Qual é o seu valor de mercado?

Você acha que seu salário está defasado? Acredita que seus empregadores não reconhecem seu valor? Tem um diploma que ninguém valoriza? O post de hoje é para você.

valorDei consultoria a uma empresa alguns anos atrás e, logo de cara, notei que um dos funcionários reclamava do trabalho o tempo todo, criticava os colegas (criticou inclusive a contratação dos meus serviços) e vivia de mal humor, bufando pelos cantos.

Chamei-o para uma conversa e perguntei abertamente o motivo de sua insatisfação. Ele ficou surpreso por eu ter “descoberto” que ele estava insatisfeito, uma vez que fazia seu trabalho de uma forma “super profissional”, evitando “a todo custo” demonstrar que não estava feliz (#sqn!). Ele se julgava muito sutil quanto ao seu descontentamento, mas na verdade era tão sutil quanto um rinoceronte!

Ele abriu o jogo dizendo que não era valorizado pelos chefes, pois não sabiam reconhecer seu “valor de mercado”, enquanto os outros eram elogiados e promovidos. Pedi que ele me explicasse que valor de mercado era esse e a resposta foi:

“Sou formado em publicidade e pós-graduado em branding. Investi muito dinheiro nos estudos e, com essa bagagem, eu deveria ganhar mais!”

Pedi a ele para resumir o que é branding e, para minha surpresa, ele não conseguiu. Na verdade, me pareceu que ele não tinha a mínima ideia, embora tivesse estudado um ano inteiro sobre o assunto. Como nessa empresa ele tinha a função de diagramador, aconselhei que ele usasse seu conhecimento em branding e fizesse, por conta própria, uma análise da marca da empresa e apresentasse aos donos as readequações que julgasse necessárias. Assim, ele mostraria, na prática, essa bagagem adquirida e poderia galgar uma posição melhor. Sabe qual foi a resposta?

“Não sou pago para analisar coisa nenhuma. O que eu ganho é salário de diagramador, então eles que contratem alguém se quiserem saber, eu já faço demais!”

Assim pensa grande parte dos profissionais de mercado. Na hora de mostrar o que sabem no “mundo real”, se escondem atrás do comodismo ou dessa frase infeliz “não sou pago para isso”. Como esse profissional “especializado” podia se achar injustiçado por ganhar menos do que seu diploma “exigia” se ele não queria exercer esse conhecimento? Será que só porque ele recebeu um canudo automaticamente seus chefes deveriam promovê-lo? Claro que não! O diploma é só o começo e não o fim. E mais:

Diploma NÃO é sinônimo de valor de mercado. 

Se você não estiver disposta a transpirar muito pelo que quer, seu diploma não vai garantir coisa alguma. Talvez você já tenha percebido isso vendo a quantidade de diplomados desempregados.

Reveja seus conceitos e esteja sempre disposta a mostrar o que sabe, a fazer mais do que lhe pedem (ou lhe pagam) e estar sempre à frente das necessidades. Isso é valor de mercado. O resto é conversa fiada.

Para não perder nenhuma postagem aqui do blog…

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • íPatricia diz:

    Muito bom! Mau humor é o que mais se encontra por aí!

  • Sula Laiane diz:

    Tá ligado! Realmente, o resto é conversa fiada.

  • Jarlenys Dias diz:

    Ola, Paty.
    Tenho uma pergunta.
    Sou formada em Design de Moda. Terminei esse curso ha 2 anos e dois meses.
    Durante 3 anos do curso, aprendi imensas coisas, inclusive na costura. Dois anos depois do termino do curso, nao continuei na pratica da costura.
    Pedi a resposta a Deus atraves do Santuario dos Milagres para o emprego. Hoje recebi a carta do emprego para marcar uma entrevista como operadora de maquina de costura. A empregadora foi a minha antiga professora desse curso.
    Sera que eu propria estou me limitar a capacidade de trabalhar?

    Obrigada pela resposta.

    • Patrícia Lages diz:

      Olá, Jarlenys. Se vc pediu uma resposta, deve manter-se na fé e não dar lugar às dúvidas. Vc precisa começar por algum lugar e eu creio que tudo tem um caminho e quase nunca começar de cima é uma boa. Creia que vc pode crescer e se desenvolver, mas vc precisa começar e mostrar seu potencial. Bjs

  • cristiane diz:

    Olá, Paty!
    Ontem conversando com meu esposo, falei com ele sobre isso… que só não consegue alcançar, é quem está acomodado.
    Sempre escuto dizer : isso não dá dinheiro! As coisas só não dão certo para aqueles que não fazem nada.
    Sou formada e ainda não trabalho na minha area, mas estou sempre em busca de aprender um pouco mais, pois quero chegar lá capacitada.

    PS. Amando o livro virada financeira

  • LUCIANA M SILVA diz:

    Realmente. O diploma não mostra o seu verdadeiro potencial profissional. Não tenho formação superior, mas consigo exercer todas as funções nas Empresas por onde passo, e que não foram muitas. Graças a Deus sou bem reconhecida, e justamente por não negar nenhum tipo de serviço, e por esse motivo aprendi a fazer de tudo um pouco: Rh, Departamento pessoal, contabilidade, Financeiro, arquivista. Desde os meus 15 anos de idade que trabalho muito e tenho grande dedicação por tudo que faço. Hoje tenho 4.5 e passei apenas por 4 empresas, nunca parando. Beijos Patrícia. Amo o seu trabalho e leio todos os dias os seus artigos, como também os envio para minhas amigas.

    • Patrícia Lages diz:

      Arrebentando aos 4.5!! 😀

  • Jarlenys Dias diz:

    E o que tenho pensando nisso. Ha dias atras, falei ao respeito disso a Deus. Querendo desenvolver a profissão como designer e ter experiência com Experiente na area de moda.
    Muito obrigada pela resposta.
    Que Deus a abencoe.
    Beijinhos

  • Ingrid diz:

    No serviço público isso se vê demais! Normalmente são pessoas antigas prestes a se aposentar. Q não querem fazer nada além do q é pago. E reclamam de tudo no trabalho.

  • Elaine Cristina Gonçalves diz:

    Sabe o que eu amo nos seus post? Eles me surpreendem! Sabe aquela coisa da gente achar “ela ficou com peninha e vai me dá uma palavra de consolo” e aí você nos ensina como melhorarmos para verdadeiramente nos tornarmos merecedores do que queremos. Não tem como não te amar.
    Obrigada por dividir seus conhecimentos.

    PS: Amei te conhecer. Você é muito simpática, fofa (e do meu tamanho). rsrs.
    Pegamos um engarrafamento para voltar pra casa da Bienal, passei mal no meio do caminho, mas valeu super a pena. Até Gabriel (meu filho, que amou as moedinhas que você deu pra ele) dizia: eu sei que você está passando mal mamãe, mas valeu a pena por conhecer a Patricia Lages.
    Que Deus a abençoe.

    Beijinhos de uma blindete que tem muito carinho por ti.

    • Patrícia Lages diz:

      Obrigada, querida! Vi como aquela chuva e toda a construção no entorno do Riocentro atrapalhou o passeio de muita gente, mas vocês deram um show! Estiveram lá firmes e fortes e sou muito grata pela presença de cada uma. Manda um beijos para o Gabriel e aproveite o livro!! Bjs

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: