Extinção da privacidade

Privacidade é um substantivo que caminha para a extinção e, como todas as coisas, tem seu lado bom e ruim. Confira o post e prepare-se para essa realidade.

cuidadoA vida moderna trouxe consigo a perda da privacidade, mas muitas vezes nos esquecemos disso. Se você soubesse ao certo quantas câmeras estão filmando os seus passos desde a hora que sai de casa até seu retorno, talvez ficasse surpresa.

São câmeras nos elevadores, espalhadas pelas ruas, nas lojas, as inúmeras de segurança onde nem sequer sabemos que estão lá, nos transportes coletivos e tantas outras. Mas não são só essas, pois não podemos esquecer das câmeras nos incontáveis celulares e tablets nas mãos de qualquer pessoa comum. Todo mundo hoje pode filmar quem quiser, a hora que quiser e dar o contexto que desejar, publicando facilmente internet afora.

O lado bom é, por exemplo, que aquela emissora de TV que costumava manipular fatos livremente – chamando isso de jornalismo – já não pode mais. Agora não dá para dizer que houve “apenas mil manifestantes” em determinado movimento (que lhe convém dizer que foi um fiasco), quando milhares de pessoas gravaram e mostraram em suas redes que houve 100 vezes mais manifestantes… Está um pouco mais difícil nos fazer de vaquinhas de presépio.

O lado ruim é quando não sabemos lidar com o fato de que não somos mais simples pessoas físicas, agora também somos pessoas públicas.

As redes sociais entraram na sua vida com a sua permissão, mesmo que você não saiba ao certo o potencial de alcance que elas têm ou o que podem fazer com seus dados e de seus familiares e amigos. Afinal, quem aqui já leu (do começo ao fim) os termos de uso que temos que clicar em “aceito” antes de nos cadastrarmos? E ainda que você tenha lido seria possível dizer que entendeu tudo 100%? Entendendo ou não é simples: aceita ou fica de fora.

Nas redes é possível saber muita coisa sobre você e, diga-se de passagem, muito mais do que você se lembra de ter publicado… Quem não ficou surpresa quando o Facebook avisou que você havia se tornado amiga de Fulana de Tal há 2 anos? Ou mandado fotos da sua aparência dos anos anteriores? Cruzando informações, dá para saber muito mais do que onde você foi, com que foi, o que achou do assunto da redação do ENEM, se está sem dinheiro, sem vontade de arrumar a casa, esperando o sábado chegar etc. etc. etc.

Por mais que se fale que devemos ter cuidado nas redes, ainda é possível ver pessoas perdendo amizades, casamentos, oportunidades, emprego e até mesmo colocando a si mesma e à sua família em risco. Tudo pelo simples fato de terem publicado mais do que deveriam.

Em razão do crescente número de pessoas se dando mal na vida real por se expor demais no mundo virtual, trago esse vídeo que circulou muito na internet e que está completando 3 anos neste mês. Assista, compartilhe e ajude seus amigos a relembrarem que a rede pode ser muito perigosa quando usada da forma errada. E, para terminar:

Não adianta publicar nas redes frases como: “Respeitem minha privacidade”, quando é você mesma quem torna público cada passo particular da sua vida. Cautela!

Pessoal do Rio de Janeiro, amanhã teremos uma super novidade para vocês, fiquem ligadas!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Gezane Santos de Almeida diz:

    Boa noite Patricia!! Hj eu já não posto meus passeios com família, e outros tipos no facebook e nem em outros meios sociais!!!é um perigo para nossos filhos tbem!! Bjs

  • Camille Lago diz:

    Eu já tinha visto esse vídeo, é sensacional.

    “Pessoal do Rio”: Êeeeeee!

  • luana Rocha diz:

    Aqui em Florianópolis aconteceu um sequestro e a forma de conseguir os dados fa família foi pelo Facebook . http://m.brasil.estadao.com.br/noticias/geral,rede-social-e-usada-em-sequestro-de-menino-de-9-anos-em-ilhota-sc,1507015

    É preciso ficar em alerta. O detalhe é que foi a própria mãe que postava as informações.

  • Joselene Lima diz:

    É isso ai, muito bom!

  • Jarlenys Dias diz:

    Olá, Paty.
    Há 5 anos atrás, eu inocentemente postava as coisas pessoais da minha vida, descrevendo os meus problemas e partilhando como forma de chamar atenção. Como fui tão burra! Até hoje sinto-me muito envergonhada e com essa vergonha fez que eu desativasse a conta do Facebook por eles saberem demais da minha vida. Tive de apagar as todas publicações que tenho feito há 5 anos atrás e também tirar os gostos nas fotos que não tinham nada a ver com a minha Fé. Mas dou graças a Deus, eu não posto as coisas pessoais da minha vida diária como ” vou ao shopping com minhas amigas; vou a Igreja; vou dormir. Boa noite; blá, blá, blá “. Apenas posto, compartilho as mensagens da Fé da Igreja, dos bispos e também os meus desenhos. Até hoje não sinto falta do Facebook.
    Muito pelo contrário, sinto falta da minha privacidade.

    Obrigada pela alerta.
    Que Deus Te abençoe.
    Beijinhos blindados

  • Delândia diz:

    Bom Dia Blindetes Linda de Viver !!!

    Gostei muito do post, precisamos discernir o certo do errado, e ter cautela !

    Beijos…

  • Rafaela diz:

    Haaaa…
    Ótimo texto.
    Devemos orientar nossos filhos quanto a isso. Exposição demais nunca é bom.

  • Gertrude Cardoso diz:

    Muito bom, esse vídeo, pra dizer a verdade não gosto de postar o meu dia a dia em redes sociais . obrigado com esse vídeo, vou ficar ainda mais cautelosa.

  • Fernanda diz:

    Muito bom, interessante.
    E eu já não gosto muito de colocar coisas na internet…
    bjos

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: