No afã de queremos dar conta de tudo, assumimos tarefas demais e nos sobrecarregamos. O que fazer quando chegamos ao limite? Esse é o assunto de hoje!

Sobrecarregada, e agora?

A maioria de nós tem de dar conta de tarefas que nos deixam sobrecarregadas.

Às vezes não se trata da quantidade de coisas que temos de fazer, mas, sim, da dificuldade na realização ou do estresse que algumas atividades trazem.

Pode ser que a sua amiga tire de letra aquela tarefa que deixa você maluca e você acaba se achando um fracasso…

“Como pode ser que ela faça isso na maior facilidade e eu tenha que me matar para ter o mesmo resultado?”

Pois é, somos diferentes. E o primeiro passo para tirar a sobrecarga é não se comparar.

Umas conseguem fazer várias coisas, outras não.

Umas reagem bem a situações adversas, outras não.

O que é preciso é que você se compare e a si mesma e busque ser melhor do que você mesma.

 

Ser uma melhor versão

Há pessoas que, diante de um problema, reagem ficando caladas, outras gritando etc.

Você precisa entender como reage diante das situações e analisar se a sua reação ajuda ou atrapalha.

Não se trata de gritar com todo mundo quando está estressada porque você leu na internet que é assim que se libera o estresse…

Mas sim, de entender o que funciona para você e não prejudica as pessoas ao seu redor.

Antes, eu falava até esgotar o assunto que estava me sobrecarregando e achava que era a melhor estratégia, mas o problema é que falar com o estresse em alta acabava ofendendo quem estava ouvindo…

De nada adiantou ficar me comparando aos outros e vendo como eles reagiam para “copiar”.

Foi preciso entender que aquilo não estava bom e me propor a mudar.

Hoje, eu prefiro esperar o estresse baixar para, então, resolver o problema.

Com isso, posso até perder o “timing” da discussão, aquele “momento certo”, mas evito de me aborrecer ainda mais ou de aborrecer os outros.

Isso é um exercício constante, pois quando estamos acostumadas a reagir de uma forma por muito tempo, é difícil mudar e leva muito tempo até se tornar algo natural.

Mas é assim que você trabalha para desenvolver uma melhor versão de si mesma e não uma cópia do que alguém disse ser o certo.

 

Autoconhecimento, uma arma poderosa

Conhecer a si mesma é algo tão difícil quanto necessário, por isso, invista em se conhecer.

Pense no motivo que faz você fazer certas coisas, porque age como age, porque se porta desta ou daquela forma.

E se você não tem se reconhecido na maneira como tem agido, podem ser questões hormonais, pois nós, mulheres, somos altamente influenciados por elas.

Mudanças de humor ou reações que nem você mesma esperava que pudesse ter podem ser devido a mudanças hormonais, por isso, é bom saber como anda a sua saúde nesse sentido.

E você, tem se sentido sobrecarregada? Tem agido de formas que têm deixado até mesmo você surpresa?

Deixe seu comentário e vamos ajudar outras meninas a entenderem melhor que não é só com elas que isso acontece!

 

Nos vemos!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Eu cobrou muito de mim mesma, quero pegar tudo pra fazer e quando não dou conta acabou me frustrando comigo mesma e descontando nas pessoas mais próximas, como minha família. Faço mil coisas em um só dia e acho que todos tem que ser igual. Sei que estou errada, mas não consigo agir diferente. Tento não falar no calor do momento, mas é tudo um processo. Tenho pedido muito a Deus, porque algumas mudanças somente Ele é pode fazer.

  • Boa tarde D. Patrícia chamo me Fernanda.
    Este tema tem muito haver com a situação que estou a passar neste momento.
    Estou com um problema não consigo deixar este party time porque o dinheiro está a fazer-me um jeito enorme.
    Só que não consigo conciliar os dois trabalhos. Estou a sentir me cansada e estressada. E hoje acabei sabendo de que a partir do mês de Outubro vou ficar desempregada. Estou com 49 anos vou fazer 50 em Setembro e estou numa fase complicada de muitas mudanças de humor repentinas. Ora estou alegre e de repente estou triste com vontade de chorar. Mas tento sempre controlar me. Até quando não sei.
    Desculpa este testamento todo mas está difícil para mim.

    • Consulte uma ginecologista para ver os seus hormônios, essas coisas deixam a gente doida!!

  • Eu tenho passado por isso, tive mudanças de residência urgente, mudança no trabalho, mudanças com meu filho devido todas essas mudanças, e também passando p/ entrar na menopausa, assim disse o médico, agora estou tomando medicação pra saber se é questão hormonal ou stress devido a mudanças repentina.Parece que tudo me cansa, vontade de ficar só deitada, mas não posso me dar ao luxo, tenho uma casa pra ajudar a sustentar.Só Jesus pra nos sustentar.

  • Sempre estamos sobrecarregadas, no afã de realizarmos as nossas responsabilidades da melhor maneira, estamos sempre no limite, fadigadas, esgotadas, ufa, e isso nos traz o estresse, doenças físicas e psicológicas, quando estou cheias de tarefas, me sinto ansiosa e com isso não consigo respirar profundamente, como se estivesse com falta de ar. Tenho buscado o refrigério em Deus, Ele nos fala a hora de pararmos e também nos mostra as coisas mais importantes para priorizarmos.

  • Olá Patrícia, recentemente ouvi o testemunho de uma jovem mãe empreendora sobre começar, parar, desidtir, recomeçar e nesse processo se passaram 10 anos e essa moça percebeu que depois de casar e ter filhos a vida mudou drasticamente e a profissão ficou estacionada e de repente ela se descobriu como escritora, blogueira e youtuber da maternidade. A vida dá volta perdemos algumas oportunidades, o tempo passa é verdade, mas surgem outras oportunidades, agora é preciso planejar, agir com estratégia, otimizar e realmente começar e terminar um projeto, mas sem tanta cobrança, mas assumindo um compromisso com o espelho, curtindo o processo e finalmente concluir e sentir prazer satisfação no que foi realizado. Acho fundamental rotina, disciplina, agenda, poucos compromissos, fazer um devocional diário e agir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *