Desafio Detox 7 – Identidade

Quase toda mulher busca ser diferente e, no caso das nossas blindetes, fazer a diferença. Mas há coisas que podem nos intoxicar e nos fazer desviar desse caminho, portanto, detox nelas!

manequinsSe você perguntar a qualquer mulher se ela deseja ser igual às demais , provavelmente ela dirá que não, afinal, qual é o sentido em querer ser uma cópia se nós somos originais?

Porém, na prática, o que vemos na maior parte do tempo são pessoas se esforçando – e até se sacrificando e endividando – para serem iguais a alguém.

 

Sábado fui ao cabeleireiro e ele me falava da sua obrigação de acompanhar as novelas da Globo, pois basta começar uma e não faltam mulheres para pedir o corte da fulana, a tintura da beltrana… Daí você sai na rua e vê um monte de mulheres com o mesmo cabelo, vestindo as mesmas roupas, falando do mesmo jeito, batizando seus filhos com os mesmos nomes, e por aí vai.

8gx66spofijsnpnbrju3sb0orE quantas não são as vezes que o tal corte, coloração ou roupa nem ficam bem para a maioria das mulheres normais? Digo “normais” porque, qual de nós tem cabeleireiro e maquiador disponível todo santo dia antes de sair de casa? Ou quem aqui acorda maquiada e anda pela casa de salto alto, robe de seda e cabelo modelado?

Lembro-me de ter percebido, em certa época, que muitas mulheres estavam “platinando” os cabelos (pintando de um loiro super claro, estilo austríaco) e deixando-os suuuuuper lisos. Eu não podia entender o motivo… Em um país onde a maioria tem pele bronzeada, cabelos ondulados (não eu, infelizmente), o que essa cor nórdica e esse liso extremo têm a ver conosco?

Quando perguntei a uma das dúzias de “platinadas” que vi, a resposta foi: “Nossa, em que mundo você vive? É por causa da Leona!”. Continuei sem entender até que soube que a tal Leona era personagem de uma novela das 8. Uma atriz loira, de pele clara, olhos verdes, alta e magra e com total condição de retocar a raiz a cada 15 dias. Tudo a ver com a maioria das brasileiras…

Uma coisa é usarmos as tendências de moda a nosso favor e termos referências do que gostamos (como eu sempre dou uma olhada nos looks da Olivia Palermo no Pinterest), outra coisa é copiarmos o que nem fica bem para nós pelo simples fato de querermos, lá no fundo, sermos iguais a alguém que não tem nada a ver com a gente.

Com isso, a pergunta é: se todas querem ser diferentes, por que se esforçam para serem iguais?

Existem vários motivos que podem ir desde um simples: “não entendo de moda, então copio tudo”, até coisas mais profundas como “sendo igual, serei aceita”.

A verdade é que ser diferente tem um preço alto a se pagar. As pessoas nos acham umas ETs (a exemplo daquela “Leona” que achou o cúmulo eu não saber nada da novela que “todo mundo assiste”). As pessoas acham que  estamos por fora das coisas que estão em alta no momento e que isso é, de certa forma, negativo. Mas afinal, que importância isso tem?

Qual valor há em entrarmos nessa espécie de “fôrma” que deixa todas as mulheres iguais? A mídia em geral, Hollywood e a ditadura da moda estão dia e noite enviando mensagens tóxicas, mas cabe a cada uma de nós escolher o que queremos para nossa vida. É preciso nos desintoxicar o tempo todo de certas coisas que se instalam por aí e tentam definir quem somos.

Você é única e original. Não há outra igual a você e isso é perfeito!

A sua identidade a define, por isso, preze em mantê-la o mais fiel a você mesma e não se deixe levar por modismos. Detox em tudo o que faz você ser menos você! Pague o preço de ser diferente, pois apesar de alto, sempre vale a pena. Lembre-se de que coisas boas, exclusivas e originais custam caro!

 

Screen Shot 2015-03-18 at 23.45.38Hoje começa nosso curso online e gratuito no site da EduK: “Bolsa Blindada 2 – Transforme seu hobby em negócio“.

Serão 3 dias, das 19h às 22h. Reserve já o seu lugar clicando aqui. Você receberá um e-mail antes do curso com todas as informações.

E para não perder nada aqui do blog…

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Desafio, Destaque
  • MEIRE JANE diz:

    perfeito!rs..

  • Vânia Maria Gabriel de Souza diz:

    Oi, Paty, bom dia!
    A sociedade está doente, mesmo!
    Graças a Deus descobri uma cabeleireira especial!
    Quando eu chego lá querendo alguma coisa diferente que ela (que é experiente no assunto) vê que não combina comigo, daí começa a sessão de perguntas para eu mesma descobrir o motivo da mudança!
    Daí acabo percebendo que preciso me valorizar, como única que sou e não me deixar levar por ideias maluquinhas!
    Deixo meu beijo prá Elza que é a “terapeuta dos meus cachos”!
    Beijo prá você também, obrigada!

  • Janaina Moura diz:

    Boa! Ah estarei no curso, não vou conseguir assistir.

  • Regiane diz:

    Muito bom!! Também sou contra essa ditadura de termos de ser igual a moça da novela, somos únicas e por isso especiais. O que vemos hoje pela rua é um monte de mulher vestida igual com cabelo igual, quando vou comprar alguma coisa e o vendedor diz, essa peça de roupa vende muito, todo mundo usa…rsrsrs, daí não compro, não quero ser igual. Não somos bitoladas, acompanhamos moda, mas devemos nos adaptar ao que fica bom em nós e de acordo com nossa personalidade, as mulheres hoje parecem um monte de xerox colorida tirada da matriz que é a moça da novela..rs.

  • Vilma diz:

    Sou muito bem definida na minha identidade.
    E lendo esse Post tenho certeza que sou normal…
    E que não vivo de moda…vivo do que eu Vilma me sinto bem…se a moda que estar em alta me agrada,faz parte da minha identidade ate uso alguns acessórios…caso contrário,não vivo disso!!! Ate porque sei que passo uma boa imagem tanto do meu vestir como dos meus cabelos,e não tenho vergonha de viver num mundo onde algumas pessoas me fazem essa mesma pergunta que fizeram pra você Patrícia. “Que mundo você vive”? Me sinto diferente pelo fato de ouvir essa pergunta e sou feliz assim…

  • Fátima Marajó diz:

    Olá Patricia!
    Eu nunca, desde menina quis seguir moda. Quando via todas as mulheres seguindo a moda da novela, olhava para elas e achava sem graça, só pelo fato de serem iguais. Desde que tive entendimento das coisas eu queria fazer e ser diferente. Era até criticada pelas colegas e até por um namorado por não andar na moda. Nunca dei importância e sou valorizada por ter meu próprio estilo.
    Aguaro ansiosa pelo curso. Um grande abraço!

  • Daiana Schemes (Rio Grande do Sul) diz:

    Boenas!

    Excelente Pati, bjão.

  • Angela diz:

    Oi Patricia, tudo bem?
    Preciso de um conselho, o que você acha melhor? Veja a minha situação, tenho o tecnico em contabilidade, trabalhei 6 anos na area contabil, estou a 3 anos sem trabalhar, estava cuidando dos filhos (tenho 1 casal), tenho 30 anos e quero voltar ao mercado de trabalho, sei que estou muito desatualizada, quero fazer um curso superior a distancia (EAD, custo mais baixo e farei no meu tempo livre), mas não sei se faço Tecnologo em Gestão Financeira (2 anos) ou Bacharel em Administração de Empresa (4 anos), levando em conta que quero voltar ao mercado de trabalho o mais rapido o que você me aconselharia, estou perdida. Desculpe não tenho ninguem que possa me aconselhar com uma ampla visão, confio em você, seus conselhos me ajudam muito em todos os posts. Bjs Fique com Deus.

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Angela. Se vc quer voltar o quanto antes ao mercado, na mesma área e quer se atualizar, creio que uma faculdade nesse momento não seria o mais indicado. Que tal buscar um curso especificamente de atualização para recuperar a prática e já estar pronta para se recolocar? Depois vc pode pensar melhor em que faculdade fará 🙂

      • Angela diz:

        Obrigada Patricia! Não havia pensado em um curso de atualização, vou procurar mais informações. Bjos

    • Joana diz:

      Oi Angela. O programa do curso de ADM é mais extenso e não abrange a sua área como Contabilidade. Se não me engano tem duas ou três matérias apenas relacionado a sua área. Nesse caso, talvez seja melhor você focar num curso específico. Espero ter ajudado.

  • Cristina Fontes diz:

    Existe muitaaaaas pessoas assim, infelizmente, e isso não para no mundo fantástico da vaidade não, influencia na decoração da casa também. Trabalho com decoração e é muito comum quererem os papeis de parede que estão nas novelas do momento também.
    Teve uma novela que não sei dizer qual é de um personagem,Tufão, Futão sei lá que já era a boca do povo, eu já chegava com o book aberto na pagina kkkk porém querer muitos querem o poder é que esta no problema, quando falava o preço, (que nem é tão caro assim) era como jogar um balde de água fria na cabeça,
    e o pior é vê se frustrarem por algo quem nem combina com o estilo e a decoração da pessoa; Tudo pra que? pra dizer que tem igual o da novela.

  • Mãe Consumista diz:

    Adorei! Cada uma com seu estilo próprio!

  • Regina Miranda diz:

    É por essa e outras que as novelas são tão prejudiciais, pois influenciam demais os modos e costumes das pessoas. Eu também me sinto uma E.T. nesse mundo, pois além não entender o porque de tantas cópias nas ruas ainda ouço frases que não fazem o menor sentido sendo ditas a todo momento, e quando questiono, as pessoas dizem que o fulano dá novela tal só fala isso.
    Aproveitando…..adorei o primeiro dia de curso, foi ótimo, e o seu cabelo ficou lindo de corte novo. Amanhã estarei ligada novamente as 19hs. Bjos.

    • Patrícia Lages diz:

      🙂 🙂

  • Carla Ireno diz:

    Oi Paty, tudo bem?

    Realmente, as pessoas perderam sua identidade e com isso a sua personalidade.
    Eu confesso que já fui escrava dessa “modinha”, hoje graças a Deus não me prendo a esses “valores” que a sociedade dita.
    Claro que existem as tendências, que são lindas, mas sempre uso o bom senso.
    Hoje o meu bom senso é o Espírito Santo =)

    Outro dia, fiquei mega feliz por que vi umas pessoas no trabalho (ex trabalho), comentarem de um negócio chamado Império, e eu nem sabia o que era. Deixei o vício de novelas de lado e fui chamada de ET. Mas nem liguei na hora eu ri, e disse que não assisto novelas por que não gosto, pois não me acrescentam em nada.
    As meninas ficaram com cara de boba, foi engraçado.
    Hoje levo as provocações na esportiva =)

    Abraços.

  • Edy diz:

    Amei o Post, dicas valiosas. Paty eu perdi os cursos por ter tido compromisso no horário, conseguiria vê-los em algum lugar? rssr beijosss

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Edy. As duas apresentações gratuitas já passaram, agora só adquirindo o curso no site da EduK, vai valer a pena!

  • Joselene Lima diz:

    Lendo esse post lembrei do que vi ontem na tv e na mídia em geral: a despedida da modelo Gisele. Algumas mulheres dizendo: o que será de nós agora, poxa, adoraria ser ela! Foi quando como você me senti uma ET (Extra Terrestre) e fiquei feliz com isso pois vi que tenho personalidade, quando pensei alto: jamais queria ser ela, ter a vida dela, é tão bom ser eu 🙂 Agora uma coisa é certa: adoraria acordar maquiada e andar pela casa de salto alto, robe de seda e cabelos modelados? rsrsrs Um dia quem sabe né? O marido irá adorar e eu me sentirei uma diva rsrsrsrs

  • Analu diz:

    Patricia parabéns pelo seu trabalho. Essa conscientização é muito importante para nossas vidas. Nós mulheres precisamos entender que nosso valor vai muito além do ter. Grande abraço, desejo te conhecer um dia!

    • Patrícia Lages diz:

      😀

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: