A Língua Portuguesa está enganando você!

Conceitos errados vão sendo desenvolvidos dentro da sua cabeça sem que você se dê conta e a Língua Portuguesa tem colaborado bastante com isso. Veja como!

fala

Que o brasileiro em geral não sabe lidar com seu dinheiro muita gente já sabe (e as pesquisas estão aí para confirmar para aqueles que não sabiam). Será que isso não tem a ver com uma cultura enraizada em nossa sociedade com a qual a Língua Portuguesa colabora? Vejamos!

Quando você quer saber o salário de alguém, qual das perguntas abaixo você faz?

  1. Quanto dinheiro você faz?
  2. Quanto dinheiro você merece?
  3. Quanto dinheiro você ganha?

Creio que você escolheu a alternativa 3. Mas pense comigo: salário é um dinheiro “ganho”? Ou será que é um dinheiro pelo qual é necessário fazer alguma coisa para receber? E mais: o salário não é definido conforme o cargo merece? Com isso, não foi você quem fez seu salário? Não foi você quem trabalhou para merecê-lo?

Mas o Português diz que você ganha, então fica fácil entender porque tanta gente enrola o dia inteiro no trabalho, porque não se comprometem em fazer o seu melhor, porque não vestem a camisa da empresa e, de fato, colaborar para o crescimento da empresa que, por sua vez, seria seu próprio crescimento.

O brasileiro não enxerga as coisas assim. Ele acha que trabalhar duro é enriquecer o patrão, é ser bobo, “caxias”, puxa-saco. O salário dele nunca é suficiente porque ele sempre acredita que deveria ganhar mais, afinal, coisas ganhas não têm que ter limites.

Só tem um problema: geralmente o que é ganho tem muito menos valor do que aquilo que se faz ou se merece. Sendo assim, novamente fica fácil entender porque o brasileiro desperdiça seu salário, porque adora comprar coisas caríssimas (e faz questão de dizer que foi caro) e porque enche sua casa de futilidades e inutilidades.

Outra questão é entre as palavras sucesso e fracasso, como já falamos aqui anteriormente. Fracassar é um verbo, mas “sucessar” não existe. O fracasso você pode cometer porque é uma ação (e nós temos o poder de agir como quisermos). Já o sucesso não se pode conjugar porque não é verbo. Logo, o sucesso é algo que “simplesmente acontece”, não cabe a ninguém essa ação, uma vez que ela não existe. Só nos resta esperar por ele… Errado de novo!

Você é tão responsável pelo seu sucesso quanto pelo seu fracasso. Se fracassou, a culpa não é dos outros e se “sucessou” o mérito não é do destino, mas é seu.

Pegue o espírito e vá em frente!

Falamos mais sobre isso no livro Virada Financeira. Veja no vídeo abaixo o que mais o livro traz e se desejar, faça aqui o seu pedido e receba em casa autografado. 😀

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Cidalia -Tunisia( Africa do Norte) diz:

    Todas num só espirito : ” SUCCESSAR ” !!
    Vai arrebentar ????
    Bisous Patty

  • Fátima diz:

    A cultura do brasileiro é explorar. É o que dizer do projeto para aumentar a jornada de trabalho para 80 horas? É o que dizer da gente entrar numa empresa para trabalhar 8 horas e o patrão fazer a gente trabalhar 16 a 17 horas, sem a gente ter perspectiva de crescer na empresa? A maioria dos patrões não pensa no melhor para o funcionário. Importa que a gente dê o melhor para ele enriquecer mais. Tudo é injusto no Brasil. Gostaria de poder morar em outro país. Muitas situações me deixam com vergonha de ser brasileira.

    • Patrícia Lages diz:

      Outra coisa que o brasileiro pensa é que em outros países as coisas são sempre melhores e é bom saber que não é bem assim. Temos que lutar por nossos direitos e procurarmos estar bem informados para escolhermos o que é melhor para todos e não só melhor para nós mesmos. E acabar com essa o da de exploração porque no final, todos somos explorados de uma forma ou de outra. Beijos!

      • Cidalia -Tunisia( Africa do Norte) diz:

        Todo O trabalhador tem direitos mas também tem deveres.
        Exemplo, em França as leis do trabalho são bem rigidas, nem O empregado nem O patrão fazem como querem.
        Os sindicatos dos trabalhadores não aceitam deslizes dos patroēs que por sua vez exigem presença à hora, faltas justificadas ( mesmo assim com corte de salário); em caso de doença , A caixa de saúde manda seus médicos de contrôle visitar O doente e se a doença näo justificar a pessoa em casa ela tem que voltar ao seu trabalho no dia seguinte com reduçao de seu salário dos seus dias em casa. Se a pessoa nao retornar no dia seguinte O patrão pode despedila.
        Se a doença for justificada pelo médico de contrôle, mesmo assim a pessoa tem horas autorisadas de saida de casa , porque se por acaso uma outra visita de médico passar nos horários nao autorisados a pessoa perde todos os seus direitos….
        Enfim , como disse muito bem Patty , temos que lutar por nossos direitos em beneficio de todos, mas todos tem que seguir as regras. Penso que tudo está na cultura do país.

        Já aqui na Tunisia , o povo reclama seus direitos mas seus deveres … Sómente daqui por muitos anos porque também nao dão exemplos à nova gereção…

        Uma boa semana???

        • Patrícia Lages diz:

          Pois é, se aqui no Brasil o médico fosse verificar em casa se a pessoa está mesmo doente teria ingratas surpresas!! Beijos!!

  • Nilsa diz:

    Muito forte a palavra . Amém.

  • loide diz:

    Bom dia Patricia , gostaria de agradecer porque através dos seu livros consegui resolver muitas coisas na minha vida financeira ,muito obrigado aprendi a colocar a casa em ordem .

    • Patrícia Lages diz:

      Fico muito feliz com isso, Loide. Parabéns!! ????????

  • Ana Carla Saud diz:

    Genial Patrícia! Trabalhar e fazer o melhor é realmente muito edificante. Não podemos olvidar que realmente, há pessoas que até “ganham” bem. Sim “ganham” bem demais” para o pouco ou nada que fazem. Mas há uma multidão de gente boa ganhando salários que são irrisórios. Por exemplo, os BONS professores são tão mal remunerados quanto os “MAUS” professores. A grande maioria da classe política é bem remunerada e realmente “ganha” muito dinheiro, sem sequer precisarem apresentar um projeto de real interesse para os seu eleitorado. Ao contrário, a ordem é gerir mal os fundos oriundos dos impostos que todos pagamos. Os coletores de lixo, que estão expostos a vários riscos de acidentes, odor desagradável e bactérias de todo tipo, auferem renda vergonhosa. Há centenas de funcionários públicos pelo país afora que “ocupam” cargos não por mérito, mas por fraudes e indicações e não mereceriam nem “ganhar” o salário mínimo nacional.E há trabalhadores que ganham apenas o salário mínimo nacional, para uma jornada de 40 horas semanais, que são dedicados e não conseguem nem sequer pagar o aluguel e a alimentação, vivendo em situações precárias. Em nosso país, há um grande desequilíbrio nesse setor do “trabalho-renda-mérito”.

  • Rosa Carla diz:

    Boa tarde, nos últimos dias venho ouvindo e vendo vários comentários sobre essa jornada de trabalho de 80 horas, fui procurar me inteirar sobre o assunto e o que mostra é que o presidente das industrias fez um comentário sobre a jornada de trabalho que os franceses poderiam fazer, não sei se foi aprovada essa lei por lá. O dito cujo comentou com o nosso presidente interino sobre o assunto, mas venhamos e convenhamos aqui não poderia aplicar tal lei, pois lá seria pago o extra, lá a jornada de trabalho é de 35 horas aqui é de 44 horas semanais, lá seria pago horas extras e em momentos extraordinários isso viria há acontecer, foi um comentário infeliz do senhor em questão. Não tem nada por enquanto que mostre além da indignação da população sobre o assunto, nada mais justo. E Patrícia estou juntando dinheiro para poder comprar o seu livro e começar a minha escalada a liberdade das minhas dívidas. Obrigada pelo seu prestimoso conselho.

    • Patrícia Lages diz:

      Eu sei que há casos em que trabalhadores são explorados e creio que seus direitos têm que ser assegurados. Mas, por outro lado, é muito difícil encontrar um funcionário que vista a camisa da empresa e trabalhe com afinco. É um para cada 100… Que nós possamos virar esse jogo em todos os sentidos!

  • Marcia Diniz diz:

    Sucessou foi ótimo Patrícia. Bom texto!

  • Michelle de Carvalho Pereira diz:

    Oi Paty, boa tarde!
    Você poderia me dar uma orientação, por gentileza?
    Eu fiz um empréstimo, há 2 anos atrás, para fazer uma obra grande na minha casa, o valor foi de R$15.000,00 que foi usado juntamente com um outro valor que tinha guardado.Esse empréstimo foi feito através da Caixa Economica( Construcard),com juros referente a tabela PRICE.
    Com essa obra, melhorei minha casa e temos um outro imóvel, o qual agora passará a nos render uma renda extra.
    Ainda estou pagando o contrucard, são parcelas no valor de R$ 338,96, que são debitadas na minha conta corrente.
    No propósito de Fè que estamos vivendo, Deus me mandou fazer trufas recheadas, para vender( eu nunca tinha feito), obedeci e estou vendendo bastante,…Vou continuar após o proposito. Com essa renda extra, gostaria de saber o seguinte?
    O que é mais vantajoso para mim?
    Pagar mais uma parcela do empréstimo(acho que seria a a do mês e a última com desconto), ou pegar detrerminado valor desta renda extra e investir?
    Agradeço sua atenção e aguardo sua orientação.
    Um grande beijo!

    • Patrícia Lages diz:

      É melhor adiantar as parcelas, pois os juros de empréstimo são maiores do que dos investimentos para esse valor. Abs!

  • Vânia Maria Gabriel de Souza diz:

    Retomando leitura dos meus “Bolsas” e economizando para recomprar meu “Virada”porque alguém tomou emprestado e “a pessoa aqui”, sem planejar, esqueceu de anotar o nome de quem o levou!
    Erguendo a âncora! Sucessando! Porque é sempre tempo!

    • Patrícia Lages diz:

      Sucessar é o verbo!!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: