Você está sendo explorada?

Muitas pessoas dizem ser exploradas em seu trabalho, pelo governo e até pelo “tio” da padaria que aumentou o preço do pão. Mas, será que o seu radar contra a exploração está voltado para o lugar certo?

Refletindo sobre os e-mails e mensagens que recebo aqui no blog e na página Bolsa Blindada do Facebook cheguei à conclusão de que há muita gente por aí atirando no alvo errado.

Recebo muitas mensagens de pessoas que dizem: “meu chefe larga tudo na minha mão, ele manda que eu me vire e eu tenho que resolver tudo!” Outras dizem: “minha supervisora não faz nada sem mim. Ela quer que eu ajude em tudo, estou cansada disso!”

O que eu analiso disso é que essas pessoas não perceberam que estão reclamando por terem conquistado a confiança de seus superiores. Elas acham ruim que seus chefes contem com elas para tudo e que lhes dêem mais afazeres do que dão a outros. Ora, se eles fazem isso, é porque confiam em você e na sua competência! Então, use isso a seu favor e negocie melhores condições de trabalho para você. Se você acha que merece uma promoção, peça, negocie e use a sua boa conduta para conseguir o que acha justo. É assim que se constrói uma carreira e não lamentando aos quatro cantos. E se seus superiores não lhe derem ouvidos, aproveite a sua experiência e busque algo melhor.

Por outro lado, já recebi diversas mensagens do tipo: “meu dinheiro não dá para nada… eu dou “X” reais para ajudar a minha irmã mais velha que vai casar, dou “X” reais para a mais nova que está estudando, “X” reais para ajudar na festa de 90 anos da minha avó…” e por aí vai… Claro que esse dinheiro não dá para nada. É muita vaca pra pouco leite!

Fora as que me escrevem e dizem que estão pagando dívidas dos pais, pois eles sujaram o nome delas. Sim, amigas: pais que sujam o nome das filhas e não estão nem aí! São meninas que mal começaram a trabalhar e já estão endividadas porque a mãe mandou financiar o carro do irmão e depois ninguém pagou e a conta sobrou. O pai que quis um empréstimo e depois largou a conta pra filha se virar. Para mim, isso sim é uma exploração tremenda!

Se você trabalha, o dinheiro é seu. Claro que se você é solteira, vive com seus pais e eles precisam de ajuda, você deve colaborar. Mas, defina o que vai fazer e não assuma coisas que não pode. E esteja certa de que isso realmente será uma ajuda e não um problema. Por exemplo: uma leitora dava dinheiro para a mãe ir ao mercado, pagar a luz e a água, mas, em vez disso, a mãe torrava tudo na Avon e depois a leitora tinha que se endividar para não faltar comida na mesa e pagar as contas. O certo seria que ela mesma fizesse as compras e pagasse as contas, sem dar o dinheiro para a mãe, pois ela não sabe administrar.

E para terminar: não seja fiadora de quem quer que seja. Se ameaçarem terminar a amizade porque você se nega, que tipo de amizade é essa onde você é obrigada a fazer o que não quer?

Nos vemos!

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • maria gilvanete de oliveira diz:

    Bom dia querida. Concordo com voce e todas suas colocacoes muito sabias.

  • Cristina/Sergipe diz:

    Bom dia D.Patrícia.
    Meu chefe me sobrecarregava de tarefas, enquanto por várias vezes via os outros funcionários, na internet, no celular ou batendo papo. Mesmo chateada, não reclamo nem faço corpo mole. Olha só, esse mês recebí uma promoção de 90% do meu salário (apenas eu do setor e isso gerou uma polêmica). Vale a pena o esforço e eu estou feliz.
    Um abraço.

    • Patrícia Lages diz:

      Parabéns!! Fazer o que é certo é sempre a melhor opção, e que os outros sigam seu exemplo!

  • emillyn beatriz nunes diz:

    E isso mesmo devemos ter limites e equilibrios para melhor desempenho na vida .amigos amigos negocios sempre a parte.

  • fabiana costa diz:

    Bom dia! Não posso dizer que sou explorada, mas tenho tido dificuldades com meu marido em relação a R$. Todo esforço que faço em prol do bem comum ele desperdiça em alguns dias com besteiras… E isso acaba desanimando um pouco.

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Fabiana. Sugiro que vcs tenham uma conversa e que vc se ofereça para ser a gestora do dinheiro de vcs. Reserve um valor para ele gastar sem prejudicar suas economias. Bjs

  • RENATA RIVIELLO diz:

    Estou exatamente nesta situação e já foi motivo de muitas brigas com meu marido.Meu nome e o nome do meu marido estÃO com restrição por emprestar cheques ao meu pai, ele quebrou e quebramos juntos também. Hoje meu pai já está com o nome limpo e o nosso sem previsão do meu pai pagar porque ele tem muitos compromissos. Já coloquei na minha cabeça que não posso esperar pelo meu pai , eu mesma vou pagar para resgatar os cheques e nunca mais empresto meu nome para quem quer que seja. Cansei de ser boazinha e sempre levar prejuízo financeiro, não é a primeira vez que me prejudico para ajudar alguém. Sinto muito mas nem aos meus pais empresto mais o meu nome.

    • Patrícia Lages diz:

      É uma pena que vc tenha aprendido da pior forma, mas vale o aprendizado e a decisão que vc tomou, pois há pessoas que mesmo passando por algo similar, não têm “coragem” de dizer não e caem de novo! Espero que vc consiga pagar o quanto antes e deixe tudo certo com seu nome e do seu marido. Um abração!

  • lucia franco diz:

    Bom Paty eu concord com vce eu so reclamva do meu trabalho mais depois que vce fez falou sobre a prosperidade, de Jose do Egito eu me analisei como eu estava agindo,eu estava agindo errada .E verdade as vezes de ficarmos reclamando vamos fazer o melhor .Um abraco que Deus te abencoe.

  • Luciana Bodini diz:

    Oi Pati, tudo bom?
    quero uma ajuda sua, lá vai:
    vamos supor q vc me empreste dinheiro então eu não vou tirar o dízimo pq é empréstimo, Aí eu vou e uso e quando vou te pagar vc diz q não precisa. E agora, como eu faço com o dízimo desse dinheiro q vc me emprestou, pq o que eu ia te devolver já estava dizimado.
    brigada! beijinhos!!

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Lu. Se a pessoa te livrar da dívida, significa que vc ganhou o dinheiro, então deve devolver os 10%. Entendo que vc tirou o dízimo quando ganhou o valor, mas neste caso, vc ganhou 2 vezes. Bjs

  • Suze diz:

    É verdade. Quando se trata de família, a gente sempre quer ajudar. É aí que mora o perigo…
    Precisamos agir com a razão e nessas horas deixar a emoção de lado.

  • Daiana Schemes (Rio Grande do Sul) diz:

    Boenas!

    Eu já fui bem mão aberta quanto a esse assunto, mas hoje posso dizer que estou mais ligada que rádio de preso! 🙂

    Um abraço do tamanho do Rio Grande pra ti guria!!

    Dai.

    • Patrícia Lages diz:

      Kkkkkkkkkkk…. Essa foi super!! Bjs do tamanho do engarrafamento do trânsito de Sampa!!

      • Daiana Schemes (Rio Grande do Sul) diz:

        kkkkkkkkk, então é um bjo gigantesco hehehe.

  • Edna diz:

    Bom dia!
    Realmente eu não sei administra o meu dinheiro, ainda não comparei o livro e um dos motivos e porque o dinheiro não dá apesar de não ser caro.
    Mim ajuda. …

  • Christina Moura diz:

    Em casa é bem complicado, se você não ajuda se sente culpada. Fazer algo por mim é um desafio, me sinto egoísta, ao contrário de quem é beneficiado não tá nem aí com o que sacrifiquei.
    Abraço carinhoso.
    Chris/Acre

    • Patrícia Lages diz:

      É esse o problema, Chris. Vc trabalha e se sente mal em usar o SEU dinheiro consigo mesma. Por sua vez, quem NÃO trabalhou usufrui do SEU dinheiro e ainda não valoriza. Abra os olhos, amiga. Quem trabalha é digna do seu salário. Invista em você! Beijos

  • ARIENE diz:

    CONCORDO PLENAMENTE!

  • Joselene Lima diz:

    Concordo plenamente!

  • Luiz diz:

    Oiieee Pati , bom diaa
    essse post é muito bom!!!
    nos instrue muito bem!!!
    Nessa parte de ser fiadora de alguém, me lembro muito de uma certa vez que fui fiadora de uma pessoa conhecida e supostamente era uma amiga muito chegada!
    Mas sabe o que aconteceu?
    ela simplesmente comprou vários pares de sapatos para ela, para a família toda em meu nome e depois simplesmente deixou tudo para que eu pagasse, senão meu nome é que seria negativado!
    Por isso aprendí a lição!!!
    E esse post é a pura verdade!!! … eu já experimentei essa realidade!
    Pati, parabéns pelas ótimas dicas e Deus a abençoe grandemente!

    beijinhooos

  • Leila Sousa diz:

    É verdade Patricia, já tive meu nome sujo por confiar em outras pessoas e hoje sou bem seletiva, com tudo que se trata de dinheiro.Também já passei por essa de ajudar minha mãe que mora lá no interior tem 4 filhos, e só eu ajudo, paguei alguns papeis pra ela se aposentar e antes de um mês minha irmã fez ela pegar um empréstimo de R$7,000 daí foi embora e antes de ir ainda apagou toda agenda do celular da minha mãe e nem dá noticias…Eu fiquei arrasada, pensei em correr atrás de um advogado pois minha mãe, é muito leiga mas depois deixei pra lá, minha mãe pedia de tudo pra mim mas, quando chegou o momento de pelo menos me perguntar o que achava do tal empréstimo não o fez e ainda não me contou tudo de uma vez tive que colocá-la contra a parede, eu estava inclusive vendo apartamentos para financiar em meu nome para ela vir morar aqui perto de mim, depois disso decidir viver minha vida cuidar de mim, não deixarei de ajudar mas terá limites, não é justo eu ajudá-la mesmo quando não posso e ela viver quase que em função dos meus irmãos que a maltratam.

    Eu tenho uma amiga que vez ou outra compra algo pra mim no cartão dela, pq o meu tem um limitizinho de nada mas eu sempre pago, nem espero ela me cobrar, as vezes ela até diz: Calma, a fatura nem chegou, vou gastar esse dinheiro, menina! kkkk
    É bom honrar os nossos compromissos com as pessoas, cumprir com a nossa palavra, as vezes pode até acontecer um imprevisto mas se formos sinceros e explicarmos a situação a confiança ainda se manterá mas infelizmente isso não é uma regra!
    Queria te agradecer por seu blog, e dizer que em março paguei meu ultimo boleto de acordo, e meu nome está limpinhoo, e também abri uma conta, e estou fazendo aplicações e não apenas guardando, graças ao seu livro, e a seu blog que tem aberto minha mente cada vez mais.

    bjuss
    Leila

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Leila. Que bacana vc ter pago as dívidas e estar com tudo OK! Infelizmente, é comum que o filho que mais ajuda seja o menos lembrado. Mas, você fez a sua parte, amiga, vá viver sua vida de consciência limpa! Bjs

  • Nuria diz:

    Obrigada Patricia por esse post.
    Precisava ouvir isso, Por conta do volume de trabalho que tenho recebido eu andava murmurando dentro de mim. Agora sei que tenho que deixar de murmurar e me empenhar mais no meu trabalho.

  • Elza Maria diz:

    Oi patrícia pesquisando sobre exploração no casamento encontrei seu site e menina!! Caiu perfeito pra mim..Mas sinceramente não consegui tomar decisão nenhuma.M mãe, ms irmãos, tds amgos q sabem do m prpblema me apóia p eu me separar ms eu sinto uma pena do m esposo q não sei! Não consigo dar um basta!Fico c pena pq ele é mt difícile não combina mt c a família e penso q se eu o deixar ele vai ficar sozinho e abandonar nossa filha. Estamos juntos há 15 anos, a vida td eu q banquei a casa e abracei a responsabilidade, pq ele saiu da cidade dele e veio p onde eu trabalhava,(ganho tres vezes o salario dele e ele não se esforça p mudar d profissão e melhorar) ficou sem emprego uns tps e desde o começo eu era a responsável..E continuou assim.. Temos uma filha d 12 anos e agora aumentou a m responsa pois tenho q cuidar dela tb, ele so faz é levar e buscar na escola e nos cursos e ficar d companhia qd trabalho.. Naõ abraça nenhuma responsabilidade de contas. Qd estou apertada e peço ajuda ele diz q tb está apertado e não pode ajudar, Tem vezes q ainda me pede dinheiro emprestado.Pq ainda quer ter um vida boa c motos bonitas e caras e sapatos e perfumes caros.( Ms ele q compra c o salário delee c os emprestimos q fz) Já conversei várias vzs, explico q não é só de sexo e carinho q preciso q ele vai me perder, ele pede um tp p pagar umas contas e acaba ficando na msm.. Brigas é so tocar no assunto de pagar contas que ocorre, senão fica td bem..Estou exausta com isso, ms o que me assusta um pouco é ficar sozinha com m filha q ainda depende da gente e m família apesar d me apoiar mora fora da m cidade..Estou infeliz e indecisa pq ha uns 2 meses decidi q queria separar ms ele quis q vendêssemos a casa, q dividisse td e qd topei ele ficou pedindo um valor super alto na casa só p dificultar a venda. pensei em sair e pagar aluguel ms como estou c um terço do m salário comprometido fiquei mais uma vez com medo de não conseguir e acabei cedendo aos pedidos de mais uma chance, dele.Me arrepend d ter voltado atras dessa vez e fico amarrada pq se investir na casa ele quer a metade se ficar com ele não acredito na mudança.! Será que preciso de um psicólogo p me ajudar a tomar essa decisão? Fico com medo d ficar sozinha c m filha e ela se rebelar e fico c medo d continuar e ficar doente, pois fico quase q obrigada sabe, não tenho mais vontade d agradar de fzr o q ele quer…vcs me entendem??

    • Patrícia Lages diz:

      Elza, vou mandar a resposta no seu email ok? Bjs

  • Natália Maria diz:

    Me sinto explorada pela minha mãe, que nunca soube viver com o próprio salário e agora acha que eu e meu irmão (que é condizente a ela) devemos “sustentar” a casa. Fez tantos empréstimos que reduziu o próprio salário (ao que ela diz) em míseros R$200,00. Dou (entre pagamento das contas de luz) mais da metade do que ganho (entre salário, vale e VT) e nunca parece ser o suficiente. Trabalho o mês inteiro para odiar os dias de pagamento (5º dia útil, dia 20 e dia 01). Ela quer o dinheiro, mas se der ela vai gastar (como já aconteceu diversas vezes) e as contas (água, luz) ficarão atrasadas (como já aconteceu, com risco de corte até).
    Quando preciso comprar algo por necessidade (calça, porque a antiga rasgou) para o trabalho acha ruim. Quando falo não (porque vai me fazer falta, como uma boa parte do VT) me joga na cara tudo o que fez por mim quando eu mesma não tinha condições de fazer, lembrando o que gastou comigo (como coisas quando era criança e não podia trabalhar).
    Me sinto sozinha dentro da minha própria família.
    Se ela tem dinheiro, gasta. Se não tem, fica pertubando. Prefere comprar pizza ao invés de 1kg de carne. Diz que só vou começar a me importar quando minha barriga começar a roncar e quer soluções para problemas que ela mesmo criou (os empréstimos, sem nunca antes consultar-nos, eu e a meu irmão). Nunca soube viver com o próprio dinheiro (tinha o pai, meu avô que ajudava quando apertada, ou seja, sempre) e agora quer ser dependente do dinheiro dos outros.
    Sabe o que é receber aquele dinheiro suado e não poder comprar aquele item que você sonha por dias, meses? Não ver satisfação quando recebe o próprio salário? Não conseguir nem planejar o futuro. Já me indicaram sair de casa. Mas para onde? Me sinto enclausurada em minha própria casa. Tenho até medo dela mexer na minha bolsa atrás de dinheiro.
    Acha ruim eu estar namorado (e ter os olhos abertos para o que é realmente certo). Acha ruim eu dar o restante do que sobra das contas e por aí vai.
    Já não sei o que fazer… sofro pelos erros dela tem horas que dá vontade de desistir de tudo… nem vontade de voltar para casa eu tenho.
    Há algo que posso fazer, ou a solução é dar todo o meu dinheiro para ela?

    • Patrícia Lages diz:

      Não Natalia, a solução não é dar todo o seu dinheiro para ela e nem é sua obrigação sustentar a casa ou pagar por empréstimos que ela fez. Vou lhe enviar uma resposta particular, OK?

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: