Muitos a consideram comum, outras a usam em casos de “necessidade” e alguns dizem que é impossível viver sem ela.  Até onde a mentira é algo aceitável nas relações de trabalho? Continue lendo