Carência: porta aberta para todo tipo de perigo – DTP 2/25

28/02/2022

Carência: porta aberta para todo tipo de perigo – DTP 2/25

Golpes, relacionamentos abusivos, violência, comportamentos autodestrutivos. A carência é uma brecha para péssimas experiências Desafio da Transformação pessoal 2 de…

Golpes, relacionamentos abusivos, violência, comportamentos autodestrutivos. A carência é uma brecha para péssimas experiências

Desafio da Transformação pessoal 2 de 25

O post de hoje foi publicado neste domingo na minha coluna do Portal R7.

Porém, o tema é tão importante que resolvi incluí-lo no nosso Desafio da Transformação Pessoal.

Se você quer entrar nesse desafio conosco, leia o primeiro post clicando aqui e nos acompanhe todas as segundas-feiras aqui no blog.

Os posts são publicados sempre às 7h da manhã e, se você não é inscrito aqui no site, vá à home page e coloque seu melhor e-mail no local indicado logo no início da página.

Dito isso, acompanhe o texto, anote as partes que forem mais importantes para você e medite durante a semana.

O perigo da carência

Nenhum relacionamento abusivo sobrevive sem que uma das partes tenha uma dose acentuada de carência. Esse excesso de necessidade afetiva faz com que a pessoa carente permita que o outro faça dela o que quiser.

A carência é um sentimento insaciável que requer atenção em um grau impossível de ser atendido. Para o carente, não é suficiente estar ao lado de quem ama, ele quer muito mais, ele sufoca, ele quer penetrar até mesmo os pensamentos. E, para piorar, a carência nunca se apresenta sozinha, mas vem sempre acompanhada da insegurança.

Essa dupla explosiva faz com que o carente imagine coisas, crie acontecimentos e invente situações que jamais existiram. As histórias, que só existem em sua cabeça, são tão elaboradas que parece impossível que aquilo tudo não seja real. Suas fantasias cheias de detalhes fazem tanto sentido que é comum tomar atitudes baseadas em coisas não existem.

É comum que essa espiral perigosa leve a pessoa a se tornar cada vez mais atraída por quem menos lhe quer bem. A carência é um tipo de masoquismo emocional que leva a pessoa não só a permitir que o outro a maltrate, como também derruba sua autoestima e dá origem a comportamentos autodestrutivos.

Outra vertente da carência é o excesso de “generosidade”, onde a pessoa se submete a fazer todas as vontades dos outros ainda que não tenha condições financeiras para isso. Não é difícil ouvir histórias, principalmente de mulheres, que passam a “patrocinar” o parceiro sem perceber que estão sendo vítimas de violência patrimonial.

Quantos não são os casos em que golpistas profissionais se aproveitam da carência e da insegurança para ganhar a confiança de suas vítimas e fazê-las se afastarem da família e dos amigos, a passarem bens para o seu nome e até contratar empréstimos para atender todos os seus desejos. A carência cega e emburrece, como um entorpecente. É difícil de acordar dessa apatia e, geralmente, só quando a pessoa perde tudo é que consegue perceber o labirinto em que se meteu. Em seguida vem tamanha vergonha que pode levar até à depressão.

Há quem diga que a carência já tomou o posto da depressão e da ansiedade como mal do século. Se analisarmos cuidadosamente, veremos que tudo faz parte do mesmo pacote: car6encia, insegurança, ansiedade, depressão. Se uma pessoa carente atrai para si todo tipo de perigo, o que dizer de uma sociedade carente, com baixa autoestima e que baseia suas ações sobre coisas e situações imaginárias? Não é à toa que estamos vivendo tempos sombrios.

17 comentários

    Disse tudo…a carência é o gatilho para tantos outros males… Deus nos guarde!

    Bom dia Patrícia ! 16 anos trabalhando praticamente com um público feminino, dá para perceber este problema, é muito triste e preocupante, atendo que já caiu 3 vezes em golpe pelo tender e foi muito dinheiro 🥰

    Belo testo Patricia. Sussinto e obiettivo.
    Grata.

    Muito apropriado esse post, é o tipo que nos leva a reflexão e decisões amadurecidas na vida. Obrigada, Patrícia por seu empenho em ajudar milhares de pessoas.

    Perfeita publicação.
    Veio no momento que estou lidando com um casal, onde ambos estão passando por essa situação.
    Muito triste.
    Lendo a matéria tive clareza para entender o que se passa com eles.
    Todas as minhas tentativas de auxiliar foram em vão.
    Hoje, apenas oro 🙏🏻
    Gratidão, Patrícia 🙌🏻

    Gostei do seu texto! Como agradeço a Deus por ter sido a Ele apresentada e ter aceito! O amor dEle não desiste de mim! E somente praticando a Palavra é que me livrei desse mal! O meu antídoto! O que pode ser melhor que a vontade de Deus que é boa, perfeita e agradável para a minha vida?

    Olá, bom dia! Penso que outro perigo da carência é querer “viver a vida do outro”, por conta do excesso de consumo das distrações das redes sociais, pois levam ao mundo da fantasia, confundindo o “real e o imaginário”. É preciso ter disciplina para evitar “navegar por horas e horas sem fim”, buscando “preencher o vazio” da carência. Abraços

    Olá! Tema muito importante esse que você trouxe. Precisamos de muito auto conhecimento e amor próprio para não cair nestas armadilhas.

    Veja só … um mundo que empodera a mulher na mesma proporção que a encarece.
    Excelente reflexão!
    bjs!

    Oi Patrícia!
    “Nenhum relacionamento abusivo sobrevive sem que uma das partes tenha uma dose acentuada de carência”.
    Analisando essa primeira fase já dá um susto danado e sei que em determinado momento da minha vida passei por isso.
    Beijos!

    Nossa Pati, interessante essa relação de carência e excesso de generosidade! Assunto importante, pois afinal muitas mulheres sofrem com isso!

    Patricia, você sempre surpreende.
    Que mensagem de alerta! Veio em momento oportuno.
    Obrigada!

    Sim, faz todo sentido.

    Bom dia
    Verdade muitas mulheres se deixam levar .

    Excelente Patricia, obrigada por tanto amor, por disponibilizar seus conhecimentos a abrir os olhos da mulheres, pois estas por serem naturalmente dispostas a se sacrificar pelo outro, sofrem da síndrome da “enfermeira” a que vai cuidar de tudo e curar o outro. Símbolos da dependência afetiva. Continue, avante!

Gostou? Comente aqui!

Deixe um comentário




Outras notícias


Produtos




TV Patrícia Lages




Não perca nada. Seu dinheiro agradece!

Digite seu e-mail no campo abaixo para se
inscrever em nossa newsletter.

Shopping cart

0

No products in the cart.