Como viver na era dos excessos?

Se por um lado vivemos em épocas onde se exaltam os excessos, vivemos também em uma sociedade que cobra equilíbrio o tempo todo. Como essa conta fecha? 

Natal

Há menos de 90 dias estávamos sendo bombardeadas pelas propagandas de final de ano que, entre outras coisas, gritavam aos quatro ventos que era hora de comemorar intensamente. Oferecer uma ceia farta, presentear todos os familiares e amigos e comprar tudo o que o salário, mais o 13º e os limites do cartão e da conta permitissem. Não era hora de pensar em economizar, pois era tempo de festa!

Mas, assim que entramos em 2016, a mídia começou a massacrar os inadimplentes, chegando a ridicularizar pessoas que gastaram além do que deviam e usando-as como exemplos do que não fazer. Ué, não eram vocês mesmos que estavam promovendo a gastança sem pensar em economia? O que houve?

Mês passado foi a vez de extravasar no Carnaval. Era pular até cair, viver o dia de hoje sem pensar no amanhã, “ficar” com todo e qualquer um que desse mole e, claro, beber até não poder mais.

Porém, a mesma mídia que exaltava os excessos do Carnaval, criticava os que se excediam. Não faltaram matérias sobre violência, assaltos, atropelamentos, acidentes e por aí vai. Ué… não tinham vendido a ideia de que beber todas era tão legal e quem não bebe é careta, crente ou tem algum problema? Não haviam dito que era só usar camisinha e tudo bem? Por que agora estão achando um absurdo meninas de 11 ou 12 anos não serem mais virgens? Não entendi…

Agora estamos às vésperas da Páscoa e a nova ordem é se jogar de cabeça no chocolate. Mas esqueça daquele ovinho simples, pois a onda agora é outra. São ovos de colher, ovos trufados, ovos com recheio maciço e muita, muita cobertura! Os mais cobiçados são os ovos com quinhentas mil calorias, recheados com mais outro milhão de calorias e coberto com algo que faça esse teor calórico alcançar a estratosfera.

balança

Só que, ao mesmo tempo que devemos nos entregar ao consumo de um zilhão de calorias, temos que ser magras e atléticas, termos uma pele perfeita e cabelos que resistam a qualquer parada. E eu lhe pergunto: como? Como alguém que ainda nem se recuperou dos excessos do Natal e do Carnaval poderá ser linda, magra e saudável após a Páscoa?

Mas a coisa não pára por aí, pois em maio teremos o mês das mães (a quem devemos comprar um presente sem nos importarmos com o valor, afinal, mãe é mãe!), depois virá o dia dos namorados, as férias, o dia dos pais, das crianças e, de novo, o Natal!

Não estou de forma alguma promovendo qualquer tipo de boicote às datas comerciais (sim, amiga: datas comerciais, pois elas não estão distribuídas ao longo do ano por acaso). O que estou propondo é uma reflexão sobre o que a sociedade dita e, depois, o que ela mesma cobra.

  • Se vivemos em uma sociedade onde mais de 56% das pessoas estão endividadas, não seria hora de falar mais em educação financeira do que em comprar sem parar?
  • Se vivemos em uma sociedade onde o álcool mata mais que muita guerra por aí, não seria hora de acabar com a glamourização da bebida?
  • Se vivemos em uma sociedade onde o número de mães-meninas está aumentando não seria hora de trabalhar mais na valorização da infância do que na sexualidade precoce?
  • Se vivemos em uma sociedade onde mais da metade da população sofre com doenças causadas por uma alimentação pobre em nutrientes e rica em açúcar, sal e gorduras, não seria hora de promover mais a alimentação saudável (em vez de ridicularizar a Bela Gil por colocar batata doce na marmita da filha)?

Vivemos em uma sociedade extremamente hipócrita, que cava armadilhas para as pessoas caírem e depois lança terra por cima. Não caia nesses excessos. Crie a sua própria cultura, tenha personalidade e não se deixe levar pelo que as pessoas ditam. Já diz o ditado: “Deus nos deu uma vida para cada um cuidar da sua!”

Eu gosto muito de dar presentes, quem me conhece sabe disso, mas jamais vou me endividar por isso. Minhas amigas de verdade ficariam até chateadas se soubessem que me endividei para presenteá-las. É o que posso, quando posso e de coração, sem imposição de datas. Eu amo chocolate, mas pode ter certeza que não vou dar 50 reais em um ovo que não tem nem 15 reais de chocolate. Também acho que comer é uma das melhores coisas da vida, mas eu como para viver e não vivo para comer. Esse é o segredo para manter o mesmo peso entra ano e sai ano.

Mas tem um último segredo para se ter uma vida mais equilibrada: me faço de surda! Não ligo a mínima para o que a sociedade dita, não importa o quão alto ela grite.

Para não perder nada aqui do blog, cadastre-se:

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Ética
  • Thais Lima diz:

    Verdades, verdades, verdades! Parabéns pelo post Paty!

  • Edna Neponuceno da Silva diz:

    Bom dia Patrícia, é exatamente isso, acabei de postar no face, as pessoas estão sem controle! Quando falei para minha mãe e cunhada que não iria dar ovos para as crianças este ano por causa do valor, elas me condenaram, me chamaram de ruim, insensível, corta barato, então eu respondi que se elas tem R$ 50,00 para sair dando por aí eu não tenho! Adorei o post! Obrigada.

  • Andréa diz:

    Quando ainda era solteira gastei uma quantia aburda em ovos de páscoa para a família , me arrependi amargamente.
    Hoje em dia vou de contramão as datas comemorativas meramente comerciais ,nem visa o afeto e carinho entre as pessoas. Estou fora!

  • Luana Rocha diz:

    Paty, quando era criança ganhava ovos de páscoa.
    Um ovo.
    E amava.
    Criticavam que isso não era páscoa e tal. Tudo bem, mas para uma criança era o que eu esperava ganhar (não escolher).
    Ontem fui ao mercado e comecei a olhar os ovos e percebi que não eram de chocolates tinham a forma de ovos de páscoa mas eram brinquedos, super caros com um bombom representando o ovo. Porém o que me deixou estarrecida, além dos preços, foi uma placa, entre os ovos, de uma marca famosa de chocolates escrito ” Ovos para adultos”. Corri mostrar para meu marido dizendo que era um absurdo ovos para adultos em meio aos brinquedos das crianças. Daí ele pediu para me acalmar pois ovos para adultos significava que não tinham brinquedos.
    Como assim!!!
    Fiquei triste! Embora seja uma data de consumo tinha um simbolismo, hoje não tem mais, será que alguém conseguiria fazer uma enquete perguntando de surpresa para as crianças o que é páscoa? O que será que responderiam?
    Abraços!

    • Patrícia Lages diz:

      Eu creio que elas responderiam que é ganhar chocolate… Nada a ver com o real sentido!

  • Cidalia -Tunisia( Africa do Norte) diz:

    Patty lendo seu post tão mas tão verdadeiro , até me lembrei da Jeanne d’Arc !!

    E isso mesmo minha Querida , verdades são para ser ouvidas e mentiras para serem Denunciadas.

    Estamos no seu Time mulher corajosa!!!

    Beijinhos

    • Patrícia Lages diz:

      ??????

  • Ana Carla Saud diz:

    Patrícia. Descobri seu site em vídeos sobre economia e admiro seu equilíbrio, bom senso, inteligência e elegância na comunicação de suas ideias. oferece soluções simples e tranquilas para quem quer parar de desperdiçar e viver com mais equilíbrio, em todos os setores, o que também reflete na economia. A mídia faz com que muitas pessoas fiquem ou sejam infelizes e os excessos não trazem felicidade a ninguém. Depois, quando a infelicidade é tanta que ondas de crimes e de imoralidades começam a surgir, a mídia tem assunto, apresentando a solução: mas consumo. Não sou contra a mídia, pois sabemos que são as empresas que produzem itens de consumo as grandes patrocinadoras da mídia. A coisa começa com as crianças. Narro só um pequeno exemplo do que me ocorreu esses dias: fui à padaria com meu filho e ele quis um envelope de chicle colorido e eu peguei um pão de leite grande. O pão saiu por R$ 3,50 (alimentou a família toda). O chicle saiu por R$ 2,50 (somente para a criança filho). Não é todo dia que eu compro chicle, mas penso que a indústria dos alimentos não saudáveis investe em embalagens muito coloridas, marketing pesado, corantes fortes, mas não investe em CONTEÚDO SAUDÁVEL. Tenho tentado argumentar com meu filho sobre os alimentos saudáveis, os corantes naturais que as frutas contém, como as cores são mais bonitas e os sabores mais agradáveis, que um produto colorido artificialmente faz mal para a saúde e que as embalagens poluem o ambiente e podem matar os animaizinhos, se eles consumirem aquele lixo, etc. É difícil, mas funciona. E em suas palavras, vejo o reforço de tudo o que penso, aprendo muito com suas ideias equilibradas e sensatas, além de sua elegância. Que bom ter encontrado seu vídeo. Um abraço e muito sucesso.

    • Patrícia Lages diz:

      Muito legal, Ana Carla! Vc está indo pelo caminho mais longo com seu filho, explicando, argumentando, tentando convencê-lo etc. Seria mais fácil comprar o que ele quer e pronto, mas vc tem feito o certo. Dá trabalho, mas no final vai compensar e ele vai te agradecer! Bjs ?

  • Flávia Kelly Lemos diz:

    Nossaaaa… o post foi certeiro!!! (como sempre).

  • Charlene diz:

    Pura verdade! Armadilhas para o povo cair e ser crucificado depois… Toda a atenção ainda é pouca. Bjs Paty

  • Mariana Constantino diz:

    Patty, os ovos esse ano extrapolaram! Não tenho filhos e minha família é pequena , então nunca tivemos essa cultura de ovos, porém todos os anos comprava pra mim o da personagem Hello Kitty pois coleciono o brinquedinho de dentro. Ano passado o ovo estava R$ 29,90, esse ano já esta R$ 44,50.Ta doido que eu vou comprar, com R$ 44,50 eu compro chocolate pro ano inteiro ! Ninguém merece!!

  • PALOMA FERRAZ diz:

    Bom dia!

    ótimo post, aqui em casa temos regra de só ter comida saudável. Quando queremos comer uma comida não tão saudável, comemos fora para não ter reservas em casa e depois só acabar comendo porque tem. Um exemplo pra mim que tem dado certo e quando tenho vontade de comer um chocolate compro um bombom mesmo R$ 2,00 e a vontade já passa ao invés de comprar uma caixa R$ 9,00 e ter bombom a semana inteira e acabar comendo só porque tem. 🙂

  • Georgia Almeida diz:

    Patricia Lages, simplesmente #merepresenta !!!

  • geane diz:

    É bem isso mesmo concordo com vc, só preciso seguir seu exemplo em comer para viver, não estou acima do peso não, mas amo guloseimas preciso focar mais e resistir essas tentações. Bjinhos

  • Naiara diz:

    Somos pressionadas o tempo todo para suprir as expectativas da sociedade. Desenvolvemos doenças na alma (ansiedade, depressão, pânico e etc)pq vivemos buscando demonstrar uma vida feliz, que seguem padrões que nos são impostos. Essa cobrança nos confundem a ponto de não sabermos discernir os valores que são realmente importantes. Por isso, devemos firmar a nossa identidade e descobrir o nosso verdadeiro propósito de vida. Abraços.

    • Patrícia Lages diz:

      É verdade…

  • Naiara diz:

    Patrícia, bom dia!
    Se puder faça um artigo sobre dicas de economia para as noivas, por favor. Percebo que os orçamentos para noivas sempre chegam com valores triplicados dos valores comuns (aluguel de espaço, doces, bolos, maquiagem, cabeleireiro e etc). Normalmente, as noivas estão em um período de muitos gastos, pois precisamos organizar o casamento, mobiliar uma casa e ainda ter dinheiro para fazer uma viagem de lua de mel. Se tiver dicas sobre esses itens, eu agradeço. Abraços.

    • Patrícia Lages diz:

      Anotado!

  • Alexandra diz:

    Boa tarde!! Patricia
    Maravilhoso o post de hoje, a nossa sociedade prega somente o consumismo, se formos nesse embalo, ficaremos extremamente endividados.

  • Maria Gorete diz:

    Muito bem abordado!!

  • Sonia diz:

    Conclusão: olhos bem abertos e os ouvidos surdos para o consumismo excessivo.

  • kimberly diz:

    Um segredo otimo pra viver..

  • Talita Baltar diz:

    Ter uma mentalidade bem formada e definida é fundamental para ter qualidade de vida nos dias de hoje, perceber que não somos obrigados a seguir o tradicionalismo que a mídia nos impõe…

  • Joselene Lima diz:

    Bom demais!

  • Josiane Meireles da SIlva diz:

    Adoro ler tudo o que escreve! E gostaria de saber mais sobre alimentação saudável, pois estou me sentindo compulsiva e quero saber como posso mudar isso na minha vida? Obrigada.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: