Da mesma forma que aprendemos boas maneiras para uma série de coisas na vida, o ambiente virtual também tem suas regrinhas. Veja hoje algumas delas!

Não faça isso na internet!

Acredito que todo mundo já sabe que muitas empresas checam as redes sociais dos candidatos antes da contratação.

E essa já pode ser uma etapa eliminatória…

Afinal, pessoas sem educação, que disseminam discursos de ódio e que não sabem se comportar online não são bem vindas em nenhum ambiente de trabalho.

Atrás de uma tela, as pessoas se soltam, motivadas pela sensação de impunidade.

E isso diz muito sobre elas.

Ninguém vai chegar em uma entrevista de emprego falando mal de si mesmo, certo?

Mas suas redes sociais podem depor contra, facilitando a vida dos recrutadores.

A falta de educação online não gera apenas problemas profissionais, mas sim, em várias outras áreas.

Já ouvi inúmeros casos de término de namoro porque um viu que o outro escrevia pessimamente mal em suas postagens…

Por isso, não pense que o bom português não conta em conversas informais nas redes.

Conta, e muito! Afinal, por que você escreveria errado se sabe escrever certo?

Portanto, a primeira dica é:

 

Suas redes passam uma imagem sobre quem você é.

 

Acredite ou não, ache bobagem ou não, é assim que a coisa funciona.

Se você é daquelas que diz “o perfil é meu e eu faço o que quiser”, repense.

Talvez a sua liberdade de fazer o que quiser esteja lhe prejudicando e você nem tenha percebido.

Por isso, repense!

 

Regras não existem à toa

Ao contrário do que muitos possam pensar, regras existem para facilitar a nossa vida.

Quando sabemos o que deve ser feito e como fazer, tudo fica mais fácil.

Por isso, não negligencie as regras de etiqueta online para que você não seja vítima de si mesma.

Seguem abaixo algumas dicas!

 

Preste atenção aos títulos ou enunciados

Se tem uma coisa chata é quando você escreve um post como:

“5 dicas para tal coisa”

Aí você dá as 5 dicas como prometido, mas chovem comentários do tipo:

“esqueceu de dizer isso, isso e isso!”

Esse “esqueceu” é de matar…

Mas a questão é: se o proposto eram 5 dicas e a pessoa deu 5 dicas, não esqueceu de nada!

Se você quer acrescentar outras dicas, pode fazer isso de forma educada, por exemplo:

“Além dessas 5 dicas, esta e esta também podem ajudar”.

Percebe a GRANDE diferença?

 

Critique com fundamento

Críticas são permitidas, mas é preciso que tenham base.

Comentar um “não gostei” só demonstra o quanto a pessoa é chatinha ou mimadinha…

Afinal, o que parece é que ela acha que tudo o que está na rede tem de agradá-la.

Se não gostou e quer opinar, tenha fundamento.

Diga o motivo, argumente, deixe seu ponto de vista e, de preferência, sugira algo melhor.

Agora o ideal mesmo seria a pessoa FAZER algo melhor do que simplesmente ficar martelando um teclado para dizer o que os OUTROS devem fazer…

 

Cadê o que você prometeu?

Quem produz conteúdo, assim como eu, vira e mexe recebe cobranças.

Algumas bem mal educadas, diga-se de passagem!

Mesmo recebendo tudo gratuitamente, as pessoas se sentem no direito de cobrar como se tivessem pago.

É uma coisa estranha…

Mas a pergunta é: você cobraria algo de alguém na frente de outras pessoas?

Saber esperar é sinal de educação, seja no mundo real ou virtual.

 

Sua opinião não é importante para nós!

Calma, eu explico!

Nem tudo o que você lê, assiste ou escuta precisa ser comentado.

E a verdade nua e crua é:

Nem todo mundo quer saber a sua opinião.

Muitas vezes temos de nos colocar no nosso lugar e fazer esse exercício de autocrítica.

De vez em quando um “quem sou eu para ficar opinando na vida dos outros?” cai muito bem!

Eu pratico sempre e recomendo!

 

Antes de teclar, pense!

Nesses anos todos trabalhando na internet deu para juntar muitas “pérolas”…

Não faltam comentários bizarros que só demonstram que há quem tecle mais rápido do que pensa.

E isso, obviamente, depõe contra quem tem “coragem” de escrever certas coisas.

Portanto, não comente com pressa, não escreva a primeira coisa que lhe vem à cabeça e PENSE antes de mais nada.

A paciência traz consigo muitos prêmios.

 

E você?

Já cometeu alguma gafe na internet que lhe causou algum tipo de prejuízo?

Perdeu amizades, ficou mal no trabalho ou com a família?

Não precisa se expor, mas se for ajudar outras pessoas, comente a sua experiência!

Vamos disseminar coisas boas para melhorar esse mundo virtual do qual todas nós fazemos parte! 🙂

 

E para quem quiser mais informações sobre etiqueta nas redes sociais, confira o vídeo abaixo!

 

 

Nos vemos!

 

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Oi Patricia!

    Já aconteceu comigo, certa vez tirei uma foto em frente a casa de um amigo e no muro existia uma pichação, eu nem havia notado na vdd, no dia seguinte minha supervisora me perguntou se eu havia pichado o muro. A partir desse dia, comecei a prestar mais atenção aos locais antes de tirar as fotos.

  • Oi Paty! Tudo bem? Eu tenho uma dúvida. Eu seguia um canal no youtube, cujo título já era suficiente para entender que o canal era feito para aqueles que querem ser uma pessoa melhor. (Não sei se vc já viu esse canal). Entretanto, esse canal lançou um vídeo com o título “Como não ser alguém melhor”. E mostrou uma lista de comportamentos que vc poderia seguir se não quisesse ser alguém melhor. Lógico que essa lista citava atitudes infantis, imaturas. Aí, eu fiz o seguinte comentário: que achava desnecessário o vídeo, já que as pessoas que seguiam o canal eram justamente as que procuravam ser alguém melhor. O canal em si não deu nenhum retorno. Mas, teve um infeliz que foi muito grosso comigo. Aí, eu dei uma resposta “em cima do salto” e o infeliz não falou mais nada. Deixei de seguir o canal. Na minha visão, eu fiz um comentário construtivo. Ou não?

    • Nem todos os canais respondem aos seguidores, principalmente os grandes que têm muitos comentários. Chega a ser impossível dar atenção a todos quando se ultrapassa certo número de inscritos/seguidores.
      Eu acho que o canal quis chamar a atenção com esse título e optou por mostrar como não ser legal para que – a meu ver – a pessoa faça exatamente o contrário para ser melhor. Foi uma estratégia que não funcionou com vc, por exemplo, mas que pode ter funcionado com outras pessoas.
      O feedback é importante para qualquer canal, mas responder aos “infelizes” não vale a pena. rs…rs…
      E se o canal é legal, vale a pena seguir, pois a gente não tem como acertar 100% das vezes! Bjs

  • Patrícia, bom dia,|
    Suas dicas são valiosas!
    Muito obrigada por mais uma lição!
    Boa semana, Deus a abençoe,

  • Sim, já cometi um erro e me arrependi muito. Escrevi no Facebook umas coisas que pensava sobre uma pessoa na intenção de que ela lê-se, e realmente ela leu, mas gerou uma situação tão desagradável que quase abandonei de vez as redes sociais, e até hoje entro raríssimas vezes no Facebook, e penso tanto em postar, elogiar, expressar opiniões que na maioria das vezes desisto.

  • PATRICIA, Como sempre, vc só acrescenta em minha, obrigada por investir seu tempo compartilhando essas mensagens.

  • Foi na época de eleição,fui comentar sobre o candidato da pessoa,levei um bloqueio em todas as redes… Rsrs

  • Patricia, amei o post, é sempre bom aprender com você! Assim que entrei para as redes sociais eu recebi um feedback negativo de um trabalho voluntário que fazia e não gostei, o que fiz? postei em uma rede social aquela frase que diz que o Titanic foi construído por profissionais e a Arca de Noé por um amador…rs… isso não me trouxe nenhum problema pois não mencionei ninguém no comentário, mas a consciência pesou, minutos depois eu parei pra pensar, o que deveria fazer não era desabafar minha insatisfação e sim analisar a critica, e ela tinha fundamento e melhorei muito depois de refletir e mudar como a pessoa tinha proposto, nunca mais postei nada nas redes sociais além de coisas positivas. Além do mais é impossível aprendermos sem ouvir e praticar aquilo que pessoas que querem o nosso bem nos ensinam. Obrigada por sempre nos trazer esse tipo de conteúdo que nos faz crescer.

  • As vezes sentindo-me solitária posto fotos bem produzida. Depois fico me perguntando: pra q isso? Rsrs ego ego.

  • Oi Patrícia! Muito pertinente a postagem em tempos que queremos sempre nos expressar na internet. Porém tenho vista cada uma que prefiro seguir o ensinamento de Provérbios 17.28 quando diz: “até o tolo se passa por sábio quando fica calado.” Então tenho feito o exercício de que sempre que não gosto eu me calo! Gostei bastante dessa postagem, obrigadaRS..RS..RS.. 😊💙

  • Graças a Deus não. Porque aprendi isso bem cedo. O que acontece é a super vigilância porque isso vai muito além. Nao só a ortografia e o que posto, mas as páginas q curto, as coisas q compartilho ou curto… Tem muitas coisas q vejo, acho super engraçado é até tenho vontade de compartilhar. Ai penso: não, isso não vai passar uma boa imagem de mim.
    Muitos até falam: “ah tow nem aí com o que pensam de mim”. Eu vejo o seguinte: uma coisa eh eu ser aquilo que estão pensando, outra é eu dar motivos pra pensarem o q eu não sou. E isso vai “sujar” a minha imagem e isso não é legal!
    Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *