Você é daquelas que vive endividada, pegando o limite do banco para pagar as contas de casa ou contratando um empréstimo para pagar o outro? Esse post é para você!

5 erros de quem vive endividado

Os erros de quem vive entrando e saindo de dívidas são muitos, mas hoje vamos destacar 5 deles.

Mas, antes de mais nada, se você está endividada, saiba que o sistema de crédito fácil que se instalou no nosso país de uns tempos para cá colaborou – e muito – para isso.

Você é apenas uma dos mais de 63 milhões de inadimplentes que acreditaram na onda das “parcelinhas que cabem no seu bolso”.

A publicidade trabalhou – e vem trabalhando – pesado para iludir as pessoas dizendo que elas podem ter TUDO o que quiserem AGORA mesmo.

Sem planejamento, sem fazer contas, sem pensar no amanhã.

Por isso: NÃO SE CULPE!

Busque informações corretas e previna-se de cair nos erros de novo.

É isso que podemos e devemos fazer: olhar para frente.

Você que me segue já sabe que eu sou uma ex-super endividada.

Não apenas endividada, mas sim, SUPER endividada.

Por isso, sei bem como é passar por isso!

Mas, acima de tudo, sei como SAIR disso e estou aqui para ajudar. 🙂

 

Confira os erros e evite-os

Nesse vídeo você vai encontrar 5 erros de quem não consegue sair das dívidas para ficar esperta!

Se preferir, abaixo tem um resumo por escrito.

Erro #1 – Querer resultados em curto prazo

Esse é um dos maiores erros de quem não consegue mudar de vida no geral:

a pessoa muda algumas atitudes, mas se os resultados demoram, ela abandona tudo e volta à estaca zero.

Quando a pessoa se vê endividada, começa a controlar recebimentos e pagamentos, a ficar de olho nos gastos e desperdícios e a colocar as contas em ordem para pagar as dívidas e tenta entrar na linha.

Mas como os frutos dessa mudança não acontecem da noite para o dia, elas abandonam tudo e voltam a ficar ainda mais endividadas.

Você não pode pensar que uma vida inteira de maus hábitos financeiros vai se resolver em questão de pouco tempo.

As dívidas podem ser adquiridas muito rápido, mas pagar leva tempo, então, você precisa manter a disciplina sempre, sem querer que o resultado seja imediato.

 

Erro #2 – Pagar uma dívida contratando outra

 

Você até pode contratar uma dívida com juros mais baixos para pagar uma dívida de juros altos, porém, essa é uma opção para resolver um problema, uma vez.

Isso porque não é a melhor opção do mundo, mas é apenas a menos pior, porque os juros no Brasil são muito altos.

Outra coisa que muita gente faz é renegociar para pagar uma prestação menor e rolar a dívida mais para frente.

Quando a pessoa vê que o orçamento ficou mais folgado, ela volta a gastar e quando vai ver, está endividada de novo.

Essa não é a solução.

 

Erro # 3 – Não readaptar o estilo de vida

Muitas pessoas estão endividadas porque viviam um degrau acima do que poderiam.

Para isso, gastavam mais do que recebiam e é daí que vieram as dívidas.

Quando elas percebem que isso foi um erro, começam a querer remendar a situação com mais empréstimos, pagando o mínimo do cartão, usando o limite do banco e isso só piora.

É preciso descer alguns degraus e readaptar o seu estilo de vida de acordo com o que é possível pagar com folga.

 

Erro #4 – Não ter uma reserva de emergência

Reserva de emergência não é o limite do banco ou usar o cartão de crédito.

Mas sim, ter um valor reservado que para arcar com imprevistos ou para pagar as contas por um período em que a pessoa fique com uma renda menor ou até mesmo sem renda.

Quando você não tem uma reserva de emergência, vai acabar usando o limite, pedindo empréstimo e se enrolando financeiramente.

Por isso, é importante viver um degrau abaixo do que você poderia, assim você mantém o seu padrão e não vive de altos e baixos.

 

Erro #5 – Pensar que quem não se endivida não tem nada na vida

Quem se endivida tem muito menos coisas do que deveria, porque vive pagando juros.

Compra uma geladeira, mas paga duas, compra um carro, mas paga um e meio e por aí vai…

Quem se endivida, paga juros, ou seja, paga mais caro por tudo o que compra.

E, assim, vai ter cada vez menos coisas na vida!

 

A solução

Para você sair definitivamente das dívidas é preciso se educar financeiramente.

É necessário melhorar a sua relação com o dinheiro e considerar que é preciso aprender a lidar com ele e não a ficar empurrando o problema.

Busque informação financeira, assista aqui outros vídeos no meu canal do YouTube.

Leia também os meus livros se você quiser se aprofundar mais no assunto.

Você encontra todos os meus 5 livros aqui na loja virtual (clique aqui)

Não deixe as coisas piorarem, informe-se e você vai sair dessa! 😀

Nos vemos!–

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Boa Tarde Paty tudo bem? Poderia tirar uma dúvida por gentileza? Resolvi fazer minha festa de casamento que será em fevereiro e ainda faltam alguns fornecedores para acertar, pois a maioria deles podem ser pagos até a data do evento, mas no caso ainda não tenho todo o valor, nesse caso, o ideal seria ir pagando tudo o que eu conseguir até a data e o que faltar fazer um empréstimo ou verificar a possibilidade desses fornecedores que faltarem parcelar no cartão de crédito por exemplo? Qual seria a melhor opção? Obrigada pelas suas postagens, sempre me ajudando.

    • Oi, Bruna! Empréstimo é para casos de urgência e emergência e o mesmo serve para compras parceladas. Uma festa, por mais que seja o seu casamento, não é uma urgência nem uma emergência. Pagar durante meses por algo que vai durar algumas horas não faz nenhum sentido financeiramente. Sei que deve ser o seu sonho e, talvez, do seu noivo e da família, mas do ponto de vista financeiro, eu não aconselho nem sequer a fazer festa. O melhor mesmo seria investir na lua-de-mel, que é um momento super importante para o casal. Porém, em relação à sua pergunta, o que vc não puder pagar, não contrate. Empréstimo com os juros altíssimos que temos será começar uma nova vida endividada e isso não é bom. Beijos!

  • Oi, Amiga,
    Meus olhos até marejaram quando eu ganhava super bem e mesmo assim todo mês pedia emprestado “quinhentão” pro meu chefe porque o orçamento não dava…. lembrando que eu ganhava mais do que o dobro do que eu ganho hoje (e hoje não peço mais emprestado, mas faço minha poupancinha das 52 semanas).
    É claro que a necessidade me forçou me reeducar financeiramente…. era economizar ou economizar…
    De repente você surgiu na minha vida enquanto eu acompanhava a Cris Cardoso pelo blog… e nos tornamos amigas!
    Quanto ao hábito mencionado por você, lembrei de uma fala do Leandro Karnal que menciona “tomo banho uma vez ao dia, mas preciso tomar duas vezes”… e pratico, pratico, pratico…. não é a curto prazo, mesmo, mas de repente, como hoje, posso ter a alegria de comentar o post…. que não é prá mim!! Uiaaa!! Beijos

    • Verdade, Vânia! Lembro-me dos seus apertos e de todas as lutas, mas com perseverança vc foi fazendo uma renda extra aqui, economizando ali, vendendo pão, geleia, tricô e descobrindo talentos que não sabia que tinha. Foi colocando as contas em ordem e hoje já não depende que alguém lhe empreste dinheiro. Vc é um dos casos de sucesso desse trabalho e eu fico muito feliz com isso! Bjs

  • Ótimo artigo! Patricia, gostaria de saber como faço para poupar num período que estou buscando recolocação no mercado? Obrigada!

    • Oi, Marinete! É um momento realmente de apertar os cintos e cortar todos os gastos possíveis, além de diminuir outros. Se você começar um novo emprego já com dívidas, vai ser muito mais complicado. E outra: se vc estiver endividada, vai acabar aceitando qualquer emprego só para apagar o incêndio. É hora de cautela e cabeça fria para fazer a melhor escolha. Bjs

  • Bom dia,

    Sei que não tem nada a ver com o post de hoje, porém estou super curiosa para saber: o livro para crianças sobre finanças sai ainda este ano? Já tenho todos os seus livros e doida para ler e presentar meu sobrinho de 13 anos (ele já é super resolvido financeiramente, até empresta dinheiro para a mãe rsrsrs…).
    Beijos e obrigada por nos ajudar sempre com suas dicas.
    Deus abençoe infinitamente

    • Oi, Nilmara! estamos trabalhando para que saia em 2019. Este ano foi muito difícil para o mercado editorial e os lançamentos foram suspensos (ainda mais de um livro impresso em cores, com 2 jogos etc.). O custo do produto é alto, mas estamos trabalhando para viabilizá-lo. Beijos!

  • Boa tarde, Patrícia!
    Estou endividada…meus rendimentos cairam muito. Devo o cartão de crédito e não estou consiguindo pagar, já fiz emprestimo para pagar o cartão…mas não consigo parar de comprar, pois preciso fazer as compras básicas (alimentação, combustível e remédios)…além das contas mensais de energia, condomínio, telefone e outros. Hoje conto com mais despesas, o empréstimo mais o cartão.
    Este mes era pra finalizar a prestação do meu carro…mas estou com a penúltima atrasada e a outra vencendo agora…Pensei em vender o meu carro e comprar outro mais barato…Que eu pudesse pagar o empréstimo, as duas últimas parcelas do carro e ainda o emplacamento do novo carro. Mas ficaria com outra conta…pois daria uma entrada de 50% e ficaria o restante em 48 parcelas menores.
    O que vc acha? Fico com medo de fazer outra besteira. Por favor, me dê uma orientação.
    Fico muito grata com sua resposta.
    Obrigada!

    • É hora de readequar o seu padrão de vida e cortar despesas. Quanto antes vc fizer isso, melhor.

  • Patrícia, por gentileza pode me ajudar. Estamos muito endividados a muito tempo, hj acredito que pagamos uns 3000 reais de juros.
    Não consigo colocar minha vida financeira em ordem. Minha irmã me emprestou o cartão dela para uma emergência de doença gastamos em torno de 15.000 a 20.000 o ano inteiro pagamos esse cartão, parcelamos qdo não tinha é reparcelamos etc, falta pagar uma parcela de 2700+3×2100+1500+1000+1000, o problema é que não tenho os 2700 desse mês. Temos 2 carros quitados um de 28 mil e um de 15mil quero vender o carro p pagar esse cartão, os carros nos venderiamos p enyrada da nossa casa,meu marido quer refinanciar o cartão em 12 ou 24x, porém esse ano não consegui comprar nem um sapato só refinanciando cartão e rolando a dívida p frente. Como eu disse o cartão e da minha irmã e não temos como não pagar. Pode me dar uma luz, essa é só uma das dívidas que Temos.
    Nesse processo ele deixou de pagar os cartões dele e acabou sendo arrasado. Já estavamos endividados qdo o problema de saúde chegou na minha casa. Foi só mais um problema para enrolar mais a situação. Estou procurando um bico aos finais de semana, ganho 2500 reais eu que estou pagando o cartão da minha irmã. Preciso fazer um curso p me reeducar financeiramente. Por gentileza me da uma ajuda.

    • Olá, Sheila! No momento não adianta ficar com 2 carros e uma dívida que não acaba nunca. Até porque, vcs não poderão assumir um financiamento habitacional com o orçamento tão comprometido. O melhor que vcs têm a fazer é vender um carro e se livrar disso. Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *