Como a cobiça, a vaidade e o orgulho têm levado muita gente a ter uma disciplina obstinada que muitas pessoas de bem não têm? Confira!

Cobiça, vaidade e orgulho

Primeiramente, vamos entender a definição de cada uma dessas três palavras?

Cobiça – desejo imoderado de bens, riquezas ou honras; ambição.

 

Vaidade – vão, vazio, firmado sobre aparência ilusória, valorização que se atribui à própria aparência, qualidades físicas ou intelectuais, desejo de ser reconhecido ou admirado pelos outros.

 

Orgulho – prazer, grande satisfação com o próprio valor, com a própria honra. Sentimento egoísta, admiração pelo próprio mérito, excesso de amor-próprio; arrogância, soberba.

 

Mas você deve estar se perguntando: o que a cobiça, a vaidade e o orgulho têm a ver com a disciplina.

E a resposta é: TUDO!

Isso porque as pessoas que cobiçam, ou seja, que querem algo excessivamente, costumam fazer de tudo para terem o que querem.

Elas não medem esforços, se desdobram e não descansam enquanto não colocam as mãos naquilo que cobiçam.

De forma idêntica, os vaidosos fazem o que for preciso para serem reconhecidos, admirados e, atualmente, ganharem likes.

Há casos de pessoas que morreram em acidentes estúpidos por se colocarem em perigo tentando fazer a selfie perfeita no alto de um penhasco ou coisa semelhante.

E é o que acontece igualmente com o orgulhoso, que se empenha custe o que custar para alimentar seu ego, tentando provar para si mesmo que é melhor que todo mundo.

Para os três casos é necessário ter muita disciplina, muito empenho e muita perseverança.

E a pergunta é: você tem tido essa perseverança em relação ao que quer?

 

O bem se cansa mais do que o mal

A questão é que as pessoas que fazem coisas boas desistem muito mais rapidamente do que quem busca o mal.

Não é à toa que o apóstolo Paulo deixou o conselho abaixo em Gálatas 6:9:

E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos.

Pense por você mesma: quando você faz algo bom e ninguém reconhece, o que você faz?

Segue em frente sem se importar ou fica chateada, magoada, ressentida e se achando a injustiçada?

Bem, a maioria vai pular a primeira opção e ficar com todas (ou quase todas) as demais.

Geralmente nós queremos ser premiados pelas boas coisas que fazemos, mas não deveria ser assim.

Afinal, quem espera reconhecimento é vaidoso, e quem se admira por fazer o bem é orgulhoso.

Feio, não? Horrível, na verdade, mas é assim que o ser humano age.

Só há empenho, dedicação beirando a obsessão quando é para mal, ou seja, quando se cobiça algo.

É um desafio enorme reverter isso, mas é exatamente o que precisamos fazer.

Para finalizar, deixo mais esta passagem que está em Provérbios 1: 19

São assim as veredas de todo aquele que usa de cobiça: ela põe a perder a alma dos que a possuem.

Nos vemos amanhã!

 

Confira o post anterior clicando aqui.

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Bom dia Patrícia! Infelizmente por mais que nos políciamos, vez ou outra nos pegamos sendo um pouco vaidosa e orgulhosa, o importante é saber reconhecer e logo mudar de atitude. 😍😍

  • Caminhada, leitura da bíblia e depois o poste do bolsa blindada, muito disciplinada!

  • Bom dia, realmente fazer o bem não e tarefa fácil, principalmente nos dias de hoje. Ontem quem faz o certo não tem valor, e quem age de forma errada e apreciada. Um exemplo bobo mais que traz problema se não tiver cuidado: somos em 3 irmãs, sou mais velha, a do meio e a difícil e tem a caçula. A caçula e a nossa mãe resolveu viajar, precisou guarda algo (cachorro filhote), e mesmo ela sabendo que eu não poderia por causa do trabalho. Me ligou pedindo eu disse que não poderia e expliquei motivos. E a irmã do meio que mora com ela e que não está trabalhando no momento e que não quiz viajar com elas e que todo tempo, disse que não iria cuidar dele. E você acha de quem ela ficou com raiva? De mim. Isso é só um de muitas que já aconteceu. Por isso muito difícil fazer o bem.

  • Olá
    Patrícia Lages 💋💗
    É profundo esse texto
    Parabéns pelo conteúdo

  • Olá Patrícia,
    O post de hoje dá que pensar e ajuda a fazer uma autoanálise.
    De facto a natureza humana é má. O instinto humano busca a sobrevivência e preservação do bem estar próprio a todo o custo, ainda que de uma forma inconsciente. Por vezes fazemos a famosa “boa-ação” apenas para buscar apreço e reconhecimento dos outros, ou sentirmo-nos valorizados pelos elogios recebidos. Já ouvi inúmeras vezes: “já fiz a minha boa ação do dia”, algumas pessoas dizem-no mais do que outras, quem sabe muitas de nós também já o dissemos. Qual a razão de divulgar essa “boa ação”? Podemos não admitir, mas no fundo estamos em busca de algum elogio.
    Acredito que a forma de sabermos se realmente estamos a fazer o que é certo pelo motivo certo é analisar as nossas ações quando ninguém está a ver, ou quando sabemos que ninguém vai-nos elogiar, recompensar ou fazer o que quer que seja. Quando fazemos o correto apenas porque é nisso que acreditamos e temos um objetivo maior, o de agradar a Deus acima de qualquer pessoa.
    Há uma luta constante entre as nossas vontades e o nosso espirito. Vence o que estiver mais forte, e cabe a cada um de nós alimentar aquele que queremos que ganhe.

  • Ótima reflexão!

    Fiz um exame de consciência aqui para saber em que nível está minha ambição, vaidade e orgulho. É sempre bom olhar para dentro, reconhecer nossas sombras e trazer a luz para elas.

    Obrigda!

    Bjs

  • As celebridades hollywoodianas que o digam. Engordam, emagrecem, para um papel. Buscam a fama, a beleza, o dinheiro, o reconhecimento, a juventude. Não se cansam.

    • Verdade. Vi uma preparação certa vez de uma atriz linda que ia fazer o papel de uma viciada em drogas. Elas ficou simplesmente horrível para ser o mais real possível e depois teve de se “reconstruir” porque perdeu peso demais, a imunidade baixou, perdeu cabelo, ficou com as unhas fracas, a pele péssima, enfim, tudo pelo trabalho, enquanto muitos não fazem nem uma fração disso para marido, filhos, esposa etc.

  • Bom dia!
    Esse trio é tudo mesmo na disciplina, as vezes as pessoas se perguntam porque nunca tiveram nada na vida enquanto as pessoas más conseguem tudo, a resposta estar nesse seu texto, essas pessoas por terem um desejo fora do normal perseveram na disciplina e não se cansam até conseguir saciar não o que é certo mais o que deseja, relembrando o assunto do texto de ontem.
    A vaidade e o orgulho, são palavras que devem sempre ser lembrada, pois, muitas vezes as pessoas agem dessa forma e não percebem. Tem um trecho no livro cartas de um diabo a seu aprendiz que diz: …”Por Deus! Como estou sendo humilde, e quase imediatamente o orgulho – o orgulho de sua própria humildade – irá aparecer. Se ele perceber o perigo desse pensamento e tentar abafar essa nova forma de orgulho, faça com que ele fique orgulhoso de sua tentativa.”…
    É assim que acontece, quando li esse texto percebi que estava agindo exatamente dessa forma, sou grata a vocês escritores que são orientados por Deus para nos passar definições que esclarece nossas atitudes e nos leva a refletir como devemos fazer o que é certo.

    Grande abraço.

  • Uauuuu!!!1
    O post de hoje foi espetacular. ADOREI!!!

    Um excelente dia

  • Perfeito!

    Precisamos mesmo nos avaliarmos nas nossas intenções e julgarmos nossas próprias motivações.
    Devemos nos disciplinarmos no exercício do bem e do que é certo. Com as inversões de valores tão profundas, quando alguém faz uma “boa ação” o que deveria ser normal e corriqueiro, tornar-se motivo de grande repercussão e exposição como se fosse algo inédito.
    Enfim, perseveremos no que é bom sem esperar holofotes de qualquer tamanho.

    “Examine-se pois o homem a si mesmo…” – I Coríntios 11.28

  • Pati bom dia!

    Agora me lembrei de uma situação que aconteceu comigo!

    Como sou eu que cuido das roupas do meu esposo, começei a cuidar dos sapatos também, sem ele pedir…

    Um certo dia, ele estava calçando os sapatos e eu disse assim: olha amor, você viu engraxei os seus sapatos?

    E ele disse: vi sim, muito obrigado.

    E saímos.

    Só que eu fiquei me questionando o porque eu fiz aquela pergunta parva?

    e a resposta veio: você quer reconhecimento!
    Ui doeu, mas era verdade.

    Depois veio aquela vontade de não fazer mais nada, não cuidar de sapato nenhum, mas imediatamente eu disse pra mim mesma: AGORA VOCE VAI CONTINUAR CUIDANDO DOS SAPATOS E SEM ESPERAR RECONHECIMENTO ALGUM! kkkk

    Até hoje faço isso, e nunca mais lhe perguntei nada!

    Temos que prestar muita atenção nas nossas intenções, motivações, elas acontecem dentro de nós, de uma forma muito sutil.

    Grande abraço pra você e para suas leitoras!!!

  • Boa tarde
    Concordo com a Celi Bezerra; a vaidade e o orgulho às vezes nos pega de penetra ; porém o que temos que fazer é jogar tudo que não vai nos edificar para longe de nós.
    Gostei muito desse post pq tenho aprendido muito com seus ensinamentos ,Pat.
    ❤️💋💕

  • Olá Patrícia! Quem faz um “mix” de tudo, de forma bastante exagerada, cobiça, vaidade e orgulho acaba se perdendo na sua própria “bolha”. Como é preciso que haja muita disciplina, muito empenho e muita perseverança, acrescento que é fundamental que se prevaleça uma boa dose de bom senso para que não se perca o objetivo. Tudo ao mesmo tempo pode resultar em nada. Tem até um ditado popular que diz algo do tipo “quem tudo quer, nada tem”. Falta organização, prioridade, sabedoria quanto ao tempo para cada coisa. Assim como está em Eclesiastes 3,1-8: “Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo do céu: tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou. Tempo de matar e tempo de curar; tempo de demolir e tempo de construir. Tempo de chorar e tempo de rir; tempo de gemer e tempo de dançar. Tempo de atirar pedras e tempo de ajuntá-las; tempo de abraçar e tempo de apartar-se. Tempo de procurar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de jogar fora. Tempo de rasgar e tempo de costurar; tempo de calar e tempo de falar. Tempo de amar e tempo de odiar; tempo de guerra e tempo de paz.” Abraços!

  • A alguns anos atrás, a dona Cristiane, colocou um vídeo de uma mulher acho q americana, dando um ensinamento sobre o comportamento de uma mulher de Deus.
    Ela conta um caso de um escultor que fez numa igreja entre o telhado e a lage uma linda pomba. E perguntaram para ele porque aquela bela obra ia ficar escondido. Ele disse que não estava escondida, porque quem tinha que ver estava vendo. Que era Deus.
    Tenho está semana meditado muito nisto.
    O fazer para Deus, não para mim ou os outros verem.
    Se agir assim esses três caem por terra.
    Hoje minha meditação foi.
    E fez o que era reto aos olhos do Senhor,porém não com inteireza de coração.
    Att amanhã 🌼

  • Boa tarde Patrícia!
    Este post poderá render muita auto análise.
    É a constante luta interior entre o bem e o mal.
    Vence o mais forte e como ser humano que sou o esforço para vencer o bem terá que ser grande.
    Tive que ler o desafio duas vezes e claro, tem um monte de tudo dentro de mim.
    Vale a pena refletir, refletir e refletir.
    Beijos.

  • é verdade, temos que ser mais perseverantes, lembro de um versiculo que cita que “os filhos das trevas são mais agéis que os filhos da luz” Lucas 16:8

  • Quando nos analisamos vemos o que realmente está dentro de nós. O melhor ainda e que se reconhecemos isso, temos tempo de nos arrepender e mudar nossas atitudes. Qual intenção dos nossos atos, da nossa disciplina??? Mais uma vez obrigada Paty.

  • texto profundo….. infelizmente muitas motivações e interesses são meras atitudes de orgulho e vaidade

  • São assim as veredas de todo aquele que usa de cobiça: ela põe a perder a alma dos que a possuem.
    Esta semana eu vi na novela Gênesis esta passagem em relação a Terá, pai de Abraão. E ficou a semana esta passagem na minha cabeça. Pois a intenção dele era dar o “melhor para família”. Só que ele era capaz de fazer qualquer coisa para conseguir. E na verdade seu desejo era mostrar que ele tinha valor. E a novela vem mostrando ele se perdendo e as consequências. E estes exemplos colocados aqui são de pessoas que querem que outros reconheçam seu valor. Se deformam com plásticas, morrem em penhascos, dormem com qualquer pessoa para conseguir vagas em programas e aumentar o número de seguidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *