Hoje vamos tratar de um assunto de extrema importância para que você não se deixe enganar pelas doutrinas que estão sendo disseminadas Brasil afora. Confira!

Socialismo, você sabe o que é?

O Brasil está vivendo uma divisão nunca vista anteriormente.

A direita contra a esquerda, a intolerância generalizada e, em meio a isso tudo, surge o verdadeiro problema:

A falta de conhecimento da população.

Por isso, o texto de hoje do R7 precisa ser lido, relido, compartilhado e debatido para que possamos desenvolver nossa consciência como cidadãos.

Não, não é um texto chato.

Não é perda de tempo.

E sim! Você precisa saber sobre esse assunto, pois ele tem tudo a ver com o seu presente e o seu futuro.

Depois de ler esse texto você vai entender porque a sua vida está como está, principalmente se você está endividado.

Leia, analise, medite e compartilhe!

Nossa coluna no R7

Se você está chegando agora e ainda não sabe, todas as quartas e domingos temos um espaço especial no portal R7.

Para facilitar, fazemos um post aqui no blog com o link para você encontrar fácil a coluna do dia.

 

 

Para ler o texto “O que você não sabe sobre socialismo”, clique aqui.

 

 

Nos vemos!

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Patrícia,
    gosto muito das suas dicas de economia, e já me ajudou muito, por exemplo a planear-me financeiramente para um projeto grande que eu via como impossível. E agradeço-lhe por isso.
    Já tinha notado a tendência mais anti-esquerda, mas eu tenho evitado comentar muito sobre essas coisas, pois é desgastante, uma pessoa acaba a criticar o outro, gasta tempo e energia e nada muda, enfim… às vezes, acho mais correto e mais justo ficar calada.
    Mas não pude ficar indiferente a este post: a Patrícia dá promessa no título de revelar “segredos” ou coisas obscuras que as pessoas ainda não sabem… dá impressão que o seu interlocutor não tem opinião política própria, que não leu, que não tem espírito crítico, etc. Ora, tudo o que você expõe no texto é demasiado simplicista, e como todo o discurso desse tipo, corre o risco de ser apenas uma opinião pseudo-fundamentada que pode de facto “colonizar” mentes mais recetivas a esse tipo de ideia.
    Ora, eu tenho lido muito ao longo dos anos, MUITO, ouvido muitas pessoas de esquerda e direita. Já estudei muito história, sociologia, antropologia, economia, e outras coisas como ecologia, saúde mental, etc.
    O debate não é assim tão simples. Não é mesmo. Eu sou militante de um partido de esquerda aqui em Portugal e conheço bem o lado mau do discurso, a fraqueza das ideias, muitas vezes até uma certa alienação ou má fé. Mas isso tudo ainda não me convenceu que capitalismo é uma coisa boa, simplesmente porque não é. Se me permite a sugestão, Patrícia, tente ver o lado de quem nasce em contextos muito precários, pense que nem todos têm uma personalidade competitiva, pense que não todos têm talentos valorizados pelo mercado de trabalho , etc. Pense como o capitalismo tem adoecido pessoas, física e psicologicamente, devastado o planeta, tornando logo um bebé num trabalhador (todos à volta ficam logo preocupados nas suas competências para o mercado de trabalho, etc. ).
    Não conheço muito da realidade brasileira, embora tente acompanhar o que se passa. E pelo que eu observo daqui, muitas pessoas que eu admiro muito (intelectualmente, inclusive), são de esquerda. Não me quero alinhar nisso, só por isso, mas eu procuro ouvir pessoas que eu acho bem preparadas intelectualmente e que me parecem ter bom carácter.
    O que se pode pensar, e isso acho que é o grande debate, é o que é o socialismo. Até lhe poderia chamar de outra coisa. Preto, branco, cinzento ou amarelo. Mas da forma como está, desculpe, mas uma alternativa ao capitalismo é URGENTE.
    Se algumas pessoas que se apresentam com muitas promessas com essa conversa de socialismo são competentes e honestas, isso é outra discussão.
    Desculpe o desabafo, sei que é a sua opinião, e gosto de respeitar, mas não conseguir ficar indiferente.
    Beijos
    Sandra

    • Olá, Sandra. Eu não sou anti-esquerda, sou a favor da moderação. Acho que a palavra que mais uso aqui no blog é equilíbrio. A realidade aqui é muito diferente do que a mídia mostra. Aqui tb se fala que Portugal é socialista e que deu super certo, que tudo está ótimo e muitos brasileiros estão indo morar aí. Se Portugal fosse socialista (com toda intervenção do Estado que o regime impõe) vc não poderia ter me mandado esse e-mail de um computador via internet. Socialismo não é a maravilha que se pinta na mídia e ser 100% capitalista tb não é o caminho. Precisamos de moderação e, aqui no Brasil, precisamos parar com as divisões esquerda-direita. Bjs!

  • Ok, Patrícia, desculpe se a interpretação foi um tanto abusiva. Eu sou muito de esquerda mas tenho um conceito de esquerda bem diferente daquele que já foi experimentado e diferente daquele que os políticos falam (aqui falo dos portugueses, que conheço melhor) . Tenho noção que, por exemplo, em Portugal há um discurso anti- empreendedorismo, por parte dos partidos mais à esquerda, que eu acho uma “tontice” (eu sou super a favor das pessoas fazerem coisas, usarem a sua criatividade, os seus talentos e terem uma vida digna a partir daí). Eu também não entendo onde esse povo que se diz de esquerda (de novo falo de Portugal), pensa que vai arranjar os postos de trabalho que promete, com conversas de meras negociações de redução de carga horária, etc. Enfim, tenho muitas criticas a esse discurso velho, sem nexo, sem ligação com o presente. Mas igualdade de oportunidades, respeito pelos povos e pela sua autodeterminação, etc, eu defendo. Eu gostaria de uma esquerda mais apoiante de micro empreendedores, cooperativas, economia social e criativa, projetos associativos, sabe? De colocar as pessoas a resolver os seus problemas a um nível mais local, que hoje acho que daria para fazer, mesmo em setores mais inovadores e relacionados às novas tecnologias. A dependência dos muito ricos incomoda-me imenso, eu odeio a servidão, sabe? Enfim. Mas o capitalismo como é hoje, revolta-me e adoece-me. 🙁 Obrigada por ter respondido aparentemente sem se ter ofendido ,: às vezes é difícil dizer o que se pensa porque as pessoas ficam chateadas ;-). beijos 😉

    • Não me ofendi de modo algum, ao contrário! Precisamos de mais gente debatendo e isso vejo pouco.
      Creio que vc gostaria de um regime moderado, o que eu entendo e apoio. Mas a extrema esquerda é como ela é: anti-empreendedorismo, paternalista e sempre querendo que “alguém” pague a conta por trabalhar pouco e ganhar muito. Os super-ricos não me incomodam, o que me incomoda é que a esquerda aqui os deixou ainda mais ricos, isso sim é de se incomodar porque é à custa da classe média (maior pagadora de impostos) e dos mais pobres (que nem sequer percebem, pois estão anestesiados com as coisas que compraram em 12 vezes “sem juros”). Mas a verdade é que muitos pagaram 2 ou mais vezes pelo que compraram (cheios de juros) e o povo está altamente endividado (como nunca antes). E, como eu disse, os ricos ainda mais ricos. Isso é o socialismo brasileiro, onde os militantes postam fotos de seus protestos feitas com seus iPhones…
      Mas aqui vc tem um canal para dizer o que quiser sem medo de chatear ninguém! 🙂

  • Acredito q nenhum governo radical, nem de esquerda e nem de direita seja o ideal. Porém não posso concordar q o governo do PT tenha sido socialista, muito pelo contrário acho q foi mais capitalista, pois o consumo desenfreado não combina com o socialismo. Acredito q o governo q terminou teve erros e acertos, como todos. Mas acho q o q falta na verdade é educação financeira para a população, não é pq tenho crédito q posso gastar como se não houvesse amanhã. Temos de ter responsabilidade por nossas escolhas, a economia depende de diversos fatores e até países muito mais estáveis do q o nosso já passaram por isso, vide a crise econômica dos EUA em 2008 q assolou a maior economia do mundo, devido a especulação financeira. Não acredito nem no socialismo e nem no capitalismo, não acredito em esquerda ou em direita, acredito q dos dois lados sempre existem pessoas boas e bem intencionadas e outras não. O q me incomoda hj em dia é a intolerância, as pessoas muitas vezes não querem ou sabem dialogar, as vezes torcem para as coisas darem errado só pra ter razão. Não sei em quem votar neste ano, mas independente de em quem vou votar ou quem vai ganhar, torco para q faça um bom mandato. Quero q as pessoas se unam pelo melhor para todos, sem rótulos.

  • Nesse furdunço todo, como não sei debater a respeito do socialismo, prefiro me ater a minha experiência pessoal: quero comprar…. só se tiver dinheirinho na mão…. nada de parcelar, nada de ficar montada numa riqueza que atualmente não é minha! E aprendo muito com os ricos: não esbanjam jamais…. e frequentam a 25 de março sempre! Isso é ser inteligente e conseguir dormir em paz sem passar vergonha!
    Ter o justo para viver (parece que já li isso na Palavra!) Provérbios 12:9 : “Melhor é não ser ninguém e, ainda assim, ter quem o sirva, do que fingir ser alguém e não ter comida.”
    Beijos e obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *