Eis aqui o que está destruindo nosso país

Direto ao ponto: o que vem reduzindo este país a uma nação de semi-selvagens é o exercício de pequeno poder. Será que você é vítima desse mal?

Conversando com pessoas, dando uma lida no Facebook ou apenas observando comportamentos ao nosso redor, facilmente notamos que, de uns anos pra cá, muita coisa mudou para pior.

image

Apenas nestes primeiros dias de 2016 já tenho uma coleção de exemplos de como as pessoas estão abandonando a civilidade e se comportando como semi-selvagens ao exercerem seus “pequenos poderes”.

  • A futura aluna, por ser cadeirante, pergunta à recepcionista da escola se há rampas de acesso, pois obviamente não consegue subir as escadas sozinha. A recepcionsta, exercendo todo seu poder, responde quase gritando: “Não! Não tem! Vai denunciar? A fiscalização já passou aqui e não deu nada!”
  • A moça comprou o carro zero dos sonhos, mas ao buscá-lo na loja, descobre um defeito. Deixa o carro novo já para ser consertado, mas ao voltar para retirá-lo o defeito continua lá, acompanhado de um amassado novinho em folha que fizeram tentando arrumar. Ela reclama, diz que quer outro carro, mas o rapaz da oficina, exercendo todo seu poder, diz: “Filha, você não está nos Estados Unidos!”
  • As colegas de trabalho se reúnem para comprar um bolo e telefonam para a confeitaria para conhecerem as opções. O atendente, exercendo todo seu poder, decide que o telefonema não merece atenção, faz um comentário grosseiro do tipo “bolo é bolo, não sabe o que quer, não me amole!” E desliga na cara da cliente.
  • A enfermeira, com ares de ser superior, atende a paciente e decide que ela não está passando mal (embora os sinais mostrem que está) e diz que não é caso para encaminhar ao médico. A família insiste na consulta, então a enfermeira, exercendo todo seu poder, decide “dar uma lição” na família “mandona” e os faz esperar 5 horas pelo médico que, por sua vez, receita um AAS infantil e manda a paciente para casa. Porém, a paciente volta no dia seguinte ainda pior. A enfermeira se zanga, pois “aquela gente não aprendeu a lição”, então decide exercer todo seu poder novamente, e dar uma canseira ainda maior.
  • O homem buzina exageradamente para uma ciclista que passeia descontraidamente pela ciclovia. Quando ela olha para o carro, o motorista, exercendo todo seu poder de “dono da rua” grita para o bairro todo ouvir: “aqui não é Amsterdã, sua ****!” Ele acelera e some, enquanto ela fica vermelha, sem entender como um desconhecido ofende publicamente sua moral só porque ela decidiu dar um passeio de bicicleta…

Como classificar pessoas que praticam diariamente seu exercício de pequeno poder senão de semi-selvagens? Pessoas que acreditam que o poder está em diminuir o próximo, em serem tiranos e em agirem como se estivessem acima do bem e do mal. Pessoas que perderam a habilidade de conversar e agora só se comunicam por meio de ofensas vazias. E tudo isso a troco de nada…

Mais absurdo do que isso é ouvir essas pessoas dizerem que “só Deus pode julgá-las”, como se isso não fosse nada. Saibam “pessoas poderosas” que Deus irá julgar a todos, portanto, todos que desfrutam de sã consciência deveriam temer tal julgamento.

Temer o diabo é para os fracos, porque se ele se levantar, Deus pode livrar. Mas quando Deus julga e sentencia, quem poderá livrar o réu?

Exerçam seus pequenos poderes e apoiem-se na impunidade, mas saibam que ela não durará para sempre.

Nos vemos!

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Espiritual, Ética
  • DELÂNDIA SILVA diz:

    Bom Dia Paty, saudades !!!

    Interessantíssimo o post, outro dia minha líder disse isso que você falou, quem poder se defender do julgamento que vem do Céu ???Que possamos avaliar, e guardar no coração cada ensinamento.

    Beijos minha amiga linda

  • Miriam diz:

    Boa mensagem.Temos vivido dias assim ,e tem ficado de boca aberta ao perceber isso,as pessoas esqueceram do julgamento de Deus.

    • Francinalda Xavier de Sousa diz:

      Bom dia!É verdade, cada dia que passa está ficando bem pior! Hoje pela manhã ao vir para a faculdade, também fui vítima desse “pequeno poder”; imagina, eu atravessando a rua e vi que dava tempo de passar, mesmo com uma moto em aproximação a alguns quilômetros; mas, o motoqueiro não podia deixar de exercer seu “pequeno poder”: acelerou e resmungou: “você não é dona da rua…”; continuei no meu caminho e pedi pra Deus ter misericórdia daquela pessoa. Enfim, todo dia, toda hora,somos vítimas desse jogo desumano; preconceito, abuso, desrespeito, rejeição; até mesmo, por familiares. Mas, não podemos perder a fé! Sempre vou seguir no caminho no qual fui educada e que a bíblia ensina; caminho árduo, mas o correto: Ama o teu próximo como a ti mesmo! Obrigada pelo post! Excelente. Glória a Deus!

  • Mariana Constantino diz:

    Patty, eu sempre digo isso, que o problema do país não são somente os políticos, como cobrar honestidade de políticos se acontecem situações como os exemplos acima todos os dias?
    Outro dia vi uma reportagem em que a mulher culpava o governo pela enchente em seu bairro, que deveriam construir um piscinão, mas quando mostrava a imagem da enchente aquele monteee de lixo boiando, que não foi o governo que jogou.
    As pessoas não querem se ajudar, não se colocam no lugar do outro, não ajudam e isso é uma doença.
    Outro dia vi uma pregação da Missionária Bianca Toledo, onde ela dizia que os dias são maus, e vão só ladeira abaixo 🙁

  • Charlene diz:

    E a luta continua para nos tornarmos pessoas melhores porque o mundo lá fora tá muito complicado mesmo… Bjs Paty. Na fé!

  • Diana diz:

    Show Patrícia…
    Muito bom.
    Obrigada,
    Mil beijinhos, fique com Deus.

  • jaqueline carvalho diz:

    Paty,esse post foi maravilhoso como sempre,e me fez lembrar que essa semana observei algo exatamente igual ao que vc descreveu.Eu peguei um ônibus que o motorista ja era um senhor,e ele era tão mal-humorado que se eu pudesse tinha descido daquele ônibus,não fosse o horário eu desceria mesmo.Mais o que eu queria falar mesmo era umas poucas e boas para aquele homem,pois além de palavrões,cada passageiro que entrava ele reclamava por trás deles e xingava quando tinha que parar o ônibus para as pessoas descerem,xingava os outros motoristas,acho que ele queria uma cidade só para ele.E eu me perguntava pq esse senhor e tão de mal com a vida?pq ele esta nessa profissão?será que os anos que ele pode ter na empresa o fazem pensar que nunca sairá daquela empresa?,ou pq certamente o seu patrão nem sonha que ele vai com toda essa disposição trabalhar?enfim foram tantos questionamento que eu me fiz que só pedia a Deus pra chegar sã e salva na minha casa e sair daquele ônibus onde a impunidade continuaria a existir e eu não queria mais pagar o pato ouvindo uma pessoa que se mostrava extremamente infeliz em exercer tal profissão.

    • Patrícia Lages diz:

      Uma pena mesmo, mas vc fez bem em não discutir. Ser pacificadora é a melhor saída!

      • jaqueline carvalho diz:

        Pacificadora,essa é a palavra que aprendi o seu significado amplo e venho meditando e tentando por em prática em todas as situações que venho passando.

  • Vanessa diz:

    Meu Deus… é inacreditável, que coisas assim aconteçam…Quem livrará das Mãos de Deus???

  • MARIA APARECIDA SILVA diz:

    O QUE DIZER DIANTE DE TUDO ISSO…POIS AQUI ONDE EU MORO TEM UMA ESCOLA PARTICULAR CUJA PORTA DE ENTRADA E SAÍDA FICA BEM EM FRENTE AO MEU PORTÃO QUE É DO OUTRO LADO DA RUA. E TODOS OS DIAS EU TENHO QUE PEDIR POR FAVOR AOS PAIS PARA TIRAREM SEU CARRO DA FRENTE DA MINHA GARAGEM PARA EU PODER SAIR OU ENTRAR COM O MEU. INCLUSIVE QUASE PERDI A CABEÇA COM UM SENHOR QUE SE FEZ DE DESENTENDIDO AO ME VER CHEGANDO DE CARRO E ACENANDO PARA QUE ELE RETIRASSE O SEU CARRO DA FRENTE DA MINHA GARAGEM. ELE AINDA DISSE QUE A MINHA CALÇADA ESTAVA MUITO ALTA PARA SER UMA GARAGEM , E ELE NEM OLHOU QUE LA DENTRO HAVIA OUTRO CARRO. OU SEJA ESTAVA ERRADO E NÃO QUIS ADMITIR, QUIS ESTAR COM TODA A RAZÃO. TIVE QUE PARAR DO OUTRO LADO DA CALÇADA DESCER DO MEU CARRO PARA FALAR COM ELE. E SABE O QUE ACONTECEU…ELE ME DEU AS COSTAS E ESPEROU A CRIANÇA DELE SAIR DA ESCOLA PARA PODER TIRAR O CARRO DELE E EU ENTÃO PODER ENTRAR NA MINHA GARAGEM COM O MEU.

    • Patrícia Lages diz:

      Infelizmente ele está dando um péssimo exemplo para a criança que foi buscar na escola. Mais do que você é essa criança que vai pagar o pato, pois vai crescer vendo exemplos como esse e futuramente será mais um a maltratar os outros…

  • LIZIANE BAHENA SCHATZMANN diz:

    Oi Paty,acompanho todos os dias teu blog e tenho aprendido muito com você.
    Que Deus continue te usando grandiosamente.
    Só vejo uma forma de mudar um pouco esse quadro,que é fazendo uma corrente de educação e gentileza e, não nos deixar contaminar por esse ” vírus “.
    Abraços

  • MARIA APARECIDA SILVA diz:

    FALTOU O EXERCÍCIO DA CIDADANIA E RESPEITO AO PRÓXIMO.

  • geyse diz:

    Eu gostaria de sua ajuda é seguro trabalho de free lance para escrever, pois estou pensando em atua neste mercado, mas não conheço nada a respeito. Desde já agredeço Paty.

    • Patrícia Lages diz:

      Não entendi a pergunta, poderia explicar melhor?

  • Cidalia- Tunisia Africa do Norte diz:

    Boa tarde Patty,
    O Mundo de pés para à cabeça mesmo.Mas nāo é só no Brasil ,vejo esses comportamentos também aqui …
    Mas essas pessoas grosseiras nāo ajem da mesma forma com todos, é só saberem que na testa está escrito ” posiçāo social” , e elas se tornam muito educadas mas é só fachada claro , porque frente de Deus ninguém O engana.
    Obrigada , beijinho
    Cidalia

  • Ida diz:

    Arrasou Paty!

  • Michelle diz:

    Love is life, people! ???

  • Josefa diz:

    Que palavras Paty, essas, abala as estruturas de qualquer um, para pensar, como estamos agindo com o semelhante. Louvo a Deus pela a sua vida. Bjs

    • Patrícia Lages diz:

      😀

  • luana Rocha diz:

    Hoje passei por uma situação que ilustra bem este post.
    Casei e por opção adicionei o nome do meu marido. Fui ao banco (privado) pedir para alterar meu cadastro e o nome no meu cartão.
    Eis que o gerente que nunca me viu na vida me diz com toda a razão do mundo.:
    “Porque você foi mudar de nome olha só a trabalheira que isso vai te dar…. foi teu marido que obrigou”
    Sorri disse que tinha sido minha opção e ele inconformado com a minha resposta fez cara de pouco caso e me atendeu super mal.
    Gostaria de ter dito várias coisas mais com certeza teria encontrado vários obstáculos para atualizar meus dados.
    É melhor calar do que se estressar.

  • Patricia diz:

    Oi Patricia, tem tempo que não venho aqui. Tantas coisas aconteceram esse ano. Depois de dois anos morando na Noruega, sendo edificadora do lar, eu consegui um emprego aqui. Não tenho palavras para agradecer e dizer o quanto seu blog me ajudou. Me sinto uma vitoriosa. Guardo comigo tudo que aprendi no seu blog e ponho em prática no meu novo emprego.

    Mês passado, visitei o Brasil, RJ. Havia me esquecido da falta de educação de algumas pessoas, principalmente no trânsito. Fiquei de cara com tantos xingamentos e buzinadas que levei por parar no sinal amarelo ou na faixa de pedestre, como é comum por aqui. E da quantidade de assaltos que ouvi e vi em 20 dias que fiquei ai. Amo meu país e minha família daí, mas é de doer o quanto nosso Brasil está atrasado. Ainda bem que existem anjos como vc que fazem a diferença.

    Muito obrigada por seu valioso trabalho!

    Beijo!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: