Crise de estupidez

Muito se fala sobre a crise na economia, mas o que realmente está em crise é o bom senso de muitas pessoas, que são capazes de perder negócios por pura estupidez. O post de hoje pede uma reflexão urgente…

Antes de mais nada, as histórias abaixo são reais, infelizmente…

Diálogo 1 – Eu ajudando um parente a alugar uma casa:

  • Atendente: “Imobiliária X, bom dia…” (com uma perceptível má vontade)
  • Eu: “Eu gostaria de ter informações sobre o imóvel para alugar na Rua X esquina com Rua Y, por favor.”
  • Atendente: “Rua X que número?…” (com mais má vontade ainda)
  • Eu: “Eu passei de carro e só deu tempo de anotar o telefone da imobiliária, mas como é a casa de esquina, creio que você conseguirá saber qual é.”
  • Atendente: “Que altura da Rua X? Você sabe isso, pelo menos?” (quase bufando)
  • Eu: “Você está me ouvindo? Rua X esquina com Rua Y!”
  • Atendente: “Se-nho-ra… Sem o número da casa é im-pos-sí-vel localizar no sistema!” (subindo o tom de voz)
  • Eu: “?”

Desligo, desisto do imóvel e ligo em outra imobiliária, já que não quero ter que tratar com uma empresa que atende desse jeito… Pergunto: será que é a crise econômica que está causando demora em alugar aquela casa? Será mesmo?

 

Render - Meme Whyyyyy Troll Face Baixe Renders

Diálogo 2 – Eu, na sala de espera de um local onde me mandaram chegar às 9h, mas descubro que serei atendida somente às 10h. Detalhe: já são 10h30…

Funcionário 1 – Chega depois de mim e, em vez de trabalhar, se joga com tudo no sofá da sala de espera onde, supostamente, deveriam sentar somente os visitantes. Um visitante fica em pé, já que o funcionário ocupa todo o sofá abrindo os braços folgadamente sobre o encosto.

Funcionário 2 – Também na sala de espera, em pé com um copo de café na mão sem fazer absolutamente nada (inclusive sem oferecer aos visitantes).

Funcionária 3 – Chega atrasada – dizendo a todos que está atrasada –, mas também senta na sala de espera para “descansar”, antes mesmo de começar a trabalhar.

Diálogo entre eles:

  • Funcionário 1 – “Ai, ai… Até que hora a gente vai trabalhar hoje, hein?” (fala bocejando com a mesma educação de um hipopótamo)
  • Funcionário 2 – “Ah, hoje vai ser ‘punk’ Tem um monte de coisa pra fazer por causa das festas…” (responde sem mover um dedo e sem esboçar qualquer desejo de fazer as muitas coisas que tem pra fazer)
  • Funcionária 3 – “Ô, Fulano! Chega aí para dar um beijo de bom dia no meu amigo aqui! hahahaha… Ele não pode começar o dia sem seus beijos!” (fala super alto, sentada de qualquer jeito, parecendo mais um menino do que uma mulher)
  • Funcionário 1 – “Sai fora! Tô legal de marmanjo, gata!” (responde pegando na mão da funcionária, como se não tivesse nenhum visitante no local, embora houvesse 4)
  • Funcionário 2 – “Ô, fulano! Se mexe, vai trabalhar!” (querendo desmanchar o casalzinho)
  • Funcionário 1 – “Vai você. Dá o exemplo aí!”
  • Funcionária 3 – Levanta rápido como se fosse finalmente trabalhar, mas vai até a mesa de café, se serve e diz: “Gente, esqueci de falar! Hoje vamos fazer extra porque vamos ter que entregar 3 trabalhos em vez de 2, tá? Desculpe, mas não tive tempo de avisar…”
  • Funcionário 1 – “Pô, agora sim! Extra é sempre bom, né?”
  • Funcionário 2 – Extra é ‘da hora’!”

Eu conheço o dono da empresa, mas os três não têm a menor ideia disso… O dono trabalha duro para manter seu negócio e não tem noção (ou não tinha) de como seus funcionários agem nas suas costas. Pergunto: será que a empresa realmente precisaria pagar hora extra se esse pessoal chegasse no horário e simplesmente trabalhasse? O que esses funcionários têm na cabeça para sentar em lugares que não deveriam e conversar sobre nada na frente de desconhecidos? E mais: o que os autoriza a nos deixar esperando enquanto fingem que não estamos lá? Será que as pessoas estão perdendo seus empregos só por conta da crise? Ou seria por conta de sua própria estupidez?

 

277269_Papel-de-Parede-Meme-Virando-a-Mesa_1920x1200

Até quando as pessoas vão achar que só o fato de terem um emprego é suficiente para receberem seus salários? Até quando vão ficar enrolando e perdendo tempo com coisas estúpidas em vez de produzirem e fazerem aquilo para o qual foram contratadas?

Se você tem sido uma dessas que só comparece ao trabalho, não produz nada e ainda reclama que ganha pouco, fique atenta. Qualquer dia alguém vai acabar descobrindo e você vai perder o seu reinado. Ah, mas tudo bem, né? Afinal, não precisa tomar a culpa para si, é só dizer que foi por causa da crise…

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Luiza Freire diz:

    É muito chato ver esse espírito se multiplicando e depois, as pessoas se acham com razão para reclamar. 😐

  • Paty Nossig diz:

    É verdade, as pessoas colocam as desculpas na crise por sua própria incopetencia, a impressão que tenho é que estas pessoas que atendem ao telefone fazem um curso para tirar a paz da pessoa que está do outro lado da linha… Inclusive presenciei junto com a Patricia Lages este primeiro episódio e o segundo aff… Vejo isto todos os dias! Depois me perguntam o por que de algumas pessoas se destacarem mais que as outras??? Destacam-se porque não se encostam, porque trabalham de verdade e as vezes fazem até o trabalho dos outros e sempre com excelencia e bom humor e detalhe, sem reclamar, talvez seja esta a diferença!!! Bju Paty amo suas palestras e amo estar com você!

    • Patrícia Lages diz:

      hahahahaha, é verdade, vc ouviu o telefonema! Obrigada por visitar o blog e deixar sua contribuição 😀

  • Shoraya diz:

    Realmente, até parece que esse tipo de pessoa faz um “favor” para o empregador ao dar o ar da graça. Eu me envolvo tanto com o meu trabalho que quando percebo já está na hora de ir embora. E ainda sou criticada por colegas porque deixo o celular na bolsa. Mas no meu entender se meu empregador me paga por oito horas diárias de serviço, tenho que entregar as oito horas.

  • Juliana Pugliese diz:

    A mesma palavra que define ‘crise’ em chinês define, também, oportunidade. Precisamos identificar as chances de aprimoramento nos momentos adversos. Na minha opinião, o profissional que considera sua própria remuneração baixa demais deve concentrar suas forças em se esmerilar e fazer o melhor, para que assim o trabalho ‘apareça’ e haja um destaque aos olhos do chefe. Essa é uma das maneiras de ser aproveitado em outros setores de uma empresa e descobrir novas habilidades. Aprender a gostar do que faz é mais importante do que fazer o que gosta.

  • Geovana Silva diz:

    Olá Patrícia! Ainda essa semana falei sobre isso com o pessoal cá da empresa. Sou brasileira e vivo em Portugal há 15 anos, trabalho num gabinete de contabilidade e muitos brasileiros ficam admirados como eu consegui entrar a “trabalhar com grandes empresas pois como estrangeira somos discriminados”. Pra mim essas frases são pura mentira, sempre consegui chegar onde estipulei que ia chegar, pois houve sempre uma dedicação enorme e sempre quis aprender com aquelas pessoas que davam exemplos. O que vejo hoje que as pessoas querem ganhar bem mas sem esforços. Em tudo na vida até nas coisas mais simples, tem de haver dedicação e principalmente Zelo.
    Por isso parabéns pelo post e também pelo blog ajuda imenso e és um exemplo pra mim. Um beijinho carinhoso e muito sucesso.

  • Claudia diz:

    Pior é quando o próprio dono faz a caca! Fui a uma loja com minha mãe, fui muito mal atendida, reclamei, e para minha surpresa, alguns dias depois o dono da loja apareceu na minha casa me ameaçando! Tive que chamar a polícia!
    Cidade pequena já é complicado, depois ainda reclamam da “crise”!

  • Mariana Constantino diz:

    Patty, e eu que fui fazer uma entrevista de emprego que estava marcada para as 9:00, cheguei as 8:45 e fiquei aguardando na recepção.O entrevistador chegou as 10:45!Os funcionários que estavam por la só me falavam em tom de deboche “Ele nunca esta no horário, você vai esperar muito ainda”, alem de falarem mal do chefe pra uma desconhecida (ainda que fosse verdade,funcionário nenhum tem esse direito), quando o entrevistador chegou não houve nem um pedido de desculpas.
    No fim fiquei feliz que não passei na vaga, imagina trabalhar num ambiente desse?

  • Larissa diz:

    Patrícia, você disse exatamente o que venho repetindo e repetindo, mas parece que as pessoas não se importam. Elas estão tão acomodadas nesse mundinho improdutivo e sem expectativas que não tem disposição nem para tentar mudar o comportamento.
    Pior que os exemplos citados são os próprios empresários acomodados. Empresários que sempre tem uma desculpa pra tudo. Não fazem planejamentos, não tem o mínimo de noção de gestão, não inovam seus produtos ou serviços. Não retornam orçamentos, não cumprem prazos, não dão a mínima atenção aos clientes. Mais que isso, ainda reclamam dos clientes, na frente de outros clientes! O cliente é que é o chato, o mercado é que ruim, o ramo do negócio que não está tão bem assim. A crise, a crise. Mas o empresário não, ele é o bom, apenas foi injustiçado pela vida, e pela crise.
    A verdade é que não há crise. O que há é um novo mercado, um novo perfil de consumidor. Ou você muda o seu sistema de negócios, ou não terá negócios.

  • Ruth diz:

    Pois é Patricia, você falou tudo. Mais isso leva um tudo, quase que nem podemos dizer onde se inicia esse dominó de estupidez. A má vontade das pessoas, a falta de modais, a grosseria que direita ou indiretamente é a cara da empresa. Ontem conversando com uma farmacêutica ela falou que adiverte as suas funcionarias que se elas saírem falando a respeito das compras dos clientes para outras pessoas ela seriam demitidas por justa causa, já que, a venda estão o viagra, testes de gravidez e demais items que podem causar desconforto no fregues. Achei isso ótimo e por ser uma cidade pequena e a unica farmácia de confiança mesmo.
    Acredito que, empresas que pretendam ter sua imagem limpa diante dos consumidores, devem investir mais em cursos de preparação e orientação a respeito disso.

  • Ivone Alves diz:

    Bom dia Patricia gostaria muito que fosse pública esse acontecimento. Domingo fui sacar no caixa eletrônico do banco 24hs sou cliente Itau a muitos anos nunca tinha acontecido tal coisa fiz todo o procedimento para retirar o dinheiro e na hora de receber a máquina (caixa 24hs ) deu um problema e resultado nada de dinheiro., resolvi tentar novamente e retirei o saldo e o dinheiro tinha sido descontado na minha conta sem que eu tenha recebido.Fiz todo o procedimento entrei em contato com o atendimento ao cliente e a operadora x me falou que logo iria ser restituído pois tenha sido constatado falha no sistema e que eu aguardasse e ficasse controlando para saber se tinha entrado na conta.Isso ocorre por volta das 11:20 por ai continuei monitorando minha conta atravésda iInternet e nada resolvi telefonar novamente para atendimento ao cliente e a outra operadora me informou que era o meu banco que tinha que fazer a o estorno e restitui o dinheiro fiquei indignada resolvi pedir a gravação da conversa pois ache extanho morei no exterior e quando acontece algo desse tipo o banco resolve rápido. Depois de 24 hs ja na segunda contatei meu gerente e ele afirmou que era o banco 24hs que deveria restui o dinheiro mais que ele contataria para agilizar a situação na terça fiz o mesmo procedimento atendimento ao cliente e gerente itau do personalite .Hoje são 72 hs e ainda nada do meu dinheiro estou horrorizada com o tratamento que os bancos tem para com o cliente as vezes parece que estamos fazendo um favor paracom o cliente.Vou entra na jjustiça e pedir restituição do que e meu com juros e danos morais acho abisurdo a fala de respeito que o focionario e operadores tem com nois que somos clientes e a última operadora do atendimento ao cliente ainda foi mal educada.Daqui a pouco e melhor guardar o nosso dinheiro debaixo do colchão do que deixar no banco pois se eu por puro caso necessitasse com urgência desse dinheiro que graça a Deus não foi o caso o que eu faria esperaria 72hs porque quando o cartao de crédito passa 1 unico dia pagamos juros absurds e meu gerente falou que eles iriam apenas estorna e basta.Acho uma maravilha o trabalho que você esta diselvolvendo e nos conscientizando dao valor do nosso dinheiro.

    Obrigada e agradeço se você publicar essa situação tenho certeza que milhares de pessoas no Brasil vivem essa situação e não busca os devidos direito.beijos

    • Cristina diz:

      Aconteceu o mesmo comigo Ivone,pórem sou de outro banco,o pior q isso foi a poucos dias do meu casamento e me abalou muito pois o dinheiro era pra cumprir compromissos da festa.enfim,eles devolveram porem quase um mês depois,e claro entrei com um processo por danos morais contra o meu banco,pq isso não se faz né,independente de ser um caixa 24hr ele presta serviço para o banco então o banco tem q responder por isso,bom assim me disse o advogado.no fim resolvemos com um acordo na justiça.

  • Maria Carolina Urizzi diz:

    Patrícia, sou funcionária pública… pense no tipo de comportamento que vejo em meu local de trabalho? O pior (?) é q venho de uma carreira em empresa, ou seja, sofro e surto (de vdd) ao me deparar com esse tipo de coisa… mas tenho que aprender a fazer “o meu”, como dizem, e não olhar para os lados, a fim de poupar minha saúde…

  • Cidalia-Tunisie diz:

    Boa noite Patty,
    Sincèramente é préciso ter um nivél muito baixo para tais comportamentos no trabalho ou onde quer que seja.
    Pessoalmente eu zelo com os meus funcionários para comportamentos exemplares com quem quer que contacte nossa empresa,seja o atendimento telefonico,seja respostas nas duas horas aos emails ( nem que seja para dizer que o email tem nossa consideraçāo e que vamos responder em X tempo), e atendimentos há hora marcada .
    Por final, quando está frio oferecemos a todo visitante café ou chá, e sempre temos água fresca para oferecer de verāo.
    Saber respeitar nāo sómente as pessoas mas também o salário que nos faz viver é sinal de ´savoir vivre.´

    Beijinho – Cidalia

  • Daniela Santana diz:

    Eu Sou Assim,Ajo da forma que citou,do jeitinho que falou,mais quero mudar é tão dificil paty.me oriente não quero mais ser assim

  • Joselene Lima diz:

    É triste, mas é verdade! Sem falar aqueles que dificultam tudo e não aceitam que você fale isso para eles, jamais aceitam serem corrigidos, afinal, são os melhores, são perfeitos… Só que não! Ontem passei por isso porque enviei um e-mail sincero devido algo não ter sido jamais resolvido por pura má vontade e a criatura sem noção me telefonou em seguida dizendo que eu não tinha profissionalismo. Ah tá, vou fingir que a má profissional sou eu!

  • Michelle Almeida diz:

    É incrível como muitas pessoas destratam as outras, não realizam seu trabalho com dedicação. Não entendem que o que faz a diferença é o relacionamento, é o bom tratamento para com os outros, depois perdem o emprego e vão culpar alguém, pois é bem mais fácil que assumir a responsabilidade que fizeram. Parabéns pelo excelente post.

  • geane diz:

    Olá Paty
    É até difícil de acreditar que existem pessoas tão descompromissadas com o que seria para ser seu trabalho. Mas infelizmente é assim que as coisas tem funcionado.
    Parabéns pelo seu lindo trabalho.

  • Fernanda diz:

    Estou pasma com esses funcionários!! Como assim, ficam ai a toa na frente de quem nem conhece, em vez de trabalhar logo e terminar o que tem para fazer?!
    Crise de comportamento, respeito, é a maior crise que vivemos.
    bjos Paty, seus post são 10, parabéns pelo seu trabalho.

  • lorrane hapuque diz:

    Pura realidade… Na verdade nao existe crise, por que todos nós temos necessidades e as empresas só existem para atender as necessidades das pessoas, e cá entre nós, todos nós precisamos nos vestir, nos alimentar, consertar, divulgar,aprender e etc, ou seja as necessidades estão aí, uma empresa por exemplo precisa de outro servico de outra empresa e por ai vai… minha empresa este ano do empreeendor individual, passou para o simples, os meus vizinhos lojistas aqui que faliram estava falindo a muito tempo, tem até um caso de uma vizinha que faliu por que colocou a sua filha para trabalhar, antes ela era cheia de clientes, pagava tudo em dia tava indo de vento em popa, sua filha apenas desmoronou tudo, so vivia no celular atendia os clientes numa preguiça, começou a reclamar que era o lugar a crise e etc… resumindo fechou as portas estupidez… E o tanto de jovem que tem aqui em goiania, que so procura os mesmos emprego,vendedora, operador de caixa, esses empregos comuns, e sobra vaga para quem tem cursos tecnicos. Desculpa Patricia Lages desabafei…. kkkk…muito bom o post, sempre me enriquecendo.

  • MARCELA diz:

    Oi Paty
    Infelizmente é essa estupidez que vemos no dia a dia qdo lia esse post minha irmã chegava em casa reclamando justamente sobre o assunto dos colegas de trabalho enviei para ela e depois ela encaminhou para o seu chefe que claro amou o que vc falou e com autorização da gerente enviou para todos de sua equipe, temos que mudar essa postura dos trabalhadores mostrando que essas atitudes não são normais.
    Sou func. Pública e depois de mais de 20 anos na iniciativa privada me choquei muitos com o serviço público em que sou a errada por trabalhar certo, porém continuo fazendo o meu. E depois querem reclamar da crise.
    Bjs obrigada por nos orientar.

    • Patrícia Lages diz:

      Que legal vcs terem passado para os funcionários 🙂

  • Patricia Alvarenga de Albuquerque diz:

    Bom dia, sabe que hoje cedo estava meditando sobre este assunto. Eu sou encarregada em uma firma e tenho visto isto todos os dias pessoas que quando passam na entrevista, sim fazem tudo , prometem tudo, depois que entram na firma simplesmente não dão valor a porta que se abriu, faltam por qualquer coisa, reclamam de tudo, um esta semana marcou viagem para a praia plena quinta-feira e não veio o resto da semana, detalhe trabalhamos no sabado. É triste a situação que estamos. Beijos Paty

  • Patricia diz:

    Adoro esse blog. Consigo me ver em algumas situacoes que vivi n passado. Sinto que estou cada vez mais preparada para ser e fazer diferente no meu futuro trabalho aqui na Noruega.

  • Gezane Santos de Almeida diz:

    Olá Paty

    Paty há alguns dias eu e meu esposo fomos no açougue e o atendimento foi ótimo mas no caixa foi horrível. A operadora foi grossa,se quer olhou para nós e tudo mais. Voltamos lá outro dia e ela já não estava mais lá. E meu esposo lembra todas as vzs que vamos lá, pois o açougue é ótimo!!! O atendente recebeu um valor de um cliente alto de caixinha…quer dizer que realmente são bons. Bjs

  • Fabiola de Paula diz:

    Patrícia post perfeito pois temos vivido em uma época que as pessoas querem emprego e não trabalho e são pessoas frustradas ocupando o lugar de quem gostaria de um emprego/trabalho.
    Infelizmente nos deparando com muitas pessoas assim que perdem venda, perde oportunidade…
    Sou extremamente chata em relação a isso como trato e cuido e faço questão dos que estão ao meu redor e preciso dos meus serviços porque os clientes são os meus patrões independente em época de crise ou não…
    Um exemplo abaixo de falta de interesse e ate preparo dos funcionários..
    Como estou cumprindo certinho o bolsa blindada estou no primeiro livro Virada financeira (depois quero ler os outros com certeza) me comportei direitinho no natal… Não esbanjamos nem compramos presentes só para filhos mesmo e uma lembrança…
    Sei que meu esposos muito satisfeito comigo me chamou para comprar um fritadeira sem óleo, resistir um pouco mas fui…. como boa aluna pesquisamos e em todas as lojas houve muita má vontade..
    Uma em especial que como vendedora quase morri foi com um vendedor que existia duas marcas de fritadeira uma de R$1000.00 e outra de R$400,00… diferença no nome… Enfim perguntamos sobre a de valor menor e o Vendedor respondeu… essa é bem pior que a … (outra marca)…
    Oiii?? bem pior que despreparo e esse… sai da loja indignada…meu esposo insistiu para voltarmos lá que em relação a convencional que compraríamos em outras loja a melhor ainda era a de R$400,00.
    Voltamos e procurei outro vendedor mas não tinha, o rapaz repetiu a mesma coisa e de toda forma queria que levássemos a outra, mas não cabia no meu orçamento, ate cogitamos a ideia (mas como eu disse estou uma aluna aplicada.
    Conclusão não levamos nenhuma das duas nessa loja, e o rapaz perdeu uma venda que estava programada saímos de casa para isso.
    Entrei em outra loja fui bem atendida e levamos o produto, não da marca que desejamos mas o atendimento falou tudo..
    Você disse tudo crise de estupidez.
    Grande beijo!!!!

  • Mariana Constantino diz:

    Patty, adoro esse seu post.
    Tenho outro exemplo claro dessa situação, minha cunhada tem um bar, o estabelecimento fica em um péssimo local, não tem atrativo nenhum,não é divulgado em lugar nenhum,da última vez que fui visita-la ela reclamando “Tudo culpa desse governo, dessa presidente, dessa crise, olha aí meu bar vazio,só prejuízo”
    Já minha tia faz doces, bolos e ovos de pascoa, pergunta pra ela se a crise chegou? Chegou nada, porque ela faz tudo com amor, vive divulgando, fazendo sorteios, promoções, brindes, tem alegria no seu trabalho. Essa é a diferença de quem se deixa abater e quem dá valor ao seu negócio!

  • Patricia Almeida diz:

    Bom dia, Patricia.

    Seu texto é ótimo, pois sinto que a palavra crise virou um vírus para algumas pessoas se encostarem e darem o pior de si em suas funções/tarefas.
    Também faço um trabalho de cliente oculto e vejo a falta de credibilidade que as pessoas passam sobre determinados serviços prestados.
    Infelizmente, acredito que uns 60% dos brasileiros são muito fáceis de serem conduzidos/manipulados á “crise”, do que á atitudes de vitória.
    Abraços

    • Patrícia Lages diz:

      Muito bacana esse trabalho de cliente oculto. Empresas que fazem isso demonstram que têm cuidado com seus clientes, seu nome e a qualidade de seus serviços. Se puder me falar mais sobre isso (pode ser pelo Contato do blog) eu ficaria muito feliz! 😀

  • Eloisa diz:

    Como sempre, um ‘tapa na cara’ da sociedade. Sem querer falei algo semelhante na aula sobre Maslow hj.

  • Daniela diz:

    Patrícia, PARABÉNS pelo post.
    Adorei, e acho que é bem a falta de vontade e o desanimo das pessoas que estão preocupadas demais pensando nelas mesmas e postando status no facebook.
    As pessoas estão vazias e se perderam.

    Parabéns!
    Grande trabalho o seu!

  • Eloise Santos diz:

    Uma bela sacudida em todos nós!! 🙂
    Obrigada

  • Thayara diz:

    Isso é o que eu mais vejo hj em dia por aí… Infelizmente as pessoas não fazem mais as coisas com vontade, prazer, amor. Fazem só pelo dinheiro e de qualquer jeito, depois é só culpar o governo e tá tudo certo

  • Ana Carla Saud diz:

    Há muitas pessoas muito mal educadas nos ambientes de trabalho e nas cidades grandes as coisas estão muito problemáticas. Os locais em que as pessoas ainda tem um pouco de decoro são nas cidades do interior. Não sei em que cidade isso ocorreu, mas um amigo meu está voltando a morar no interior porque relatou que em São Paulo as coisas estão muito problemáticas.

    • Patrícia Lages diz:

      Ocorreu em São Paulo, onde as coisas parecem estar andando para trás…

  • Cris Miranda diz:

    Muito oportuno o post! Essa semana tive problemas com dois serviços de telefonia e tv à cabo e foi exatamente isso o que aconteceu!!! Serviços prestados com má vontade e sem nenhum interesse ou respeito pelos horários marcados ou serviços solicitados. Fui obrigada a desistir pois não havia meios de ser atendida. E olha que eu queria fazer um “upgrade e estava disposta a pagar mais. Nem assim!!
    O seu post serviu também para eu refletir se não estou “sentando em cima dos louros”, acomodada com algumas situações quando deveria fazer mais… Obrigada Patrícia. Seu trabalho transforma a vida das pessoas! Bjo

    • Patrícia Lages diz:

      Obrigada, Cris! Pois é… depois são capazes de dizer que “por causa da crise” o pessoal não está fazendo upgrade nos planos. 🙁

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: