O que mais aborrece você? – DTP 10

25/04/2022

O que mais aborrece você? – DTP 10

Há coisas mais difíceis de engolir e elas variam de pessoa para pessoa. Hoje vamos falar sobre o que mais…

Há coisas mais difíceis de engolir e elas variam de pessoa para pessoa. Hoje vamos falar sobre o que mais aborrece você e o que fazer quanto a isso.

O poder que damos às coisas

Há seis meses estamos construindo e tentando suportar tudo o que vem junto com uma obra:

Sujeira, barulho, decisões sobre coisas que nem sempre dominamos, controle de cada real que sai (porque se você não fizer isso, saiba que ninguém vai ter “pena” do seu dinheiro), mudança de planos, refação de coisas que não ficaram a contento, inevitáveis dores de cabeça e, de vez em quando, vontade de jogar tudo para o alto!

E, obviamente, não é porque estamos no meio de uma obra que podemos deixar os demais compromissos de lado.

Muito pelo contrário: temos que acelerar o ritmo de trabalho para não deixar nosso caixa baixar.

Resultado: aborrecimento em cima de aborrecimento.

Em meio a todo esse estresse, há dias em que os aborrecimentos tomam conta e acabam atrapalhando todo ritmo da semana.

O que tenho tentando aprender com isso tudo é que quanto mais eu permito que as coisas me aborreçam, mais força eu dou a elas.

Não que eu vá aceitar coisas inaceitáveis, mas preciso manter a vida nos trilhos sem permitir que elas me tirem do eixo.

Está errado? Consertem. Vai levar mais tempo? Paciência.

Está incômodo viver “acampado” dentro de casa? Releve. Um dia isso vai acabar e provavelmente nós nem vamos lembrar de todo perrengue que estamos passando.

Assim é a vida: tudo passa. E aqui vai uma prova:

Hoje é 25/04/2022. Tente lembrar do que aborreceu você exatamente um ano atrás, ou seja, o que aconteceu em 25/04/2021?

Você só vai se lembrar desse dia caso ele tenha algo fora da rotina normal, como um aniversário ou outra data comemorativa, o falecimento de alguém ou um fato que realmente tenha sido muito bom ou muito ruim.

Fora isso, o que quer que tenha acontecido um ano atrás, já caiu no esquecimento.

Portanto, tente aprender a lidar com os aborrecimentos que, sem sobra de dúvida, sempre existirão.

E uma vez que não dá para nos livrarmos deles, não vamos permitir que tomem um tempo que não voltará nunca mais.

Nos vemos!

Confira os desafios anteriores clicando nos títulos abaixo:

Não esconda um defeito atrás de uma qualidade – DTP 1

Carência: porta aberta para todo tipo de perigo – DTP 2

Sucesso demora, dói e dá trabalho – DTP 3

Você está no ambiente certo? – DTP 4

O que mais limita o seu crescimento – DTP 5

Cuidado com o que você pede – DTP 6

Meu corpo, minhas regas, mas pode abusar da minha mente – DTP 7

Você vale por quantas pessoas – DTP 8

Menos “sextou” e mais “desfrutou”– DTP 9

10 comentários

    Olha a “noveleira polianística” aproveitando a oportunidade de citar o jogo do contente: “Há sempre o lado bom de tudo e é nele que devo me apegar” . Se posso escolher falar palavras pesadas, de derrota, desânimo, raiva, ódio, surto rsrsrs…… ou falar coisas boas, ou dizer “onde os meus olhos chegarem, os meus pés irão chegar” …. melhor escolher a segunda opção porque ela inclusive garante um sorriso e menos rugas no rosto!

    Ontem no Clube da Leitura, até escrevi sobre isso, pois eu noto que o que mais me aborrece é desordem, bagunça… eu notei que isso arranca um lado de mim que até desconheço.

    Hoje graças a Deus melhorei muito Pati.

    Não quer dizer que agora eu gosto de sujeira, mas fico atenta para que eu mesma não me deixe levar por essa irritação.

    Lembro que há uns anos atrás por causa de bagunça eu arranjava confusão com as pessoas, queria tudo em ordem do meu jeito, aí você ja sabe, quem não gostava era confusão na certa.

    Até que cheguei à conclusão que não tenho poder de mudar ninguém, a única pessoa que posso mudar sou eu mesma.

    Então, criei uma estratégia: se chego em algum lugar que esta muito bagunçado e eu posso fazer algo à respeito, então eu faço, sem ficar criticando as pessoas, sem estresse, sem reclamação.

    Caso eu não possa, fico ali naquele ambiente sem ficar focando na bagunça e fico tranquila.

    Em casa é a mesma coisa, o que eu puder fazer pra deixar minha casa em ordem eu faço, mas já me aconteceu situações em que estive doente, e não pude cuidar da casa como eu gostaria, mas não me permiti ficar irritada, eu simplesmente não olhava para o que não foi feito.

    É como você mencionou acima: quanto mais eu permito que as coisas me aborreçam, mais poder eu dou a elas.

    E isso é pra tudo, cada pessoa é diferente, cabe a cada um se avaliar e ver onde e como estão dando poder para ela mesma se aborrecer.

    Grande abraço Pati, ótima semana pra ti.

    Essa foi uma das razões de eu ter parado de escrever diário. Eu ficava com a sensação de que os problemas ficavam muito maiores do que eram, à medida que ia escrevendo dia a dia. Hoje, escrevo só os pontos mais importantes do mês em tópicos sem grandes textos descritivos. Exemplo: em abril do ano passado estava de férias na casa da minha mãe.

    Nos meus 61 anos de vida, aprendi que tudo é passageiro, tanto as coisas que te aborrecem, quanto as coisas que te deixam feliz , portanto, procuro aprender com ambas, um abraço 🤩

    Esse texto foi pra mim.
    Estou em home-office desde a pandemia e não retornei porque o espaço físico que trabalhava foi extinto. Trabalho com uma equipe bem pequena e tive que aprender a atividade quase do zero e é uma atividade desgastante mentalmente.
    Mas fui aprendendo e hoje meu impecilho maior é a chefia que parece não ter consideração comigo, não é educada e algumas vezes não tira as dúvidas necessárias, pois ela sabe por trabalhar há anos com essa atividade, para que eu possa dar prosseguimento na minha parte. É difícil. Tento depender o mínimo. Mas tem horas que dá vontade de jogar tudo pro alto, mas a consciência volta. Graças a Deus.
    E hoje, fazendo minhas orações, pensei e comentei comigo, não darei mais esse peso, dissolvereidiariamente para que a minha tranquilidade não se abale, respirar fundo e pedir luz a essa pessoa.

    Ótimo post Patrícia.
    Gratidão sempre.
    A alguns anos atrás eu sempre ficava irritada com obras:em casa,na rua,na calçada…até que um dia uma prima me disse:eu vejo toda obra,construções,reparos,como algo evoluindo,prosperando….comecei a pensar assim também.
    Os transtornos fazem parte da evolução.
    Sua casa vai ficar linda!
    Bjsss!

    Tenho aprendido a parar de me aborrecer com banalidades, buscar uma solução quando a situação exige ao invés de ficar reclamando e remoendo coisas passadas.

    É Paty, precisamos sempre estar atentos ao sinais e sentimentos para que possamos resolver essas questões dentro da gente. Maravilhoso!!

    Perfeito!!🥰

    Sempre aprendo com os posts e mais um pouco com os comentários! Gratidão 😌

Gostou? Comente aqui!

Deixe um comentário para Adriana Gomes Cancelar resposta




Outras notícias


Produtos




TV Patrícia Lages




Não perca nada. Seu dinheiro agradece!

Digite seu e-mail no campo abaixo para se
inscrever em nossa newsletter.

Shopping cart

0

No products in the cart.