Todas as sextas a Sandra tem trazido posts sobre a relação mães-filhos-economia e suas dicas têm sido muito bem-vindas. E hoje saberemos como valorizar pequenas coisas em relação às crianças e não apenas “comprarmos” sua atenção ou sua obediência. Vamos lá?

Muitas vezes, no nosso corre-corre, esquecemos que a prática de pequenos gestos pode trazer grandes resultados. Não precisamos de muitos recursos, apenas criatividade e uma atitude positiva que pode contagiar àqueles que estão ao nosso redor. Podemos fazer com que os momentos complicados da vida de nossos filhos (e também da nossa), se tornem algo agradável e alegre.

SprveteLembro-me de alguns fatos que ocorreram comigo ainda quando meu filho era pequeno (hoje ele está com 23 anos). Quando ele chegava da escola, sempre me mostrava os desenhos que havia pintado. Apesar de que ele fazia riscos grandes, que saíam muito do contorno dos desenhos, eu dizia que estavam lindos e que ele pintava muito bem. Quase posso ver novamente aquele sorriso no seu rosto! Com o tempo, ele foi melhorando muito e seus desenhos começaram a ficar bonitos de fato.

Outra coisa que poderia ser um problema é que mudamos muito de casa, pois fazemos a Obra de Deus no Altar. Ao longo dos anos passamos por vários estados do Brasil e em outros 4 países levando a Palavra de Deus. Sempre que chegávamos na nova casa, eu logo entrava elogiando tudo, pulava, fazia festa com meu filho e o levava para ver onde seria seu novo quarto. Dizia que era tudo  lindo e ele pulava comigo! Procurava fazer com que ele visse nossas mudanças como algo positivo, como de fato é, mas quando os filhos são pequenos, não entendem tantas mudanças. Porém, Deus sempre me guiou a fazer desses momentos complicados, onde ele teria que recomeçar na nova escola, fazer novas amizades, se adaptar ao novo bairro etc. como uma grande festa. Não precisávamos gastar rios de dinheiro com presentes, jogos ou diversão.

Comemorar, festejar, elogiar, são gestos que fazem muita diferença na vida de nossos filhos e não custam nada. Devemos ensina-los a desfrutar de todos os momentos, mesmo os não tão bons, e ensina-los a ver o lado positivo em todas as circunstâncias. Assim, estaremos formando pessoas melhores que poderão fazer a diferença neste mundo!

E você, já viveu alguma experiência parecida com seus filhos? Compartilhe conosco deixando seu comentário.

Até próxima sexta!

Sandra Lages

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Olá Sandra
    Gosto muito de ler suas postagens de Sexta Feira!
    A de hoje me fez lembrar de quando era criança, fazia a mesma coisa que seu filho …rsrss
    pintava desenhos na escola e trazia para minha mãe ver e ela falava como a sra. !!! dizia que estava lindo… e isso me deixava muito feliz mesmo!
    Continue sempre postando aqui no blog! adoro ler suas postagens!
    (Ah…. gostaria que a sra. me adicionasse no facebook , vou passar meu link aqui nos contatos .)

    Deus abençoe grandemente a sra. e a dona Patricia também!

  • Muito legal dona Sandra… eu tenho algo para contar mas o final é triste.
    Quando minha filha era pequena, amava me dar cartinhas, mas eu tinha pavor de guarda papel, então eu sempre dizia:Mamãe vai guarda no coração… e jogava fora.
    Depois de um tempo já em sua adolescência ela me relatou que se entristeceu com isso e que um dia decidiu que não iria me dar mais nada. Quando isso chegou ao meu conhecimento eu chorei muito, pois eu não imaginava que isso tinha ferido ela tão profundo a ponto dela chorar escondida e dizer que não me daria mais nada. Mas tudo em nossa vida serve de lição. Beijos amo suas postagens e da Paty, beijos.

    • Oi Roberta, tenho certeza que seu relato ajudará muitas mães a prestarem atenção em suas atitudes para com seus filhos, pois realmente os pequenos gestos tanto podem ser positivos como negativos na vida dos nossos filhos! Obrigada por compartilhar conosco sua experiência! Um beijo.

  • Muito bacana d. Sandra! Sua experiencia me faz olhar um pouco para a minha com relação as mudanças…pois nós tb mudamos algumas vezes de cidades e país em decorrência do trabalho do meu esposo e agora que a minha filha maior tem 5 anos começou a questionar algumas coisas. Embora eu veja que ela esta feliz onde moramos não é fácil fazê-la entender que terá que ter uma nova escolinha (a qual ela está tendo uma certa resistência) e novos amiguinhos que não falam o mesmo idioma. Ler o seu post me ajudou mais a saber como lidar melhor com esta situação fazendo disto uma festa para ela :). Embora eu procure motiva-la dizendo que vai ser muito bom para ela conviver com outras crianças sei que um acompanhamento mais minuncioso da minha parte vai ser necessário e é claro muita sabedoria para contornar essa situação de forma que ela fique alegre. Por outro lado, em casa eu gosto de estimular a criatividade das minhas duas pequenas com os desenhos educativos e as pinturas e vejo que ela sempre pergunta se a pintura está bonita e com o elogio positivo ela se enche de sorrisos, realmente isso faz a diferença pra gente – mãe e filhas 🙂

  • OIá Sandra, eu faço a mesma coisa com a minha filha e realmente o resultado para eles são algo maravilhoso, hoje ela tem 4 aninhos e já sabe escrever o nome dela o meu e o do pai, ela acha um máximo e eu fico babando, ela ama pintar e muitas das vezes ela me chama…mamãe vem desenhar comigo, vem brincar comigo…é muito gostoso. Um grande abraço os seus post tem me ajudado muito, fica com Deus.

  • A paz do Senhor!
    Graças a Deus tive bons exemplos. E pretendo segui-los quando meus filhos chegarem (ainda não sou mãe).
    Minha mãe tbm sempre nos motivou a sorrir e ficar feliz com o tínhamos no momento. Lembro-me com alegria (hoje) dos dias de passeio. Digo hoje, pq qd criança não entendia e ate ficava de bico… rsrs… Minha mãe nos olhava nos olhos e dizia: “Quem ta feliz de ir passear??”, e todas gritavam ” Euuuuu”. E sua ultima recomendação era: Bom então estamos indo felizes e voltaremos felizes! Sem cara feia!! Quando eu disser vamos embora, todas com o sorriso no rosto!”…

    Não estávamos apenas brincando, estamos aprendendo!

    Glorifico a Deus pela vida dos meus pais, que tiveram muita sabedoria e esforço pra nos ajudar a sermos quem somos!

    Beijos

  • Nossa isto é muito gratificante pois quando eu chegava da escola eu sempre a cada dia espera esses momentos mais minha mãe num me elogiava mais me dava bronca por qualquer errinho bronca feia..
    Pois hj sou mãe e a cada gestinho da minha filha elogio e elogio grandemente e repito incentivo pulamos gritamos declaramos que somos melhores amigas para sempre nos lembramos umas para outra sempre . Falamos uma as outra sempre eu te amo. E quando ela me diz mãe eu te amo até quando vc está brava comigo quando está triste , quando está feliz. Obriga pois cada POST ME FAZ MAIS Forte<:

  • desculpas meus erros pois estou trabalhando e muito ocupada acho as as letras muito pequenas e claras não é tão fácil de visualizar quando escrevemos .. minha princesa de anos Bju Obrigada

  • A Familia da frannjinha!!! Lindos! Embora eu ainda não tenha filhos naturais , estou praticando as dicas com meus filhinhos da fé, 9 sobrinhos, rsrs e com as crianças da EBI! Obrigada!

    • kkkkk…. A Sandra não tem mais franjinha! Essa foto é antiga, pois meu sobrinho agora está com 23 anos. Bjs

  • Bom, estou acompanhando o desafio desde o começo e estou vendo muitos resultados,muita coisa já mudou,mas gostaria de compartilhar a minha experiência sobre o assunto acima citado. Tenho uma filha de 15 anos, e como estávamos passando por problemas financeiros, sugeri a ela que arrumasse um trabalho. Procuramos por um bom tempo e não achávamos nada que se encaixasse, até que abriu uma vaga no melhor estúdio fotográfico da minha cidade, como ela adorava tirar fotos ela se inscreveu. Depois de muitos testes ela foi aprovada (nossa quanta alegria), mas ai o tempo foi passando e não sabíamos que seria tão difícil. Em pouco tempo nos deparamos com uma situação: minha filha tinha apenas 15 anos teria que assumir um estúdio fotográfico pois a fotógrafa estava grávida. Nossa! ai começaram as reclamações porque tinha que trabalhar muito. inclusive nos finais de semana, era muita informação, ai que saudade de assistir seção da tarde e assim por diante. Mas ai que entra meu papel, em vez de ficar com pena eu mostrava o lado bom pra ela, que ela vai ser grande que muitas meninas da idade dela gostariam de estar no seu lugar e assim por diante, enfim, em vez de ficar com pena (claro que eu tinha pena, mas não podia ficar fazendo drama rsrsr) dei forças pra ela e hj com 15 anos ela assumiu o estúdio no lugar da outra moça que vai tirar licença, está ganhando um bom dinheiro e feliz. Não foi fácil mas estou muito orgulhosa da minha menina ,obrigada

    • Ela merece parabéns pelo empenho, mas vc tb merece por ter vencido os sentimentos! Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *