Desafio Detox 8 – Maria-vai-com-as-outras

Muitas polêmicas nesses dias, não é mesmo? Terceirização dos trabalhadores, cantor que ofendeu o próprio público e críticas às cabines de amamentação que nem chegaram ao Brasil. O que fazer diante de tantas “opiniões”? Detox nelas!

Primeiramente vamos relembrar algumas dessas polêmicas, caso você não as tenha acompanhado. A ideia aqui não é ditar uma opinião, no caso a minha, para que você concorde ou discorde, mas sim, que você aprenda o mecanismo de analisar o que a cerca e tirar suas próprias conclusões.

88d6526d9a1b2f4e19ca6b6037becef4O PL (Projeto de Lei) 4330 foi proposto pelo deputado Sandro Mabel/PMDB (foto) no ano de 2004, e pretende ampliar a legalização da contratação de trabalhadores terceirizados. Detalhe: há mais de 10 anos esse projeto foi apresentado, mas você ouviu alguma coisa a respeito? Por que só agora, quando já está em votação, é que muitos querem fazer suas opiniões valerem no grito?

Não estou vendo as organizações conversarem sobre o projeto e chegarem a um meio termo, só vejo pessoas totalmente contra e outras totalmente a favor. E o povo, que fica perdido no meio disso tudo, em vez de realmente procurar saber do que se trata, simplesmente vai ver qual é a opinião de “fulano” para sair repetindo por aí. É aquela frase: “se fulano falou, tá falado!”

A terceirização não é a solução para todos os problemas que as empresas enfrentam com a carga tributária que um funcionário CLT traz. Por outro lado, ajuda – e muito – a viabilizar diversos empregos em micro e pequenas empresas que não têm como pagar todos os direitos que a CLT exige. Existe um meio termo, mas ninguém quer se entender, só querem se dar bem individualmente: “a lei é terrível, mas veja como EU sou bom: votei contra!” Ou, “a lei é a salvação do Brasil, veja como EU sou bom: votei a favor!”.

 

Ed-MottaE sobre a polêmica em torno do Ed Motta? Ele foi muito infeliz ao publicar em seu Facebook algumas ideias que ofenderam muita gente, mas a maioria dos que se ofenderam fez exatamente a mesma coisa: o ofenderam de volta! Ouvi gente dizendo que o cantor é preconceituoso porque “xingou” as pessoas de pedreiros. Como assim xingou de pedreiro? Pedreiro é uma profissão que exige muita técnica, perícia e conhecimento, desde quando é xingamento? Quem acha que pedreiro é xingamento não está sendo preconceituoso? Mas sem analisar, muitos compartilharam o “diga não ao preconceito” sendo preconceituosos! Assim como muita gente, ele errou ao descarregar suas frustrações na internet sem se importar se ofenderia alguém, mas muitos aproveitaram a situação para pousarem de politicamente corretos sendo politicamente incorretos…

20150407120541397995oE para terminar, vem a polêmica das cabines de amamentação que nem sequer chegaram ao Brasil. A ideia da empresa criadora das cabines é dar privacidade às mães na hora de amamentar seus bebês. Mas lá estavam os críticos de plantão para dizer que estão “trancafiando” as mães como se fossem criminosas, passando a ideia de que amamentar em público é uma coisa horrível.

996576_667673293259979_1162656774_nCansei de ver mães amamentando seus bebês em banheiros públicos porque querem privacidade e, fora o banheiro, onde mais? O que é melhor: que a mãe que quer privacidade amamente no banheiro – um local quase nunca limpo o suficiente – ou que tenha uma opção mais apropriada para ela e o bebê? Será tão difícil entender as diferenças entre as pessoas? Será que é difícil respeitar que umas não se incomodam em amamentar em público, mas outras sim? É realmente necessário sermos contra só porque é “moderninho” ser contra? Certamente eu usaria a cabine, porém conheço mulheres que realmente se sentiriam presas em um local pequeno e sem janela. Então usa quem quer e quem não quer não usa. Só isso!

Se houvesse o mínimo de respeito, boa parte dessas polêmicas nem sequer existiriam. Mas está na moda o ser do contra, o “vem pra rua”, o “bota pra quebrar”, o “eu falo mesmo, e daí?”. Virou antiquado o “vamos conversar a respeito”, virou uma coisa chata falar de política quando podemos fazer algo (votar direito, por exemplo), e ouvir uma opinião diferente então? Nem pensar! Confundem debate de ideias com briga e opiniões diferentes como idiotice. Você já deve ter lido nas redes algo como: “eu penso assim e quem não pensa é idiota!” Em outras palavras: ou me seguem ou não servem para mim, sejam Maria-vem-comigo!

Nós não somos e nem seremos iguais. Não temos e nem teremos as mesmas opiniões em tudo. Somos seres complexos, cada um com uma história de vida, cada um com uma justificativa por pensar como pensa. Precisamos nos desintoxicar da ideia de que existe UMA forma correta de ser, UMA forma correta de pensar. Somos bilhões de pessoas vivendo no mesmo lugar, mas cada um é único e individual. Respeite os outros, mas acima de tudo respeite a você mesma. Tenha opinião própria, não seja uma Maria-vai-com-as-outras por achar que os outros estão certos e você não. Confie mais em si mesma e se desintoxique das opiniões dos outros. Tenha as suas, seja você mesma e respeite seu jeito de ser e de pensar. Ser melhor não é ser quem você não é.

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Destaque, Ética
  • Cidalia -Tunisia( Africa do Norte) diz:

    Bom dia Patty,
    Olha seu post “Valeu”!!!
    Uma boa semana Querida

  • Vânia Maria Gabriel de Souza diz:

    Bom dia, Patrícia!
    Gostei do texto de hoje!
    Desde que larguei mão de ver alguns programas jornalísticos – prefiro apenas um na tv aberta porque não jorra sangue nem sensacionalismo aqui em casa – me sinto mais calma e atualizada diante do que realmente importa.
    E é gozado como meus olhos conseguem enxergar melhor as pessoas “dos excessos” porque estão sempre corretas e nos deixam sentir que somos “tranqueiras” por não concordarmos com sua sabedoria!
    Beijos

  • Flávia Priscila diz:

    É verdade Patrícia, o que mais tem são pessoas precipitadas na hora de falar, os famosos fofoqueiros. Não buscam tirar suas conclusões, pega as coisas no pé da letra e entendem do jeito que querem. Ai brincam de telefone sem fio.

  • Fátima Marajó diz:

    Excelente assunto esse. Quando vejo essas notícias procuro saber do que se trata. Converso com meu esposo a respeito e algumas vezes temos opniões diferentes sem precisarmos impor que um concorde com o outro. Quer dizer, tenho opinião própria. Não sou uma maria-vai-om-as-outras. Quanto essas notícias recentes, só tenho prestado atenção da PL da terceirização que é o que me importa.
    Um grande abraço para você.

  • Bernadete Belém diz:

    Arrebentou!!!

  • Marcia Barcelos diz:

    Excelente este post!!! esclarecedor! a maioria “vai-com-as-outras” sem saber os motivos reais das manifestações. Abç.

  • Marta diz:

    Arrebentou Patty, nossa essa postagem de hoje veio confirmar mais ainda meu pensamentos, pois estou em uma fase em que decidir ter opinião própria, não me basear no que as outras pessoas pensam e isso está causando alguns conflitos, mais vou seguir em frente porque antes eu era muito “mandada” sempre fazia o que as pessoas queriam e me baseava nas “opiniões alheias” e agora que decidir me posicionar diante de tudo estou sendo chamada de estranha, que não estou bem e que estou distante. E não é nada disso, simplesmente decidir filtrar tudo o que ouço, vejo e falo e consequentemente isso está refletindo nas minhas atitudes e sinceramente estou mais feliz com essa minha nova fase de não ser “Maria vai com as outras”.

    Patty, que Deus continue te abençoando mais e mais.

  • Carla de Paiva diz:

    Que luxo! Parabenizo-a pelo capricho ao escrever suas publicações. Acompanho o blog desde o início e já li seus dois livros, o que você escreve é sempre muito assertivo (certamente fruto de muita pesquisa e estudo) e me faz refletir bastante.

  • Luiza Freire diz:

    Gostei do texto e infelizmente, é o que mais vemos. As pessoas vomitam suas opiniões e acham que todos devem acatar o que é falado, com o risco de ser antiquado ou alienado.

  • Paulliane Santos diz:

    Como sempre…
    Post. maravilhoso!!!

  • Vanessa Carvalho de Miranda diz:

    Patrícia….. você foi nota mil neste post….
    Penso totalmente igual a você…..
    Que Deus continue lhe abençoando e dando-lhe sempre esta preciosa sabedoria…
    abraços

  • Vanessa Costa diz:

    Nosso povo precisa aprender a pensar!!!
    Deixar de ir na onda da mídia.

  • Monica Jesus diz:

    Fantástico esse post de hoje. É isso mesmo detox na maria-vai-com-outras!!!!!!!!!!

    • Lívia diz:

      É mesmo, Rosangela, as cabines podiam ser pelo menos mais abertinhas, lançaram uns banheirinhos masculinos aqui no Rio onde os homens ficam mais expostos fazendo seu xixizinho do que a mãe nessa caixa.
      E tem mais, é claro que a mulher que opta por amamentar livremente, sem vergonha de algo tão natural, será constrangida.

  • Rosângela de Albuquerque diz:

    Olá Patrícia. Gostei do post, muito bom mesmo. Agora em relação as cabines pra amamentar…humm. Na minha opinião, elas mais parecem algo pra esconder a mulher, ou melhor, os seios da mulher que está alimentando seu bebê. Eu não usaria por que daria- me a sensação de ter que ficar escondida, quando na verdade, amamentar o filho no seio é algo divino, maravilhoso e não deve ser vergonhoso e nem visto por outros como algo obsceno. Se for considerado assim, e quanto as mulheres que desfilam no carnaval com eles de fora? Eu gosto muito da sala de amamentação do shopping aqui de onde moro, é algo reservado mas não se parece em nada com essa cabine aí. Onde a mulher vai encostar o braço? Como ficar relaxada nisso aí? Na minha opinião é pra esconder a mulher e seus seios sim. Não estou indo pela opinião dos outros mesmo por que eu nem sabia dessa polêmica até ler aqui no seu post.Esconder a mulher na hora de amamentar é esconder da sociedade o bem que faz o aleitamento materno exclusivo para o bebê e para a mãe. Mas, cada um com a sua opinião. Beijos.

    • Patrícia Lages diz:

      É bem verdade que existe sim a questão de alguns quererem só esconder as mulheres, mas temos que considerar que em aeroportos há pessoas de todo tipo de cultura e certamente há as que se incomodam. E a menção do carnaval é a mais pura verdade! Muitos se incomodam com a amamentação, mas não deixam de assistir o carnaval… Tudo tem um lado ruim, mas acho que a cabine é um começo para que todo local de alta rotatividade de pessoas tenha um espaço apropriado para acolher as mães e os bebês. Em quase todo local público temos os trocadores, por que não um espaço decente para amamentar também? 😀

  • Priscila Barbosa diz:

    Boa noite, amei a ideia do espaço reservado para amamentação, pois é um momento intimo entre mãe e filho, onde ocorre uma grande troca de carinho, amor e intimidade, eu detestava quando as pessoas queriam conversar enquanto eu amamentava, era o meu momento.

    Deus criou cada um de uma forma, características, gostos, temos que respeitar uns aos outros.

  • Ilma diz:

    Primeira vez que entro aqui, amei!!

    • Patrícia Lages diz:

      Seja bem-vinda! 😀

  • Jaqueline diz:

    É o que está faltando,mais opinião própria.

  • Bruna Gonçalves diz:

    Boa tarde! Patricia
    Achei esse detox , simplesmente maravilhoso.
    Continue deixando Deus usar vc porque creio que tem ajudando muitas pessoas , assim como tem me ajudado muito.
    Parabéns. Bjos

  • Rosilane Vargas diz:

    Muito Bom!

  • Franceli diz:

    Olá Patricia,

    há algum tempo acompanho seu blog e seus livros, e queria parabenizá-la, são muito bons realmente.
    Decidi comentar neste post, porque gostei muito da forma como se expressou, e como tem sido difícil encontrar opiniões assim.

    Parabéns e Deus te abençoe.

  • Joselene Lima diz:

    Muito bom!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: