Imagine a cena: você tem uma amiga muito querida, mas que precisa de ajuda em algum aspecto, porém, você tem medo de tar um toque e magoá-la. Nesse caso, o que fazer? Confira no post de hoje!

amiga

Assisti um vídeo ontem do canal Godllywood no YouTube e fiquei inspirada a escrever este texto, pois creio que pode ser um problema para muitas de nós. Não é um tema de finanças, mas mesmo assim, achei legal trazer aqui para o blog! É como mencionei na abertura: você tem uma amiga de quem gosta muito, mas em alguma coisa, ela está “fora da casinha”.

De repente é aquela amiga que se veste de uma forma vulgar, ou que fala super alto, diz coisas inconvenientes ou se mete em conversas na hora errada, que está educando o filho de uma forma que está na cara que não é adequada, ou ainda, que tem mau hálito.

O que fazer nesses casos?

Pessoalmente já passei por várias saias justas como essas e, pela minha experiência, vi que há coisas que vale a pena serem ditas e outras que, dependendo do caso e da pessoa, é melhor realmente ficar calada. Vou citar dois exemplos (um negativo e um positivo) baseados nas minhas experiências para ilustrar o que estou querendo dizer.

A experiência que não funcionou foi quando eu quis alertar uma amiga de que ela estava educando o filho de uma forma totalmente inadequada. Ela deixava que ele a xingasse e batesse nela (com tapas no rosto, inclusive) e vivia justificando que era uma “fase”. Ela não aceitou que eu falasse a respeito, pelo fato de eu não ser mãe. Realmente não sou mãe, mas é óbvio que isso não é um comportamento aceitável… Mesmo assim, ela se fechou e eu preferi não ter aberto a boca.

Depois disso, resolvi não falar mais de situações que eu não tenha vivenciado ou que não tenha uma sugestão de solução que funcionou para mim. Por exemplo: no caso de uma amiga com mau hálito, eu sempre aviso quando percebo e já digo que, no meu caso, geralmente acontece quando fico longos períodos sem comer. Ter uma balinha ou um Tic Tac na bolsa já ajuda a disfarçar! Como estou me colocando no lugar da pessoa, fica mais fácil dela não se ofender e aceitar o toque como algo positivo. Ainda assim, se a pessoa se ofender, digo que só avisei porque, se acontecesse comigo, eu preferiria que alguém me avisasse.

Essa é a estratégia que uso quando percebo que preciso dar um toque sobre algo que não está legal, mesmo que seja uma saia bem justa!

Quando a gente não avisa, na minha opinião, não estamos sendo amigas. No dia em que percebi que passei um almoço inteiro com alface no dente e ninguém me avisou, fiquei muito chateada. Poxa vida, custava falar? Eu não teria passado esse constrangimento! Por isso, assim como eu gostaria que as pessoas me avisassem, eu procuro avisar.

Mas é claro que devemos ter alguns cuidados:

  • Não fazer comentários inconvenientes ou usar expressões negativas. É diferente você dizer para sua amiga que ela está com um pouco de mau hálito do que dizer que ela está com bafo de onça. Pegue leve!
  • Não expor a pessoa na frente de todo mundo. Chame de lado ou fale baixo, apenas para que a pessoa interessada saiba.
  • Não faça alarde! Um dia, uma amiga saiu do banheiro com a saia presa na lingerie e com parte do bumbum à mostra! Eu abaixei a saia devagarinho, sem que ela percebesse, pois não adiantaria nada alardear que ela havia atravessado um corredor inteiro (de uma feira lotada de gente) com a saia levantada. Para que eu faria isso se não poderíamos voltar no tempo?
  • Resolveu, morreu! Uma vez que a pessoa aceitou (ou não) o seu toque, não comente mais aquilo. Se a sua intenção é ajudar e vc já fez a sua parte, bico de siri!

E quando estou na dúvida se devo ou não avisar, eu pergunto para a própria pessoa se ela quer saber de algo sobre ela que não é muito agradável. Se ela me der abertura, eu falo. Se ela achar ruim, eu digo que foi ela que permitiu! 🙂

Assim, poderemos ajudar nossas amigas queridas sem que sejamos inconvenientes e sem perder a amizade.

Nos vemos!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Adequado, sim! Muito obrigada por mais uma lição!

  • Nossa Amei ❤ Já passei por muitos constrangimentos,e na maioria das vezes por indiretas mal intencionadas. Mas se não temos essa amiga do nosso lado,podemos contar com a bíblia ela ensina a ser uma mulher virtuosa ..rs fugi um pouco do contexto ..mas ah situações e situações o Que importa é ajudar e não expor ..obrigada Páti por me ajudar ^^ até mesmo no livro!!!bjs

  • Excelente. Amei o post. Gostaria de sugerir um tema, Patrícia. Como lidar com pessoas inconvenientes e que querem dar palpites na sua vida sem serem chamadas.Como é nosso proceder com essas pessoas. O que devemos falar sem ofendê-las ou magoá-las.

  • Que maravilha de post, gostei demais kkk, muito obrigado mesmo, eu tenho que fazer mais atenção porque não sei segurar muito a minha boca kk, mas tambem tenho amigas que não sabem kk, obrigado, beijos:)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *