Propostas surreais, chororô de descontos absurdos, pedidos de trabalho de graça ou em troca de “divulgação” já estão passando dos limites. Por que isso está acontecendo com tanta frequência?

Por que as pessoas querem trabalho de graça?

O comentário abaixo me deu a ideia de escrever o post de hoje.

Esse comentário foi feito em um dos meus vídeos do YouTube (aquele local onde as pessoas assistem de graça! Haha)…

E isso me despertou para o fato de que coisas assim não acontecem apenas comigo.

Se você é prestador de serviço, empreendedor ou comerciante já deve ter se deparado com “clientes” que querem as coisas quase de graça.

Ou de graça mesmo…

E se você trabalha com educação, também já deve saber o quanto há pessoas que acham que conhecimento não custa nada.

Assim sendo, deve também ser dado de graça!

Se esta é a sua situação, seguem aqui algumas dicas:

 

Dicas de ouro para “clientes” inconvenientes

 

Tenha margem de desconto

Existem clientes que só ficam satisfeitos quando recebem desconto (e isso até que é saudável).

Por isso, tenha uma margem para poder dar desconto quando o cliente pedir.

Repito: quando o cliente pedir!

 

 

Cuidado com produtos personalizados e sob medida

Se você faz produtos que não poderão ser vendidos para outro cliente (em caso de desistência ou não pagamento de quem encomendou), precisa ter atenção redobrada.

NÃO aceite encomendas sem receber, pelo menos, 50% do valor da encomenda.

Eu sei que existe o medo de dizer isso e espantar o cliente, pois alguns podem se ofender.

Porém, um cliente que tem intenção não se sentirá ofendido.

Quem vai se ofender é aquele que tinha intenção de te dar uma volta!

E outra: se o cliente achar ruim, mostre esse post para ele e diga que fui eu que mandei!! Hahahahaha.

 

Não trabalhe de graça, a menos que haja um propósito

Todos os meses faço, pelo menos, uma palestra, curso ou mentoria gratuitamente.

Porém, escolho muito bem onde e para quem será esse conteúdo.

Vou a presídios, fundação para menores infratores, grupos de empreendedores, instituições diversas e igrejas.

Faço com o maior amor e com o mesmo empenho que os trabalhos pagos.

Porém, eu delimito isso à minha agenda e só faço quando realmente posso e quando o propósito é claro.

Não é uma obrigação, mas uma contribuição de livre e espontânea vontade.

Faça o mesmo: estabeleça limites para as gratuidades.

 

 

Não é o cliente que faz o orçamento

Esse negócio do cliente encomendar um bolo de 500 reais e querer pagar 200 tem que acabar.

Mas como acabar com isso?

Fácil: raciocinando e fazendo o cliente raciocinar!

Eis aqui uma sugestão:

Quando vamos a uma loja comprar o que quer que seja não somos nós que damos o preço.

Ou você chega em uma loja de grife e diz que só tem 100 reais, mas quer a blusa de 1.000?

O que a vendedora da loja vai te responder?

Será que ela vai vender pelo preço que você quer pagar?

Claro que não!

Chega a ser até absurdo, não é mesmo?

Então por que no nosso negócio seria diferente?

Cliente que tem 200 reais só pode comprar o que custa 200 reais.

 

Saiba dizer não

Eu sei que no afã de não perder trabalho (e poder pagar as contas) a tentação em aceitar qualquer proposta é grande.

Mas se você não valorizar seu produto ou serviço, quem vai?

Saiba dizer não, valorize-se e não ajude a prostituir o mercado aceitando qualquer coisa.

 

Faça do limão uma limonada!

E quanto ao comentário que recebi, essa pessoa me deu uma ideia muito bacana!

(Apesar de ter dito que ninguém dá nada de graça, ela mesma me deu! Hahaha)

Nós vamos ter uma linha de produtos Bolsa Blindada!

Serão várias ferramentas de ajuda no seu dia a dia para fazer muita economia. 🙂

Já estamos trabalhando em algumas ideias e tenho certeza de que vocês vão amar!

Disseram que eu vendo “um monte de produtos” sendo que eu só vendia livros, então…

Agora vou vender uma linha com um monte de produtos! Hahahahaha

Faça o mesmo com os limões que atirarem em você! 😀

 

 

Loja virtual

E não deixe de passar na minha loja virtual e encomendar o seu livro autografado!

Para ver os livros na loja, clique aqui.

Nos vemos!

 

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Boa Patricia!

    ótima ideia e vai arrebentar kkkkk

    tens toda razão!

    meu marido tem uma oficina e acontece a mesma coisa!

    uma regra que ele estabeleceu a pouco tempo foi: não tem dinheiro para pagar o arranjo do carro então tambem não leva.

    Isso foi feito por que começou aparecer clientes folgados que pede pra fazer o trabalho no carro e depois na hora de ir buscar diz que só pode pagar depois!

    então ele tambem diz: pega o carro depois também….

    as pessoas não podem ter medo de perder clientes, se não os mesmos querem pintar e bordar no nosso negócio!

    • Não tem dinheiro agora, não conserte agora. E acho que seu marido deve avisar isso até mesmo antes de o cliente deixar o carro, senão ainda vai ficar com os carros atrapalhando no meio da oficina! Bjs

  • Paty, você é nota 1.000! Nas próximas enrascadas que eu me meter para receber de clientes vou mostrar este post SIM! kkkkk. Beijos e que Deus continue te abençoando.

  • Oi, Pati!
    Adoro os seus vídeos e os Posts, boa resposta!
    Para complementar eu comprei o seu diário de consumo (achei super barato), e o melhor está me ajudando a controlar meus gastos e sobrar dinheiro.
    Obrigada pelo seu trabalho e empenho!!!

  • E não é que eu “já utilizo” a máxima: “foi a Patrícia que ensinou!”???
    Daí já me perguntam quem é você… e eu já divulgo o seu “monte de coisas SENSAMARAS” (by Sandra, sua prima, ah,ah,ah,ah).
    E vamos combinar, né? O comentário infeliz mencionado me faz lembrar o querido Leandro Karnal, quando diz: “Sorte é o nome que vagabundo dá ao esforço que não faz …”
    Beijos

  • Obrigada pelo post Patricia!
    Veio de encontro ao que meu esposo e eu passamos com uns serviços que fazemos por fora.
    As pessoas não valorizam conhecimento… sempre discordam do preço ou ate´demoram a pagar. Como não temos um espaço físico (fazemos tudo em casa), parece ser ainda pior, pois acham que estamos fazendo por hobby ou caridade.
    Tenho 2 exemplos… atendemos um consultório, cujas consultas são R$900, mas o medico reclama de um serviço que prestamos por R$ 50 ou 100… Tem também o caso de entregarmos o equipamento funcionando, e a pessoa faz mal uso (exatamente da mesma forma que causou o defeito num primeiro momento) e quer acionar garantia… e assim vai. Não é fácil, mas temos que nos valorizar e ser firmes.
    Por isso gosto tanto de ler o seu blog!

  • Paty, esse post me ajudou bastante.
    Trabalho com Consultoria de Contratação em um mercado que carece muito deste trabalho, porém sempre me deparo com empresários que necessitam do trabalho porém são mesquinhos na hora de pagar, e falam que o custo é alto. E sempre me pergunto: Oras através do meu trabalho, vocês recebem mão-de-obra, e essa mão-de-obra é o que dá o retorno de vocês a médio prazo, e ainda não querem pagar?!

    Algumas pessoas querem qualidade, porém não querem pagar por isso.
    Obrigada Paty por iluminar meus pensamentos.

  • Bom dia Paty! Eu trabalho com maquiagem e já me fizeram proposta de fazer maquiagem de graça. Gente, conhecimento custa caro. Não faço mesmo, nem de graça e nem barato, porque sei o valor que me custou e custa para ser a profissional que sou hoje e quanto vou investir ainda para me manter com excelência no mercado.É esse jeitinho horrível de querer levar vantagem em tudo.

    • Vamos ter até vídeo de lançamento contando como fazer do limão uma limonada!! hahaha… Pegando as pedras que atiram para construir um castelo!

  • Eu não sabia que tudo no mundo agora é de graça, desde as contas básicas como luz, água e internet, até roupas, produtos etc.
    Porque parece que nosso colega do comentário vive em um mundo perfeito de sereias e unicórnios. Do mesmo jeito que nós temos contas a pagar e despesas pessoais, a Patricia também tem. E que bom que ela da dicas valiosas de graça para a gente pois conheço muitos profissionais que só dão as dicas boas pra quem paga cursos de R$2000 pra cima (e as vezes vc paga caro e nem te ensinam la aquelas coisas todas, vc sai sentindo meio frustrado). O livro bolsa blindada e os outros custam na casa dos 30 a 40 reais. O que é isso comparado com o que aprendemos em cursos de praticamente 3 salários mínimos? Nada a ver esse comentário. Totalmente desnecessário. Já viu que a pessoa não tem visão.

    • Onde é esse mundo das contas grátis??? Hahahahaha… Obrigada, Anny! Vamos arrebentar!

  • Oi Patrícia!
    Trabalho com PERSONALIZADOS e teve uma clientes que falou pra mim assim: Só separei “tantos” reais pra gastar com vc, e queria o mundo. Eu posso com isso? Hahaha

  • A eterna mania do brasileiro de querer levar vantagem em tudo, certo.
    Eu fazia o imposto de renda de alguns funcionários da empresa em que eu trabalho de graça por conta da simplicidade do imposto de renda e por uma questão de camaradagem . Aí teve um dia que falei comigo mesmo: “Nalú! presta atenção, alguém te faz as coisas de graça, não né, além do mais você gasta o seu tempo, seus papeis A4, cartucho da impressora, energia elétrica, etc” . No outro ano quando me pediram para fazer disse que ia cobrar, nossa… parecia que eu tinha falado o maior palavrão do mundo.

    • Adorei a sua conversa consigo mesma!! Então, presta atenção, Nalú: não faça mais isso! rs…rs….

  • Amei este post… eu te respondi no instagram e falo agora novamente… não há conhecimento gratuito, conhecimento custa caro e cobro por ele! Aprendi a cobrar! Bati muita cara na parede, de raiva e de nervoso, mas bastou! Sou Contadora e em época de imposto de renda, o povo quer que eu entregue na data, mas querem pagar depois! kkkkk Sem chance! Sou também revendedora de cosméticos e a primeira coisa que investi nesta área foi na maquininha de cartão! Facilita a vida do cliente e principalmente a minha! Ansiosa para ver seus “monte de produtos” kkkkk. Bjs

    • É isso mesmo, Lu! Nem perca seu tempo com quem quer serviço sem pagar por ele. Meus “montes de produtos” vão ficar maravilhosos!! hahahaha

  • Pior e quando a pessoa quer ter um desconto que está fora da margem da empresa ou ,do comércio e começa a te ameaçar falando que vai no concorrente .E incrível isso toda empresa tem um percentual de desconto que pode ser dado ,só que este tipo de cliente não se toca ,e fica com aquela conversa afiada que concorrente está fazendo ,ligamos na frente do cliente para o concorrente ,😂 e cada vergonha que esse povo sem noção passa .

    • Nem considere ameaça! Se a pessoa quer tanto comprar no concorrente, que vá ao concorrente…rs…rs…

  • Patricia, Boa noite! Gostei muito de ler esta sua publicação. Realmente, acontece dessas coisas. Já passei por isso. Faço Cestas de café e outras cestas de presente. Passei o valor e pedi um valor adiantado, e a pessoa não gostou. Ela me pagou direitinho, mas até hoje não me encomendou mais nada de mim. Realmente as pessoas não tem consciência, nem consideração. Mas eu amei suas sugestões. Sucesso pra vc!

    • O bom é que vc vai “limpando” a sua carteira de clientes e só ficam aqueles que respeitam as regras. Talvez essa pessoa não tenha mais comprado esse tipo de produto e nem seja algo ligado a vc, mas vale mais ter menos clientes e receber do que ter um monte que dão trabalho para pagar! Bjs

  • Acho que isso começou quando um miserável soltou a frase: O cliente tem sempre razão.

    • Essa frase serve apenas para outro contexto, mas não para por preço no trabalho dos outros… rs…rs…

  • Muito bem Paty!
    É super normal quem tem blog fazer uma série de produtos, não sei como vc não teve essa idéia antes menina! Vai vender muito!
    Tô aqui pensando numa “agenda blindada ” pro ano que vem com calendário de 2020 também, e quem sabe até 2021, pra gente poder programar os investimentos a longo prazo.
    Poderia vir também com uns versículos ou provérbios nos cabeçalhos das páginas.
    Que tal esse produto pra somar no seu “monte”? Rsrs

    • Sou muito feliz por ter as melhores leitoras!! Amei todas as suas dicas e estamos trabalhando nos meus “montes de produtos”!! hehehehe…

  • Patrícia,gostei muito de sua publicação,ela é uma resposta bem sábia para pessoas oportunistas,meus elogios para você e que nos sirva de como agir mediante situação.

  • Hahaha! Paty adoro este seu senso de humor para as pessoas se mancarem um pouco, eu acho o seguinte, se você não gosta de algo, não assista…não leia…e não compartilhe…simples assim; as pessoas dão uma tremenda audiência só para reclamar!
    Hoje em dia tem um montão de gente vendendo conteúdo com seus books isso books aquilo….cabe a cada um avaliar o que compra; acho super válido seus livros, me agregam e tenho todos e tenho o caderninho de gasto também, e avalio simples assim, me agrega algo ok! se eu não gosto, não dou mais audiência…simples!!!

    • É muuuuuito simples, mas tem gente cuja tarefa é complicar!! hahahaha

  • Infelizmente já aconteceu muito comigo, principalmente com parentes. Alguns valorizam seu trabalho e pagam corretamente, agora outros, só Jesus. Uma vez ouvi de uma pessoa que queria que eu divulgasse a empresa dela (trabalho com marketing digital), só pela tal corrente do bem (um ajudando o outro), a minha vontade na hora foi responder que tal fazermos o trabalho pela conta corrente que ajuda também.. rsrs, não falei por educação, mas que tive vontade tive.
    Obrigada pelos seus post… sempre ajudando!!

  • Parabéns! Fez mesmo um suco melhor do limão hahaha!
    Então, sua consultoria custa quanto?

    • Eu não dou consultoria. Todas as dicas estão no meu blog, canal do YouTube e nos 5 livros à venda na loja virtual aqui do blog. Com esse conteúdo você vai aprender o que precisa e não vai necessitar de ninguém! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *