Desafio Detox #8 – Por que você é como é?

Quem nunca perguntou a si mesma: “por que eu sou assim?” Todas nós temos essa questão e geralmente não sabemos porque fazemos o que não queremos e temos dificuldade em fazer o que devemos. Esse é o detox de hoje!

ferida

Em todas as edições do nosso Desafio Detox recebo mensagens do tipo:

  • “Sei que devo ser mais organizada, mas não consigo! Já tentei de tudo, mas acho que nasci para ser bagunçada… Me ajude!”
  • “Estou indo mal na faculdade porque tenho preguiça de estudar, mas depois me arrependo. Por que eu não mudo?”
  • “Gasto mais do que ganho e sempre acho que alguma mágica vai acontecer e vou conseguir pagar as contas. Por que faço isso comigo mesma?”
  • “Se acontece algo errado na minha vida, me fecho e acho que a culpa é de todo mundo, e ainda saio dando patada em quem aparece na minha frente. Será que é por isso que não tenho nenhuma amiga?”

Para esse tipo de pergunta minha resposta era quase sempre a mesma:

“Você não muda suas atitudes porque ainda não decidiu realmente mudar. Quando a gente decide – de fato – mudar de comportamento nada nos impede. Não tem preguiça, não tem ‘tentação’, não tem desculpa: a gente faz o que tem que fazer e pronto!”

Isso é verdade em muitos casos, mas em outros a raiz do problema pode estar em fatores totalmente diferentes. Vou dar alguns exemplos:

Pode ser que você não consiga se organizar porque, quando criança, ouvia sua mãe dizer: “Você é uma bagunceira! Larga tudo jogado! Quando tiver sua casa vai parecer um chiqueiro!” De tanto ouvir isso você incorporou o título de “bagunceira” e hoje tem dificuldades em ser organizada. O mesmo com relação aos estudos. Tive amigas que iam mal na escola e diziam “Meus pais estavam certos, eu nunca vou ser ninguém na vida… Tá vendo como eu vou mal? Sou um fracasso!” 

Quanto aos gastos excessivos, talvez você tenha sido aquela criança que nunca teve nada, passou muita privação e hoje você quer “dar o troco” e não sentir mais aquela sensação de estar sempre por baixo. Ou você se enche de compras para tentar preencher um enorme vazio que sente dentro de si.

Quem sabe você não faz amigas porque um dia foi traída numa amizade e agora acha que todo mundo vai machucá-la. Você tenta se poupar de ser machucada novamente, então não se abre com ninguém.

Enfim, os exemplos são muitos e não caberiam aqui. Mas o que podemos perceber é que nossa infância diz muito sobre a pessoa que somos hoje. E não é porque não somos mais crianças que, automaticamente, os problemas, traumas e decepções ficaram no passado. Más experiências podem deixar feridas abertas que precisam ser cicatrizadas.

A maioria das pessoas acha que tentar esquecer é suficiente, mas na verdade não é. O desafio desta semana é que você analise seu comportamento e tente entender porque você age da maneira que age. Vá em busca da raiz do problema. Se preciso, faça uma lista de tudo que você quer e precisa mudar e comece a buscar respostas concretas.

Amanhã voltaremos com o Desafio #9 para sabermos o que fazer para curar essas feridas.

Nos vemos!

 

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Desafio
  • Shirley diz:

    Incrível Patrícia! Este post me fez chorar…sou muito organizada e adoro tudo organizado e limpo mas por mais que eu faça…faça e faça não tem jeito, mesmo meus filhos e marido desorganizam tudo a menos de nada e sujam também e acabo desistindo senão não faço mais nada da vida a não ser limpar e organizar a casa o tempo todo, é frustrante…e agora quando li o exemplo da mãe dizia “Quando tiver sua casa vai parecer um chiqueiro!” lembrei que a minha mãe dizia muito isso…E também me identifiquei no porquê eu sou tão gastadora e não consigo juntar nenhum dinheiro, quando eu era criança eu não tinha nada, sempre era tratada pelas minhas amigas e pelas mães delas como inferior…mesmo a comida em casa era muito básica, guloseimas quase nada, então agora eu tento compensar isso tanto para mim como para os meus filhos, não passo vontade de nada e tudo o que eles me pedem eu dou um jeito e dou aí fico sem nada, nem carro tenho, casa própria e acabo ficando frustrada e preocupada com o meu futuro…Vou esperar ansiosa pelo post de amanhã para saber como faço para curar estas feridas e finalmente mudar o que tanto me incomoda.

  • ivaneide diz:

    ****Pode ser que você não consiga se organizar porque, quando criança, ouvia sua mãe dizer: “Você é uma bagunceira! Larga tudo jogado! Quando tiver sua casa vai parecer um chiqueiro!” De tanto ouvir isso você incorporou o título de “bagunceira” e hoje tem dificuldades em ser organizada.
    ***Quanto aos gastos excessivos, talvez você tenha sido aquela criança que nunca teve nada, passou muita privação e hoje você quer “dar o troco” e não sentir mais aquela sensação de estar sempre por baixo. Ou você se enche de compras para tentar preencher um enorme vazio que sente dentro de si.

    descreveu minha infançia… exatamente assim.
    🙁

  • Cristina diz:

    Poxa, esse texto esse desafio mexeu fundo, nao sei se estou preparada para mexer nesses pontos que ja tenho ciencia que interferem na minha vida hoje.

    • Patrícia Lages diz:

      Quanto antes vc encará-los, mais cedo se livrará deles! ?

  • Juliana Maria diz:

    Patricia meu problema é que nao sei se posso ser alguem como meu irmao formado em quimica pela UNB ou o outro com 28 anos e dono de sua empresa de TI. Sempre fui boa aluna, pois minha mae que nos criou sozinha desde que eu tinha 3 anos, nao aceitava nota inferior a 8 em qualquer materia. Ou seja sempre cobrou excelencia de me e dos meus irmaos, mas sou a unica nao forma e nem casada. Ela vive me dizendo que a minha hora vai chegar e eu posso fazer o que eu quiser mas a verdade é que quero realmente casar, ter filhos, carreira e ser o orgulho dela só que com 31 anos já nao tenho tantas esperanças. Realmente me sinto o fracasso e vergonha da familia.

    • Patrícia Lages diz:

      Amiga, eu me separei aos 31 e comecei tudo de novo. Qual o problema? A questão aqui é que vc está se comparando a outras pessoas e querendo ser alguém para orgulhar uma terceira pessoa. Vc tem que viver a sua vida para si mesma, pois viver para os outros não tem o menor sentido. Viva a SUA vida e esqueça a dos outros. Sua mãe está certa: você pode fazer o quiser e ser quem quiser. Bjs

  • Marcia Barcelos diz:

    Bom dia Patrícia, meu Deus!!! como palavras tão simples e claras descrevem situações pessoais…vou aguardar pelo post de amanhã. Ultimamente tenho pensado muito porque não consigo organizar minha vida financeira definitivamente!!! E, com certeza, volto a minha infância: dormia no chão da sala na casa de outras pessoas, nada eu podia tocar, a casa não era minha, e por aí vai.. vejo que alguns resquícios ainda ficaram que me impedem de avançar em definitivo (vou até um ponto e me limito). Apesar de ser graduada, profissionalmente avançando, em casa e pessoalmente ainda tenho que resolver muitas questões. Obrigada sempre pelos post, eles me auxiliam muito.

  • Aline Matos diz:

    Bom dia Patricia! Quando criança e adolescente minha mãe me tirava cedo da cama, para arrumar a casa. Hoje não consigo me acordar cedo, já tentei de tudo, e como trabalho por conta nunca marco nada de manha. Mais se que preciso, pois não estou dando conta do meu trabalho e assim sei que não vou conseguir crescer profissionalmente!

    • Patrícia Lages diz:

      Aline, há pessoas que simplesmente não funcionam de manhã e não há nada de errado nisso. Se você rende mais começando mais tarde, termine mais tarde, qual o problema? Há milhares de trabalhos que podem ser feitos a qualquer hora, não deixe que isso te coloque para baixo!

  • Joselene Lima diz:

    Muito bom!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: