disse, Patrícia. Mas também vi bastante reportagens legais, dizendo como você pode ser mulher de valor de diferentes maneiras, do lar ou não. Pessoas que desvalorizam o papel da mulher do lar certamente não representam nenhuma de nós. Mas como dizem, existem bastante reportagem e textos bem legais sobre o assunto, que mostra como nós mulheres somos poderosas 🙂

        • Patrícia Lages diz:

          Sim, sem dúvida. Uma das minhas palestras é inteiramente sobre empoderamento feminino, mas o que me surpreende é a ridicularização que isso causou. ?

          • Kamila Walter diz:

            Te entendo 🙂 Seu blog é dez, me ajuda muitoo!!!

            28/04/2016 em 11:48
    • geruza diz:

      concordo com vc Patricia. mas nao confio na veja,acho ela manipuladora e mentirosa. e pra mim sua unica inteção era politica. apesar de nao ter falado diretamente mas leva a esse entendimento.

      • Patrícia Lages diz:

        Sem dúvida que a intensão é política e eu tb não confio na Veja…

  • Karla diz:

    Na minha opinião a Veja publicou essa matéria para desmerecer a presidente Dilma “como se lugar de mulher fosse o suficiente sendo apenas a primeira dama”.
    Concordo com você a respeito dessa imagens como “protesto” e acho certas coisas feias tanto para mulher quanto para homem.

    • Patrícia Lages diz:

      Sem dúvida foi uma matéria política para elevar a imagem do vice, mas o rumo que isso tomou é que não se pode entender. Em vez de se discutir o fato de uma revista ser tão partidária as pessoas tiveram um acesso de raiva contra mulheres e suas escolhas…

  • Andrea Karenine diz:

    Este é um ótimo texto. Aliás, como tantos outros já postados aqui. PARABÉNS!! Você também me representa!

    Um abraço!

    Andrea

  • Marta Florencio diz:

    Bom dia Patricia!!
    Isso chega ser vergonhoso para nos mulheres, que buscamos nosso direito, direito de ser respeitadas, de poder trabalha, ou ate mesmo opinar em cuidar da casa, do marido dos filhos etc. Infelizmente, cada dia as mulheres estão jogando no lixo o seu grande valor!e acha que cuidar da casa e do marido é ser escrava! muito triste isso! Sou estudante de Secretariado, e trabalho como Aux Administrativo, e vejo que hoje em dia as secretarias são grosseiramente atacadas com criticas maldosas, mas tudo isso por causa, de algumas mulheres que não sabe se comportar no ambiente de trabalho.

  • Ida diz:

    Concordo Paty, essas mulheres não me representam, na verdade temos que orar por elas para que se encontrem de verdade, porque no fundo é só a “capa”.
    A verdadeira mulher de Deus me representa e eu não teria problema algum em ser Bela, recatada e do lar se eu pudesse escolher não trabalhar.
    Beijos, ótimo post.

  • Patricia diz:

    Patricia,
    Faço minhas as suas palavras.

  • Renata diz:

    Na minha opinião a revista Veja é totalmente cruel e tendenciosa, a IURD que o diga. O objetivo principal foi alfinetar e denegrir a imagem da Dilma, pois tentam classificá-la como uma mulher histérica. Quanto ao mostrar o perfil da esposa do temer, quase inatingível em pleno século 21, realmente não dá para achar que vai passar sem algum posicionamento, estando a sociedade tão inflamada pelos últimos acontecimentos. Particularmente não acredito num relacionamento com diferença de mais de 40 anos entre os cônjuges. Na minha opinião a Veja tentou mostrar essa mulher como um troféu do seu marido, ele a deve trancar a sete chaves em uma redoma, sem permitir que exponha sua beleza por aí, sem permitir que se envolva em projetos, enfim não acredito que esse perfil de mulher, em particular, não seja forjado. A vida das mulheres sempre foi muito difícil, infelizmente, as que que não se encontraram com Cristo, tentam de todas as formas romper com a opressão que sofreram de forma equivocada e se rebelam contra tudo que seja conservador. Isso é comum no mundo, inclusive com homens. Acredito que em meio a atual conjuntura acessos de raiva como esses sejam inevitáveis. Quanto a essa outra senhora, me parece mais uma “boba da corte” desejando fama e dinheiro.

  • Cristina diz:

    Sinceramente acredito que a maioria de nós, ou a maioria das minhas amigas sao belas, recatadas e do lar, talvez sem perceber. No dia a dia, trabalhamos, isso ja nos direciona a cuidar da aparencia, somos mulheres diferentes mas todas tem beleza… somos belas. Todas as minhas amigas e mulheres que admiro nao se exibem desnecessariamente, nao andam bebadas ou fazendo algo para denegrir sua imagem, a maioria é casada, e sim conversamos sobre tudo, inclusive vida intima, mas sempre cada uma com seu par…. somos recatadas|discretas|comedidas. E todas nós cuidamos da nossa casa, algumas com ajuda, outras sem, mas todas cuidamos, nao tenho nenhuma amiga que tenha a casa atolada de sujeira ou que tenha filhos que andam sujos e desarrumados por ai….somos do lar.
    Fico feliz por ser assim.
    Nao vou criticar a miss bumbum, cada pessoa expoe o que acha que deve. Critico o local. Ela nao é a unica que nao sabe se portar adequadamente.
    Ser adequada ao local nao tem nada a ver com beleza, dinheiro , é relacionado a educacao, bom senso.

  • Thaiz Rocha diz:

    Bom dia Paty!!
    Concordo plenamente com tudo que disse, pois foi esta reação que tive assim que li esta semana a matéria com a “primeira dama”.
    Infelizmente hoje os valores se inverteram, as mulheres são tratadas como pedaço de carne 🙁

    E o mundo te incentiva a se ver assim também, por exemplo meu manequim é 38, sempre que entro em uma loja as atendentes tentam empurrar as roupas mais justas, curtas e decotadas com a desculpa de “você pode, tem corpo bonito pode mostrar”.
    Recentemente sai a procura de um vestido de festa, pois seria madrinha de casamento de uma amiga, e depois de vez vários vestidos suuuuuper decotados a ponto de me recusar até mesmo de experimentar, já que eu não conseguia ver de que forma poderia fechar o decote, a atendente dispara a frase novamente “Oque que tem? Você tem corpo bonito pode mostrar a vontade”.
    Só que dessa vez eu não apenas ouvi eu respondi assim para atendente “Acontece que eu não sou um pedaço de carne que fica exposto no açougue, meu corpo eu mostro apenas para meu marido”.

    A beleza da mulher está em sua descrição 🙂

  • Cintia diz:

    Acho um absurdo nos dias de hoje criar-se um padrão de feminismo onde somente quem faz e age de certa forma se enquadre! Acho que lutamos tanto pela liberdade e igualdade pra acabarmos nos aprisionando em um outro padrão totalmente invertido. Somos livres pra sermos e fazermos o que quiser e não obrigadas a nos enquadrar nesses novos rótulos. E principalmente temos que nos respeitar para sermos respeitadas.
    Parabéns pelo texto! Um abraço

  • Erica diz:

    A verdade é que hoje, os valores estão invertidos, é motivo de piada, uma mulher dizer que é submissa, que não trabalha fora e que cuida dos filhos, mas como você disse, cada uma faz sua escolha, e eu escolho quem me representa!

  • Juliana diz:

    Realmente é um absurdo. Dizem que a mulher deve ter direito de
    escolher onde estar, mas hoje em dia quando uma mulher diz que prefere
    casar e cuidar da sua familia ao em vez de construir uma carreira profissional ela é muito criticada e ridicularizada. Posso dizer isso pois foi um dos tipos de crítica que mais ouvi durante a faculdade. A mulher conquistou o direito de escolha, mais ela não deve ser mal vista por preferir a tarefa de cuidar de seu lar e de sua família, visto que tal direito sempre pertenceu a ela. Nós estamos é no meio de uma sociedade hipócrita, isso sim, que critica os pais por não darem educação e não terem famílias bem estruturadas ao mesmo tempo que estimula o comportamento dissimulado e a rebeldia pra consumir seus produtos podres. É uma verdadeira vergonha! Essa gente também não me representa.

  • Rebeca Beserra diz:

    Paty me representa!!! \o/

  • Mônica Soares diz:

    Eu achei lamentável e não me surpreendi com o boom e avalanche de posts relacionados com o que a Veja publicou.Temos que ler nas entrelinhas? Sim, mas eu creio que a maioria das mulheres não são como esta desinibida, vulgar e de péssimo gosto “primeira dama do turismo”. Vale uma reflexão, uma pensata dos motivos que levam as mulheres serem tão desvalorizadas. Assino embaixo deste texto Paty. Não aos valores invertidos, basta!

  • Carla Lyrio diz:

    Infelizmente Paty, a inversão de valores e moral estão perdidas em nosso país. E o ridículo disso tudo é que muitas mulheres têm se deixado rotular com adjetivos que degrinem a imagem do certo pelo que o mundo diz que é certo. Esse tipo de rótulo ou características de mulher aquilo ou não sei o que, não me representa.

  • Aline diz:

    Oi Patricia,

    Engraçado que quando comecei as ler as hashtags no face e fiquei me perguntando…Por que as pessoas se incomodaram tanto dela ser bela, recatada e do lar? Eu não vi mal algum. Inclusive, se eu pudesse, trabalharia menos e me dedicaria mais ao meu filho e familia.

  • Elaine Cristina Gonçalves diz:

    Eu também fiquei perplexa com a repercussão da matéria, onde muitas mulheres praticamente se sentiram “ofendidas” com o título da matéria. De repente agora essas mesmas gostem da matéria da esposa do ministro. Aí depois ficam reclamando da desvalorização da mulher.
    Parabéns Paty, estava ansiosa aguardando seu post a respeito do assunto. Enfim alguém sensato para discutir sobre essa polêmica.

  • Ana Maria diz:

    Ótimo post, até compartilhei. Mulheres de Deus de verdade me representam, eu me represento, você me representa Patricia e agradeço por isso. Bjs

  • Paulliane diz:

    Sem palavras Paty…..Completamente sem palavras….

  • Nina Rezende diz:

    Disse tudo Paty, sem nada a mais para complementar.

  • Eduarda da Graça diz:

    aonde eu estiver estarei representando as mulheres, e não deve ser uma vergonha para elas. a melhor escolha que Podemos fazer é ser discretas.

  • Gezane Santos de Almeida diz:

    Paty elas tbem não me representa!! Tenho um face, e amigos e familiares, que não são da mesma fé!! E se postam coisas que acho que não convém não curto, não compartilho mesmo!! Eu quero ser uma mãe, esposa e profissional que outras sintam feliz comigo!! Bjs

  • Vanessa Faraco (China) diz:

    Obrigada por esclarecer Paty, não me atentei ao assunto nas redes sociais mas depois de um belíssimo texto como esse, só me resta aupladir??. Obrigada por existirem pessoas inteligentes como você, porque tanta hipocrisia cansa! Infelizmente o mundo virou de cabeça pra baixo e o que é certo se tornou errado e por aí vai.
    Tudo o que degrada a imagem da mulher não me representa! Quando as mulheres de fato encontratem o caminho da verdadeira beleza não se sujeitarão a tanta desvalorização.
    Beijos querida! ??

    • Patrícia Lages diz:

      Obrigada, querida! 😀

  • Alexandra diz:

    Infelizmente hoje o que é certo está errado e o errado é que tá certo.
    Concordo totalmente com a sua opinião.
    Amo ser esposa, amo cuidar da minha casa, fazer comida, amo trabalhar, amo ser uma mulher que não precisa expor o corpo pra se sentir valorizada.
    A Desvalorização feminina partiu da própria mulher, é uma pena!

  • Andressa Martins diz:

    Patricia, UAU!!!!
    Muito bom o seu raciocínio. Isso só faz denegrir ainda mais a imagem da mulher e da política brasileira.
    Qual o problema se eu quero ser discreta e do lar? Parece que isso hoje está se tornando um absurdo.

    Geralmente mulheres que gostam de mostrar muito o corpo são mulheres inseguranças.

    Parabéns pelo post. Beijos.

    • Andressa Martins diz:

      Corrigindo: inseguras. ?

  • Valéria Prata diz:

    Patricia, você uma Mulher de classe nós representa.

  • islandia diz:

    Acho tudo isso uma grande bobagem e os idiotas continuam comentando e alimentando essa baboseira.

  • KATIA diz:

    Realmente os valores se inverteram, para o mundo o que é errado está certo, os valores se perderam e é por isso que as coisas estão do jeito que estão.

  • Amanda diz:

    Querida Patrícia, o movimento “bela, recatada e do lar”, regado a fotos nadas recatadas, teve o intuito de criticar a revista Veja, que na matéria em comento tenta demonstrar que apenas as belas, recatas e do lar têm valor. Não foi uma crítica à mulher do vice-presidente.

    Ela pode ser o que quiser, do lar, submissa, apenas esposa e mãe, ou não.
    O problema é a referida revista tentar incutir no leitor que só essas mulheres possuem valor. Foi exatamente isso que essa revista fez.

    A mulher pode ser o que ela quiser e terá o mesmo valor, pois em que pese eu não concorde com roupas ou atitudes vulgares, sei que o valor de uma pessoa está no seu caráter e não na aparência. Quem garante que a esposa do Ministro não seja uma pessoa boa? Quem julga é Deus!

    Abraços!

    • Patrícia Lages diz:

      Concordo que algumas pessoas entraram no movimento contra a revista, mas não vejo razão em protestar contra uma publicação (que obviamente tem interesses próprios) postando fotos de si mesmas em situações que – honestamente – eu teria vergonha. Protestar sim, mas sem nos rebaixarmos…

  • Natalia Vilas-Boas diz:

    Muito bom esse post..Chega a ser absurdo o mundo em que vivemos,mulheres discretas serem criticadas enquanto mulheres sem discrição alguma que chegam a ser vulgares serem exaltadas..Mulheres reais me representam,mulheres que realmente são mulheres e não objetos sexuais..Prefiro andar na contramão do mundo é um prazer!?

  • Rosângela Pessoa diz:

    Inicialmente, antes de nos classificarmos como isso ou aquilo, devemos reconhecer que somos seres autônomos, com liberdade de escolha e indenpendentes, considero família, casa e amigos como complementos de uma vida plena. Dessa forma, desenhar um perfil de mulher e considerá-la como padrão é tipicamente machista, a escolha de quem quero ser ou ter é exclusivamente minha. Nesse sentido, eu não escolho afazeres domésticos (a responsabilidade das tarefas pertence a todos os moradores da casa), mas há quem prefira, então, devemos nos apoiar e respeitar as diferenças, não classifico ninguém pelas roupas que vestem ou lugares que frequentam. Que mostre suas curvas ou não, o que importa é ter consciência das escolhas que faz e suas consequências.

  • Joara - Cenáculo do Riacho Fundo II - Brasília - DF - Brasil diz:

    Excelente texto, mulher de DEUS. Escolher o melhor para sua vida e estar no caminho certo diante do Pai e da lei é que importa. A mulher discreta agrada a DEUS, e a do lar e recatada que cumpre com seus deveres. Exemplos bons para o mundo s denigrem a mulher. Agora, ser recatada, bela e do lar para DEUS não. É questão de escolha.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: