Começamos a Semana da Produtividade o primeiro ponto a ser analisado são os benefícios que motivam os trabalhadores americanos a serem tão produtivos. Você vai se surpreender!

Benefícios dos trabalhadores americanos

Na semana passada postei este texto falando sobre o americano ser 4 vezes mais produtivo do que o brasileiro e recebi comentários que se resumem a isso:

“Brasileiros não produzem como americanos porque não têm a estrutura, os direitos e os benefícios que eles têm.”

Se você acha o mesmo, vamos aos fatos e deixemos os “achismos”.

Conheça os “benefícios” dos trabalhadores americanos que os “ajudam” a ser mais produtivos

Entrevistei a brasileira Stephanie Martins, que vive há 16 anos lá e hoje é advogada formada na Universidade Harvard. Eis as informações fornecidas:

  • Não existe nada parecido com a CLT nos EUA. O trabalhador tem direito a receber a hora trabalhada (não trabalhou não recebe). O único direito além desse é não ser assediado no trabalho.
  • Não existe vale-transporte, vale-refeição, nem qualquer tipo de benefício equivalente.
  • Não existe indenização por demissão. O trabalhador recebe até a última hora trabalhada e nenhum centavo a mais.
  • Férias são só para cargos maiores e executivos que, geralmente, têm 2 semanas por ano, mas não podem ser seguidas. Só depois de vários anos é que pode-se alcançar o direito a 4 semanas ao ano, mas não existe nenhum bônus, ao contrário, o trabalhador não recebe nada enquanto estiver de férias.
  • Não existe licença-maternidade. A mãe fica em casa por sua conta e risco. Geralmente elas voltam em questão de poucas semanas porque precisam do dinheiro.
  • Não existe 13º salário.
  • Seguro saúde só existe para altos cargos, executivos ou para funcionários de empresas grandes. E mesmo assim, não têm 100% de cobertura.

 Trabalhar com neve

Mas os “benefícios” dos americanos não param por aí!

  • Não existem creches públicas. Os pais têm que deixar os filhos em “daycare” particular.
  • Se o movimento está fraco os funcionários podem ser dispensados. Um amigo meu foi garçon em Nova York e, quando o movimento estava fraco, ele era dispensado e só recebia as horas que trabalhou.
  • Não existe emenda de feriado. Natal caiu na quinta? Todos têm de estar de volta ao trabalho na sexta.
  • Faltas: chuva forte, nevasca ou qualquer intempérie não são justificativas para não ir trabalhar. As pessoas ficam de olho na previsão do tempo, acordam mais cedo, “desenterram” os carros da neve e comparecem ao trabalho.
  • Não existe 1 hora de almoço. Quem trabalha menos de 8h por dia tem direito a 15 minutos de intervalo. Quem trabalha 8h tem 30 minutos. Só quem trabalha mais de 8h/dia tem direito a 1 hora.

Repense as suas justificativas

Infelizmente, brasileiros adoram justificar sua baixa produtividade e colocam a culpa sempre em terceiros: “não produzem porque o patrão é ruim”, “não se esforçam porque a empresa não reconhece”, “não dão o seu melhor porque cortaram os 15 minutos de café”

Você tem recebido o melhor aqui no blog e nunca teve de pagar 1 centavo sequer, não é verdade? Nem mesmo o seu e-mail é solicitado para que formemos um mailling. Você entra, sai, se informa e não tem nenhuma obrigação. Há pessoas que estão aqui há anos e nunca sequer deixaram um comentário.

Não estou dizendo isso para que você comente, elogie etc. Nada disso! Mas sim, para que você veja que não é só dinheiro que motiva as pessoas. Não são benefícios que devem mover as suas mãos. Faça o melhor porque é obrigação de todos nós e deixe as desculpas de lado!

Esse é o espírito dessa semana, ou seja, só para quem não fica de mimimi! 🙂

Amanhã teremos uma dica super especial para que você tire os problemas da frente e possa ser mais produtiva.

Nos vemos!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Bom dia Patrícia
    Revendo os meus conceitos. Nunca é tarde,não é mesmo?
    Abraço.

  • Bom dia Patricia!

    amei esse post de hoje!
    enquanto lia, pensava na situação aqui em Portugal.

    moro aqui há 13 anos, e o que logo percebi nas pessoas é que são habituadas a dependerem da segurança social, dos subsídios desemprego…

    quando morei aí, lembro de uma colega que qualquer problema que tinha colocava baixa pra não ir trabalhar, por isso eu entendo perfeitamente o que esse post de hoje quer dizer.

    muitas não querem vestir a camisa de onde trabalham.

    Só olham para o que não ganham, mas não olham para o que elas tambem tem obrigação de fazerem enquanto estão sendo pagas.

    Fui trabalhar num hotel aqui por 3 meses apenas, pra eu poder conseguir terminar de pagar uma dívida.

    e trabalhava na copa das 08h00 ao 12h00.
    então como odeio as coisaa sujas e desorganizadas, vi que algumas partes da cozinha precisava ser limpa, estava ali sujeira de meses…

    e quando movi a mão para limpar, uma das empregadas antigas não gostou da minha inciativa e reclamou: dizia que não limpava porque não ganhava mais por isso!

    eu apenas olhei pra ela e disse: é sua obrigação limpar, você é paga pra isso!

    dei uma geral naquela cozinha, passou alguns dias, ela começou a trabalhar como deve ser, limpar os pormenores, pois afinal a cozinha de um hotel não deveria ficar num estado lastimável como estava.

    e se eu for relatar aqui toda podridão que ja vi nos bastidores de hotel e restaurantes vai dar um livro e gerar muita polêmica porque é realmente uma vergonha o que ja presenciei.

    deveria haver um órgão responsável para fiscalizar empresas que negligenciam o seu papel e o pior
    que acaba afetando a saúde das pessoas que infelizmente não sabem o que comem!!

    Grande abraço Patricia!

    um excelente dia pra voce!

  • Perfeito Patrícia! Uma semelhança de lá aqui com o Brasil, é no caso de PJ (meu caso), em que não temos nenhum benefício como o da CLT. Simplesmente se não trabalho, não ganho. Bj Adimara

  • Muito bacana a abordagem comparativa para que valorizemos os nossos atuais benefícios e possamos produzir ainda mais! Parabéns pela iniciativa e por compartilhar experiências valiosas.

  • realmente vou rever meus conceitos, agente costuma olha só pra o que não tem e esquece do que tem.

  • Apenas uma conclusão: não dar o melhor de si é se contentar com a mediocridade. Dar desculpas todos dão, mas os que realizam são poucos, tenho olhado com mais atenção meus vícios de comportamento.Estou corrigindo o que encontro e nesse processo tenho encontrado felicidade e satisfação em tarefas bem realizadas. Obrigada por tudo.

  • Bom dia Patrícia!

    é… menos desculpas… e mais trabalho… uma boa “claque”! como se diz por aqui .

    Beijos

  • Olá Patrícia

    Interessante o texto.

    Seria importante também falar sobre a remuneração dos americanos com relação ao custo de vida e considerar aspectos como segurança, educação, qualidade de transporte e distribuição de renda (a estrutura do país, de modo geral).
    Penso que são fatores indiretos que influenciam na jornada de trabalho (como por exemplo o transporte, que para muitas pessoas, significa passar cerca de 4 horas em trens e metrôs super lotados, que atrasam e dão outros tipos de problema diariamente).

    Abraços

    • Olá, Camila! Em um post não é possível abordar todos os aspectos de uma questão. Porém, não pense que o metrô de Nova York, por exemplo, é vazio. Muitas vezes não há apenas atrasos, mas fechamento de estações e vc tem que se virar para saber quais estão abertas e repensar o seu caminho. O país tem estrutura, não há dúvida, mas não como a maioria dos brasileiros pensa. Bjs

    • Bem isso, Camila! Moro aqui a cerca de dois anos e, de fato, não há benefícios, PORÉM os salários são muito altos. O que ganho aqui é muito mais do que eu ganhava no Brasil juntando todos os benefícios, o que te possibilita conforto sob todos os aspectos. E a infraestrutura é muito boa mesmo. Se não tem subway, tem ônibus, taxis, cooperativas… e sem caos! Os salários e condição de vida aqui são extremamente motivadores, ah isso sim. Claro, concordo com a autora: trabalho, estudos, a vida deve ter o parâmetro de acima da mediocridade.

  • Bom dia, Paty!
    É incrível como dá certo mesmo seguir o que a Bíblia diz.
    Fiz uma rápida pesquisa e compartilho com as amigas quão séria e verdadeira é a lição de hoje:

    Excelência na Bíblia

    Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.
    Filipenses 4:8

    Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens,
    Colossenses 3:23

    Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras. Em seu ensino, mostre integridade e seriedade;
    Tito 2:7

    Esta é a minha oração: Que o amor de vocês aumente cada vez mais em conhecimento e em toda a percepção, para discernirem o que é melhor, a fim de serem puros e irrepreensíveis até o dia de Cristo,
    Filipenses 1:9-10

    Não deixe de falar as palavras deste Livro da Lei e de meditar nelas de dia e de noite, para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito. Só então os seus caminhos pros¬perarão e você será bem-sucedido.
    Josué 1:8

    Bom dia!!

  • Bom dia Paty, isso foi um ‘tapa’ na cara kkkkkkk, temos mais “benefícios” e ainda reclamamos hein, excelente essa tema que você abordará, que Deus te dê mais sabedoria para nos ajudar, abraços!

  • Olá,

    Patrícia,

    Nunca comento (rs); mas amo, amo, amo!

    Todos os dias a primeira noticia que procuro é do Bolsa Blindada 🙂

    Muito obrigada por disponibilizar conteúdos tão ricos. Que Deus lhe dê muita paz, sabedoria, discernimento e domínio próprio.

    Abraços.

  • Com relação ao almoço posso confirmar isso, trabalhei numa multinacional americana e todas as vezes que os auditores externos vinham para a sede no Brasil e saiamos do almoço, eles ja queriam voltar ao trabalho e quando informava que tinhamos 1 hora, ficavam perplexos. Precisamos agradecer por tudo o que o Brasil oferece pq so aqui tem um konte de beneficios mesmo.

  • Infelizmente aqui no Brasil as pessoas reclamam que não existe “emprego”…querem moleza, querem ganho fácil, sem muito sacrifício; No pais do churrasco e cerveja, oque não falta festa…ao qual, são animados ao extremo. Porém, TRABALHO, existe sim, e muito, o que sobra é vaga. Eu mesmo estou tendo uma tremenda dificuldade de arrumar uma diarista kkk, aqui em Sarandi no Paraná, vc não leva 30 minutos de ônibus para chegar a sua residência, e ainda sim, escuto semanalmente: Muito longe, vou chegar tarde em casa, de sábado descanso; Ou ainda aquelas, que dizem sim, mas não aparecem etc, etc. Na minha visão, se eu preciso, abraço qualquer coisa que me traga verba. Para comprar-mos nossa casa, trabalhava em dois empregos, auxiliar de escritório e caixa de pizzaria, chegava as 2 da manhã, não tinha feriado, muito menos finais de semana. Nunca tirei férias e a 1 ano desfrutamos da nossa casa própria. Eu e meu marido temos a mesma cabeça. Não podemos colocar a culpa no governo ou estado, quando meu maior empecilho for eu mesmo. Aprendendo muito com vc sobre liderança, principalmente quando se trata da própria vida! Beijinhos

  • boa tarde Paty,
    eu sou muito grata a você pelo
    conteúdo maravilhoso sempre,
    só Deus para te recompensar grandimente
    vou comentar mais vezes…rsrsrsrs
    abraço

  • Paty, é muito difícil viver uma realidade diferente da maioria aqui. Todo mundo pensa que emprego formal e concurso público são a oitava maravilha do mundo. Nunca trabalhei de carteira assinada, trabalho todo ano como professora por contrato. Ouço infinitas críticas, principalmente por parte do meu marido, pois a formação que tenho me permite ter uma renda muito superior a que tenho hoje. Entretanto, tenho um filhote lindo de um ano e nove meses e prefiro ganhar menos e aproveitar o crescimento dele. Para contrabalancear, sou extremamente econômica e cuido muito bem das finanças, raramente ocorrendo uma “deslizada”. Trabalho cerca de seis horas, fico próximo ao meu filho, cuido dele, da casa e do marido, faço uns serviços por fora e consigo uma renda próxima a dele, mas só por ser informal, ele vive menosprezando meu trabalho e chamando de “bico”.

    • Dani, com todo respeito ao seu marido, mas eu faria exatamente a mesma coisa que vc está fazendo! Um dia ele vai entender o quanto é importante vc priorizar o seu filho. Eu sou educadora financeira, mas se tem uma coisa que eu repito todos os dias é que dinheiro não é tudo na vida! Família vem em primeiro sim, ainda mais quando vc tem marido e filhos. Dinheiro vem e vai, mas o tempo com o seu filho vai e não volta. Parabéns!

      • Ai que felicidade receber um parabéns de alguém modelo como você! *-*

  • Parabéns arrasou!!
    Eu nunca imaginava isso, como é bom se informar. Obrigada. ?

  • Parabéns!!! Você só esqueceu de mencionar que lá também o funcionário não fica procurando formas para processar a empresa na qual trabalha…infelizmente no Brasil existe um “nicho” somente para isso.

  • Perfeito Patrícia. As pessoas só querem saber dos seus direitos e esquce seus deveres,querem ganhar sem fazrem nada.

  • Como é bom gastar meu tempo aprendendo com pessoas inteligentes e de conteúdo.

  • a legislaçao do EUA nao muda de estado para estado? os beneficios nao existem em um estado ou em todo o país? achei que no EUA o acordo entre trabalhador e empregado era superior a uma possível regulaçao estatal,
    e gostaria que me esclarecesse o fato de pq produzir em um lugar que o dinheiro praticamente nao vale, onde a carga tributaria é uma dais mais pesadas no mundo? Americanos produzem mais pq o esforço rende, o dinheiro é valorizado, e o pouco imposto é aplicado de maneira justa e inteligente, pra que beneficios quando vc pode viver BEM somente do “suor do seu rosto”, e so uma correçao no Brasil os 4 meses equivalentes do ano para pagar os impostos daqui equivalem as férias remuneradas lá, se vc fizer uma analogia com o imposto pago aqui e la e diminir a diferença vai consefuir entender pq eles “nao tem” ferias remuneradas.

    • A minha capacidade de produção não vai ser afetada por impostos ou porque há pessoas no meu país que não valorizam o dinheiro. Nada vai me impedir de produzir o melhor e o máximo que posso e, por isso, tenho prosperado mesmo com todas as dificuldades. O meu esforço sou eu que tenho que fazer render e o meu dinheiro é bem aplicado. Quando olho para mim, eu cresço. Quando olho para terceiros, eu diminuo. Cabe a cada um escolher onde quer estar. Abs!

  • Brasil valor mínimo por hora trabalhada R$ 4,22 EUA $15,00 (R$ 50,00).
    BRASIL 8 HS = 33,76
    EUA 8 HS = 400,00
    IMPOSSÍVEL COMPARAR, IMAGINE O BRASILEIRO SEM BENEFÍCIOS. APENAS 15% DA POPULAÇÃO MAIS ABASTADA SUPORTARIA.

    • É perfeitamente possível comparar e entender porque o mínimo brasileiro é baixo:
      Hora trabalhada do brasileiro gera $16,6.
      Hora trabalhada do americano gera $67.
      Para se ganhar o mínimo nos EUA, várias qualificações são requeridas, vc deve saber disso.
      Eles não “ganham” por acaso, eles recebem por produção. O salário é mais alto por vários motivos e um deles é gerar lucro sem onerar as empresas.

  • “Faça o melhor porque é obrigação de todos nós e deixe as desculpas de lado”! Sempre pensei assim… Você não é obrigado a trabalhar naquilo que não gosta. Se está insatisfeito, procure algo melhor. Se o mercado está ruim, o país em crise, então valorize e agradeça que você tem emprego.
    Lá nos Estados Unidos a questão se resume assim: trabalha muito ganha muito… trabalha pouco ganha pouco. É verdade! Veja nossa amiga aqui, Letícia Pereira… trabalhou duro e muito para conquistar sua casa própria. Parabéns!!!
    Adorei o post Patrícia. Obrigada pelos ensinamentos e pela generosidade em compartilha-los

  • Fiquei pensando sobre o 13º que eles não recebem….. eles não sabem q estão sendo lesados? Lembrei logo do seu post esclarecedor sobre 13º

    • Eles sabem que isso é insustentável, só a gente mesmo pra acreditar….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *