Ninguém gosta de sofrer injustiças, mas cometer injustiças pode trazer uma sensação ainda pior. Tirar conclusões antes de analisar os dois lados tem tudo para ser a fórmula perfeita da injustiça. Confira o desafio da semana. 

imageHá apenas 23 dias de 2015, depois de termos trabalhado em tantos aspectos para sermos pessoas melhores, não vamos levar nada de ruim para o ano que vem, certo?

Particularmente tenho me empenhado para ser uma versão melhor de mim mesma e posso dizer que isso dá trabalho! Não se trata só de fazer a coisa certa, mas de corrigir as coisas erradas – o que pode ser ainda mais difícil…

Quando olhamos as coisas apenas do nosso ponto de vista e nos baseamos nisso para julgar as atitudes dos outros, fica muito fácil cometermos injustiças.

Na semana passada, enquanto uma amiga se empenhava em fazer seu melhor em algo extremamente importante, ela não teve tempo para mim. Havíamos combinado algumas providências importantes para mim, mas em meio a inúmeras tarefas – que lhe tiraram muitas horas de sono -, ela escolheu fazer as mais importantes e necessárias (coisa que eu também teria feito).

Olhando a situação do meu lado, pareceu muito errado faltar com o combinado, por isso, fiquei chateadíssima e fiz questão de deixar isso bem claro. Expressei abertamente a ela meu descontentamento com a situação e, depois, levei um dia inteiro para conseguir refazer minha agenda sem poder contar com ela. Foi tanta dor de cabeça que a última coisa que eu queria era ouvir as razões dela… Que injustiça ela fez comigo!

Passado o estresse todo, percebi que ela havia tomado a decisão certa, pois vi o quanto ela se transformou em dez para dar conta de tudo e fazer o melhor, não só para mim, mas para várias pessoas que contavam com ela e precisavam de suas providências muito mais do que eu. Que injustiça eu fiz com ela!

Mas como de tudo podemos tirar lições, eis aqui as que aprendi:

* Nunca tirar conclusões sem ouvir as razões do outro e, se não temos como ouvir, não concluir o pior;

* Nunca expressar sentimentos quando estamos aborrecidos;

* Nunca achar que seus problemas ou necessidades são maiores que os dos outros;

* Nunca cobrar amizade dos outros se não agimos amigavelmente.

Esse é o desafio da semana: aprender a considerar sempre os dois lados e não só o nosso.

Recadinhos: A partir de quarta-feira vou postar uma série de posts sobre minha participação no evento da Harvard University, Sucesso: a única chance. Não percam!

Nos vemos!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Olá Querida Paty,
    Sempre procuro me informar do contexte das situações .Temos que estar Sempre com muita atenção para não cometer injustiças com as pessoas. “As aparencias enganam mesmo!!”
    Excellente post para pensar e agir .Obrigada
    Beijinho

  • Arrebentou,esse desafio é muito importante,pois sempre alguem acaba sendo injustiçado(a)…

  • ¨Nunca expressar sentimentos quando estamos aborrecidos¨
    Me lembrou da técnica da ¨água da paz¨. Basta encher a boca com um copo de água e conserva-la ali, quando alguém lhe fizer alguma provocação. Deve mantê-la na boca, banhando a língua, enquanto persistir a vontade de responder ao provocador…

  • Passei por uma situação um pouco parecida com a sua Pati! Precisava ajudar uma amiga com problemas com uma outra pessoa, pois o que ela falava parecia ser uma grande injustiça, mas eu não sabia o outro lado da história… Nesse caso tentei ser o mais imparcial possível, pois ás vezes, nós, seres humanos exageramos ao expressar nossos sentimentos.
    É muito importante se colocar no lugar do outro, mesmo quando a situação te afeta, tentar olhar o real motivo que o outro falhou com você.
    Beijos
    http://mundocoloridodebia.com/

  • Não é nada fácil nos corrigir, né?! Uma das coisas que tenho aprendido ao longo dos meus 29 aninhos é que, não dá pra mudar meu jeito estabanado e impaciente de ser mas, posso segurar a língua na hora que as coisas não vão bem, tenho aprendido a ser franca com as pessoas na hora que estou explodindo, e deixo sempre claro que não estou bem e que preciso respirar fundo e contar até um milhão…rsrsrs Senão como me mãe diz “se explodir ninguém junta os pedaços depois’.
    Já magoei muitas pessoas mas hoje, procuro ser mais zen, e quando não dá me retiro e me sinto muito bem por ter esse controle de saber que as coisa vão se resolver melhor se eu esfriar a cabeça, mesma que algumas pessoas não entendem e ficam enchendo o saco e dizendo desabafa vai ser melhor, mas eu sei que não vai. hehehe

    Bjus,
    Leila

  • Boenas!

    Legal guria, amei esse desafio, me servirá muito.

    Abraço pra ti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *