É certo que a vida está mais corrida do que nunca, mas essa falta de tempo está impactando negativamente as famílias. Como sair desse ciclo?

Falta de tempo, falta de união

Falta de tempo, quem não sofre desse mal?

Mas a verdade é que estamos empregando muito mal o nosso tempo ultimamente…

Estamos permitindo que ele seja roubado por coisas que não têm valor, não é mesmo?

Enquanto isso, deixamos de lado atividades importantíssimas do dia a dia.

Principalmente em relação ao convívio com a família.

O uso do tempo tem sido focado nas redes sociais, joguinhos, excesso de trabalho etc.

O que precisamos fazer periodicamente é analisar o porquê fazemos o que fazemos e se isso tem sentido na nossa vida.

Por exemplo:

Você trabalha demais e ainda leva mais tarefas para casa, mas o que isso está lhe trazendo de bom?

É realmente necessário empregar tantas horas no trabalho?

O seu trabalho tem tirado o seu convívio com marido, filhos, amigos e familiares em geral?

O preço que você paga por tanto trabalho tem valido a pena?

Há alguns anos cheguei à conclusão que não valia a pena viajar tanto, trabalhar tanto e ficar longe de tudo e de todos.

Cheguei a fazer 4 vôos por semana correndo pelo Brasil afora em busca da melhor matéria, dos melhores entrevistados etc. etc.

Não, não valia a pena…

Larguei tudo, voltei para São Paulo, me casei e fui trabalhar no negócio do meu marido.

Não tinha nenhum glamour, o dinheiro ficou mais curto, mas eu estava muito mais feliz.

Com o passar do tempo, trabalhar com felicidade trouxe também o retorno financeiro.

Hoje não abro mais mão da minha liberdade de escolher o que quero fazer.

Há tempo para tudo, mas precisamos ser muito sábios na hora de usar o nosso tempo.

 

Onde ficam as crianças?

Há três anos dou aula de educação financeira para crianças em grupos que vão de 6 a 14 anos.

É um prazer enorme, mas tenho que confessar que também é triste ver como elas são sozinhas e o quanto estão carentes…

Crianças que sonham em poder jantar com os pais em uma mesa sem celular, que só comem comida congelada e macarrão instantâneo e só veem comida de verdade quando vão na casa dos avós.

Crianças que têm medo de contar pequenos segredos aos pais, pois vão encher a cabeça deles que já está abarrotada de problemas.

Crianças que fazem muita birra querendo chamar atenção a qualquer preço porque se sentem sozinhas e não sabem o que fazer.

Crianças que pedem roupas, brinquedos e celulares só para terem um momento como centro das atenções.

O vídeo abaixo não é ficção, ao contrário, está mais real do que nunca.

Pense bem nas suas escolhas porque o nosso tempo é limitado e não se vive duas vezes.

Nos vemos!

 

 

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Hoje sou a dona de casa mais feliz do mundo!
    Abri mão e muitas pessoas acham que perdi mas só eu sei o quanto ganhei. Arrumar minha casa, fazer comidinhas deliciosas, fazer cócegas na minha filha caçula, passar a roupa do trabalho da mais velha, dar conselhos, acompanhar a carreira, enfim que vida maravilhosa!

    • É a maior contribuição que vc faz para a sociedade como um todo. Admiro muito!

  • E os meu olhos encheram de lágrimas ! Obrigada Pati por abrir nossos olhos .

  • Minina…..
    Não tenho marido, nem filhos….
    Me vejo correndo o tempo todo, mas janto sozinha, vendo tv. Procuro não pensar nisso…. mas não lembro a última vez que comi sentada à mesa (almoço ou jantar)…
    Após ler o seu texto e assistir ao vídeo, chorei…. porque é disso mesmo que eu sinto tanta falta!
    Família!
    Beijokas

  • Quanto mais conheço seu trabalho, mais a admiro!!! Li todos os seus livros mas especialmente o último, O SUCESSO NÃO CABE NA BOLSA, achei simplesmente MARAVILHOSO!!!!!!!!!! É diferente, de um ponto de vista novo (não me lembro de uma abordagem como essa), muito gostoso de ler, enfim… especial!! Obrigada, realmente obrigada!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *