Seus filhos querem tudo o que veem pela frente? Não têm noção do preço das coisas? Você explica e eles não entendem? Então este post é para você!

Como ensinar as crianças a lidar com dinheiro

Muitos de nós não aprendemos educação financeira em casa, embora teria sido ótimo!

Afinal de contas, se soubéssemos lidar melhor com dinheiro não teríamos feito tanta bobagem, não é mesmo?

Por isso, separei 6 dicas para você saber como educar financeiramente os pequenos.

Se você prefere assistir, dê plaY e confira o vídeo.

Se, por outro lado, você prefere ler, segue um resumo das dicas!

1) Leve as crianças ao supermercado

Eu sei que muitos educadores financeiros aconselham os pais a não levarem as crianças ao supermercado, mas….

Não concordo com esse posicionamento!

Primeiramente, a infância é a época do aprendizado e deixar o seu filho não vai ensinar nada a ele.

Por isso, o que você deve fazer é aproveitar a rotina do dia a dia para que seu filho aprenda as coisas naturalmente.

A dica é você dar um valor em dinheiro para ele comprar o que quiser.

Para que a criança tire proveito disso, o valor vai depender da idade.

Diga que ele pode comprar tudo o que quiser, desde que possa pagar com aquele valor.

Só isso já vai fazer o seu filho desenvolver uma série de coisas que talvez nem você faça, mas deveria, como:

  • Observar preços
  • Comparar tamanhos
  • Analisar se não há outra opção melhor

Uma vez a criança fazendo isso, ela pode surpreender voltando para casa com o dinheiro!

Só que essa experiência só será rica se você fizer direitinho:

  • Não dê mais dinheiro do que o combinado
  • Não fique com pena por ele não conseguir o que queria

Afinal de contas, uma das grandes lições da vida saber lidar com as frustrações.

 

2) Ensine o desapego

Sem dívida, desapegar das coisas ensina as crianças que tudo o que é material acaba.

Além disso, a criança aprende a dividir e passa a entender que a doação é mais interessante do que o acúmulo.

Outra lição importante é ensinar a criança a vender algo que ela não quer mais para juntar e comprar outra coisa que ela queira.

Sabendo que ela vai doar ou vender futuramente, vai cuidar melhor as coisas que tem.

Ela vai valorizar os bens materiais, mas, por outro lado, não vai se apegar a eles.

Super lição essa!

 

3) Explique a diferença entre preço e valor

O preço é o valor que está na etiqueta, mas nem tudo o que tem preço tem valor.

Às vezes um produto é caro só porque está na moda e não porque realmente vale aquele número da etiqueta.

E o contrário também é válido, visto que nem tudo o que tem valor tem preço.

Um passeio no parque pode não custar nada, mas vai ficar na memória afetiva do seu filho muito mais do que um presente caro.

Por exemplo: você se lembra da maior memória afetiva da sua infância?

Eu acho que ela tem muito mais a ver com um momento simples do que com um presente caro, não é mesmo?

Foque em construir essas memórias de valor que não têm preço!

 

4) Dê mesada e ensine a poupar

É o mesmo princípio da experiência no supermercado.

A criança sabe que, com aquele valor, poderá fazer o que quiser.

Deixe ela tomar as decisões que achar melhor, por isso, cuidado com o valor que vai colocar na mão dela!

Se usar bem, ótimo. Parabenize e mais adiante vá confiando um valor maior.

E se ela fizer uma má escolha, deixe-a arcar com as consequências, assim, da próxima vez ela vai pensar melhor.

 

5) Explique a razão das coisas

Se tem uma palavra que não sai da boca de uma criança é “por quê”?

As coisas têm que fazer sentido para elas e, como dizia o Professor Tibúrcio do Castelo Rá-Tim-Bum, “porque sim, não é resposta!”

Quando a criança perguntar para que guardar dinheiro, explique que poupar vai ajudar a comprar o que ela quiser:

Passear com os pais, dar um presente para um amigo.

E se ela gastar tudo, depois não vai poder fazer nada disso!

 

6) Faça o que eu faço

Se tem uma coisa que confunde a cabeça de uma criança é quando você fala uma coisa, mas faz outra!

Se você ensina a criança a poupar, mas torra todo o seu dinheiro, o que você acha que ela vai fazer?

Ela vai copiar o seu comportamento, por isso, filho de pais endividados será um futuro endividado.

Não pense que, se endividando hoje para dar tudo o que seu filho quer vai fazer dele uma pessoa que lida bem com o dinheiro.

Pelo contrário, o que ele aprender com você é o que fará amanhã.

Filho de pais que têm uma boa relação com o dinheiro têm muito mais chances de serem bem-sucedidos!

 

E então, gostou desse conteúdo voltado para as crianças?

Deixe o seu comentário e não esqueça de compartilhar esse post com as mães e pais que você conhece!

Se você ainda não é cadastrada, faça o seu cadastro aqui no blog e fique por dentro de tudo: lançamentos, palestras e cursos.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Quer saber como proteger as crianças na internet? Clique aqui e confira!

Nos vemos!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Perfeito paty, nesse mundo de hoje toda dica sobre educação de filhos é válida! Ainda não sou mãe, mas vou guardando cada informação.

  • Amo seus vídeos e recomendo para todo mundo. Parabéns. Já dei mesada para minha filha, hoje de 12 anos, e parei porque ela sempre gastava tudo e depois vinha me pedir mais. Achei melhor não dar mais, para sinalizar que aquilo que não damos valor perdemos, e agora se ela quer muito uma coisa, ela empreende: faz geladinho, vende alguma coisa. Eu aprendi o poder do “não”.

    • Arrasou!!! Vc fez a regra conforme a necessidade e esse é o segredo. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *