Voltando a falar no assunto da semana, estamos vivendo na era da burrice, mas não temos que nos conformar com este tempo. Precisamos – e podemos – fazer a diferença!

Era da burrice, como não se influenciar

O post de hoje será curto, mas tem uma mensagem para que você reflita todos os dias.

Não é difícil viver fora dessa bolha de burrice que tem se instalado nas sociedades modernas.

Isso mesmo: não é difícil!

E por que não é difícil?

Porque hoje vivemos em um mundo onde as pessoas fazem o mínimo esforço para tudo:

  • Trabalham fazendo sempre o mínimo;
  • Estudam o mínimo possível, apenas para passar na prova;
  • Empenham-se o mínimo em praticamente tudo o que fazem;
  • Pensam o mínimo para “evitar a fadiga”.

Em vista disso, basta que você faça um pouquinho a mais e já estará se destacando!

Pegou o espírito da coisa?

 

Em terra de cego, quem tem um olho é rei!

Esse ditado é verdadeiro, pois quando você tem algo a mais que os outros, você estará por cima.

Na carreira profissional, nos estudos e na vida, quem se esforça tem direito de ter mais.

Por isso, sou totalmente contra a igualdade!

Por que eu ganharia o mesmo que você, se você dá o seu melhor, se esforça e se empenha, enquanto eu faço corpo mole?

É justo isso?

Não, claro que não!

Portanto, se você tiver esse espírito de fazer mais que os outros, você vai viver à margem dessa era da burrice.

Se estivéssemos nos Estados Unidos, Japão ou outro país desenvolvido, eu diria que você tem que fazer muito mais para se destacar.

Porém, no Brasil, estamos tão atrasados que quem faz um pouco mais já se destaca!

E quem faz mais do que apenas um pouco, alcança o sucesso!

Portanto, escolha onde você quer estar:

  • No meio da multidão na era da burrice
  • Destacando-se da multidão fazendo algo a mais
  • Sendo bem-sucedido dando o seu melhor

As opções estão aí para quem quiser escolher! 🙂

Nos vemos!

 

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Adoro teus textos. Tu consegues colocar de forma simples e clara as verdades que precisam ser ditas!
    Acredito que a grande maioria concorda contigo, e aos poucos as pessoas estão despertando..
    Continue assim, uma voz para nós.
    Bjs

  • Estou gostando muito dos seus textos. Sempre falei isso para meu filho, que no Brasil ninguém quer nada com nada. Quem se esforça um pouquinho mais já se destaca. Obrigada abraços.

  • Antes de dormir:
    (×) verificar se tem post da Patrícia,
    (×) ler e aprender com eles;
    (×) ler a bíblia;
    (×) beijo de boa noite nas crianças.
    Tudo ok, amanhã com certeza serei melhor que hoje.

  • Bom dia, Patrícia!
    Dia tão corrido ontem…. que terminei de ler agora o seu “post”.
    E isso se dá exatamente pelo que você escreveu: desde que decidi sair da preguicinha profissional (existe isso? rsrs), o que não falta é ter atividades, desafios a mim delegados!
    Agradeço a Deus e a você que tão bem ensina cada uma de suas blindetes!

  • Achei os dois textos interessantes,

    Com exceção de três frases: “Esse ditado é verdadeiro, pois quando você tem algo a mais que os outros, você estará por cima.

    Na carreira profissional, nos estudos e na vida, quem se esforça tem direito de ter mais.

    Por isso, sou totalmente contra a igualdade!”

    Contra igualdade de condições? De direitos?

    Existem igualdades e igualdades…

    Sei que não somos todos iguais, porém algumas igualdades tem de serem defendidas.

    Cuidado com esse discurso “sou totalmente contra igualdade”… partindo deste raciocínio todos temos agora poder de competir com a Coca cola e a Antártica…

    Se eu for espírita, portanto de religião diferente eu não mereço ser tratado de maneira igual pelas leis, ou pelo banco, ou pelos fundos de investimento… sou acionista então não vou receber dividendos iguais por ação porque penso diferente…

    Você trabalha com informação e sabe que uma informação errada ou um golpe pode levar o esforço de décadas de uma pessoa pelo ralo. Anos de esforço e uma ação de má fé de outro pode levar tudo a perder…

    Uma retificação ou observação não seria um absurdo.

    Saúde, sucesso e felicidades.

    • Olá, Santiago. Eu sou contra a igualdade de méritos e não à igualdade de direito. Como cidadã eu tenho os mesmos direitos que qualquer pessoa (rico, pobre, analfabeto, culto etc.), mas na questão do mérito, quem se faz mais tem direito de ter mais. Essa é a minha opinião, jamais confundindo direito com mérito.

  • Patrícia, ler seus textos em meio a tantos bombardeio de desinformação tem sido um alento para minha saúde mental, obrigada pela clareza e sinceridade de sempre, me ajudam muito a melhorar como pessoa e profissional, principalmente em assumir minhas próprias responsabilidades e fazer o meu melhor.

  • Oi Paty! Super concordo com você! Uma pena o serviço público ainda não trabalhar com essa mentalidade de forma efetiva, resolveria pelo menos metade dos problemas que temos hoje nessa área. Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *