Nomofobia: o vício pelo celular

Viver colada ao celular é vício sim e tem nome! Como todo vício, a nomofobia atrapalha a vida de quem o possui, inclusive na questão profissional. Conheça o problema e saiba como se livrar dele.

celular

Se alguém dissesse, dez anos atrás, que o celular causaria perda de emprego seria muito difícil de acreditar. Porém, nos dias de hoje, difícil mesmo é achar uma empresa onde os smartphones não tenham sido, em algum momento, motivo de negligência no trabalho, mal atendimento ao cliente, falta de produtividade, de atenção e por aí vai… O assunto é sério, por isso, vamos tratá-lo por partes.

O que é nomofobia

Toda fobia é um medo irracional e, no caso do vício em celular – a nomofobia – esse medo é de ficar isolado, desconectado do mundo virtual, achando que está perdendo algo quando não está acompanhando tudo o que acontece. Se a pessoa fica impossibilitada de usar o smartphone (ou tablet/computador) ou sem conexão com a internet, sofre com sintomas de abstinência muito parecidos com qualquer outro vício (drogas, álcool, cigarro).

Como identificar o vício

nomofobiaConectar-se à internet ou checar o celular algumas vezes ao dia não caracteriza vício, até porque, muitos de nós utilizam essa tecnologia para o trabalho, para facilitar a comunicação e até para o lazer. Mas o vício se caracteriza pelo uso excessivo, desnecessário e que afasta a pessoa do convívio social normal.

Sintomas de abstinência

Vão desde angústia, sentimento de “buraco” no peito, perda de interesse por outras coisas, nervosismo, irritação, náuseas, taquicardia, sudorese, tensão muscular, pânico, entre outros.

Prejuízos à pessoa viciada

vicioO uso exagerado de celulares, tablets e o acesso desequilibrado à internet pode causar muitos problemas de saúde, como: dores na coluna e pescoço, tendinites, insônia, ressecamento de retina, diminuição da qualidade auditiva, entre outros. Além, claro, da falta de socialização, pois todo viciado tende a isolar-se da família, amigos e colegas de trabalho. Esse afastamento se dá porque o viciado tende a negar que tem um problema e, por não querer que ninguém toque no assunto, se afasta de quem tenta ajudar.

Prejuízos no trabalho

A nomofobia não deixa a pessoa se concentrar em suas tarefas, o que pode causar diminuição da produtividade, aumento no risco de erros e acidentes, falta de atenção, perda de qualidade etc. Também são comuns o afastamento dos demais colegas de trabalho e a busca constante por estar sozinho e poder passar a maior parte do tempo possível conectado. Diante de um quadro assim, muitas empresas não veem outra solução senão o desligamento do funcionário.

Veja a que ponto chegamos: pessoas perdendo o emprego em uma época de alto desemprego por estarem sendo controladas por um aparelho que foi criado para facilitar a vida!

 

Como se livrar do vício

Geralmente, uma pessoa viciada tem muita dificuldade de perceber e admitir seu vício, por isso, o primeiro passo é admitir o problema e não maquiá-lo ou justificá-lo. Usar as redes sem se viciar é possível e deixar o vício de lado também.

Veja o meu caso: este blog tem milhares de visualizações diárias, mas é possível que eu acompanhe tudo o qua acontece aqui sem estar 24 horas por dia conectada. Além disso, tenho uma página no Facebook com mais de 153 mil fãs, um canal no YouTube com dezenas de milhares de inscritos que fazem as mais diversas solicitações o tempo todo, mas nem por isso perco o o sono ou deixo minhas inúmeras tarefas de lado. Por isso, posso dizer que é perfeitamente possível trabalhar com a internet sem permitir que se torne um vício.

Se você não consegue largar as redes sociais e o celular: admita o problema e tenha como objetivo mudar o seu comportamento para se libertar do vício. Na terça-feira que vem vou dar algumas dicas do que você pode fazer para se libertar do problema. Não perca!

Se você ainda não é cadastrada aqui no blog, faça o seu cadastro agora mesmo:

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Comportamento
  • Geisa diz:

    Excelente artigo!!! Passo por isso com meu namorado, temos brigas constantes por causa do celular. Ele não admite o vício, mas não desgruda do aparelho e qdo pego o meu celular para checar as msgs do WhatsApp, fala que eu é que sou viciada! Isso qdo não está no notebook, no celular e na televisão, tudo ao mesmo tempo… Situação muito difícil e triste pq por mais que eu fale, para ele, o problema é sempre comigo e eu sou sempre a chata da história!

  • Luciana Bodini diz:

    Que legal falar sobre isso Pati! Acho q é até gostoso quando a gente se desconecta e se concentra no trabalho ou nos estudos. Bjos!!

  • Vilma diz:

    Perfeito esse post .
    As vezes estamos com esse vício e não percebemos.
    Devemos vigiar
    As vezes me encontro na foto do casal acima.😟

    Obrigada pela alerta ❤

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: